quarta-feira, 16 de março de 2016

Ex-satânico: “Eu realizava rituais satânicos em clínicas de aborto”

À luz dos vídeos recentes expondo o tráfico de órgãos e tecidos de bebés abortados da Planned Parenthood, o Lepanto Institute (Instituto Lepanto) entrevistou o ex-satânico Zachary King. Zachary era um menino comum de um bairro americano que cresceu numa família baptista. Ele começou a praticar magia aos 10 anos de idade, juntou-se a uma seita satânica aos 13 anos e tinha quebrado todos os 10 Mandamentos quando tinha 15 anos. Desde a sua adolescência até a idade adulta, ele esforçou-se para chegar até a categoria de Sumo Sacerdote na seita e era um activo divulgador do satanismo, incluindo abortos ritualísticos. Zachary está actualmente a escrever sobre as suas experiências num livro intitulado “O aborto é um sacrifício satânico”. 

Lepanto Institute – Zac, você tem muita história para contar. Poderia relatar -nos um pouco sobre o modo como você entrou no satanismo? 

Zachary King Zachary King – Tudo começou com uma forte curiosidade de saber se a magia era real. Começou depois de assistir alguns filmes sobre feiticeiros e bruxos, por volta da década de 1970, quando eu cresci. Certo dia tivemos um jogo na escola chamado “Bloody Mary”, ou “I Hate You, Bloody Mary”, onde você ia a uma casa de banho e cantava essa frase um certo número de vezes com as luzes apagadas. Uma vez que o meu grupo fez isso, nós vimos uma face demoníaca no espelho. Não tínhamos ideia do que estávamos a olhar, só que, de repente, todo o mundo saiu correndo, morrendo de medo... excepto eu. Eu sempre achei isso muito interessante. Na mesma época, eu jogava o jogo de vídeo “Dungeons and Dragons” todo os fins-de-semana, e eu era sempre o mago ou feiticeiro. Eventualmente, eu perguntava-me se eu poderia fazer magia de verdade e tentei dois feitiços para ganhar dinheiro. Deu certo, mas poderia ter sido apenas uma coincidência, então eu fiz isso uma terceira vez, e na terceira vez que eu fiz isso, eu estava lá na casa de banho, sozinho, em frente ao demónio e queria ver o que aconteceria. Eu ganhei 1000 dólares no dia seguinte. A partir daí, eu estava convencido de que a magia era real. Quando eu tinha uns 12 anos, um amigo apresentou-me a um grupo que jogava “Dungeons and Dragons” e que também acreditava que a magia era real. Descobri que esse grupo era uma seita satânica. (…) Eu amava as máquinas de pinball, jogos de vídeo e ficção científica, como Star Trek e Star Wars, e esses tipos tinham quase todos os filmes de ficção científica e fantasia que eu sempre queria ver. Eles tinham máquinas de pinball, uma piscina, uma grande churrasqueira, e era como um clube de meninos e meninas. Deixe-me entrosar desta forma, eles sabiam como recrutar. Eles sabiam tudo o que uma criança gostaria de fazer, então eu envolvi-me com isso desta maneira. (…) Eu estive lá até os 18 anos quando entrei para a Igreja Mundial de Satanás. A posição que eu alcancei é chamado de “Sumo Sacerdote” (High Wizard). Numa grande seita satânica eles são as pessoas que realizam a magia. Havia poucos, como uns 10. O número geral (de High Wizards em uma seita) está entre dois e cinco, e nosso trabalho era viajar pelo mundo fazendo o que as pessoas querem que você faça. Agora, quando eu digo pessoas, eu refiro-me a estrelas do rock, estrelas de cinema, figuras políticas, pessoas muito ricas... São incontáveis as pessoas que pedem uma bruxaria e não há limites para o que elas estão dispostas a pagar por isso. 

LI Então, você era um “Sumo Sacerdote” dentro do satanismo... apenas muito brevemente, como você fez para se tornar num? 

