domingo, 31 de maio de 2015

A FIFA é corrupta?


O suíço mandão da FIFA, Joseph Blatter, voltou a ser eleito presidente do organismo que superintende o futebol mundial pela quinta vez numa altura em que a FIFA está a ser acusada de corrupção com o maior escândalo de sempre da história do futebol que resultou na prisão de sete dirigentes de alto escalão. O seu concorrente, o príncipe da Jordânia Ali Bin Al Hussein, que tinha o forte apoio de carolas como o Michel Platini, presidente da não menos corrupta UEFA, acabou por desistir depois de ter sido derrotado nas urnas. "Não se pode liderar a FIFA fazendo tábua rasa das mais elementares regras de transparência, legalidade e democracia. Elas não estavam reunidas, como denunciei e se verificou", comentou assim Luís Figo, que também pensou em concorrer à presidência da FIFA, sobre a reeleição de Joseph Blatter.


Ora, onde é que está a novidade? Como é que a FIFA não há-de ser corrupta se não reconhece como troféu oficial a Taça Latina, que ironicamente também não é reconhecida por AC Milan que a venceu duas vezes, ao contrário dos vencedores Benfica, Real Madrid, Barcelona e Stade de Reims, mas reconhece a Taça Intercontinental que não é nem nunca foi oficial? É que a Taça Latina, a precursora da Taça dos Campeões Europeus (actual Liga dos Campeões), era organizada a nível oficial entre 1949 a 1957 pelas federações portuguesa, espanhola, italiana e francesa de futebol, tendo até Jules Rimet (que teve a iniciativa de realizar o campeonato do mundo de futebol entre selecções) e Ottorino Barassi (apenas e só o criador da UEFA) participado na criação da competição. Além do mais, a história da Taça dos Campeões Europeus cita a Taça Latina e também a Taça Mitropa (o equivalente à Taça Latina para a Europa Central). Já a Taça Intercontinental nunca passou de um troféu simbólico (desde quando é que o vencedor entre duas equipas, uma europeia e outra sul-americana, é o campeão do mundo??), ainda para mais depois de 1980 quando passou a ser também designada Taça Europeia/Sul-Americana Toyota e passou a ser disputada num só jogo no Japão, tendo até alguns campeões europeus chegado a prescindir de disputar o jogo no Japão por não darem importância nenhuma a esse troféu (em 1974, por exemplo, o Atlético de Madrid conquistou o troféu por desistência do campeão europeu Bayern de Munique). A própria FIFA, hipócrita, nunca considerou a Taça Intercontinental senão uma "Taça Europeia/Sul-Americana amistosa", tendo inclusive chegado a proibir a sua realização em 1961, até criar em 2000 o Mundial de Clubes da FIFA com a inclusão dos campeões das diferentes confederações continentais (isso sim, uma competição mundial oficial entre clubes porque é organizada pela própria FIFA), portanto como pode a Taça Intercontinental ser estupidamente contabilizada como título no palmarés dos que a venceram?!


Agora que dizem que o Benfica recuperou o trono como o clube português com mais títulos depois de ter supostamente conquistado o seu 75.º troféu (Taça da Liga), é conveniente e também pertinente salientar que o Benfica na verdade tem agora 76 títulos, ao passo que o seu maior concorrente na verdade deveria ter 72 títulos e não 74 porque dois deles são precisamente Taças Intercontinentais... da Toyota. O maior rival do Benfica bem que pode agradecer à corrupta FIFA por isso.

Macau está pior que a Grécia?


Sim, é isso que diz a Bloomberg. A queda vertiginosa das receitas da indústria do Jogo, devido à política contra a corrupção decretada pelo presidente chinês Xi Jinping e agora também por causa da proibição do tabaco nos casinos, fez mesmo com que Macau tivesse a pior performance económica como nunca nenhum país europeu alguma vez teve! A dependência do Jogo deixou a economia da antiga colónia portuguesa numa situação vulnerável e esta apreciação internacional (norte-americana) levou a que o economista Albano Martins (à esquerda na foto), que por acaso também é o presidente da ANIMA (uma associação macaense de defesa dos direitos dos animais), a considerasse irrealista durante o telejornal de ontem à noite. De facto há muita gente que acredita que a situação económica actual de Macau (queda de mais de 50% das receitas verificadas ainda não há muito tempo atrás) que já dura há quase um ano não justifica alarmismos nem histerismos, alegando que Macau continua a ter imenso dinheiro nos cofres e que os novos casinos farão com que as receitas voltem a aumentar. Só achei foi imensa graça o Albano Martins usar o termo "nós" quando se referia à performance económica de Macau. Que eu saiba, Macau não é Portugal...

«O regime de obrigatoriedade não nos parece um bom princípio»


O primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, falou sobre a situação do acolhimento obrigatório dos 40 mil refugiados imposto pela maçónica União Europeia aos Estados-membros no final da III Cimeira Luso-Tunisina que decorreu no Palácio das Necessidades, em Lisboa. Sobre o facto de Portugal poder vir a ter de receber 2400 imigrantes ilegais, na sua maioria muçulmanos, nos próximos dois anos, Passos Coelho disse: "A proposta que foi feita pela Comissão (Europeia) precisa de ser melhor temperada, justamente atendendo às condições que nomeadamente Portugal e outros países enfrentam, sobretudo quando temos em linha de conta o elevado desemprego que ainda se regista em Portugal". Sem se esquecer dos portugueses que emigraram "durante estes anos de maior dificuldade", o chefe do Governo afirmou ter a certeza que, "à medida que formos recuperando a economia e o emprego", o país precisará "desde logo" acolher mais portugueses que "tiveram de procurar outras economias". Considerando que "a Europa tem de fazer mais, e Portugal também está disposto a fazer mais e a acolher mais refugiados e mais imigrantes, mas reflectindo evidentemente as suas condições económicas e financeiras", Passos Coelho afirmou que vai levar a discussão ao Conselho Europeu, "certos de que em primeiro lugar não nos parece bom princípio de obrigar quer os países quer as pessoas que precisam de acolhimento a ficarem obrigadas a um determinado regime durante um determinado tempo. O regime de obrigatoriedade não nos parece um bom princípio".
Não é, evidentemente, aquilo que a grande maioria dos nacionalistas gostaria de ouvir, pois não aborda a questão da quantidade de imigrantes em si e também dos problemas que muitos deles causam tanto a nível da criminalidade como também em termos visuais (só para não falar doutras coisas mais graves como a descaracterização do mosaico demográfico europeu ou da islamização), mas ainda assim destaco um aspecto positivo da posição do primeiro-ministro que é a ideia de que é preciso arrumar a nossa casa primeiro. Eu sempre votei desde que tenho o direito de votar e voltarei a votar no CDS-PP, desta vez a partir do Consulado-Geral de Portugal em Macau, que é para manter o Pedro Passos Coelho no poder por causa da coligação de Direita.

