domingo, 3 de abril de 2016

Uma vergonhosa acção de lavagem cerebral instituída aos jovens das escolas públicas portuguesas


Será que os alunos vão ser também ensinados que os refugiados, na sua esmagadora maioria muçulmanos e jovens dos sexo masculino, têm que se integrar e adaptar-se aos países de acolhimento sem poderem impor os seus hábitos e costumes? Ou será que ser-lhes-á antes ensinado que os refugiados podem e devem fazer como querem nos países de acolhimento que é para se afastar o fantasma do racismo ou da islamofobia? Ser-lhes-á explicado que o islão tem uma visão subalterna e de desprezo às mulheres? Ensinar-lhes-ão que os muçulmanos executam os homossexuais de acordo com a sharia? Falar-lhes-ão também dos enclaves islâmicos em várias cidades europeias? E do ódio islâmico para com o Cristianismo e o Ocidente?
Porque é que as elites apátridas e traidoras continuam a imbecilizar as pessoas desde pequenas? Ah, bom, que pergunta imbecil...

22 comentários:

Lura do Grilo disse...

Lamentável Faz lembrar tudo do pior do comunismo e nazismo. Os TPC são tortura isto é formação: deplorável.

FireHead disse...

É a propaganda dos dias de hoje. Fascismo do politiquismo correcto.

Sr. Hamsun disse...

Nojento. A lavagem cerebral multiculturalista no seu melhor. Mas isto também demonstra que a tarefa está a encontrar mais obstáculos do que supunham, caso contrário não insistiriam tanto no processo.

FireHead disse...

Gostava de saber se esse vídeo também fala dos migrantes económicos e dos jihadistas que se fazem passar por refugiados. E também de episódios verídicos de pessoas que se lixaram por ajudar refugiados. Ou mulheres/crianças assediadas/violadas por refugiados. Hmmm... acho que não deve ter tanta informação assim, pois afinal de contas são putos e jovens, ainda não conseguem assimilar tudo o que lhes ensinam duma assentada...

sombra disse...

Uma pergunta não me sai da cabeça desde que soube que iam mouriados para Portugal, como vão ensinar a História de Portugal aos filhos deles??? Que os nossos Reis eram uns filhos da p*ta que escorraçaram os coitados dos mouros? ou vão mudar a História de Portugal e dizer que eram todos amiguinhos??

FireHead disse...

Possivelmente vão ensinar aos putos que foi a Igreja que fez a cabeça aos reis, daí eles terem feito o que fizeram os pobres dos mouros, que estavam aqui numa boa e em paz...

FireHead disse...

Desculpa lá, Leocardo, apaguei sem querer os teus dois comentários, mas vou responder-te na mesma:

Com que então os mouros estavam aqui numa boa e em paz? Estás por acaso com isso a dizer-nos que a Península Ibérica devia ter continuado a ser o Al-Andaluz como desejam os jihadistas?

Esses tais avanços tecnológicos e científicos não são exclusivos do islão, mas sim dos árabes. Os árabes existem muitos antes do surgimento do islão (já existem há 4000 anos e o islão surgiu no século VII). Não se sabe lá muito bem, é certo, o porquê de a partir de certo momento o islão ter-se tornado "retrógrada" e estrangulado o desenvolvimento científico. O curioso é que o duplo critério que tens na tua formação da consciência faz-te antes acusar a Igreja de ser precisamente contra a ciência, por muito que existam provas que desmintam isso.

Mas agora vejamos por exemplo o que diz a Wikipédia sobre o quão boa e em paz viviam os muçulmanos na Península Ibérica, tanto assim é que até suprimiam a liberdade dos não-muçulmanos:

Os moçárabes e os judeus tinham liberdade de culto, mas em troca dessa liberdade eram obrigados ao pagamento de dois tributos: o imposto pessoal de capitação (gízia), e o imposto predial sobre o rendimento das terras (carage). Estes dois grupos tinham autoridades próprias, gozavam de liberdade de circulação e podiam ser julgados de acordo com o seu direito (https://pt.wikipedia.org/wiki/Al-Andalus).

