terça-feira, 5 de abril de 2016

Pai mata filho gay


Em Los Angeles, nos EUA, um pai de 69 anos, Shehada Issa, matou o seu próprio filho, Amir, de 29 anos, por este ser gay. Shehada executou Amir com um tiro de shotgun à porta de casa e foi detido, podendo agora ser condenado a prisão perpétua. Amir já tinha chegado a desabafar nas redes sociais a má relação que mantinha com o pai: "Se há pessoas boas no mundo, por favor ajudem-me a libertar-me desta escravidão humana", escreveu no Facebook.

14 comentários:

wind disse...

E também matou a mulher esfaqueando-a.
Li a notícia completa ontem.Estes fundamentalismos não aceito!

FireHead disse...

Ele alega que não matou a mulher. Porque é que haveria de a ter matado? Será que descobriu que a mulher afinal também é homossexual? :O

CENSURADO AGAIN disse...

Blogger FireHead disse...

Ele alega que não matou a mulher. Porque é que haveria de a ter matado? Será que descobriu que a mulher afinal também é homossexual? :O

5 de abril de 2016 às 17:10

NÃO LI NUM SITE QUE ELE A CULPOU PELO FILHO TER VIRADO GAY E PARECE QUE ELA FOI MAIS COMPREENSIVA E ACEITOU COMO TIPICA MÃE NA MAIORIA DOS CASOS REFERENTES A ISSO

wind disse...

Matou a mulher sim. Esfaqueou-a!

FireHead disse...

Wind e CENSURADO AGAIN,

Então o homem merece apodrecer na cadeia.

Anónimo disse...

Diga-me uma coisa: o homem merece apodrecer na cadeia por também ter assassinado a mulher? Na minha opinião mesmo que não tivesse feito nada à mulher, merecia apodrecer na cadeia por ter assassinado o filho (o facto de ser gay é irrelevante).
Parabéns pelo blog, venho cá todos os dias e apesar de não concordar com muito do que escreve, gosto de ler notícias (relativas a migrantes) que não passam nos media em geral.
Estela Fernandes

CENSURADO AGAIN disse...

BEM O FILHO SABIA QUE O PAI ERA ANTI ETNOCIDIO DA SUA CULTURA ISLAMICA E QUE ESSA É A MAIS FANATICA EM SE DEFENDER CONTRA OUTRAS CULTURAS E A MÃE AINDA APOIOU O ETNOCIDIO DA PROPRIA CULTURA SE O FILHO QUERIA ROMPER COM A CULTURA DELE POR QUE NÃO SAIU DE CASA AO INVES DISSO FOI TENTAR CONVERTER O PAI A ACEITAR O ETNOCIDIO DA PROPRIA CULTURA DELE COM A MÃE CUMPLICE

FireHead disse...

Estela Fernandes,

O homem merece apodrecer na cadeia simplesmente por ter matado. Em momento algum eu defenderia que o facto do filho dele ser gay lhe daria impunidade pelo crime.

E obrigado pela preferência. :)

Beijinhos.

FireHead disse...

CENSURADO AGAIN,

Mas quem é que está a falar da cultura islâmica aqui? Vai-te inteirar primeiro da notícia antes de andares para aí a falar do que não sabes, que é algo que gostas muito de fazer mesmo, para não variar.

CENSURADO AGAIN disse...

Mas quem é que está a falar da cultura islâmica aqui? Vai-te inteirar primeiro da notícia antes de andares para aí a falar do que não sabes, que é algo que gostas muito de fazer mesmo, para não variar.

7 de abril de 2016 às 13:32

O FILHO DESAFIOU SIM O PAI E SUA CULTURA ISLAMICA QUE É A MAIS FANATICA EM SE DEFENDER CONTRA OUTRAS

CENSURADO AGAIN disse...

E A MÃE FOI CUMPLICE

FireHead disse...

«O FILHO DESAFIOU SIM O PAI E SUA CULTURA ISLAMICA QUE É A MAIS FANATICA EM SE DEFENDER CONTRA OUTRAS»

Mas onde é que se pode ler que o homem é muçulmano? O que se pode ler é que a vítima gay era duma seita protestante. Ah, e no que diz respeito ao fanatismo como forma de defesa o islão para ti já não serve, é??

«E A MÃE FOI CUMPLICE»

E por isso também mereceu morrer, não é, sua bosta de gente?

CENSURADO AGAIN disse...

Shehada Issa, matou o seu próprio filho, Amir,

ESSES NOMES ESSA FRONHA DE SARRACENO FALA SERIO

FireHead disse...

«ESSES NOMES ESSA FRONHA DE SARRACENO FALA SERIO»

Portanto, para ti um gajo que parece muçulmano é porque é muçulmano? O ser é o mesmo que parecer, agora? Vai lá ver o que foi que o gay escreveu nas redes sociais antes de morrer. Ele escreveu que era duma seita protestante, os adventistas do 7.º dia...