terça-feira, 24 de maio de 2016

A Áustria não será 'faxista'!


Surpresa, ou talvez não, nas eleições presidenciais austríacas: a extrema-direita, essa coisa feia e nojenta, não conseguiu vencer depois de tudo indicar que ia sim vencer! Ao invés, venceu o candidato da esquerda apoiada pelos Verdes, Alexander Van der Bellen, assim mesmo à rasquinha (mais 31 mil votos que o "nazi" que quer matar todos os pretos e muçulmanos [LOL] Norbert Hofer) e no último minuto do prolongamento... graças aos votos por correspondência (sim, que na Áustria é tudo muito civilizado, logo não há fraudes eleitorais como nos países africanos, sul-americanos e asiáticos). Van der Bellen, um professor de economia reformado de 72 anos, é filho de uma família de refugiados do regime de Estaline (aham, esquerdista que fugiu de um regime de esquerda?), é um europeísta convicto e é averso ao nacionalismo. Já o candidato do Partido da Liberdade (FPÖ) confessou-se triste com o resultado, ele que esteve mesmo pertinho de vencer, "Mas por favor não desanimem. O esforço investido nesta campanha não foi em vão, mas sim um investimento para o futuro". 
Em França, a braços com o crescimento da Frente Nacional (lidera as sondagens para as presidenciais de 2017, mas isso só vale o que vale), o primeiro-ministro Manuel Valls suspirou de alívio pelos austríacos: "É um alívio ver que os austríacos rejeitaram o populismo e o extremismo. É importante que na Europa saibamos retirar as devidas lições". Ainda assim, o FPÖ lidera as sondagens para as legislativas de 2018 com mais de 30% das intenções de voto, o que não deixa de ser uma enorme chatice. Mas é claro que, tal como já vimos agora e também anteriormente em França, na hora da verdade a ranhosa extrema-direita acaba sempre por ficar de papo para o ar, até porque o futuro novo presidente ecologista já afirmou que não há-de dar posse a um governo "nazi", pois a democracia só é boa, dá saúde e faz crescer se as pessoas não votarem na extrema-direita, que na extrema oposta (como a que serve de base dos regimes autoritários dos países não-democráticos do mundo) já pode, como se viu também em Portugal...

7 comentários:

Lura do Grilo disse...

Uma reviravolta muito estranha. O candidato de direita tinha o apoio das classes trabalhadoras e não das elites esquerdistas e parasitas.

FireHead disse...

Sim, grande parte dos que votaram no verducho é malta formada, o que prova que trata-se de um rebanho bem domesticado pelos donos do sistema. As universidades actualmente são antros de lavagens cerebrais anti-direita.

CENSURADO AGAIN disse...

MATAR PAKIS DO ULTRAMAR E NIGGERS?KK DUVIDO QUE EXISTE PLATAFORMA TÃO EUGENICA

FireHead disse...

Eu estava apenas a ser irónico, besta...

CENSURADO AGAIN disse...

Blogger FireHead disse...

Eu estava apenas a ser irónico, besta...

25 de maio de 2016 às 18:23

BEM QUE EU NOTEI QUE HAVIA ALGO DE ERRADO

CENSURADO AGAIN disse...

MAS SE VC NÃO NOTOU EU TAMBEM ESTAVA POR ISSO DISSE O DUVIDO

FireHead disse...

«BEM QUE EU NOTEI QUE HAVIA ALGO DE ERRADO»

Claro, até porque não cabe na cabeça de ninguém ainda existirem nazis de verdade, com câmara de gás, esterilizações de ciganos, etc.

«MAS SE VC NÃO NOTOU EU TAMBEM ESTAVA POR ISSO DISSE O DUVIDO»

Para não variar...