terça-feira, 19 de abril de 2016

A quantas anda Portugal governado pela geringonça?

O primeiro-ministro não eleito de Portugal, António Costa, assinou, como já todos sabemos, uma declaração conjunta com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, quando esteve recentemente na Grécia, em que afirma que Portugal e a Grécia "com uma experiência semelhante no contexto dos respectivos programas de ajustamento, partilham a convicção de que políticas assentes apenas na austeridade são erradas e insuficientes para superar os desafios existentes. Seis anos depois do primeiro resgate, podemos com segurança confirmar que a austeridade por si só está a falhar nos seus próprios termos e teve um impacto económico e social que foi muito para além do antecipado. Estas políticas devem ser alteradas". 

Portugal precisa de mais austeridade, pá!
Mas parece que Bruxelas está-se a cagar para isso. É preciso que Portugal cumpra o ajustamento estrutural exigido de 0,6% e mais nada. Lá foi a declaração luso-grega pelo cano abaixo... Onde é que estão as prometidas garantias de estabilidade que o esquerdume anunciou e que o António Costa prometeu executar, pá?

O título chocante da edição de hoje do Diário de Notícias
Os rostos da destruição em Portugal
Já agora, abastecer o depósito está mais caro desde ontem em Portugal. O imposto sobre os combustíveis, aumentado por este governo esquerdista, representa 70% do que os portugueses pagam.

Mas que importa isso? 25 de Abril, sempre, né?
Leituras complementares:
  • O acordo que antes de ser já não era: "Digam lá se isto não é de uma fina ironia: um governo socialista, apoiado por dois partidos de matriz comunista, a fazer uma lei liberal que remove as barreiras às regras de mercado que banqueiros e accionistas de bancos tinham erguido para se protegerem de 'ataques' externos".
  • Um Governo míope prepara um futuro pobre: "A recente vaga de previsões em baixa para a economia portuguesa é preocupante (actualmente, as previsões de crescimento em 2016 encontram-se entre 1,2% e 1,6% abaixo dos 1,8% do Orçamento), mas contrariamente ao que nos tenta fazer acreditar o Governo, esta vaga não é inesperada".
  • Ser dono disto tudo não é um mar de rosas: "António Costa já veio afirmar que o tema BPI transcende, agora, a sua capacidade de intervenção. É tarde para sacudir a água do capote".
  • Azeredo Lopes, a agenda LGBT e o desrespeito pelas Forças Armadas: "Os mais recentes esforços para impor a agenda LGBT no Colégio Militar poderiam ser apenas mais um episódio relativamente marginal de actuação infeliz da 'geringonça' e dos seus aliados mas, infelizmente, a intervenção absolutamente desastrosa e gravemente desrespeitosa do ministro da Defesa Azeredo Lopes fez com que a situação transcendesse em muito esse patamar".

2 comentários:

RICARDO DA SILVA LIMA disse...

Firehead, quando os portugueses vão tomar Portugal de volta?

Do jeito que as coisas vão, Portugal acabará antes de 2020.

Triste isto, viu? :(

Cumprimentos.

ps: pelo pouco de política que eu sei, penso que se Portugal saísse da zona do euro, seria uma ótima solução para a crise econômica pela qual o país passa. Você pensa o mesmo?

FireHead disse...

Olha que se calhar não! Já dizia Júlio César que os portugueses não governam nem se deixam governar... o Salazar foi apenas uma excepção.

O que permitiu a destruição de Portugal, e já lá vão quase 42 anos, foi a fatídica revolução de 25 de Abril... foi o dia em que a Pátria morreu, o império se destruiu e o país começou a morrer... Quiseram a democracia para hoje em dia estarem-se a cagar para ela... No poder estão bandidos e corruptos... Enfim, a culpa disto tudo só pode ser do D. Afonso Henriques - não tivesse ele tido a ideia de fundar uma nação e de ter batido na sua própria mãe para que conseguisse tal intento!!

Eu desejo o fim da União Europeia. E devia ser até para ontem. Só assim é que os países poderão voltar a ser senhores dos seus próprios destinos. Todas estas organizações mundiais - ONU, UE e até mesmo o Vaticano! - estão empestados de maçons...