sábado, 12 de março de 2016

De vítima de racismo à selecção russa

O guarda-redes brasileiro Guilherme, que milita no Lokomotiv de Moscovo, vai ser o primeiro jogador naturalizado russo a representar a selecção russa de futebol. Pela primeira vez, a Federação Russa de Futebol abriu a porta a atletas estrangeiros e dividiu o país porque consta que a grande mãe Rússia, pátria de mais de 100 diferentes etnias, sempre encarou com aversão a naturalização de atletas nascidos noutros países (é o que diz o DN). Com a proximidade do Mundial de 2018 já surgiram também outros estrangeiros na calha para representarem a selecção russa: o médio alemão Roman Neustaedter, do Schalke 04 e nascido na antiga URSS, e o lateral-direito brasileiro Mário Fernandes do CSKA de Moscovo. "Não tenho grandes chances de ir à selecção brasileira e 90% da minha história no futebol foi feita na Rússia. Sou grato ao Lokomotiv e ao povo russo, pelo carinho que tiveram por mim. Se precisarem de mim, estou pronto para ajudá-los", afirmou Guilherme, de 30 anos de idade e que curiosamente já se queixou de ser vítima de racismo na Rússia. "É uma desconfiança enorme que todos têm. Na verdade, sempre que há um dérbi ou um clássico, isso torna-se um hábito nos adeptos. Quando há um negro na nossa equipa ou no adversário, sempre que ele pega na bola é insultado. Não sei como vai ser no Mundial...", lamentou. "Já me habituei. Encaro isso mais como uma provocação do que uma ofensa. Mas na minha opinião, eles estão todos errados. Os adeptos precisam de saber separar as coisas".
Recordemos que por exemplo na selecção russa de futsal, uma das mais fortes do mundo, há imensos naturalizados: Pula, Éder Lima, Robinho, Cirilo ou Gustavo. Ou os russos só são racistas para o futebol (já agora, por acaso o Guilherme é preto?), ou andamos mas é a ser enganados que nem parvinhos.

6 comentários:

Anónimo disse...

Agora é-se racista só por não se aceitar que estrangeiros representem o povo nacional no desporto.facepalm

FireHead disse...

É, os esquerdistas têm piada. Eu não vejo racismo nenhum aí, até porque o Guilherme não me parece ser preto. Acho que faria mais impressão ver a selecção russa com russos do Daguestão ou da Tchechénia, visivelmente mais asiáticos do Médio Oriente do que europeus.

CENSURADO AGAIN disse...

SE A RUSSIA NÃO SE CUIDAR VAI VIRAR UM ESGOTO IGUAL AS FAVELAS DO MERDIL

CENSURADO AGAIN disse...

Blogger FireHead disse...

É, os esquerdistas têm piada. Eu não vejo racismo nenhum aí, até porque o Guilherme não me parece ser preto. Acho que faria mais impressão ver a selecção russa com russos do Daguestão ou da Tchechénia, visivelmente mais asiáticos do Médio Oriente do que europeus.

15 de março de 2016 às 14:17

PODE NÃO SER PRETO MAS NÃO PARECE SER ESLAVO

CENSURADO AGAIN disse...

AQUI NÃO TEM REDE GLOBO PRA DIZER QUE SOMOS SEM SERMOS

FireHead disse...

«SE A RUSSIA NÃO SE CUIDAR VAI VIRAR UM ESGOTO IGUAL AS FAVELAS DO MERDIL»

A Rússia já deve ter problemas que chegue com os muçulmanos. Afinal de contas eles lá são mais de 20 milhões, são a maior comunidade muçulmana de um país europeu. Isso se quisermos considerar a Rússia um país europeu apesar de geograficamente ser mais asiática que europeia, é claro...

«PODE NÃO SER PRETO MAS NÃO PARECE SER ESLAVO»

A totalidade dos russos não é eslava; a maioria é que é. Mas já sei que tu não percebes nada destas coisas.

«AQUI NÃO TEM REDE GLOBO PRA DIZER QUE SOMOS SEM SERMOS»

Mas tem a censura sobretudo para comentários repetitivos.