King – Há rumores de que os “Sumos Sacerdotes” são escolhidos a dedo por Satanás. Eu não sei qual é o critério. Eu fazia magia desde os 10 anos de idade e tornei-me num “Sumo Sacerdote” quando eu tinha cerca de 21. Eu fui membro da Igreja Mundial de Satanás para volta de três anos. Eu já tinha visto um “Sumo Sacerdote” quando eu era criança, mas eu não sabia o que era isso, nem para o que eu estava a olhar. O visual era muito original, com um chapéu alto, um bastão ou uma bengala e o rosto pintado como um cadáver. Há um CEO e um conselho de administração na seita. Eles dizem que você foi escolhido e dão-lhe um livro que informa quais são os seus deveres com um “Sumo Sacerdote”. 

LI – Então, você foi chamado por um Conselho e ofereceram-lhe a posição, e, assim, você tornou-se num “Sumo Sacerdote”? 

King – Certo, isso aconteceu quando eu tinha 10 ou 12 anos. 

LI – Qual o papel do aborto em rituais satânicos, e quando você começou a envolver-se com o aborto no que diz respeito ao satanismo? 

King – Logo após eu completar 14 anos, os membros da seita disseram-me que eu precisava de me envolver com um aborto. Eles disseram que houve uma festa com todos os membros do sexo masculino entre 12 e 15 anos e uma do sexo feminino de 18 anos com o objectivo de ficar grávida e realizar o aborto aos nove meses de gestação. Quando me disseram isso, eu disse “fixe” em voz alta, mas não tinha ideia do que era um aborto. Na minha família, eu acho que eu ouvi os meus pais sussurrarem essa palavra uma vez, por isso eu achava que era uma palavra suja. Quando perguntei pela primeira vez o que era um aborto foi aos membros da seita, eu disse que eu não sabia o que tinha que fazer. Eles explicaram-me que há um bebé no útero e que eu estava indo para matá-lo. Haveria um médico e uma enfermeira lá para me ajudar porque se tratava de um procedimento médico. Perguntei: “isso é legal?” e a resposta foi: “sim, é, enquanto ele está no útero. Enquanto o bebé ainda está dentro da mulher tu podes matá-lo”. Isso é como foi explicado para nós. Também foi explicado que “tu estás a matar um bebé”. Eles não disseram que seria matar “um feto” ou matar “algumas células num corpo”. Nada disso. Era um bebé. Eu não acho que eu teria concordado em matar um bebé fora do corpo de uma mulher, mas, sabendo que eu poderia matar, tanto quanto eu quisesse, desde que estivesse dentro do corpo... para o satanismo, o acto de matar algo ou a morte de algo é a maneira mais eficaz de ter o seu feitiço realizado. No que diz respeito de obter a aprovação de Satanás, para dar-lhe algo que você quer, matar algo é o melhor caminho a percorrer. Matar algo é a oferta final a Satanás, e se você pode matar um bebé no ventre materno, este é o seu objectivo final. 

LI – Conte-nos sobre o primeiro aborto que você fez como um ritual satânico. 

King – O primeiro que fiz foi cerca de três meses antes de completar 15 anos. Isso aconteceu numa casa de fazenda que estava surpreendentemente muito mais esterilizada do que muitas clínicas de aborto que eu frequentei. Havia um médico, uma enfermeira e uma mulher prestes a ter um bebé que estava cercada por 13 dos principais membros da nossa seita, que eram todos “Sumos Sacerdotes” e “sacerdotisas”. Eu estava dentro do círculo com a mulher e o médico. Todos os membros adultos da minha seita estavam lá. Havia várias mulheres ajoelhadas no chão, balançando-se para trás e gritando de vez em quando “o nosso corpo e nós mesmos”. Ao lado estavam vários membros masculinos da nossa seita, todos cantando e “rezando”. O ritual começou às 11:45 da noite, e a feitiçaria começou à meia-noite, que é a “hora das bruxas”, e a morte real da criança aconteceu às 3:00 da manhã, que é chamada a “hora do diabo”. O meu papel em tudo isso foi inserir o bisturi. Eu não tinha necessariamente que matar... o que era importante era ter sangue nas minhas mãos, da mulher ou do bebé. Em seguida, o médico termina o procedimento. Foi provavelmente um dos mais hediondos abortos que eu já participei, o médico pegou no bebé e jogou-o ao chão, onde estas mulheres estavam a balançar-se. As mulheres pareciam que estavam possuídas, e quando o médico jogou o bebé, elas canibalizaram-no. 

