sexta-feira, 11 de março de 2016

Dalai Lama desertou e traiu o seu povo!


Foi isso que disse o governador da região autónoma chinesa do Tibete, Padma Choling (པདྨ་འཕྲིན་ལས་), também conhecido em chinês por Baima Chilin (白玛赤林), à margem da sessão anual da Assembleia Nacional Popular, em Pequim. O também vice-chefe do Partido Comunista Chinês para o Tibete, ele próprio de etnia tibetana (a 10.ª maior das 56 etnias chinesas oficialmente reconhecidas pela República Popular da China), afirmou que por causa da sua "traição", Dalai Lama deixou de ser um líder religioso. "Ele deixou de ser um líder religioso após ter desertado do seu país e traído o seu povo", acusou Padma Choling, dizendo que "sua santidade" (lol...) "deve reconhecer publicamente que o Tibete e Taiwan são partes inseparáveis da China". No ano passado, o mesmo político acusou Dalai Lama de profanar o budismo tibetano.
Ainda que a República Popular da China (não confundir com Taiwan que é a República da China) seja na prática mais capitalista que outra coisa, oficialmente ainda é um Estado comunista, ateu e genocida.

4 comentários:

Ivan Baptista disse...

Será que esse politico foi subornado ? Será que lhe encheram a conta bancária ?

FireHead disse...

Se calhar não. Pura e simplesmente formataram-lhe os miolos, muito possivelmente desde pequeno.

CENSURADO AGAIN disse...

ESSE TEM FENOTIPO E EXPRESSÃO SUB CORTEXIANA DE SUB CATAI

FireHead disse...

Tu e o teu passatempo preferido à Direita: adivinhar genótipos baseado em fenótipos.