sexta-feira, 25 de março de 2016

Johan Cruyff (1947-2016)


Morreu o melhor jogador holandês de todos tempos: Hendrik Johannes Cruijff, mais conhecido por Johan Cruyff. O mítico número 14 da laranja mecânica, que brilhou também no Ajax de Amesterdão e no Barcelona, perdeu a luta contra o cancro no pulmão aos 68 anos de idade (Cruyff era fumador), vindo a falecer em Barcelona. Três vezes vencedor da Bola de Ouro, o expoente do conceito de futebol total - uma revolução táctica na qual os jogadores se sentiam à vontade ao desempenhar todas as posições no campo  -, chegou a ser eleito o melhor jogador europeu do século XX pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol e o segundo melhor do mundo, atrás do brasileiro Pelé.

video

Vaarwel, grote kampioen!

6 comentários:

Alfredo Mendes disse...

Ainda não acredito. Vi-o jogar uma única vez ja nos veteranos e até aí ele era perfeito. Sou do tempo dele e nao há palavras para um jogador desta categoria porque ele era brilhante em todos os sentidos e dos poucos jogadores do mundo que foi competente em todas as posições, até como defesa esquerdo e médio centro (!!!) e nesse tempo nem caneleiras eles tinham. O melhor jogador europeu de todos os tempos e para mim a IFFHS só nao o considerou o melhor de sempre porque ele perdeu na final do mundial de 74 contra a Alemanha Ocidental que nem jogou melhor que a Holanda. Faltou-lhe o raio do Mundial! E não foi ao mundial de 78 por nao pactuar com a ditadura argentina vigente nesse país à altura. E a Argentina lá ganhou a Holanda outra vez. Com ele teria sido outra história.
Além do mais ao contrário de todos os que foram considerados os melhores de cada geração ele foi o melhor também como treinador, ao contrário de outros como Maradona que como treinadores não deixaram grandes recordações; dando a primeira taça dos campeões europeus ao Barcelona como treinador.

Morreu o maior do maiores na minha opinião. O futebol está cada vez mais pobre.

FireHead disse...

Sim, muito possivelmente não foi considerado o melhor do mundo em 1974 por não ter ganhado o Mundial. Já o Pelé foi tricampeão pelo mundo, e além dos títulos que ele conseguiu, também foi um jogador verdadeiramente fantástico.

Todos estes grande jogadores marcaram a sua época, e entre nós tivemos o grande Eusébio, mas também tivemos não há muito tempo o Luís Figo e agora temos o Ronaldo que, tal como o Messi, disputam o título do melhor jogador de futebol do mundo da actualidade e no entanto vêem ambos a conquista de títulos nos seus clubes como critério discriminitário. Ainda assim, nem Portugal nem Argentina têm maneira de ser campeões mundiais, Portugal nem campeão europeu sequer (e tivemos uma excelente oportunidade para isso no Europeu de 2004 realizado em casa...), quanto mais?

Cruyff foi fantástico, possivelmente o melhor jogador que houve nos anos 70. Mas também não nos podemos esquecer do Kaiser Beckenbauer, que também revolucionou o futebol com o conceito do líbero.

Adilson disse...

Não sou muito de comentar sobre futebol e sobre suas estrelas. Mas uma coisa não posso deixar de dizer: sempre que assisto aos vídeos de gols ou jogadas de partidas de futebol do século passado, sinto que algo se perdeu no futebol. Parece que são cada vez mais raras os gols e dribles que aqueles jogadores praticavam. Não havia as tecnologias de hoje, mas os jogadores eram muito ágeis, resistentes e raçudos. Eles não tinham tempo para cair e ficar chorando pro juiz. Aliás, naquela época ainda havia um certo vigor moral nas almas daqueles homens: o amor pela grandeza dar arte futebolística era mais importante que o amor ao dinheiro e aos holofotes, coisa que praticamente quase não se vê hoje. Nunca observei o Johan, mas quando eu assisto aos vídeos antigos daquela seleção holandesa, a laranja mecânica, fico de boca aberta! Era sim uma seleção de arrepiar! Que descanse em paz Johan Cruyff!

Abraço

FireHead disse...

Podes crer. Naqueles tempos os craques não eram fabricados: ou se nascia já com talento, ou não dava. Hoje tão depressa um jogador alcança o estrelato como logo passado uns anos cai em desgraça. Além disso, antigamente, como não se ganhava tanto como se ganha hoje, havia amor à camisola. Hoje há é amor ao dinheiro.

wind disse...

Era muito bom!
Que RIP!

FireHead disse...

O melhor de sempre da Holanda. E depois vieram o Ruud Gulit, o Van Basten, o Rijkaard... :)