LI – Em quantos rituais de abortos você participou? 

King – Antes de me tornar num High Wizard, eu fiz cinco. Depois, eu participei em mais 141 outros abortos. 

LI – Você já fez ritual do aborto em alguma clinica de alto perfil? 

King – Sim, fiz. Eu estimaria que eu fiz cerca de 20 rituais de abortos dentro dessas instalações, mas eu nunca contei. Eu só sei que eu estive num monte delas. (…) Elas pareciam como casa de horrores, com sangue por todo o lado, incluindo, em alguns quartos, com sangue no tecto. 

LI – Como você era convidado para fazer abortos satânicos nessas clínicas? 

King – (…) A Igreja Mundial de Satanás não é a única organização que faz sacrifícios satânicos nessas clínicas. Há outras organizações de feitiçaria, tais como os wiccanos, que realmente estão envolvidos em abortos cometidos dentro dessas instalações. Você às vezes é convidado a fazer o ritual de aborto pelo próprio director do estabelecimento ou algum alto-administrador, ou, por vezes, o médico é um satânico e convida-o para participar de um aborto que eles vão fazer no final do dia. Agora, no final do dia, todos os dias, grupos satânicos fazem, como uma missa negra, geralmente em torno da meia-noite, que dura cerca de duas ou três horas, onde eles oferecem para Satanás todos os bebés que foram abortados naquele dia. Não importa a razão das mulheres optarem pelo aborto, todos os bebés são oferecidos a Satanás no final do dia. 

LI – Como são esses rituais satânicos de abortos? 

King – Há crianças que participam, mas elas geralmente não ficam na sala em que o aborto é praticado. Elas ficam separadas e há uma competição para ver quem consegue ficar acordado até às 3:00 horas. Quem ganha recebe uma recompensa. Os homens que não fazem parte do top 13 da seita ficam a fazer feitiços e a cantar. Eles também lançam feitiços para protegê-los contra qualquer pessoa que possa estar a rezar contra eles. Além disso, pagamos pessoas para a nossa protecção, seja político ou polícia, então sabemos que ninguém irá investigar-nos naquele momento. Uma vez veio o autarca da cidade pedir um feitiço. Ele procurou-nos porque queria passar um projecto de lei na sua cidade, ele havia tentado duas ou três vezes e nunca passou. Ele tinha sido um membro da seita por algum tempo. Ele havia tentado todas as vias legais para obter a aprovação do seu projecto e nunca funcionou, então ele teve que encontrar alguém que concordasse em fazer um aborto e durante uma noite na qual nós poderíamos realizar o aborto e o feitiço ao mesmo tempo. Mas também precisava de encontrar um médico e uma enfermeira. Em clínicas de aborto de alto perfil, muitas pessoas que trabalham nesses locais são bruxos ou satânicos. Então, vai ser fácil encontrar gente lá disposta a participar do ritual satânico. 

LI – Você diria que o aborto em clínicas de alto perfil atrai membros do ocultismo por causa da oportunidade de realizar rituais de abortos? 

King – Eu diria que sim, que é absolutamente uma afirmação verdadeira. Sabe, você tem as pessoas que pertencem a NOW (Organização Nacional de Mulheres), e muitas dessas pessoas pertencem àreligião pagã Wicca, e eles, embora professem ter uma postura para a preservação da vida, são permissivos em “ferir” quem vai contra eles de qualquer maneira, o que quer dizer que estão autorizadas a destruir por qualquer meio necessário, que é, para eles, através da magia. (…) Eles vêem a figura feminina, a mulher, como a Mãe Terra, ou Gaia. Eles têm esta figura feminina que eles adoram como uma deusa. (…) O aborto é um sacramento satânico por assim dizer (…) e uma clínica de aborto atrai satânicos para o sacerdócio satânico. 

LI – Alguma vez você já experimentou uma incapacidade de completar um aborto ou os efeitos do seu ritual devido a pessoas a rezar do lado de fora de uma clínica? 

