terça-feira, 15 de março de 2016

Descoberta do mais antigo navio europeu revelada 20 anos depois


Foi descoberta a nau portuguesa Esmeralda ao largo da ilha Al Hallaniyah, em Omã. Esmeralda, comandada por Vicente Sodré, tio materno do Vasco da Gama, terá naufragado em 1503, o que significa que "antecede o naufrágio ibérico mais antigo em 30 a 50 anos". Esmeralda "é o mais antigo navio da idade europeia das descobertas a ser encontrado", ganhando, por isso, "uma enorme importância", assegurou Filipe Castro, professor de arqueologia subaquática na Universidade do Texas. Além da nau, foi também anunciada a descoberta de 2800 artefactos, entre eles um disco de liga de cobre com o brasão real e uma esfera armilar, emblema pessoal de D. Manuel I, um sino de bronze que data o navio de 1498 , e uma raríssima moeda de prata - um "Índio" -, que o monarca terá mandado fazer e do qual só existirá mais um exemplar em todo o mundo. Na verdade a nau já tinha sido localizada em 1998 e tornado objecto de estudo desde 2013, mas só agora é que foi divulgado o que foi descoberto. Esmeralda era uma nau da segunda armada de Vasco da Gama, partiu de Lisboa em 1502 para a Índia com o objectivo de patrulhar as águas no sul da Península Arábica e não terá resistido a uma tempestade.

4 comentários:

Josephvs disse...

The shipwreck is believed to be the Esmeralda, part of a fleet led by legendary Portuguese explorer Vasco da Gama during his second voyage to India (1502-1503).

Read more: http://sputniknews.com/art_living/20160315/1036323880/ancient-shipwreck-discovered-oman.html#ixzz42zgyOZCZ


Reportagem completa :P

FireHead disse...

Vá lá, não foi uma invenção! :)

Portuguesinha disse...

Vi uns clips de vídeo deles a removerem o astrolábio, o sino e a moeda... Acho fantástico qualquer descoberta desta magnitude. Poder ter nas mãos um objecto que ninguém viu ou tocou por mais de 500 anos!!

Não é para todos, não mesmo :D

FireHead disse...

Eu gostava de saber que importância é que Portugal dá a isso? Tipo, o governo português disse alguma coisa sobre isso? É que Portugal até agora continua a demonstrar pouco interesse ou mesmo um desprezo para com as comunidades históricas luso-descendentes da Ásia...