Ilegais invadem ilha grega de Kos

Milhares de imigrantes muçulmanos ilegais da Síria e do Afeganistão, cerca de 6000, estão a invadir a ilha grega de Kos (Κως), transformando-a num esgoto islâmico a céu aberto. A ilha é muito procurada por turistas, mas por este andar muito possivelmente vai deixar de ser um spot turístico.
De acordo com o UK Daily Mail, a enfermeira Anne Servante, de Manchester, contou a experiência que teve quando foi juntamente com o seu marido, um canalizador reformado, para um restaurante comer e repararam ambos que os imigrantes ilegais estavam sentados fora do restaurante a vê-los comer. "Nós já cá vimos há quase 10 anos. Gostamos de comer, beber e relaxar. Mas desta vez o ambiente mudou. Está muito sujo e confuso aqui agora. E é embaraçoso. Não vou a um restaurante com potenciais terroristas a olharem para mim", disse Anne Servante. "É nojento!"
Um outro casal, de Birmingham, que levou para Kos os seus netos, disse: "Nós nunca cá tínhamos estado antes e não gostámos. Não voltaremos para cá se continuar a ser um campo de refugiados no próximo ano".
Louis Laro, da Holanda, disse: "Nós não estamos contentes por ver isto. Isto faz-nos ver o que é que vai ser desta região e o que é que vai ser da Europa daqui a alguns meses. Eles não podem ficar na Grécia".


A dona de uma loja em Kos de nome Caroline Ryderkerk (um nome pouco grego, mas pronto...) disse: "É terrível para as pessoas que perderam os seus lares mas ao mesmo tempo eles estão a causar problemas às pessoas que têm lojas e restaurantes. Algumas pessoas se afastam porque não sabem como agir". E acrescentou que estes refugiados só complicam ainda mais as coisas numa altura em que a Grécia se encontra mergulhada numa profunda crise, com a hipótese de poder vir a sair do euro. "A ilha já está em apuros. As pessoas são simpáticas - elas dão-lhes cobertores, mas elas também já têm pouco para elas próprias. Não podes partilhar o que não tens".


Muitos desses imigrantes ilegais chegam de Bodrum, da Turquia, em alguns dos casos acompanhados pela guarda costeira turca e grega. Só não se percebe lá muito bem porque é que esses muçulmanos em vez de permanecerem na Turquia, que é muçulmana, preferem ir para países de tradição cristã. Talvez saibam muito bem que é nesses países que podem chular e ainda têm a possibilidade de islamizar...


O imigrante ilegal Sani Saleh, um professor de informática natural de Damasco, afirmou que quer ir para o Reino Unido porque conhece muita gente lá. "Eu falo inglês. Tive uma namorada inglesa de Birmingham entre 1991 e 1994. Ela foi o amor da minha vida", disse Sani.
Outro que quer ir para o Reino Unido é o dentista Jihad Naif (mas que nome!), de Raqqa. Disse ele que o seu primo foi decapitado pelo Estado Islâmico. "Há muitas regras lá agora. Tornou-se numa cidade muito assombrosa. Não podes usar jeans, não podes fumar, não podes ouvir música".


Estas imagens que vós vedes são o cenário desejado pelos amigos apátridas dos refugiados, aqueles que não olham aos meios para justificarem os seus fins que são colocar o máximo de imigrantes ilegais na Europa, como por exemplo em Portugal, de modo a sobrecarregar ainda mais os contribuintes que, juntamente com o restante povo, poderão vir a sofrer na pele com a estadia desses alógenos. Em vez de se combater o problema da imigração ilegal - que é um crime! -, tipo desmantelando as redes de tráfico humano e impedindo que eles fujam dos seus países, faz-se precisamente o contrário: aceita-se e sustenta-se os imigrantes ilegais - que são criminosos só pelo simples facto de estarem ilegamente na Europa -, fomentando ainda mais a imigração ilegal quando o que não falta na Europa são cidadãos europeus que precisam de ser ajudados!

Índia: vaga de calor já matou mais de 2000 pessoas


A Índia está a ser fustigada por uma grande vaga de calor que já vitimou mais de 2000 pessoas nas últimas semanas. As temperaturas estão a rondar os 50º C e ainda não há previsões de qualquer descida. O sul do país está a ser mais afectado, principalmente nos estados de Andhra Pradesh e Telangana. Os hospitais não têm mãos a medir e o governo indiano já pediu ajuda a várias ONG para conseguir assegurar água a todos os habitantes para não morrerem desidratados.
É normal morrerem centenas de pessoas na Índia nesta época do ano devido ao calor, mas este ano o número de mortos já bateu todos os recordes, pois esta vaga de calor é das piores dos últimos 20 anos.

Peregrinação do Técnico a Fátima


Um grupo de 60 estudantes do Instituto Superior Técnico (IST), o maior estabelecimento de ensino de ciência e de enganharia de Portugal, pôs-se a caminho de Fátima a meio deste mês.
Muita gente pensa erroneamente que no Técnico o ateísmo e o agnosticismo dão imenso ar da sua graça, mas, como disse um professor da instituição, o Técnico na verdade até é uma faculdade propícia à conversão. O motivo? O estudo rigoroso que se faz da Natureza. Em 2010 o Técnico começou a fazer missões, tendo alcançado o estatuto de faculdade que mais missões faz em Portugal este ano. Aliás, o famoso milagre do Sol, o milagre que aconteceu em Fátima, foi objecto de estudo por parte de estudantes de Física e de Matemática, que deram início a esta peregrinação após uma conferência em que se questionava e compreendia esse mesmo milagre.
Este tipo de notícias na verdade só surpreende os ignorantes e os malformados que não sabem que, para além de ter fundado a instituição que dá pelo nome de Universidade, a Igreja Católica proporcionou o desenvolvimento da ciência através da dessacralização da Natureza e do desenvolvimento do método científico. Quem acredita que a Igreja impediu o progresso da ciência e é contra o saber foi muito bem enganado pelos seus donos.

Anselmo Borges e a maçonaria

“No quadro dos autênticos ideais maçónicos – liberdade, democracia, companheirismo, fraternidade, humanismo, espiritualidade, aperfeiçoamento interior -, não vejo porque é que há-de haver conflito entre ser católico e maçon.” 

