segunda-feira, 27 de junho de 2016

A Espanha volta a eleger o PP


Os espanhóis querem mesmo que Mariano Rajoy, líder do Partido Popular (PP), continue a ser o primeiro-ministro de Espanha: desta vez, nas novas eleições legislativas depois de Dezembro passado, o PP reforçou o apoio popular vencendo com 33% dos votos e aumentando 14 deputados. Os súcias do PSOE, liderados por Pedro Sánchez, ficaram em segundo, ao contrário do que indicavam as previsões que diziam que os extremoesquerdistas Unidos Podemos (o Bloco de Esterco ou o Syriza lá de Espanha) é que ficariam em segundo, mas mesmo assim perdeu cinco deputados. "Ganhámos e reclamamos o direito a governar", afirmou o primeiro-ministro na reacção aos resultados. Rajoy, depois de um longo elogio ao PP, sublinhou que a partir de hoje está disponível para "falar com todos (os partidos), com o único objectivo de defender os interesses de Espanha e dos espanhóis". Já Sánchez acusou o líder do Podemos, Pablo Iglesias, de ter perdido a oportunidade de acabar com o governo do PP por preferir pôr em primeiro lugar os seus interesses pessoais. "Os resultados não são satisfatórios. É um momento para reflectir", lamentou Pablo Iglesias, desiludido com o terceiro lugar.
Como em Portugal, onde a maioria dos eleitores votou na coligação de Direita "Portugal à Frente", os eleitores espanhóis também têm juízo. O problema é que as geringonças existem para dar cabo de tudo...

Sem comentários: