terça-feira, 24 de maio de 2016

E foi assim a época futebolística 2015/16 em Portugal...

Depois do Benfica ter-se sagrado bicampeão e o Sporting ter conquistado a Taça de Portugal, numa final dramática frente ao Sporting de Braga que só ficou decidida nas grandes penalidades, os dois grandes rivais lisboetas encontraram-se para medir forças no Estádio do Algarve para a Supertaça Cândido de Oliveira em Agosto passado. O Sporting, empolgado por ter sacado Jorge Jesus ao Benfica, venceu o jogo por 1-0, golo enrolado e sortudo apontado por Téo Gutierrez, aprofundando a crise do Benfica que na altura ainda não tinha ganhado (sim, é ser/estar ganho e ter/haver ganhado) um único jogo com o Rui Vitória. Na altura, depois do jogo, e sobretudo depois dos primeiros jogos no campeonato, muitos foram unânimes em considerar o Benfica uma carta fora do baralho na luta pelo título: o comentador portista Manuel Serrão chegou mesmo ao ponto de dizer que a luta seria entre o Futebol Corrupto do Porto e o Sporting, sendo o Futebol Corrupto do Porto "o único candidato" (possivelmente devido aos muitos milhões uma vez mais investidos no plantel)...

No Estádio do Algarve ficou um penálti por assinalar para o Benfica por falta sobre o Gaitán aos 63'
À medida que o campeonato ia chegando ao fim, já com o Benfica e o Sporting eliminados da Taça de Portugal - no jogo em que o Benfica foi eliminado após prolongamento por 1-2, em Alvalade, ficaram pelo menos dois penáltis por assinalar para o então bicampeão (o lance que resultou na lesão do Luisão foi altamente à cara podre...) -, ficámos a saber que o sensacional Arouca (que impôs a primeira derrota ao Benfica no campeonato num jogo em que beneficiou da arbitragem) e o Rio Ave apuraram-se para a Liga Europa. Os arouquenses, comandados por Lito Vidigal, estão apenas há três épcas na primeira divisão, pelo que o feito não deixa de ser incrível; quanto ao Rio Ave, que foi muito bem orientado por Pedro Martins (entretanto já substituído por Nuno Capucho), garantiu o acesso à competição europeia mais tarde, na última jornada.

Festa dos jogadores do Arouca, no conforto do lar, e dos do Rio Ave pelo apuramento para a Liga Europa
A histórica Académica de Coimbra e o União da Madeira desceram de divisão. A Briosa, depois de 12 anos consecutivos na primeira divisão, regressou ao segundo escalão, o que provocou uma enorme desilusão e fúria nos seus adeptos, mas o que é que se esperava de uma equipa que jogou como jogou com o Benfica praticando anti-jogo durante quase todo o tempo? Quanto aos madeirenses, o presidente do clube, Filipe Silva, acusou as arbitragens e os incumprimentos fiscais de outros clubes, que tornam a concorrência desleal, pela despromoção, apelidando a Liga NOS de "liga da mentira". E antes de passarmos ao ponto seguinte, que é o ponto mais alto de toda a época, vão daqui também os parabéns ao Tondela, orientada pelo "nosso" Pitbull, Petit, por ter conseguido a impensável permanência, o que levou o técnico a rumar ao Santuário de Fátima pelo "milagre".

Desilusão dos estudantes e do técnico do União da Madeira, Norton de Matos, pela descida
Após uma luta renhida entre o Benfica e o Sporting - e não entre o Sporting e o Futebol Corrupto do Porto, ó Manuel Serrão!  -, o Glorioso acabou por cortar a meta com um incrível número de pontos, 88, e igual número de golos, o que configura um verdadeiro ataque esmagador. Foi uma época desgastante e marcada inicialmente por muitas dúvidas, até mesmo entre os benfiquistas como eu, mas que no fim mostrou que o grupo esteve sempre muito unido e imune aos ataques vindos de fora. Além disso, o Benfica fez ainda uma excelente participação na Liga dos Campeões, tendo sucumbido apenas aos pés do colosso Bayern de Munique por 2-3 no conjunto das duas mãos (em Munique ficou um penálti por marcar contra os bávaros). Já o Sporting ficou em segundo com menos dois pontos, mas foi o campeão dos confrontos directos entre os principais concorrentes (cinco vitórias em seis clássicos). O problema é que os campeonatos ganham-se conquistando pontos às equipas pequenas e uma equipa que chegou a ter sete pontos de vantagem e baqueou sobretudo contra equipas mais acessíveis em casa dificilmente merece ser campeão. Houve muito demérito do Sporting mas acima de tudo houve um grande mérito por parte do Benfica e do seu treinador que soube construir uma equipa forte, unida, solidária e acima de tudo blindada dos ataques que vinham frequentemente do outro lado de lá da segunda circular. Foi claramente uma vitória, mais uma, da humildade sobre a arrogância. Foi o sexto tricampeonato do Benfica, este surgido 39 anos depois.