Moçárabes e judeus estavam sujeitos às seguintes restrições:

- não podiam exercer cargos políticos;
- os homens não podiam casar com uma muçulmana;
- não podiam ter serviçais muçulmanos ou enterrar os seus mortos com ostentação;
- deviam habitar em bairros separados dos muçulmanos;
- estavam obrigados a dar hospitalidade ao muçulmano que necessitasse, sem receber remuneração.


(...)

Importa ainda salientar a presença de dois grupos étnicos minoritários, os negros e os eslavos.

Os negros chegaram ao al-Andalus como escravos ou como mercenários. Desempenharam funções como membros da guarda pessoal dos soberanos, enquanto que outros trabalhavam como mensageiros. As mulheres negras foram concubinas ou criadas.

Os eslavos eram de início escravos, mas muitos conseguiram progressivamente comprar a liberdade; alguns alcançaram importantes cargos na administração. Durante o período dos primeiros reinos de taifas (século XI) alguns eslavos formariam os seus próprios reinos.


É um facto que a escravização também é um contributo islâmico. É bom. É preciso que os muçulmanos regressem, pois, à Península Ibérica.

Aqui, outra fonte da Wikipédia sobre a ciência islâmica (https://pt.wikipedia.org/wiki/Ci%C3%AAncia_isl%C3%A2mica):

O império construído pelos árabes integrava territórios onde a ciência se tinha desenvolvido em épocas passadas, como o Egipto dos Ptolomeus e a Pérsia dos sassânidas.

(...)

O declínio da ciência árabe, que acontece muito rapidamente, tem início em fins do século XI. Somente no final do século XX, os sábios muçulmanos reaparecem timidamente. As causas desse retrocesso não são muito claras. Porém, a maioria dos estudiosos concorda que as invasões mongóis, apesar de terem constituído apenas uma interrupção, contribuíram em certa medida para esse problema. Os fatores internos parecem mais importantes, a saber: o isolamento científico e o desânimo da inovação. Do século XI ao século XII, o império islâmico sofreu com inúmeros conflitos e revoltas de inspiração político-religiosa. Desses conflitos, saíram vitoriosos dinastias conservadoras, que inibiram a ciência. As mentalidades começaram a se modificar: a ortodoxia islâmica passou a considerar a ciência inimiga da crença em Alá.

FireHead disse...

Daí hoje em dia haver larachas como estas:

http://bloguedofirehead.blogspot.com/2013/12/contribuicoes-islamicas-para-ciencia-do.html

Não sei quem é que te disse que comer porco separa a civilização da barbárie. Recordo que os judeus também não comem porco e não considero Israel um país bárbaro. Talvez tenhas mais sorte da próxima vez com as tuas observações...

E é claro que a iniciativa não fala nada das mulheres oprimidas, violações, etc. Haveria de falar, é? Para assustar as criancinhas? É só raciocinar um pouco - o propósito é alertar as criancinhas para terem pena dos refugiados e verem o seu acolhimento como uma norma. Se lhes disserem que há refugiados que são maus, o que é que elas vão pensar?

Falaste também do Donald Trump, não foi? A gente já sabe que não gostas dele. Temos pena.

Quanto à Malásia, não me lembro de te ter perguntado nada sobre a tua estadia por lá. Por vezes acho que vives obcecado com alguma coisa que eu escrevo.

Um abraço e desculpa lá, de novo, ter apagado os teus comentários. Até porque, se bem me lembro, ofendeste-me não só a mim, mas também os outros comentadores deste blogue. Nem todos podemos ser uns social justice warriors como tu.

Anónimo disse...

http://bairrodooriente.blogspot.com/2016/04/a-cronica-do-gangrape-de-uma-ideia-pura.html

O retardado mental voltou de férias e já te está a atacar novamente. O gajo é mesmo obcecado por ti. Não deve gostar nada da mulher que tem.

É triste haver filhos da puta destes.

FireHead disse...

É, voltou de férias e já se lembrou de voltar a pegar-me no pé. Que coisa. É tipo lapa.

"Honey, I'm back". E depois as "jokas". Mas ele duvida é que eu tenho namorada. Quero é saber se ele se lembra que tem mulher.

