segunda-feira, 18 de abril de 2016

Salazar e o sufrágio universal



Não creio no sufrágio universal, porque o voto individual não tem em conta a diferenciação humana. Não creio na igualdade, mas na hierarquia. Os homens, na minha opinião, devem ser iguais perante a lei, mas considero perigoso atribuir a todos os mesmos direitos políticos. 

António de Oliveira Salazar, entrevista ao jornal Le Figaro, Setembro de 1958.

2 comentários:

Afonso de Portugal disse...

Só foi pena ele não ter desenvolvido as razões pelas quais julgava ser perigoso. É que isto dá munição aos inimigos da democracia.

FireHead disse...

Eu não me considero um inimigo da democracia mas que é verdade que cada vez estou mais farto da democracia, estou. E estou farto da democracia porque estou farto que os justos paguem pelos pecadores.