quarta-feira, 16 de março de 2016

O "assassinato" de Trump

O ateu britânico Paul Joseph Watson, do Info Wars (ou Infowars, eu nunca sei...), fez um novo vídeo que fala sobre a campanha me®diática canalha contra Donald Trump:

video

2 comentários:

Portuguesinha disse...

Excuse me...
Ameaças de morte??
Só em países grandes e cheios de Estados como o USA...

Todos os candidatos à presidencia, ao invés de escutados e debatidos, levam com ameaças de morte. Isso é indecente, não parece? Acho que todos os que «brincam» que querem comprar uma arma para assassinar alguém deviam ser localizados pela polícia e ser sujeitos a um interrogatório. Não entendem que a vida é sagrada para ser tratada com tamanha leviandade. Mais ainda nos dias que correm, com a ameaça de terrorismo e com tantos inocentes a terem suas vidas ceifadas dessa forma.


Cá no burgo, ainda bem que somos pequenos e ainda bem que o regionalismo foi chumbado em referendo. De vez em quando ainda aparecem uns armados em «Madeira», mas não é com cada um puxando a brasa à sua sardinha que se assa o peixe.

Dito isto, não me admiraria que existisse razões para preocupações. Os EUA já tiveram DOIS presidentes assassinados, um candidato Kennedy, um John Lenon... Exceptuando Lenon, no universo da política nunca se soube quem realmente arquitectou os «óbitos».

FireHead disse...

Apesar de a nível de democracia os EUA terem muito a ensinar aos outros, não deixa de ser verdade que é também um país que conta com presidentes assassinados na sua história. Porquê? Se calhar é porque afinal o povo também não é assim tão democrático...

Parece que entre todos os candidatos à presidência dos EUA só mesmo o Donald Trump é que está a ser o maior alvo de ameaças. E porquê? Porque ele representa um sistema que tem que ser combatido. Mas o Trump vai ganhando cada vez mais popularidade pelo simples facto de ele falar directamente para as pessoas e dizer-lhes aquilo que elas querem ouvir. Isto não é nenhum truque de hipnotismo ou magia, é simplesmente a verdade. Ele diz o que pensa sobre os refugiados, sobre o islão, sobre a imigração ilegal, etc. e as pessoas concordam com ele, daí apoiarem-no. É tudo muito simples assim.

Agora andarem com canalhices que é para impedirem que o Trump vença as eleições demonstra simplesmente o contrário da democracia. Todos os que ameaçam matar Donald Trump deveriam ser identificados e logo enjaulados. Mas isso digo eu, que acredito que a liberdade de expressão não pode nunca ser total porque há sempre limites para tudo.

Quanto a isso dos regionalismos em Portugal é tudo uma brincadeira. Portugal é um país já de si pequeno, para que andarem com isso? Nem o próprio Alberto João Jardim alguma vez chegou tão longe... :)

Beijinhos.