Ou o Anselmo Borges escreve por má-fé, ou é ingénuo; mas como não me pareça que ele seja imberbe, só pode ser de má-fé — desde logo porque a maçonaria é uma religião: possui templos; altares; código moral; rituais de adoração; vestimentas e apetrechos para os ritos; dias festivos; hierarquia; rituais de iniciação; rituais fúnebres; promessas de eterna recompensa e/ou punição. 
Se essas não são características de uma religião, qualquer Anselmo Borges que o negue só pode ser burro. Talvez o Anselmo Borges possa alegar que não conhece o verdadeiro conteúdo da doutrina maçónica, uma vez que a ele (e a outros) só é permitido assistir a “sessões brancas”. Mas essa ignorância dele não pode servir de justificação para defender a ideia segundo a qual um católico pode ser simultaneamente maçon, ou muçulmano, ou budista, etc.
Há pelo menos dois protagonistas ditos “católicos”, Anselmo Borges e Frei Bento Domingues, que são pagos por pasquins portugueses para escrever umas coisas. São mercenários a soldo dos me®dia. E portanto têm que alimentar a polémica (a telenovela) do “papa Francisco” que usa o preconceito do mundo em relação à Igreja contra a própria Igreja.


Fonte: perspectivas

sábado, 30 de maio de 2015

Uma nova Cruzada para derrotar o islão!

video

Factos históricos para os muçulmanos e para os esquerdalhos traidores ou simples detractores anticristãos primários: a primeira Cruzada começou em 1095.
  • 460 anos depois da primeira cidade cristã ser tomada pelos muçulmanos.
  • 457 anos depois de Jerusalém ter sido conquistado pelos muçulmanos.
  • 453 anos depois do Egipto cristão ter sido conquistado pelos muçulmanos.
  • 443 anos depois de os muçulmanos terem atacado a Itália pela primeira vez.
  • 427 anos depois do ataque muçulmano a Constantinopla, actual Istambul.
  • 380 anos depois da Península Ibérica cristã ter sido conquistada pelos muçulmanos.
  • 363 anos depois de a França ter sido atacada pelos muçulmanos.
  • 249 anos depois da capital da Cristandade, Roma, ter sido atacada pelos muçulmanos.
  • Após centenas de anos de destruição muçulmana nas terras outrora cristãs, culminada com escravização, conversão forçada, genocídio, etc., começaram finalmente as Cruzadas. Nessa altura os muçulmanos já tinham conquistado 2/3 do mundo cristão.
E depois ainda há bestas quadradas que falam mal das Cruzadas! Que cambada de cachorros vira-latas ingratos!

Vida simples para a mimada da Malia Obama


O jovem advogado queniano Felix Kiprono diz que está apaixonado pela Malia Obama, a filha de 16 anos do Barack Hussein Obama, e está disposto a oferecer 50 vacas, 70 ovelhas e 30 cabras ao presidente mulato dos Estados Unidos em troca da mão da rapariga que, segundo consta, é mimada e recebeu um automóvel como prenda do seu 16.º aniversário apesar de em Washington DC a idade mínima para conduzir ser os 17 anos (estará o clã Obama acima da lei?). "Eu não saí com ninguém desde que prometi ser-lhe fiel. Contei à minha família e eles estão dispostos a ajudar-me a reunir o preço a oferecer pela rapariga", disse Felix ao jornal The Nairobian. "As pessoas podem pensar que eu estou interessado no dinheiro da família, mas este não é o caso. O meu amor é real", garantiu, acrescentando que quer "uma vida simples" com a Malia. "Vou ensinar a Malia a ordenhar uma vaca, cozinhar ugali (papas de milho) e preparar mursik (leite azedo tradicional) como todas as outras mulheres (da etnia queniana) kalenjin". A avó do Barack Hussein Obama, ou seja, a bisavó da Malia, ainda é viva e vive precisamente no Quénia, em Kogelo.
Será que a mimada da Malia vai aceitar regressar às suas raízes? Não percam o próximo episódio porque nós... também não!

Polícia sueca reconhece que discriminou homens brancos


Na Suécia, a Polícia admitiu ter negado e tentado esconder a situação em torno da discriminação sexual e étnica na admissão à academia, estando agora condenada a pagar uma indemnização a quatro homens brancos que foram alvos de discriminação. A razão dada pela Polícia é que há na academia desde muito há muito tempo "quotas de admissão de mulheres e migrantes". Portanto, apesar de 2/3 dos pretendentes serem homens, e apesar de terem melhores notas nos testes físicos e de língua, as mulheres obtiveram metade de lugares. "O que aconteceu é muito importante. A Polícia confessou oficialmente que tinha admitido descriminação sexual e étnica. Iiremos vigiar o assunto para que isto não se repita na Polícia ou em qualquer outro lugar", afirmou Clarence Crafoord, chefe do Centro de Justiça e advogado neste caso. As leis na Suécia que lutam contra discriminação obrigam as organizações a introduzir quotas de admissão de representantes de camadas vulneráveis da sociedade, inclusive, por exemplo, migrantes, o que prejudica os direitos dos representantes decentes da maioria, privando-os da possibilidade de concorrer com os pretendentes privilegiados de igual para igual. Conclui-se assim que a luta contra discriminação ironicamente gera discriminação.
A Suécia está cada vez mais a caminhar rumo à decadência total. Não há dúvida absolutamente nenhuma que ajudar os outros é sempre bom e bonito, mas isso só na condição de os direitos dos nossos estarem primeira e devidamente salvaguardados. Na Suécia os suecos é que precisam de ter prioridade em tudo, tal como em Portugal a prioridade deveria ser sempre dada aos cidadãos portugueses. Primeiro os nossos e só depois, se puder, aí sim, os outros.

Tibetana imola-se mortalmente


Na província autónoma chinesa do Tibete, uma mãe de dois filhos, Sangye Tso, de 36 anos, incendiou-se a si própria até à morte em frente ao mais importante complexo budista tibetano de Zhouni, na província de Gansu, como forma de protesto contra as alegadas políticas de opressão cultural, religiosa e linguística imposta por Pequim aos tibetanos. Isso foi no passado dia 20 e, de acordo com a Radio Free Asia, a imprensa local e os grupos de defesa dos Direitos Humanos não confirmaram que a morte da mulher se deveu a esse motivo. Desde 2009 já morreram dessa maneira 141 tibetanos, que acusam o Governo Central Chinês de repreender o budismo tibetano e promover medidas que contribuem para a erosão da língua e cultura tibetanas, numa altura em que o povo han, a principal e dominante etnia chinesa, continua a crescer, principalmente em zonas históricas da província. Pequim, por sua vez, condena o Dalai Lama pelo aumento do número de suicídios pelo fogo. Já este neste momento prefere criticar a líder da oposição do Myanmar, Aung San Suu Kyi, por até agora não se ter pronunciado publicamente sobre a perseguição ao povo muçulmano dos rohingya no Myanmar, que por sua vez provocou uma inédita crise de refugiados no Golfo de Bengala e no Mar de Andaman. "É muito triste. No caso birmanês, espero que Aung San Suu Kyi, como laureada Nobel, possa fazer alguma coisa", disse o Dalai Lama ao jornal The Australian.
Será que o Dalai Lama está mais preocupado com uma cambada de muçulmanos selvagens que já causaram muitos dissabores às pessoas da sua seita (budismo), não apenas no Myanmar como também na Tailândia, do que com os seus próprios camaradas tibetanos? Um Nobel da treta, enfim.

«Vocês estão fodidos»

video

O actor americano Robert de Niro esteve presente na cerimónia de graduação da universidade de artes nova-iorquina de Tisch onde proferiu um impressionante discurso, no passado dia 22. Depois de dar os parabéns aos licenciados, Robert de Niro disse que "vocês estão fodidos" por terem aberto "a porta da rejeição para toda a vida". Ainda assim, defendeu que, no caso das artes, a paixão supera o senso comum porque não se trata da "primeira escolha", mas sim da "única", e que "vocês precisam de continuar a trabalhar". "Eu sei que vocês conseguem. Break a leg (boa merda, ou seja, boa sorte, como se diz no mundo artístico)", afirmou o actor. A reacção foi positiva: "Eu digo a mim própria que eu estou fodida", disse Valerie Lee, de 24 anos. "Ele só estava a ser honesto", afirmou por sua vez Jamie Jensen, de 22 anos.

Sai mais um triplete!

video

Sem grandes surpresas, conquistámos a nossa 6.ª Taça da Liga em oito edições desta jovem e interessante competição nacional e conseguimos mais um triplete.

Tirando o Benfica, apenas o Vitória de Setúbal e o Sporting de Braga têm a Taça da Liga
No Estádio Cidade de Coimbra, e em jogo transmitido em directo na TVI, que eu assisti via Internet a partir das 2:45 aqui em Macau, dominámos o jogo praticamente desde o primeiro minuto, chegámos à vantagem por intermédio do suspeito Jonas aos 37', mas o Marítimo empatou, já reduzido a 10 unidades, na segunda parte por João Diogo, aos 56'. Depois de um autêntico festival de golos perdidos, Ola John, saído do banco, fez justiça ao apontar o golo da vitória aos 80', num lance com grande intervenção de Jonas. O brasileiro acabou por ser eleito o melhor em campo e foi também o melhor marcador da prova, com cinco golos. "Cumprimos um dos objectivos da temporada", afirmou Jonas no final do jogo.

A grande festa começou com a conquista do bicampeonato...
Jorge Jesus, o técnico que entrou para a história por ser o treinador que mais títulos conquistou ao comando da nossa equipa, disse que há muito tempo para decidir em relação ao seu futuro. "Há muito tempo para decidir. Terminou a época e ganhámos quatro dos três troféus, pelo que apenas não ganhámos a Taça de Portugal. Voltámos a conquistar três títulos e os jogadores do Benfica estão de parabéns. A minha vontade não passa apenas por uma pessoa. Hoje estamos em festa, temos três ou quatro dias para juntarmos as ideias todas, o presidente e a equipa técnica e vamos ver o que vai acontecer". O capitão Luisão falou do crescimento que o clube está a ter ao longo dos últimos anos graças ao treinador, que é "de topo" e "o melhor" que já teve.

... que teve nova passagem obrigatória pela câmara municipal de Lisboa a meio da semana
E pronto, terminou assim mais uma época que até pode ser considerada bem sucedida se não fosse a eliminação precoce da Taça de Portugal em casa aos pés do Sporting de Braga que pouco fez para merecer estar agora na final do Jamor. Recordemos que no início da época muitos foram os profetas da desgraça que vaticinaram que não íamos longe, sobretudo depois das saídas de muitos dos nossos influentes craques em 2013/14, dos resultados pouco famosos na pré-época e também das supostamente grandes contratações do nosso principal rival para ter uma super equipa, a mais forte do mundo e dos arredores, e que não nos daria hipóteses nenhumas. Este triplete é mais um sinal do esforço, da dedicação, da humildade, e acima de tudo da nossa grandeza, contra tudo e contra todos. Ah, e quanto aos que falam mal da Taça da Liga e que constantemente a desdenham, como todos aqueles que dizem tratar-se da Taça Lucílio Baptista ou Taça Benfica, o que é que há a dizer? Que sempre é melhor uma taça destas do que por exemplo uma Supertaça Pinto da Costa.

Os títulos desta época: 5.ª Supertaça, 34.ª Liga e 6.ª Taça da Liga
Viva o Benfica, per saecula saeculorum!!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Sevilha, o papa-Liga Europa


Não há três sem quatro: os espanhóis do Sevilha entraram para a história ao tornarem-se na primeira equipa a ganhar quatro vezes a Liga Europa, ex-Taça UEFA, depois de baterem na final de Varsóvia uns estranhos ucranianos do Dnipro (Futebol Clube «Dnipro» Dnipropetrovsk; Футбо́льний Клуб «Дніпро́» Дніпропетро́вськ) por 3-2. A equipa onde alinham os portugueses Daniel Carriço, Diogo Figueiras e o guarda-redes batoteiro Beto ganhou também o troféu pela segunda vez consecutiva, pois todos nós nos lembramos muito bem que na época passada sofreu a bom sofrer para ganhar ao Benfica nas grandes penalidades depois de um tal árbitro alemão de nome Felix Brych ter feito todos os possíveis e os impossíveis para impedir o actual bicampeão português de ganhar o título (leiam, já agora, o que é a que a Wikipédia diz dele) e proporcionar uma enorme alegria aos antis que começaram a habituar-se a ver o Benfica a conquistar mais títulos. Os ucranianos ainda chegaram a estar em vantagem, golo do croata Kalinić, mas o polaco Krychowiak e o colombiano Carlos Bacca deram a volta ao marcador. O ucraniano Rotan ainda igualou a partida antes do descanso, mas no segundo tempo Bacca bisou e o score não mais sofreu alterações até o apito final. O Sevilha, sem hipóteses de lutar pelo campeonato espanhol, apostou todas as suas fichas uma vez mais na Liga Europa e conseguiu assim por esta via a qualificação para a Liga dos Campeões da próxima época (a Espanha colocou cinco equipas na principal prova europeia!).

A última tribo canibal do mundo


Segundo esta fonte, é na Papua Nova Guiné que habita o último povo canibal do mundo, os Korowai, de cerca de 3000 pessoas. Os Korowai vivem em cabanas suspensas nas árvores e praticam o canibalismo como uma questão "religiosa", pois a "religião" Korowai, pagã (animista) pois com certeza, retrata o universo empestado de espíritos de todos os tipos, sendo o principal de todos eles o espírito criador, Ginol Silamtena. Porcos costumam ser sacrificados em honra desses espíritos e há a crença na reencarnação, mas parece que ela só existe no e para o seu povo. A morte de alguém é uma forma de alimentar o resto da tribo, um "sinal divino" para se livrar do "demónio" Khukua, que é na verdade o nome que os Korowai dá às doenças que matam as pessoas porque o quadro conceptual deles exclui simplesmente a palavra 'doença'. Apesar do canibalismo ser um crime na Papua Nova Guiné entre os verdadeiramente civilizados, claro está, os Korowai fazem questão de se agarrar à sua idolatria. Essas tretas continuariam possivelmente a existir nos dias de hoje em outras partes do mundo se o Cristianismo não se tivesse imposto.
Só de pensar que hoje em dia há quem advogue o regresso do paganismo ao mundo civilizado até me dá náuseas. Afinal de contas, é um facto que o Santo Ofício está mesmo a fazer falta.

Homem ataca ursa


No jardim zoológico municipal de Varsóvia, na Polónia, um homem, aparentemente bêbedo ou sob efeito de alguma droga, pulou a cerca e foi ter com uma ursa, o que deixou perplexas as pessoas que assistiram à cena. A ursa reagiu e mordeu-lhe de imediato a mão, o que levou o homem a espancá-la com os punhos. Segundo Maria Krakowiak, funcionária do zoo, aparentemente o homem aproximou-se da ursa para a agredir assim sem mais nem menos e teve muita sorte por a Sabina, assim se chama a ursa, ser geralmente muito "meiga". O homem sobreviveu, "mas não sabemos para onde foi", tendo já a polícia no seu encalço. "Se fosse um outro urso, provavelmente a história seria diferente", rematou a mulher.
Se o urso branco de duas patas não fosse estúpido, nada disso teria acontecido. Essa é que é essa.

Macau está melhor que Goa


Em termos de preservação da herança patrimonial portuguesa, Macau está melhor que Goa. É o que afirmam o jornalista do diário The Times of India, Andrew Pereira, e Shannon D'Cruz, um especialista em informática, ambos com raízes luso-goesas. "No meu entender, a China percebeu a importância de Macau como ponte para os países de língua portuguesa. Segundo a minha percepção como visitante (em Macau), os monumentos estão bem preservados e as ruas asseadas. Pelo que vi, o governo de Macau tem feito melhor trabalho do que o de Goa", começou por afirmar Andrew ao semanário católico macaense O Clarim. "Contudo, somos bastante melhores em termos de hospitalidade do que as pessoas de Macau. Os goeses são mais amigáveis, talvez em resultado do legado deixado pelos portugueses. Pelo contrário, em Macau as pessoas pouco nos ajudaram quando solicitámos ajuda. No ponto de vista turístico penso que Macau pode fazer muito melhor em termos de hospitalidade. A polícia foi muito prestável. O inglês dos polícias foi suficiente para nos entendermos. Tentaram ajudar-nos. Já os condutores de autocarros não foram nada prestáveis. Alguns foram mesmo rudes. Talvez seja algo da própria cultura, porque durante muito tempo a China foi um país fechado", continuou. Para Shannon, que por acaso nasceu no Kuwait antes de rumar para a terra dos seus pais que é Goa, "é notável que o legado cultural português tem sido bem preservado. Basta olhar à volta e percebe-se que este lugar foi território português. É uma mistura extremamente rica entre as culturas portuguesa e chinesa", referindo que "Goa era um local muito bonito durante a administração portuguesa, mas agora está horrível", pois "dá a sensação que os portugueses nunca estiveram em Goa, porque embora haja legado histórico é preciso ir à 'caça' dele, o que não acontece em Macau".
Pois é, a União Indiana apenas destruiu importante património da Humanidade depois de ter invadido Goa e expulsado de lá os portugueses, tal como os comunistas chineses estão fartos de destruir partes da sua própria grande identidade multiétnica, multilinguística e multicultural, bem como as suas tradições desde que chegaram ao poder em 1949. Macau por acaso ainda lá vai resistindo, e o facto do antigo território português ser considerado património mundial da UNESCO vai ajudando, mas resta saber por quanto mais tempo.

Dias contados para a Associação Patriótica?

A aparente perda de influência da Associação Patriótica, que deixou de reconhecer a autoridade papal e rompeu relações com a Santa Sé após a vitória do comunismo na China, deve-se à aproximação do Papa Francisco ao presidente chinês, Xi Jinping e ao combate à corrupção no país. Xi Jinping está a conseguir fazer aquilo que Deng Xiaoping nunca conseguiu fazer nos anos 80 do século passado, que é retirar peso institucional a essa amálgama de "católicos" dissidentes que têm a pátria chinesa em primeiro lugar antes de Deus.
A Associação Patriótica surgiu precisamente depois da revolução cultural, o que permitiu a nacionalização de todo o espólio da Igreja Católica que foi entregue a quem viria pouco tempo depois a fundá-la, sob a alçada do governo e sempre com elevada autonomia. Daí para a corrupção foi um pequeno passo, mas com a política anti-corrupção decretada por Xi Jinping, combate em que não há filhos nem enteados, a Associação Patriótica, que sempre conseguiu boicotar qualquer sinal de avanço entre Pequim e o Vaticano, deixou de estar imune ao poder judicial. É por isso que agora podemos por exemplo ouvir o bispo de Fenyang, D. Johannes Huo Cheng, da província de Shanxi e reconhecido pelo Vaticano, afirmar ao Vatican Insider que não existe uma Igreja oficial e uma Igreja clandestina na China e desvaloriza a Associação Patriótica, criticando mesmo todos aqueles que se dizem católicos e que não seguem o primado de São Pedro. O bispo chinês acrescentou que a acção evangelizadora levada a cabo pela sua diocese já começou a dar os seus primeiros frutos junto de comunidades onde até há bem pouco tempo nunca tinham ouvido falar da Igreja Católica, dando também a entender que por este andar é de prever que mais sacerdotes se libertem das amarras da Associação Patriótica e vivam em plena comunhão com o Papa... com o consentimento do Governo Central.
"Só há uma Igreja na China. Mesmo a ideia de que a Igreja está subordinada ao governo chinês não é totalmente verdadeira. O que acontece é que alguns estão subordinados ou deixam-se subordinar com o intuito de obterem benefícios e apoio material. Também é verdade que se querem construir uma qualquer infra-estrutura têm de contactar o governo, mas há muitos poucos que são de facto dominados internamente pelo poder político. A grande maioria é fiel à Igreja Apostólica", garantiu o bispo, que também abordou a vontade de haver um diálogo entre o Papa Francisco e Xi Jinping: "A vontade foi também expressa com o objectivo de ser concedida à Igreja na China mais meios para melhor cumprir o serviço pastoral. O Papa tem dado alguns passos em direcção à China. Estamos contentes e ansiamos ver os frutos dessa aproximação". "É fácil seguir e obedecer ao magistério do Papa. Desde a sua eleição que sou conduzido pelas suas homilias e ensinamentos. É o meu pão diário. Todos os dias leio as suas palavras, que envio para os meus padres. Considero particularmente importante que (o Papa) pergunte como podemos sair de nós mesmos. Devemos segui-lo. Actualmente a 'cultura do encontro' é também vital para a China. Ele é disso um exemplo, atraindo o interesse das pessoas e o carinho do mundo inteiro. É persuasivo, exortando-nos a amar os mais pobres e a fomentar a paz".
Na última quadra pascal foram baptizados mais de 350 adultos a rondar os 40 anos de idade na diocese de Fenyang (em Guangzhou foram mais de 100 e em Hong Kong mais de 4000). Este foi o resultado de um "trabalho desenvolvido pelos padres e leigos junto dos bairros, das cidades e das vilas, na propagação do Evangelho". A cidade de Lan Xian é prova deste esforço, dado que este ano, pela primeira vez, contribuiu para o baptismo de 19 novos cristãos e para mais de dez catecúmenos. "As próprias pessoas já desvendaram a mentira de que a religião é o ópio do povo", referiu o prelado. Para além da evangelização, a diocese de Fenyang está empenhada na irradiação da pobreza, indo também assim ao encontro dos ensinamentos de Jesus Cristo.
É bom saber que, enquanto o Catolicismo definha no Ocidente por culpa dos traidores (e é por causa disso que o Ocidente vai deixando de ser o centro do mundo), no resto do mundo ele cresce pujante e de maneira imparável. Deo Gratias!