Mudou finalmente o paradigma no futebol português ou é preciso agora que o Benfica chegue ao tetra?
Na segunda divisão, também conhecida por Ledman LigaPro por causa do investimento chinês, as equipas que conquistaram o direito à subida foram o Chaves e o Feirense. Os flavienses subiram finalmente de divisão após longos 17 anos e o Feirense regressou ao convívio dos grandes depois da sua última presença em 2012. Aqui em Macau há pelo menos um adepto do Feirense que é o treinador do Benfica de Macau, Henrique Nunes, que vibrou com o feito e que acredita que o Feirense pode seguir os passos do Arouca. Henrique Nunes chegou mesmo a dizer, em entrevista à TDM, que o Feirense tem uma parceria com um grupo nigeriano, que detém 70% da SAD do clube. Só não sabemos qual é o nome do grupo.

Chaves e Santa Maria da Feira vão constar no mapa da próxima edição da Liga NOS
Ainda na Ledman LigaPro, o campeão foi o Futebol Corrupto do Porto B, o único "título" conquistado esta época pelo clube do corrupto-mor Pinto da Costa. A festa foi rija e na altura o presidente portista não se esqueceu de gozar com o Benfica, cuja equipa B estava em vias de ser despromovida. Acontece que, infelizmente para o corrupto-mor que já está idoso, o Benfica B, treinado por Hélder Cristóvão, conseguiu garantir a permanência na última jornada, o que significa que na próxima época ambas as equipas B vão continuar juntas no mesmo escalão. Esta edição da Ledman LigaPro ficou ainda marcada por suspeitas de corrupção que já levaram à detenção de algumas pessoas, entre elas gente ligada ao Oriental, Oliveirense e Leixões. Depois do caso 'Apito Dourado', que fez com que o Futebol Corrupto do Porto também passasse a ser conhecido entre os benfiquistas pela sigla CRAC (Clube Regional Assumidamente Corrupto), eis agora a operação 'Jogo Duplo'.

Um conquistou o "título" e o outro garantiu a permanência no fim. Para o ano continuam juntos...
Depois do fim da Liga NOS, o Benfica conquistou a Taça da Liga, esta época patrocinada pelos CTT, em Coimbra frente ao Marítimo. Mesmo sem impressionar, os encarnados esmagaram os maritimistas por 6-2 e arrecadaram a sua sétima Taça da Liga, que é, é sempre bom recordar, uma competição muito menosprezada. Ainda assim continuo a preferi-la a uma Supertaça Cândido de Oliveira, embora todos os títulos oficiais não deixam nunca de ser títulos oficiais, logo contam para as estatísticas. O jogo da final foi também o jogo de despedida de influentes jogadores, como Renato Sanches e Nico Gaitán.

Depois de dois anos seguidos a conquistar três títulos, esta época o Benfica só conseguiu dois. É mau sinal!
Eufórico por poder estar na final do Jamor, Pinto da Costa atirou-se aos rivais de Lisboa dizendo que eles têm dor de cotovelo e que há quem se contente com a conquista da Taça da Liga. O problema para o corrupto-mor e os seus lacaios é que na final do Jamor ganhou o Sporting Clube de Braga, 50 anos depois da sua primeira e até então única conquista, o que os deve ter deixado com um cabeção e pêras, pois já lá vão duas épocas inteirinhas sem conquistar um título (não, a conquista da Ledman LigaPro não conta... nem as vitórias sobre o Benfica para o campeonato!). De facto, mais do que o Sporting, o verdadeiro grande fiasco da época é o Futebol Corrupto do Porto (terceiro lugar, 73 pontos e sete derrotas). E esperemos bem que continue assim por longos anos.

Tirando a conquista do Sporting, todas as outras festas só tiveram uma cor: o vermelho
Feitas as contas, temos então o seguinte: o Benfica conquistou o (tri)campeonato e a Taça da Liga, o Sporting conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira e o Sporting de Braga conquistou a Taça de Portugal. Resultado final: Benfica 2, Sporting 1, Sporting de Braga 1. São estes os três grandes de Portugal.

4 comentários:

Diana Fonseca disse...

O meu clube foi o melhor dos três! xD

FireHead disse...

O teu clube está a bater recordes. Que continue assim. :P

Anónimo disse...

Caro firehead,
Esta época só vencemos 2 títulos, mas fizemos um brilhante trajeto europeu.
Para o ano voltaremos a vencer 3 competições internas e o que eu espero mesmo é vencermos o tetracampeonato.

FireHead disse...

Todos nós desejamos isso, meu caro. Vamos lá ver. :)