sexta-feira, 25 de março de 2016

A arte urbana de Alexandre Farto, vulgo Vhils

O artista urbano português Alexandre Farto, mais conhecido no mundo artístico por Vhils, esteve em Hong Kong onde apresentou o seu trabalho conforme podemos ver nas imagens que se seguem. A sua técnica é criar imagens através de camadas. "Eu trabalho muito com elementos caóticos da cidade... é quase um trabalho de arqueólogo", disse Vhils, de 28 anos, ao jornal South China Morning Post. "Em vez de pintar com tintas, eu pinto com camadas. Tento reflecti-los expondo-os... Quando você escava uma parede isso reflecte mesmo a história da cidade. Se a história é recente, a parede é lisa, não tem muitas camadas, e isso tem um significado também".










Em entrevista à TDM, Vhils disse que gostaria também de deixar a sua marca em Macau.

2 comentários:

Adilson disse...

Particularmente não gosto (no sentido de ter interesse real) de artes contemporânea. Mas de qualquer forma eu admiro a aplicação n trabalho e a dedicação de artista como Alexandre Farto. Certamente não o acompanho, mas pelas imagens percebe-se um trabalho interessante. É mais confortante e animador vermos as imagens criadas pelo Alexandre do que olharmos o lixo que os museus de "artes" modernas e contemporâneas colocam em exposição aqui no Brasil. Enfim, parabéns à criatividade do Alexandre!

Abraço.

FireHead disse...

O Vhils começou como muitos artistas urbanos: na clandestinidade. Ele confessou que fazia destas coisas nos comboios. Eu gosto desta arte nos sítios próprios, ou seja, lugares destinados ao efeito. Doutra forma trata-se de um crime de vandalismo.

Neste caso, ele esteve em Hong Kong porque quiseram-no lá.