sexta-feira, 22 de abril de 2016

Menina agradece a Bento XVI por ter vencido um cancro

video

O Papa emérito Bento XVI, que completou recentemente 89 anos de vida - e que bom Papa ele foi! -, recebeu a visita da jovem espanhola Ana Amado, de 12 anos, que fez questão de o agradecer pelas suas orações para que ela se curasse de um cancro no pulmão com o qual ela nasceu. Como o tratamento médico "não funcionava", "tomámos a decisão de bater à porta do único lugar que faltava: a do Vaticano com Bento XVI", contou o pai, Juan Carlos, ao grupo ACI. Nessa altura Bento XVI ainda era o Papa e, na audiência geral das quartas-feiras, o Sumo Pontífice alemão abençoou Ana no final da catequese. "Quando o vi, como é tão pequenino e tão branco, pareceu-me um anjinho ao qual faltavam apenas as asas. Logo lhe dei um beijo e depois ele me deu a mão. Nesse momento, não soube dizer nada. Ao tocá-lo, senti-me protegida", disse Ana, que foi operada em Madrid no mês seguinte à visita ao Papa, tendo entrado em falência múltipla de órgãos. "No dia seguinte os médicos explicaram-nos algo que tinha ocorrido e não podíamos acreditar: na operação da manhã, uma doutora que não tinha que trabalhar nesse dia foi ao hospital para buscar alguns resultados. Viu nos avisos de operações que iam operar uma menina e pediu para assistir. Essa doutora é a que de noite esteve de plantão e operou Ana. Graças ao facto de ela ter estado na operação da manhã, os médicos souberam qual era o problema exacto que lhe provocou a falência múltipla de órgãos e puderam salvá-la. Foi algo providencial", acrescentou Juan Carlos, pois caso contrário Ana "teria morrido". Depois Ana começou a responder à quimioterapia e a "sua recuperação foi bastante rápida e em pouco tempo fomos para casa, com quimioterapia por pastilhas, mas já em casa". 
No passado 13 de Março, a família Amado voltou a visitar Bento XVI, agora no mosteiro Mater Ecclesiae, onde o Papa emérito reside. "Bento estava a rezar o terço. Disseram-nos que tínhamos que esperar durante um momento até nos encontrarmos com ele. Estávamos muito nervosos e a espera parecia-nos eterna. Depois, assim que nos viu, disse em espanhol: 'a família' e ficámos surpresos. Foi encantador. A Ana agarrou a sua mão e não a soltou em nenhum momento. Ela estava impressionada", contou Juan Carlos, referindo que, depois de ter agradecido ao Bento XVI pelas suas orações, este disse-lhe: "não, não, eu fui mais um entre muitos". 
Em 2012, a família Amado decidiu mudar-se de Valladolid para Roma.

2 comentários:

Adilson disse...

Um papa que, graças a Deus, pude ser contemporâneo de seu pontificado. Que alegria! Quanta falta nos faz este Servo de Cristo!

FireHead disse...

Ele foi o último bom Papa da Igreja Católica. Agora com o Papa Chico parece que a Igreja está a ter um hiato. É como se houvesse sedevacantismo. Minto: agora está pior do que como se houvesse sedevacantismo porque este Papa pode e está a causar estragos...