terça-feira, 17 de maio de 2016

13 de Maio em Macau


Como os jornais de língua portuguesa aqui de Macau são como os funcionários públicos, isto é, não há jornais de língua portuguesa em Macau nos feriados públicos, só agora é que eu posso falar, pois não tinha suficientes elementos para a notícia, da manifestação da fé que houve aqui no território a propósito da data da primeira aparição de Nossa Senhora aos três pastorinhos de Fátima. A procissão dedicada a Nossa Senhora de Fátima levou, uma vez mais, centenas de fiéis da igreja de S. Domingos até à Penha ao final da tarde de sexta-feira. A procissão é já uma tradição importante da comunidade católica de Macau, constituída por gentes de várias nacionalidades, principalmente portuguesa, chinesa e filipina.


Em declarações ao Tribuna de Macau, a portuguesa Maria Lopes, radicada em Macau desde 1982, disse que "Todos os anos venho (à procissão). Em Portugal já fui a pé do Porto até Fátima. É uma experiência única, de muito sacrifício e muita esperança. É a fé que nos move", destacando que "o circuito aqui (em Macau) é bom de se fazer" e que "cada vez são mais as pessoas" que participam na procissão, bem como em Portugal. A macaense Patrícia Sousa, de ascendência lusa, disse que "todos os anos assistimos (à procissão). Estive ausente de Macau durante 12 anos e durante esse tempo, cada vez que pensava na procissão de Macau ficava muito triste porque não podia vir cá, mas acompanhava as procissões em Fátima. Agora voltei, por isso, é uma oportunidade de assistir de novo à procissão. Ela significa muito para mim porque une a família toda. É muito emocionante". No grupo de fiéis que fizeram o percurso até a Penha pela primeira vez encontrava-se a moçambicana Madalena Marques, que reside em Macau há seis meses. "Vim porque sou devota de Nossa Senhora desde pequena. Eu e o meu pai, ainda em Moçambique, íamos sempre às peregrinações. Olho para a Nossa Senhora como mulher, mãe e educadora. Corajosa acima de tudo", frisou Madalena, acrescentando que durante a procissão pede à santa para que ela "interceda por nós e pelo mundo inteiro".


O Catolicismo, que é uma marca incontornável da Portugalidade, felizmente continua a ter uma forte presença aqui em Macau.

Sem comentários: