terça-feira, 1 de março de 2016

Continua a receber mais migrantes/refugiados muçulmanos, Ocidente! (VIII)

O comissário grego da União Europeia Dimitris Avramopoulos (Δημήτρης Αβραμόπουλος), do partido conservador Nova Democracia (Νέα Δημοκρατία), disse que o sistema de migração da maçónica (des)união colapsará totalmente em 10 dias:

video

Por sua vez, o médico Ioannis Mouzalas (Ιωάννης Μουζαλας), do Ministério da Política de Imigração da Grécia, disse que a Grécia "não aceitará tornar-se no Líbano da Europa, um armazém de almas". Perante isto, só resta aos "refugiados" praticarem ou fingirem que praticam o suicídio como forma de fazer chantagem.


De acordo com uma recente sondagem feita lá nos States, 2/3 dos apoiantes de Donald Trump não gostam dos muçulmanos e 87% deles apoiam o fecho temporário das fronteiras aos muçulmanos.


Mas enquanto o Donald Trump não toma conta dos States, vão continuando a acontecer por lá casos ridículos como o seguinte: o californiano Michael Wolfe, de 35 anos, vandalizou a mesquita Masjid Al-Munin, em Titusville, e - atenção! - pode vir a ser condenado a prisão perpétua!


No Canadá, o jihadista Sami Elabi, de Montréal, destruiu o seu passaporte canadiano. O primeiro-ministro canadiano, o idiota esquerdista e islamófilo do Justin Trudeau, que diz que o islão é compatível com a liberdade, ainda é capaz de lhe oferecer um passaporte novo caso ele se arrependa do que fez...

video

Na Bélgica, um adolescente muçulmano de 16 anos foi acusado de ter violado uma funcionária de um centro de acolhimento de refugiados. Nada de novo, portanto. Até porque afinal de contas Bruxelas, a capital belga e também o coração da maçónica União Europeia, já é uma cidade de maioria islâmica.

video



Ainda na Alemanha, muitos são os muçulmanos que, em grupos, assediam raparigas. Assim não deverá faltar muito para que a Alemanha fique como a Suécia, com uma altíssima taxa de violações cometidas por muçulmanos, entre eles falsos menores. Nada que uns exames aos dentes não revelem.


A líder da PEGIDA na Dinamarca, Tania Groth, foi detida simplesmente por envergar uma camisola com o nome Bassil Hassan, um terrorista muçulmano cuja identidade as autoridades dinamarquesas não queriam que fosse revelada.

video

O governo francês avançou com o desmantelamento do campo ("floresta") de "refugiados" em Calais. Um "migrante" chateado chegou até mesmo a dizer que eles, os "refugiados", não chegaram a Calais para lá ficarem, mas sim para seguirem caminho para o Reino Unido onde "os apoios sociais são melhores"! A coisa em Calais está tão preta que até o actor britânico Jude Law, que estava a ser todo refugees' lover juntamente com muitas outras celebridades, foi para lá e viu com os seus próprios olhos a selvajaria alógena que por lá reina. "Nós ficámos chocados ao ver alguns migrantes a comportarem-se como hooligans do futebol", comentou uma testemunha. Terá o actor mudado já de opinião?

video

A primeira-ministra polaca, Beata Szydło, declarou em entrevista à estação televisiva polaca Polsat que a Polónia "não recebeu imigrantes este ano e é improvável que venha a recebê-los num futuro próximo", pois "a Europa não está preparada para receber tal número de imigrantes" e é preciso garantir a segurança dos polacos. Além disso, tal como anunciou o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, admite fazer um referendo sobre a imigração. A Polónia é um dos países mais católicos da Europa e Viktor Orbán chegou a usar o argumento da defesa dos valores cristãos para se opor ao acolhimento em massa dos "refugiados". Também o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, disse o mesmo, que a Eslováquia é um país cristão e que a política de migração da União Europeia é um "ritual suicida". Serve isto para dizer que os anticristãos que dizem que o Cristianismo é incompatível com o nacionalismo não regulam mesmo nada bem da cabeça.





Islamização e patrulhas islâmicas no Reino Unido. Quando é que isso chegará a Portugal? Não sabemos, mas a coisa poderá conhecer um avanço significativo porque o primeiro-ministro súcia de Portugal, António Costa, faz imensa questão que Portugal receba mais "refugiados" do que é suposto.

video

6 comentários:

Dr. No disse...

Olá FireHead,

deixo um link interessante: http://www.midiasemmascara.org/artigos/internacional/europa/16361-2016-02-24-00-22-46.html

Depois passo por aqui para comentar!

FireHead disse...

Obrigado. :)

Adilson disse...

Mais uma:

Minha conclusão: 1) a Polônia ainda tem neurônios, mas vai sofrer pressão daquelas vagabundos da União Europeia; 2) Jude Law teve sorte não ter levado uma boa surra por lá e assim recuperar a inteligência. Como diz o povo: "quando a água bate na nossa bunda, então mudamos de opinião; 3) Sobre a Alemanha digo: os alemães só foram macho pra matar judeus desarmados e sem reação! Putz! Os judeus nunca praticaram nem mesmo 0,1% do que esses "refugiados" fazem; enfim, belgas, holandeses e suecos só tem coragem pra usar drogas e praticar putaria; 4) sobre os EUA, eis minha pergunta: Até quando aquele negro mentiroso e jumento do Obama vai continuar cagando na cabeça do povo dos EUA? Ele é a maior desgraça para a comunidade negra americana! De qualquer forma, não há mais dúvidas sobre porquê aquele preto foi colocado lá: seu objetivo era mesmo cagar na nação americana. Ora, há negros americanos de grande inteligência, como Benjamim Carlson. A chegada de Obama a presidência dos EUA explica algo: para os esquerdopatas dos EUA todo negro conservador, inteligente e rico não é negro.

Conclusão: pro inferno com Obama e o partido dos democratas, covil de demônios e bandidos!

Até!

FireHead disse...

A Polónia já começou a sofrer. Ainda não há muito tempo queixaram-se da falta de liberdade de imprensa. E agora isto das quotas dos «refugiados». O que vale é que os polacos estão-se a lixar para isso. Se fosse Portugal é que haveria de ser lindo...

No caso do Jude Law, esperemos que aquilo que ele presenciou baste para mudar de opinião...

Eu nunca vi judeus na Europa a cometer crimes e andarem com exigências. Nunca vi judeus a exigirem que os animais sejam todos abatidos de maneira kosher. Nunca vi judeus na Europa indignados com o facto dos europeus comerem porco. Nunca vi judeus a fazer proselitismo na Europa. Nunca vi judeus a serem positivamente discriminados por serem uma minoria como são os muçulmanos. E depois os maus são sempre os judeus. Os judeus querem controlar o mundo, mas levam no focinho por causa disso. Devem ser uns masoquistas, é o que são...

O Obama não é negro, meu caro. É mulato. Ele tem sangue de branco. Um cabrito como dizem os angolanos. E cabrito também a nível intelectual e moral, pois já deu para ver que ele já deu o que tinha a dar e o que deu foi uma miséria. Esperemos que o Trump seja eleito que é para limpar a porcaria que o cabrito fez e fazer de novo os EUA uma grande nação. O problema é que eu não tenho dúvidas de que uma das últimas porcarias que o Obama vai fazer na presidência é justamente impedir que Trump ganhe.

Há conservador negros muito bons, sim senhor. Para além do Ben Carlson há também por exemplo o Allen West, um conhecido republicano anti-islâmico. Portanto desde já afastamos aqui a hipótese de haver qualquer tipo de racismo, coisa que só os racistas é que vêem a toda a hora.

O mundo ainda vai continuar a dar muitas voltas, meu caro. Estejamos atentos.

Adilson disse...

Novamente!

É vero. Você se refere a Obama como mulato, de fato. Tens razão, ele é sim mulato, pois, como vc bem lembrou (sua mãe era branca, embora com o nojo de si mesma - O MSM do Olavo, já publicou algo bem chocante sobre ela). Aqui no Brasil, antes da reforma no ensino, havia sim o ensino em que se apresentava tanto o vocábulo como outros, os quais eram usados na classificação de descendentes fruto da miscigenação entre portugueses, índios e negros. Mas isso foi abolido pelos esquerdopatas do ministério da cultura, infestada de comunas e liberais. Agora ou é branco (explorador) ou afrodescendente (vítima dos brancos). E não é que perdi o hábito de usar a palavra "mulato"??? Eh eh eh! De tanto ouvir e ver Obama sendo aclamado como "primeiro presidente negro dos EUA" acabei por considerá-lo negro! Rapaz, esquerdismo é contagioso! Eu, por exemplo sou moreno, mas não sei se sou mulato, cafuzo ou e mameluco, pois nas famílias de meus avôs houve de tudo, de português a negros e índios. E por aí se vai...
Você citou bem o Allen West, que aqui no Brasil é atacado de forma injusta pelos cães esquerdistas, metidos a intelectuais sérios, geralmente sustentados com verbas públicas, ou famintos por aparecer na TV. Citei o Carlson por causa das eleições. Agora, o intelectual negro (ou mulado? não sei) que mais admiro é o Thomas Sowell, que arrasa com os defensores das políticas de cotas e outros mais!

Vamos torcer que o Trump vença e que a Hillary desapareça da administração do Governo dos EUA.

FireHead disse...

Eu não sei porque é que dizes que a mãe do Obama tinha nojo de si mesma - foi por ter-se envolvida com um queniano? Isso parece-me conversa dos racialistas brancos, que até chamam as mulheres brancas que se envolvem com pretos ou gajos de outras raças de putas ou traidoras. Para eles, as pessoas só podem amar e querer estar com gente da mesma raça. Preferem morrer sozinhos a apaixonarem-se por uma chinesa bonita, por exemplo. É triste. O que vale é que assim também com o passar do tempo estes idiotas serão cada vez menos.

É verdade. Ainda hoje dizem que o Obama é o primeiro presidente negro dos EUA. Isto revela uma tara que muitos mulatos têm. Mesmo que tenham a pele bastante clarinha, um mulato em regra afirma sempre pertencer à comunidade negra do que à branca. Um mulato não é nem negro nem é branco. Um mulato é uma identidade própria. É um mestiço. Porque é que um mulato considera-se negro e não também branco? É à pala disso que o mundo tem estatisticamente mais negros do que realmente tem. Na verdade eu só conheci um mulato, que foi meu colega de trabalho lá em Portugal, que dizia mesmo que não era nem preto nem branco. Todos os outros mulatos tinham a tendência para estar do lado dos negros.

Eu sou mestiço de segunda geração. A minha avó materna era de etnia chinesa han e da minha parte portuguesa as raízes são beirãs (distrito de Castelo Branco). Nunca me identifiquei racialmente como branco embora seja mais branco que amarelo, tanto geneticamente como fenotipicamente. Sempre me afirmei como um orgulhoso mestiço de segunda geração e sou 100% português tanto a nível legal como também cultural. A minha relação com a China também é íntima, sendo que eu gosto de muitas coisas da China. O grande problema da China é o comunismo. Se a China fosse a República da China, que é aquilo que Taiwan é, seria de longe muito melhor, quiçá mesmo a maior potência mundial.

Felizmente há negros que não se deixam contagiar pelos dogmas do vitimismo. Estes sim, são negros com orgulho de ser negros, e não bestas que dizem que têm orgulho de ser negros mas que depois andam sempre com choradinhos, com a conversa das injustiças, discriminações, opressão dos brancos, etc.

O Trump lá voltou a ganhar mais uma batalha. É para continuar assim. O mundo dos idiotas úteis não o querem ver a ser eleito. Temos pena. Se for esta a vontade da população norte-americana, eles vão ter de engolir isso bem engolidinho. Pelo menos lá nos EUA não há a hipótese de alguém que não foi eleito pela maioria mandar, como aconteceu em Portugal.