domingo, 24 de abril de 2016

Freira "superstar" morreu enquanto ajudava pessoas no Equador

A jovem freira irlandesa Clare Crockett, de 33 anos, é uma das vítimas mortais do sismo no Equador. Missionária já há 15 anos, Clare era uma irreverente até ter descoberto a sua vocação, aos 17 anos. Ensinava música às crianças e morreu enquanto tentava ajudar outras pessoas a escapar na escola onde trabalhava, em Playa Prieta, na província de Manabi. "Ela era uma superstar. Todas as pessoas a adoravam", disse o primo da freira, Emmet Doyle, citado pelo Independent. "Ela foi a última irmã a ser encontrada. Ela estava a tentar descer as escadas e a escada colapsou. Morreu como viveu, a ajudar os outros", continuou. 
Clare Crockett chegou a dizer ao jornal The Irish News que "Deus não tinha qualquer papel na minha vida. Numa sociedade onde prevalecia o ódio, não havia espaço para Deus" e que queria ser actriz. Com 18 anos já tinha tinha tido uma boa dose de diversão e excessos. "Gostava muito de festas. Os meus fins-de-semana, desde que tinha 16 ou 17 anos, baseavam-se em embebedar-me com amigos. Gastei todo o meu dinheiro em álcool e cigarros". Quando uma amiga a convidou para uma viagem a Espanha não hesitou. Pensava ela que seria mais um sítio para onde iria divertir-se, mas afinal a viagem era uma peregrinação de 10 dias com pessoas acima dos 40 anos. "Tentei escapar, mas o meu nome já estava no bilhete e por isso tive de ir. Agora vejo que foi a forma de Nossa Senhora me trazer para casa, de volta a ela e ao seu filho", escreveu Clare num testemunho sobre como encontrou a sua vocação.
Em 2001, quando tinha 18 anos, Clare entrou na ordem religiosa em 2010 anos depois fez os votos perpétuos. "Sabia que tinha de deixar tudo para segui-l'O. Sabia, com grande clareza, que Ele estava-me a pedir que confiasse n'Ele, que pusesse a minha vida nas Suas mãos e que tivesse fé. Nunca deixa de me fascinar a forma como o Senhor funciona nas almas, como Ele pode transformar totalmente as nossas vidas e captura o nosso coração. Agradeço a Deus pela paciência que teve comigo e que ainda tem. Não lhe pergunto porque é que Ele me escolheu, aceito apenas. Dependo totalmente d'Ele e de Nossa Senhora e peço-Lhe que me dêem a graça de tudo o que queiram que eu seja", disse Clare num testemunho, citada pelo Belfast Telegraph.
A ordem religiosa, Trindade e Coração de Maria, descreve Clare como uma "freira generosa com um dom especial para chegar às crianças e jovens. Ela escreveu muitas músicas e via isso como uma forma de trazer os outros até Deus, para os ajudar a encontrar o Senhor". "Vou lembrar-me das suas piadas, ela era muito engraçada. Conseguia pôr uma sala inteira a rir", disse a freira Cristin Camero. Um dos familiares de Clare disse ao Derry Journal que a situação era inacreditável: "Ela era missionária há 15 anos e correu o mundo a fazer o seu trabalho. Ela era realmente dedicada e estamos muito orgulhosos dela. Estamos devastados com a perda, ela sempre foi o diamante da família".
Requiescat in pace.

6 comentários:

Fatyly disse...

Terrível e as vítimas continuam a aumentar. Paz à sua alma e à de todos que com ela partiram.

FireHead disse...

Eis a diferença entre um país ainda relativamente atrasado como é o Equador e um país super desenvolvido como é o Japão...

wind disse...

Mas já não é a 1ª vez.É preciso realmente gostar da sua missão para ir para este país!

FireHead disse...

Sim, é preciso que haja mesmo vocação e a rapariga tinha-a. Morreu ao dar o que tinha aos outros. Nós e uma boa parte das pessoas do mundo somos suficientemente egoístas para não fazermos o mesmo porque queremos continuar no nosso conforto.

Adilson disse...

Infelizmente perdi tal notícia. Gostei do que ela disse: "Agora vejo que foi a forma de Nossa Senhora me trazer para casa, de volta a ela e ao seu filho". O mundo fica mais pobre com tal perda.

FireHead disse...

Os incréus nestas ocasiões vêm com a habitual pergunta: onde é que está Deus que permitiu que esta e outras tragédias continuem a acontecer?? Logo, Deus não existe. Se Deus não existe, tudo o que a Clare fez, baseado no que ela acreditava, terá sido em vão?

Quanto estive nas Filipinas com uma amiga de longa data que é de lá, perguntei-lhe como é que as pessoas de lá conseguiam continuar a ter fé apesar de tantas tempestades tropicais que assolam o país e que destroem tudo ceifando milhares e milhares de vidas todos os anos. Eu próprio também ficaria descrente se me acontecessem desgraças destas na minha vida. E ela disse-me algo que me deixou espantado: "pelo contrário, isto até faz aumentar a fé das pessoas".