Não foi o "Jornal do Incrível" que regressou em força, mas sim a conspurcação beatífica-xenófoba-islamófoba-tudo-o-que-esses-gajos-são-mas-fingem-que-não-gostam-de-ouvir da ordem, com...ora essa, outra vez?"

Portanto, na mente iluminada dele, os beatos são xenófobos, islamofóbicos, tudo... LOL.

Hugo Gaspar, vulgo FireHead, do seu - nem por acaso - blogue, "Blogue do FireHead" (até aqui se denota o infantilismo primário próprio de um quadro de dúvidas existenciais, fruto de uma complicada crise de identidade, aliado ao primitivismo dos sentidos, reflexo das suas carências afectivas, de onde de destaca uma "namorada", que a existir não lhe dava tempo para produzir TANTO DISPARATE, DEUS DELE!).

Uma vez mais a impor a sua cosmovisão à malta. Ele é que está certo, é claro, eu e os outros só produzimos disparates.

O Luís Crespo é tipo um jogador de futebol daqueles muito merdosos que mesmo tendo a baliza aberta à sua frente e chute ele as vezes que chutar a bola, esta quando muito bate no poste, tal é a quantidade de alarvidades que inventa e toma como sendo verdadeiras.

Com que então eu demonstro infantilismo primário por ter um blogue com o nome Blogue do FireHead... quer dizer, eu, que uso a alcunha FireHead, e tenho aqui este blogue, não podia ter-lhe dado este nome porque isto é infantilismo primário. Já o blogue dele pode chamar-se Bairro do Oriente, mas notícias de um bairro do Oriente é que nem vê-las, agora é tudo sempre a cascar nos outros, é em mim, é na Maria Vieira, é nos nacionalistas, é esta merda toda... menos cenas do Oriente. Infantilismo primário, bah...

FireHead disse...

Outra vez essa cena das dúvidas existenciais e crise de identidade. Sim, eu já as tive, quando era mais novo, em plena fase da adolescência, e agora já nunca mais as tive, eu sei bem o que sou, o que quero, o que desejo. Mas para o Luís Crespo, ele é que deve saber muito bem o que eu sou, o que eu sinto ou o que eu acho. Possivelmente até sabe o que é que eu quero e o que é que é o melhor para mim. O que ele escreve revela uma profunda estupidez, mas mesmo assim ele faz questão de escrever, ele tem que mostrar isto à malta, é uma necessidade vital, socorro, ele precisa de mostrar os seus escritos para os outros lerem, mendiga pela atenção dos outros, caso contrário ainda é capaz de lhe dar uma coisa má, um treco, e é varrido do mapa. Veja lá você que ele ultimamente parece que tem-se lembrado tanto de mim que andou à procura de jihadistas longe de Macau e também cruzados comedores de porco... isso não é obsessão? O homem ao lado da mulher e do filho prefere antes estar a lembrar-me de mim e das coisas que eu digo/escrevo?? Que coisa! Eu sei muito bem quem eu sou, obrigado, conheço os meus pais também, tenho certidão de nascimento e não me considero nenhum lunático que cospe balelas que não se justificam assim para o ar e depois quando se trata de ter de os sustentar com argumentos está mas é quieto...

Quanto à minha namorada, ela não é para aqui chamada, mas se ela duvida que ela existe... olhe, problema é de quem? É meu? Estou-me a cagar lá para o alto para o que ele acha que existe ou deixa de existir. Ele que se preocupe mas é com a mulher dele, não vão eles chatear-se outra vez.

O Luís Crespo insiste em viver no seu mundo cor-de-rosa onde tudo é bonito e imaginado como ele imagina. Acredita ele que todos os refugiados são boas pessoas e fogem todos eles da guerra... da Síria, como os afegãos ou os paquistaneses. Acredita ele que só os europeus nativos é que violam, é que roubam ou matam. Nada disso tem a ver com o islão, que é a "religião da paz". Já os cristãos, ui, esses são velhacos, são criminosos, então e a Inquisição? Então e as Cruzadas? Credo, cristãos não, antes ateus - esse género que resume o pináculo da perfeição humana e civilizacional - que apenas e só mataram quantos milhões de pessoas mesmo num só século? Enfim, não sei. E como dizia o outro, nem quero saber e odeio quem saiba.

FireHead disse...

Ah, e por falar nisso, ainda falta as revelações que ele tem sobre o João José Horta Nobre. Possivelemnte ele agora está numa de deixar passar isso, que é para ver se as pessoas se esquecem que ele se disponibilizou para desmascarar o autor do blogue História Maximus. Por quem sois, né?

Ele começou muito bem, errando: em vez de mestre escreveu Doutorado. Isso é um erro que alguém com "dois dedos de testa" não pode cometer. Isto é sinal de que ele interpreta mesmo mal as coisas. Ou melhor: é a prova de que ele lê mal as coisas escritas na sua própria língua materna.

Ah, aquelas páginas da internet são ou não mesmo do DN? Então não se vê logo que são?? É a secção do jornalismo de cidadão, porra! Aqui coloco os links para estes dois artigos que eu antes tinha aqui colocado no blogue e que ele aproveitou também para citar: http://historiamaximus.blogspot.com/2014/01/o-mito-do-socialismo-sueca.html , http://historiamaximus.blogspot.com/2014/03/portugal-deve-sair-imediatamente-da-nato.html

O Luís Crespo não acredita que o DN tenha publicado estes artigos do João José Horta Nobre? Porque é que não contacta então o DN a perguntar para saber se os artigos foram ou não publicados mesmo? Não é isto que compete a quem investiga as coisas fazer? E porque é que o João José Horta Nobre tendo as competências que tem não pode fazer "análises tendenciosas"? Mas afinal, tendeciosas para quem? Ah, é verdade, é isso, claro claro, o Luís Crespo é a única pessoa do mundo que escreve coisas que não são tendenciosas ou preconceituosas! Basta aliás ir ao blogue dele!

Quanto à secção dos comentários, ela é igual para, pelo menos, todos os artigos de 2014. Exemplos: http://www.dn.pt/opiniao/jornalismo-de-cidadao/interior/o-voto-e-uma-arma-contra-pspsd-3935607.html , http://www.dn.pt/opiniao/jornalismo-de-cidadao/interior/eurodomino-4231806.html , http://www.dn.pt/opiniao/jornalismo-de-cidadao/interior/os-limites-foram-ultrapassados-3662861.html , http://www.dn.pt/opiniao/jornalismo-de-cidadao/interior/e-tempo-dos-portugueses-acordarem-3816704.html

O mesmo não acontece com os artigos de 2015: http://www.dn.pt/opiniao/jornalismo-de-cidadao/interior/para-onde-vamos-4756566.html , http://www.dn.pt/opiniao/jornalismo-de-cidadao/interior/estorias-de-verao-4756544.html , http://www.dn.pt/opiniao/jornalismo-de-cidadao/interior/portugal-agradece-4736691.html

Com certeza que se trata de algum problema próprio do site. Agora vir dizer que não é mesmo do DN é uma pura estupidez.

Ivan Baptista disse...


" Com que então eu demonstro infantilismo primário por ter um blogue com o nome Blogue do FireHead... quer dizer, eu, que uso a alcunha FireHead, e tenho aqui este blogue, não podia ter-lhe dado este nome porque isto é infantilismo primário. Já o blogue dele pode chamar-se Bairro do Oriente, mas notícias de um bairro do Oriente é que nem vê-las "

Deixa lá que tombem o LC, também é um castiço ! Olha, não sou nada bom a tuguês, mas a definição de Antítese, secalhar até se aplica ai ao sócio , não foi aquilo que tu disseste uma vez , ele é a antítese de tudo o que ele diz ?
Estou sempre a aprender coias novas, hehe :)

FireHead disse...

O Luís Crespo deve ser daquelas pessoas que vivem a vida de acordo com o que acreditam e depois não há maneira de acordarem para a realidade. Estar contra qualquer pessoa que seja contra o acolhimento de refugiados é um verdadeiro apostulado para o Luís Crespo, que abraçou a causa do SJW, e para ele, que coitado está muito só nessa luta, são todos uma cambada de desumanos, desumanistas, gente cruel, sem valores nem princípios (talvez cristãos?), enfim, uma corja de duas patas. Os outros é que são criminosos por andarem com calúnias, ofensas, difamações, etc. mas ele pode perfeitamente ofender os outros, como eu e os comentadores do meu blogue. Os outros é que são retardados mentais, já ele não tem recalcamento nenhum. A liberdade de expressão é relativa, só é válida para ele e os da sua laia. Mas PIDEs e coisas do género é aqui connosco, os extremistas. Uma vez disseram-me que ele é um tipo problemático e incendiário. Quem vai ao blogue dele consegue por acaso deduzir outra coisa?