O Papa Francisco é herético e ele próprio o diz!


O Papa Francisco enviou uma perturbante mensagem de vídeo ao evento protestante que se realizou em Phoenix, EUA, no passado dia 23 por ocasião do Dia da Unidade Cristã. Expressando-se em espanhol, o que desde logo tira uma grande possibilidade de ter sido filtrado devido às traduções, o infeliz Sumo Pontífice manifestou o desejo de se unir aos protestantes no evento, "rezando conjuntamente pela graça da unidade". 
"Queridos irmãos e irmãs, a divisão é uma ferida no corpo da Igreja de Cristo. E nós não queremos que essa ferida se mantenha aberta. A divisão é um trabalho do pai das mentiras, do pai da discórdia, que faz tudo o que é possível para nos manter divididos", podia-se ouvir na mensagem do Papa, que logo de seguida reconheceu que diz coisas controversas e até mesmo heréticas, antes de falar da perseguição aos cristãos no mundo. "Ele (Deus) sabe que os cristãos são os discípulos de Cristo: que eles são só um, que eles são irmãos! Ele não quer saber se são evangélicos, ortodoxos, luteranos, católicos ou apostólicos... Ele não quer saber! Eles são cristãos. E o sangue (do martírio) une. Hoje, queridos irmãos e irmãs, estamos a viver o 'ecumenismo de sangue'. Isso deve encorajar-nos a fazer o que fazemos hoje: rezar, dialogar juntos, encurtar as distâncias entre nós, fortalecer os nossos laços de irmandade", afirmou o Papa.
Como é que um Papa faz questão de ignorar a verdade que diz que só a Igreja Católica é a verdadeira Igreja de Cristo? Como pode um Papa não fazer caso do facto do protestantismo ser mais uma das invenções do diabo? A Igreja que ele chefia ao longo dos séculos definiu inúmeras vezes que só existe uma doutrina cristã a ser seguida, que é a católica, e que fora dela não há salvação, logo os protestantes ou os ortodoxos perseguidos e mortos não são verdadeiramente cristãos porque os cristãos são só os católicos, logo nem mártires eles são sequer! Outra coisa, o que é que vai na cabeça deste Papa para pensar em falar com os protestantes sobre a unidade? Será que para ele é a Igreja Católica que precisa de se aproximar das seitas protestantes em vez do correcto, que é o contrário?
Os católicos inconformados já lançaram na Internet uma petição apelando aos cardeais para averiguarem as barbaridades ditas por este Papa.

Se um futuro Papa ensinar algo contrário à Fé Católica, não o sigam (Papa Pio IX).

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Sim ao "casamento gay" é derrota da humanidade


Sem papas na língua: o cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, afirmou que o 'sim' ao "casamento entre pessoas do mesmo sexo" não é uma derrota para os princípios cristãos, mas sim para a humanidade.
Mas é claro, claríssimo, cristalino, que essa vitória do homofascismo é uma derrota para a humanidade, como é que pode haver dúvidas? O declínio do Cristianismo corresponde ao aumento do grau da podridão na Europa. Ainda bem que o Cristianismo cresce noutras partes do mundo, indiferente à destruição dos valores ocidentais superiormente criados e moldados pela Igreja Católica!

Amarelo e Azul


O quadro que podemos ver na foto foi arrebatado num recente leilão nova-iorquino por 46,5 milhões de dólares. O título do quadro é "Amarelo e Azul" e é da autoria de Mark Rothko, um pintor que se matou em 1970 e que tinha o filósofo Friedrich Nietzsche, cuja vida também não acabou da melhor maneira, como fonte de inspiração. 
Como escreveu o meu amigo João Silveira, do blogue Senza Pagare, "O niilismo de Nietzsche, que inspirou esta 'obra de arte', e tantas que foram produzidas no último século, é um beco sem saída. Como oposição ao Cristianismo, é propriamente a negação da esperança. É a exaltação do pessimismo, que só dura até certo ponto porque quem insistir em percorrer esse caminho normalmente não acaba bem. Precisamos de artistas que nos elevem, que nos façam lembrar que fomos feitos para grandes coisas. Precisamos de artistas que em vez de fazerem obras para exaltar o nada que as façam para exaltar o Tudo. Precisamos de artistas que em vez do banal e do feio nos mostrem o Belo".
O líder do PNR, José Pinto-Coelho, foi mais longe na sua apreciação: "São palhaços pseudo-intelectuais que gozam com os outros palhaços muito ricos que se acham muito intelectuais e profundos. Estão bem uns para os outros e são o espelho da decadência e mediocridade".
Ei, eu também tenho uns rabiscos à venda, caro comprador do "Amarelo e Azul"! A base de licitação de cada um é de 10 milhões de euros.

Erdoğan quer reconstruir o califado otomano!

video

Recentemente, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, prometeu, perante os apoiantes do seu partido (APK), "reconstruir o califado otomano, reconquistar Espanha e Jerusalém, que pertencem aos árabes e não aos judeus", se o partido vencer as eleições no próximo dia 6 de Junho. "Por desgraça, nós os muçulmanos perdemos o nosso objectivo de nos dirigir até Jerusalém. A lágrima dos nossos olhos secou e deixou-nos cegos, e os nossos corações, que estavam destinados a lutar por Jerusalém, estão agora condicionados pelas rivalidades, estando num estado de guerra de uns contra os outros", afirmou Erdoğan em Erzincan, exortando a todos os cidadãos turcos "a levantar as mãos em sinal de súplica pela noite bendita de Alá em que a mesquita de Al-Aqsa de Jerusalém esteja de novo em poder dos muçulmanos" e recordando os feitos de Saladino, o conquistador muçulmano de Jerusalém, e de Tariq Ziad Bin, que conquistou a Al-Andalus (Península Ibérica) e cuja marcha foi travada pelo grande Carlos Martel.
Esta é a liderança de um país muçulmano considerado "laico" e que tem o objectivo de integrar a União Europeia, vontade essa que, aliás, já existe muito antes de Portugal ter formulado o pedido de adesão à então Comunidade Económica Europeia. Não deixa também de ser curioso os principais mé®dia ocidentais não terem feito caso destas palavras de Erdoğan.

