domingo, 10 de abril de 2016

Monsenhor Marcel Lefebvre: o Concílio Vaticano II, a infiltração maçónica (satânica) na Igreja Católica e a falsificação da Igreja Católica (Contra-Igreja Católica)

video

6 comentários:

wind disse...

Resto de bom domingo:)

Adilson disse...

Boa noite, meu nobre.

Interessantíssima postagem: acredito que as pessoas que nasceram após os anos de 1960 e forem realmente sinceras, ao se informar sobre esse momento da História da Igreja compreenderá, de início, duas coisas: 1) Muito do que elas veem nas cerimônias e cultos na Igreja Católica atualmente não representa necessariamente o Catolicismo e 2) Não fosse toda essa infiltração no seio da Igreja, dificilmente o comunismo e o liberalismo, bem como todas as suas variantes, não teriam crescido tanto entre os católicos, e muitos políticos de orientação comunista jamais teriam alcançado tanta expressão, ao menos aqui no Brasil. Infelizmente, os atuais problemas no seio do catolicismo em nosso país deve-se justamente a tudo isso aí. A cidade de Recife, capitão do estado de Pernambuco e um dos maiores covis da maçonaria no Brasil, teve como maior contribuinte nada menos que dom Helder Câmera, um dos maiores cooperadores da teologia comunista no seio da Igreja. Quantas crianças foram afastadas do verdadeiro catecismo católico por causa desse de dom Helder? Deus tenha piedade de nossas almas e das almas dos que morreram sob os cuidados dos inimigos do Catolicismo que usavam batinas.

Rezemos.

Até.

FireHead disse...

Wind,

Uma óptima semana! :)

FireHead disse...

Adilson,

E o pior é que infelizmente não há-de faltar nunca católicos que defendem o Concílio Vaticano II...

João José Horta Nobre disse...

O Monsenhor Marcel Lefebvre foi, de facto, dos poucos dentro da Igreja Católica que percebeu o perigo islamita a tempo e advertiu todos sobre isso. Já não se fabricam padres assim, por isso é que a Igreja está na miséria que está...

FireHead disse...

João José Horta Nobre,

Pois, é por causa do Concílio Vaticano II que a Igreja está na miséria que está. Felizmente ainda existem católicos que são verdadeiramente católicos. Poucos mas bons, até porque muitos serão chamados mas poucos serão os escolhidos...