Fiz o favor de passar a mensagem aos comentadores visados. Vou adorar saber da reacção deles sobre o Luís Crespo.

João José Horta Nobre disse...

Eu já disse para ignorarem por completo esse idiota porque quanto mais atenção lhe dão, pior é. O que ele quer é atenção, mais nada.

FireHead, isto é especialmente para si. Não publique mais nenhum comentário desse otário e não responda a mais nada do que ele escreva sob circunstância alguma. Reduza-o à insignificância total que foi o que eu fiz no meu blog. Nenhuma referência, nenhuma menção, nada, zero. Com gente assim, é desta forma que se deve proceder.

Se o FireHead lhe for dando sempre corda aqui no seu blog, se lhe for sempre respondendo e deixando-se levar no jogo dele, isto nunca mais vai acabar. Aliás, é exactamente isso que ele quer, ele provoca para ver se obtém atenção e o FireHead ao responder-lhe, está a dar-lhe a atenção que ele quer e não merece. Portanto, a partir de hoje e se quer que isto tenha mesmo um fim definitivo, não responda a mais nada que ele publique sobre si, nem publique comentários ou responda a qualquer comentário dele.

A redução à insignificância é a única contra-medida adequada a tomar nestes casos.

Entretanto, pode denunciar o blog dele por bullying à google, pois esta obsessão e falta de respeito que ele anda a ter consigo e outros utilizadores do blogger, passa completamente dos limites:

https://support.google.com/blogger/answer/76315?hl=pt-BR

Que fique claro que isto é a última vez que volto a falar desse estafermo. De ora em diante, não debitarei nem mais uma letra sobre essa criatura, pois tenho coisas mais úteis e importantes para fazer com o meu preciso tempo.

Este assunto para mim acaba aqui e agora.

FireHead disse...

E ele tem 41 anos, é casado e chefe de família com um filho adolescente...

Acho que o síndrome do Peter Pan existe mesmo.

Leocardo disse...

Ahem. Esse imbecil que se faz passar por letrado, e com um historial de esquizofrenia que documentarei a seu tempo (inclui momentos de "arrependimento", como apagar comentarios da sua propria autoria que se revelam demasiado "impopulares", e em alguns casos ultrajosos) vem mais uma vez comprovar a sua bipolaridade, passando de "obrigado pela publicidade gratuita" a "Nenhuma referência, nenhuma menção, nada, zero. Com gente assim, é desta forma que se deve proceder" - as ameacas de morte - risiveis, pr sinal, e indicativas de mais patologias do foro psiquiatrico - nao resultaram, e dai partiu para uma estrategia de "desprezo", bem vincada por (mais um) colorido discurso, como esse em epigrafe. Epa, senti MESMO o desprezo desse pateta alegre. Ai de mim. (continua)

Leocardo disse...

Quanto a nos, meu caro Hugo Gaspar, partes beligerantes de uma saudavel troca de pontos de vista antipodas, ambos perfeitamente identificados (nao entendo o que e' que o meu filho tem a ver com seja o que for, mas deixe la, que deixei-o ao corrente e ele reagiu dizendo, e passo a citar, "cagando e andando"). Eu nao tenho assim tanto tempo quanto isso, senao era MESMO um fartote. Dou barrigadas de riso com as suas (evidentes) reaccoes "a quente", e tenho no prelo mais um quadro de humor baseado nestas suas nao-respostas, ah, ah! De mim ja sabe o que pode esperar, mas se mesmo assim nao quiser tirar dai as devidas ilacoes… Eu faco questao de deixar tudo bem claro, em suma.

Leocardo disse...

Ah pois, e aquela sugestao para ir tomar um copo/cafe continua de pe; voce e' que se esquiva sempre, je je 😂

FireHead disse...