3 meses de cadeia por tocar no ombro da polícia


No Dubai, um turista do Cazaquistão apanhou três meses de cadeia e uma multa de cerca de 450 euros depois de ter tocado no ombro de uma polícia. O cazaque, de 49 anos, defendeu-se dizendo que apenas deu um toquezinho no ombro da mulher porque queria pedir-lhe umas informações sobre como chegar a um centro comercial, mas o juiz Mohammad Jamal não foi na conversa e decretou que, depois do turista cumprir a pena, ele será deportado porque cometeu o crime de "assédio sexual".

Alunos derrubam porta sobre a stôra


Na Escola Básica Integrada Miradouro de Alfazina, no Monte de Caparica, Almada, a professora Inês Campos, de 42 anos, ficou com um dedo do pé partido depois de uns alunos da sua turma de 8.º ano terem derrubado a porta da sala de aula. "Um aluno, de 13 anos, recusou responder a uma ficha de avaliação, insistindo em navegar nas redes sociais. Desliguei o computador. Ficou irritado e ameaçou que a mãe iria à escola", disse a docente ao CM. O adolescente só saiu no final da aula e em passo lento. Então, "quatro ou cinco alunos, fora da sala, atiraram-se contra a porta", que tombou sobre o seu pé.
Eis um dos reflexos da educação abrilesca de Portugal! Quanto ao resto, não me apetece generalizar e dizer que os alunos dessa área geográfica são imigrantes ou filhos destes, pois poderia estar a ser injusto. Vai na volta deve haver algum «nativo» entre esses malandrecos, mas a verdade é que o CM não diz nada sobre isso, logo tudo o que podemos fazer é ficarmos a imaginar cenas...

A presa 75 360 de Auschwitz esteve em Portugal


A judia francesa Ida Ginspan, de 85 anos, era a prisioneira 75 360 de Auschwitz, onde passou 16 meses da sua vida até à libertação trazida pelos russos. Em Portugal, Ida proferiu um discurso no auditório da Escola Secundária Rainha Dona Leonor, em Lisboa, aproveitando para falar em tom elogioso do cônsul português de Bordéus Aristides de Sousa Mendes, o "Schindler português" que na verdade não passa de um mito que já foi desmontado por historiadores como o judeu Avraham Milgram e o já falecido José Hermano Saraiva, pelo embaixador João Hall Themido e até mesmo pelo secretário do próprio Aristides, José Seabra, mas pronto... De família polaca, Ida mudou-se para Paris juntamente com os seus pais no início dos anos 20 do século XX. "Naquela altura (Paris) tinha uma aura de liberdade, o que levou os judeus a decidirem ir para lá", recordou a sobrevivente do holocausto no qual ainda hoje em dia os negacionistas não crêem, tal como os testemunhas de Jeová não acreditam que o ser humano já pisou a lua. "Com a invasão alemã muitas escolas foram fechadas, mas a minha não. Por isso os meus pais mandaram-me para o campo. Não por ser judia, nessa altura não sabíamos o que iria acontecer aos judeus em França, mas porque não queriam que eu passasse fome", contou, emocionada, Ida, que foi presa aos 14 anos e escapou à morte por parecer mais velha.
Se o holocausto não passou mesmo de um mito, como é que pode haver vítimas dele?

quarta-feira, 27 de maio de 2015

António Costa: um deserto de ideias


Arnaldo Gonçalves in Crepúculo dos ídolos
Hoje Macau, 20 de Maio de 2015

Esperma mortal


Na capital do Rio Grande do Norte, no Brasil, uma mulher de 28 anos casada há seis anos morreu depois de se ter engasgado com o esperma do seu amante enquanto lhe fazia um broche felácio sexo oral num motel. O amante contou que, ao perceber que ela ter-se-ia engasgado, ligou para os funcionários do motel para pedir ajuda e também para o marido dela, contando tudo. "Corre, vem para cá que a sua mulher está morrendo", disse. A polícia civil abriu um inquérito para apurar o caso.
Preço da traição?

Omaha: alógeno mata polícia


Há uns dias atrás, uma polícia branca, Kerrie Orozco, de 29 anos, morreu depois de ter sido atingida num tiroteio pelo delinquente negro (ou mulato, vá) Marcus Wheeler, de 26, em Omaha, no país do presidente mulato Barack Hussein Obama. Marcus era líder de um gangue e estava a ser perseguido pelas autoridades pelo seu longo cadastro. Kerrie, que tinha marido, Hector, um bebé, Olivia, e dois enteados, Santiago e Natalia, dedicava-se a tentar tirar os jovens da delinquência através do beisebol e tornou-se, infelizmente, na primeira mulher polícia a morrer no cumprimento das suas funções em Omaha. Felizmente para a sociedade, Marcus acabou por esticar também o pernil no hospital, mas ninguém se lembrou de falar, como é óbvio, de racismo.
Rest in peace, officer.

Primeiro-ministro sueco convida toda a Europa para a Suécia


De acordo com o Sputnik, no rescaldo da vitória sueca no festival da Eurovisão, o primeiro-ministro Stefan Löfven usou o Facebook para parabenizar o vencedor, Måns Zelmerlöw, e dizer que para o ano que vem "vamos convidar toda a Europa", dado que o próximo festival será realizado na Suécia, o que provocou uma indignação em muitos cidadãos suecos que já estão fartos da política de portas abertas. "Ah, então toda a Europa? O facto de que já convidamos todo o Médio Oriente e África não é o suficiente para ti", escreveu um dos usuários da rede social. "E eles todos também irão receber subsídios sociais?", escreveu outro. "Toda a Europa? Todo o maldito mundo já aqui está!", verificou um outro. "E os combatentes do EI (Estado Islâmico) irão receber privilégios na Eurovisão? Inscrever-se-ia bem na tua política", questionou alguém, referindo-se alegadamente ao escândalo relacionado com as condições favoráveis criadas pelas autoridades suecas aos jihadistas que regressam à Suécia depois de terem estado a combater do lado do EI. "E os impostos serão suficientes para isso? Ou neste caso também tiraremos uma parte do fundo de pensão?", podia ler-se também. Poucas foram as mensagens de apoio ao primeiro-ministro, ficando "perdidas no coro de indignação".


