quarta-feira, 27 de abril de 2016

Bristol é demasiado multicultural para haver celebrações do dia de São Jorge!

A cidade inglesa de Bristol não vai celebrar o dia de São Jorge, o santo padroeiro de Inglatera, por ser uma "cidade demasiado multicultural"! São faladas na cidade 91 línguas diferentes mas o maior medo dos multiculturalistas é haver na cidade uma presença significativa de muçulmanos e as suas sensibilidades poderão ficar feridas com uma celebração patriótica do género, pois inclui uma cruz de Cristo. Aliás, segundo uma tal Kalphna Woolf, a fundadora da organização 91 Ways to Build a Global City (91 Maneiras de Construir uma Cidade Global) que parece uma hindustânica, "as pessoas podem ficar assustadas com o branco e vermelho da cruz da bandeira de São Jorge"!!
E depois ainda dizem que o multiculturalismo é bom! Fez com que a Inglaterra já não fosse mais cristã! Que faz ainda a cruz na bandeira inglesa?

2 comentários:

Adilson disse...

Não imaginava que São Jorge era o santo padroeiro de Inglaterra. Desde a ascensão do protestantismo no reino inglês parece que as coisas só desandaram e seus políticos caminharam para um escuridão sem retorno. Não outra explicação: uma vez que essa nação optou por desprezar e atacar o catolicismo, tanto a Inglaterra quanto as terras que ela controlou só houve aumento do gnosticismo, da maçonaria e da apostasia. Quando uma nação prefere marginalizar o Catolicismo e aceitar o aumento da depravação e dos adeptos de uma religião monstruosa, significa que o caminho que optou é o ódio a Deus! Que Cristo proteja seu povo que lá reside!

FireHead disse...

Isso é porque o anglicanismo é uma cópia frustrada do Catolicismo. O anglicanismo substitui a figura do Papa pelo soberano monarca (ou seja, agora a chefe da Igreja de Inglaterra é a rainha Isabel II) e muito da sua liturgia foi basicamente aproveitada do Catolicismo, daí haver também santos - canonizados pelos Papas - e até mesmo imagens que os protestantes na sua maioria tanto desprezam.

O lado curioso é, que tirando o islão, o Catolicismo é a religião mais praticada no Reino Unido e muitos são os grandes católicos ingleses, muitos deles convertidos do protestantismo, só para citar alguns: cardeal Henry Newman, Gilbert K. Chesterton, R. R. Tolkien e até mesmo patetas como o Tony Blair ou o último governador britânico de Hong Kong, o influente Chris Pattern. E depois também temos os grandes santos ingleses, a começar logo pelos que morreram por se recusar converter-se à seita criada por Henrique VIII. São Thomas More e São John Fisher.