«Ahem. Esse imbecil que se faz passar por letrado, e com um historial de esquizofrenia que documentarei a seu tempo (inclui momentos de "arrependimento", como apagar comentarios da sua propria autoria que se revelam demasiado "impopulares", e em alguns casos ultrajosos) vem mais uma vez comprovar a sua bipolaridade, passando de "obrigado pela publicidade gratuita" a "Nenhuma referência, nenhuma menção, nada, zero. Com gente assim, é desta forma que se deve proceder" - as ameacas de morte - risiveis, pr sinal, e indicativas de mais patologias do foro psiquiatrico - nao resultaram, e dai partiu para uma estrategia de "desprezo", bem vincada por (mais um) colorido discurso, como esse em epigrafe. Epa, senti MESMO o desprezo desse pateta alegre. Ai de mim. (continua)»

Num destes comentários ficaram coisas sem resposta. Não o deves ter lido de certeza.

«Quanto a nos, meu caro Hugo Gaspar, partes beligerantes de uma saudavel troca de pontos de vista antipodas, ambos perfeitamente identificados (nao entendo o que e' que o meu filho tem a ver com seja o que for, mas deixe la, que deixei-o ao corrente e ele reagiu dizendo, e passo a citar, "cagando e andando"). Eu nao tenho assim tanto tempo quanto isso, senao era MESMO um fartote. Dou barrigadas de riso com as suas (evidentes) reaccoes "a quente", e tenho no prelo mais um quadro de humor baseado nestas suas nao-respostas, ah, ah! De mim ja sabe o que pode esperar, mas se mesmo assim nao quiser tirar dai as devidas ilacoes… Eu faco questao de deixar tudo bem claro, em suma.»

Também eu tenho muita coisa no prelo, não é por aí... E quanto a isso das "barrigadas de riso", deixa lá, é recíproco e os que passam pelo meu blogue para ver as respostas que eu te dou de certeza que também se riem bastante, como muitos já se riram, das coisas que podem ler. A cena é que eu não ganho nada com nada disto, aliás, se calhar até ganho: tempo perdido. Até porque isso das "não-respostas" faz-me rir até doer a barriga porque disso já eu me queixei... mas pronto, o que é que se há-de fazer? Fazer o mesmo: comer, calar, pôr o rabo entre as pernas, bazar e esperar que mais ninguém se lembre do que aconteceu. O teu filho é que faz muito bem em estar "cagando e andando". O exemplo dele devia ser seguido.

«Ah pois, e aquela sugestao para ir tomar um copo/cafe continua de pe; voce e' que se esquiva sempre, je je 😂»

Deixa lá isso que ninguém fica a perder o que quer que seja.

Anónimo disse...

esse filho da puta do leocardo vive num mundo à parte, onde deve estar sozinho, e o firehead ainda dá numa de compaixão por ele. devia era estar "cagando e andando", como o filho rafeiro dele que eu farto-me de ver lá na escola portuguesa. depois de ter andado a ver o facebook dele fico sem dúvida alguma que ele é um irracional. aqui em macau só empesta o ar o cabrão.

FireHead disse...

Deixa lá, o filho dele não tem nada que ser para aqui chamado, tal como eu não compreendo por que raio é que ele há-de estar sempre a referir-se a mim como "Hugo Gaspar, vulgo FireHead", "o grande Hugo Gaspar, que é o FireHead", "o FireHead, que é o nome de guerra do Hugo Gaspar", e depois vai dizer à malta toda que o lê quem sou eu, o Hugo Gaspar, quando por algum motivo aqui na net muita gente gosta de usar uma alcunha e de algum anonimato (coisa que ele diz que percebe). Tipo, ele quis sair do anonimato, deu uma entrevistazeca ao O Clarim, muito fixe, tudo porreiro, mas agora querer tirar à força gente do anonimato, ainda que algumas pessoas já sabiam da minha verdadeira identidade, e fazer sempre questão de estar sempre a bater na mesma tecla, é dum complexo que não se entende. É isto e fugir às coisas que não lhe convém e subverter a realidade dos factos. É assim que ele é, paciência.