Pois é, suecos, vejai lá então se tratais de colocar o partido de extrema-direita Democratas Suecos (Sverigedemokraterna) no poder que é para salvardes o vosso país antes que seja tarde demais...

Australiana abandona filhos para se juntar ao EI


A jovem australiana Jasmina Milovanov, de 26 anos e convertida à idolatria islâmica há uns anos atrás, deixou os seus filhos de cinco e sete anos com uma baby-sitter e zarpou no início deste mês para a Síria onde se juntou ao Estado Islâmico (EI). Segundo a imprensa australiana, já mais de 100 australianos se juntaram aos jihadistas, tendo também mais de 30 deles já perdido a vida (olha que chatice!), e o governo de lá diz-se "profundamente perturbado". Segundo o Sydney Daily Telegraph, a mãe da Jasmina disse que ela sofreu uma "lavagem cerebral" depois de ter conhecido o seu marido muçulmano no interior de Nova Gales do Sul. "A única coisa em que consigo pensar é nos meus filhos. Não posso acreditar que ela deixou estas duas lindas crianças. Nos dias seguintes, o meu filho dizia que esperava que a mãe estivesse bem", contou o homem. "Antes de ela ir, falei com ela (sobre as publicações extremistas no Facebook). Disse-lhe que era estúpido e extremista. Avisei-a sobre as pessoas com quem convivia", acrescentou. O Diário de Notícias informa que Jasmina é amiga no Facebook de Zehra Duman, uma conhecida recrutadora de noivas jihadistas da Austrália que usa as redes sociais para incitar as mulheres a juntarem-se ao EI.
A liberdade religiosa no Ocidente tem destas coisas...

Islão VS China

Xinjiang (新疆 em chinês e شىنجاڭ‎ em uighur) é a maior província chinesa
A História já está farta de nos provar, como podemos ver no Ocidente, que qualquer país que acolhe e permite que uma comunidade muçulmana tenha a possibilidade de crescer acaba por colher os frutos podres disso. É o que está a acontecer em França, no Reino Unido, na Alemanha, na Holanda ou na Rússia. Quanto mais liberdade se dá aos muçulmanos, mais tendência têm estes para abusar dela.

Vivem mais de 20 milhões de pessoas em Xinjiang
Infelizmente parece que ainda vai demorar muito tempo para que o Ocidente aprenda que o islão é uma antítese da ética ocidental. E isto só para calar a boquinha de todos aqueles que acreditam que o Cristianismo, ou melhor, os valores judaico-cristãos, são semelhantes aos valores islâmicos por serem da mesma linhagem semítica/abraâmica, o que é falso, pois o islão foi inventado por Maomé que nem sequer era judeu mas sim árabe e o Alá não é mais que o ídolo lunar do paganismo árabe de Meca. Por outras palavras, o islão não provém do Judaísmo porra nenhuma mas sim do paganismo.

Para além dos uighures e dos han, existem também as etnias cazaque, hui ou mongol
Os muçulmanos, desde os mais "radicais" aos mais "moderados" (entre aspas porque ou se é muçulmano ou não se é, tal como não existe uma coisa chamada "católico não praticante"), afirmam convictamente que o islão é a "religião da paz". A verdade é que o islão é mesmo "a religião da paz". Acontece que o conceito de paz para o islão nada tem a ver com o conceito ocidental sobre o mesmo. Para o islão, paz é o mesmo que justiça e para haver verdadeiramente paz é preciso que haja a sharia, isto é, a lei islâmica.

Cadê a esquerda para barafustar contra a China? Ah, a China é esquerdista...
Ao permitir que os muçulmanos radicados no Ocidente possam manter e fomentar as suas práticas culturais/religiosas, estes vão procedendo à islamização exigindo que a sociedade que os acolhe se adapte à sua maneira de viver. Isto está a acontecer na Europa onde há cantinas de escolas, por exemplo, que já não servem carne de porco porque os muçulmanos, tal como os judeus, não comem porco. Ou piscinas públicas com horários próprios só para as mulheres muçulmanas. Há maluquinhos que afirmam que não existe nenhuma islamização no Ocidente e inventam argumentos para contrariar aquilo que de facto é um facto, passe a redundância.

Um belíssimo exemplar feminino de etnia uighur
Felizmente existe pelo menos um país no mundo que sabe lidar como deve ser com o islão e que não permite a islamização: a República Popular da China. Na província autónoma chinesa cuja população é ainda maioritariamente muçulmana, Xinjiang, terra onde habita a etnia uighur, as autoridades locais lançaram campanhas anti-islâmicas, como obrigar as lojas e os estabelecimentos a venderem tabaco e álcool e a servirem carne de porco sob pena de encerramento e acção judicial. Os funcionários públicos e as crianças estão impedidos de ir às mesquitas. O Ramadão é proibido a todos. Quem se opor a esta política é perseguido e todos nós bem sabemos como é que é a justiça chinesa. Tudo isto para combater a imposição da sharia na China.

Os han já constituem mais de 40% da população de Xinjiang
Os uighures são um povo de origem turca e consideram Xinjiang parte do Turquistão Oriental. A população han, a etnia maioritária da China, já atingiu quase metade da população total de Xinjiang fruto da intensa migração promovida pelas autoridades de modo a garantir a dominação han na província, algo que se resume apenas a uma questão de tempo. A região é muito grande e não é completamente habitada, sendo que os han afirmam que ela já lhes pertencia desde os tempos do Império Romano (dinastia Han), muito antes de aparecerem por lá os uighures. O nome Xinjiang (literalmente "Nova Fronteira" em chinês) foi dado por um imperador da dinastia Qing. Ou seja, se isso é mesmo verdade, então quer dizer que os uighures são os "palestinianos" lá do sítio.

A população han está em Xinjiang para mostrar quem é que manda por lá
Os muçulmanos na China confirmam uma coisa: são precisas medidas concretas contra eles, para que eles não andem com merdas. Coisa que infelizmente no Ocidente parece haver imensos problemas em fazer, seja por causa da esquerda, seja por causa do marxismo cultural, dos princípios maçónicos de "igualdade", "liberdade" e "fraternidade", e outras merdas do género. O islão é como um cancro que se propaga. É isso que o pseudo-profeta pedófilo Maomé desejou quando criou essa seita satânica. É isso que os muçulmanos do passado sempre quiseram e tentaram, como com a conquista da Península Ibérica, a tomada do antigo Império Romano do Oriente ou a invasão às portas de Viena com o Império Otomano. É isso que actualmente deseja o Estado Islâmico a partir da Síria e do Iraque. É para isso que trabalham os muçulmanos "radicais" estacionados nos países ocidentais com a islamização.

As autoridades chinesas matam, sem problemas nenhuns, os muçulmanos criminosos
É por estas e por outras que eu cada vez tenho menos dúvidas que o futuro do mundo é chinês porque a China não dá abébias.