King – Mais de uma vez nós tivemos bebés que ameaçavam sobreviver ao aborto. Uma vez, eu cheguei à clínica de aborto e havia pessoas nos dois lados da rua. De um lado, pessoas a rezar e clamando contra o aborto, e, no lado que eu estava, eram pessoas pró-aborto que gritavam todos os tipos de obscenidades. Quando entrei, olhei para a rua novamente e vi algumas pessoas a rezar de joelhos. Naquele dia, o aborto que tínhamos programado para um ritual não ocorreu. Eu acho que isso me aconteceu cerca de três vezes, e todas as três vezes... é engraçado, mas nunca me havia dado conta de que todos os três abortos que foram frustrados o foram devido às orações que estavam a ser feitas lá fora. 

LI – Que conselho você daria para as pessoas que estão a rezar fora das clínicas de aborto, especialmente se suspeitar que há algum tipo de actividade oculta a acontecer dentro? 

King – Primeiro de tudo, não páre! Não há nada que está a acontecer nessa clínica de aborto que pode prejudicá-lo. Claro, haverá demónios ao redor, mas você tem que pensar que Satanás é como um cachorro na coleira; se você não chegar perto, ele não pode mordê-lo. Esteja em estado de graça quando você for. Leve água benta consigo. Não a jogue sobre as pessoas que estão lá para se opor a si, porque você vai parar ao tribunal. Sabe, essas pessoas vão processá-lo sobre as coisas mais parvas. Se você pode receber a Santa Comunhão antes de chegar lá, seria o ideal. Se você for à missa nesse dia, depois passe alguns minutos para pedir ao Senhor que envie a Sua Mãe consigo. Leve um terço. Há coisas que o diabo tem medo. Ele tem medo de um católico bem formado; um católico que entende a sua fé e sabe que está numa guerra espiritual. Ele não quer lutar com alguém que tem a sua armadura completa. 

Em Janeiro de 2008, enquanto trabalhava numa loja de jóias, Zachary teve um encontro com Nossa Senhora que mudou a sua vida. No meio do centro comercial, através da medalha milagrosa, Zachary experimentou uma paz que excede todo o entendimento. Zachary começou a frequentar a igreja de São Francisco Xavier, em Vermont, e, em Maio de 2008 (o mês de Maria), Zachary King entrou oficialmente para a Igreja Católica. Ao fim de 26 anos de envolvimento com o oculto, Zachary tornou-se num guerreiro de Jesus Cristo e quer partilhar o seu conhecimento para a protecção do povo de Deus. O testemunho de Zachary é uma inspiração que prova o quão grande é a misericórdia e o perdão de Deus que estão acima de todas as manifestações do Seu amor profundo por nós. Zachary King  vive actualmente na Flórida com a sua esposa. Ele é um activista internacional que espalha a história da sua milagrosa recuperação do satanismo onde quer que ele vá. O website de Zachary é http://www.allsaintsministry.org.

4 comentários:

Portuguesinha disse...

Não sei o que dizer.
Mas apetece-me dizer "que idiotice!". Típico de quem ainda não sabe nada da vida. É fácil recrutar esses - os miúdos. Faz-me lembrar os talibãs ou esses homens da guerra, que recrutam crianças para disparar armas de guerra. O mesmo princípio é aplicado a essa tanga de satanismo.

Mas se o aborto é uma oferta ao mal do mundo, então é compreensível a oposição da igreja católica à prática. Acredito no poder da oração. Mas infelizmente, também posso aplicar a mesma crença ao poder do bruxedo :P

FireHead disse...

O recrutamento torna-se fácil porque por outro lado também há a questão da rebeldia que parte das pessoas e que vêem nessas coisas (EI, satanismo, etc.) como uma espécie de escape à "normalidade", ao sistema. E depois a ignorância faz o resto...

A Igreja Católica é contra a prática do aborto excepto num único caso: quando a vida do bebé põe em risco a vida da mãe, pois uma vida não pode tirar outra vida. De resto, a Igreja defende a sacralidade da vida. Eu penso que, mais do que criarem condições para que as mulheres possam abortar a seu pedido, deviam era antes fazer de tudo para proporcionar meios que permitam que todas as mulheres não precisassem de abortar. Contudo, eu sei que isso do aborto é um dilema e eu não quero estar a julgar ninguém.

Anónimo disse...

A falta de educação sexual causa muitos abortos.

FireHead disse...

E os que defendem os abortos não foram abortados.