terça-feira, 31 de março de 2015

O Brasil juntou-se ao AIIB

 
Os EUA e o Japão têm motivos para estar cada vez mais preocupados com o crescimento chinês, pois o Brasil, um dos BRICS, também já faz parte do AIIB (Banco Asiático de Desenvolvimento em Infra-Estruturas) criado pela China. O presidente chinês, o já carismático Xi Jinping, afirmou que o AIIB "é uma iniciativa aberta à participação de todos os países" e irá "promover a complementaridade e coordenação com outras instituições financeiras multinacionais como o Banco Asiático de Desenvolvimento e o Banco Mundial".
Os EUA e o Japão estão cada vez mais isolados enquanto que a China vai continuando a crescer. Primeiro o controlo económico e depois o domínio político. Não tenho dúvidas nenhumas que a China será a próxima super-potência mundial.

'Gang da Linha' espalha terror

 
Anda à solta nas Linhas de Sintra e de Cascais um gang de três assaltantes encapuzados já referenciados que atacam de caçadeira em punho. A contar com o assalto realizado no passado sábado nas bombas da Galp na Estrada da Granja do Marquês em Mem Martins, o gang já atacou ao todo 15 vezes desde a véspera do Natal. O assalto ficou gravado pelo sistema de videovigilância e já está a ser investigado pela Polícia Judiciária.
Apesar de o Relatório Anual de Segurança Interna de 2014 indicar que houve uma redução de 5,4% na criminalidade violenta em Portugal, a verdade é que há coisas que continuam a acontecer e que muito certamente dificilmente aconteceriam nos tempos doutra senhora...

A mulher tem que dar 'o pito'

 
Em 2013, um cinquentão foi detido pela GNR, em Canelas (Gaia), depois de ter sido acusado de violencia doméstica contra a sua companheira, então com 37 anos. À GNR o homem disse que "um homem tem de ter pito de manhã e à noite e a mulher tem de dar", acusando a companheira de recusar ter sexo. Chegou mesmo a pedir aos militares para que tirassem a mulher de casa e a metessem numa instituição por causa disso. "Vocês vêm aqui armados em burros e não me resolvem o problema?", questionou e acabou detido, mas não sem antes tentar esmurrar um militar. Antes disso já tinha forçado a sua mulher a fazer sexo, o que a levou ao hospital. O Ministério Público, que julgou agora o homem, entendeu não haver crime de violação porque a vítima entretanto reatou a relação com ele, mas sim de violência doméstica, resistência, coacção e injúria agravada.

Xibito com fronha humana

video
 
Na república muçulmana russa do Daguestão (Респу́блика Дагеста́н) nasceu um xibito com uma fronha que mais parece um velhote resmungão.
Pobre bicho.

Bund für Gotteserkenntnis

 
Parece que existe na Alemanha uma seita obscura pagã denominada Bund für Gotteserkenntnis (Sociedade para o conhecimento de Deus) que surgiu no seguimento da criação da sociedade política Tannenbergbund (Sociedade Tannenberg) fundada em 1925 pelo general nazi Erich Ludendorff (ao centro ao lado do Adolf Hitler na foto), sociedade essa que foi posteriormente proibida pelo Führer assim que este chegou ao poder.
A Tannenbergbund defendia uma teoria conspiracionista pagã que tinha como alvos os jesuítas, os comunistas, os judeus e também os maçons, e exortava as pessoas à conversão ao paganismo adorador dos ídolos nórdicos. Ludendorff, que se tinha convertido da seita luterana ao paganismo, foi introduzido no mundo do oculto pela sua segunda esposa Mathilde von Kemnitz, com quem fundou a Tannenbergbund. Segundo esta fonte, Ludendorff costumava reunir-se com uns quantos jovens na floresta de Munique para sacrificar cavalos a Thor ou Donar, o ídolo do trovão e da guerra germânico, algo que pode ser classificado como um acto de gente anormal, como, de resto, todas e quaisquer práticas pagãs. Chegou inclusive, ele que se calhar não gostava de cavalos, a acusar o grande Carlos Martel de ter introduzido o Cristianismo na Alemanha depois de ter destruído "a antiga fé teutónica em Wotan", acusando-o também a ele e ao Papa de estarem por trás de "todos os nossos problemas".
De acordo com a Wikipédia, Erich Ludendorff dedicou-se ao pacifismo nos últimos anos da sua vida, contudo não deixou a parva teoria conspiracionista que defende que os problemas do mundo se devem aos jesuítas, judeus, comunistas e maçons, algo que se perpetua nos dias de hoje na sua sobrevivente seita esotérica.
Erich Friedrich Wilhelm Ludendorff foi apenas e só mais um anormal surgido no seio nacional-socialista. O pior é que deve ter deixado uns quantos seguidores igualmente anormais que deviam era sacrificar-se a si próprios a Thor ou Donar. O mundo agradecia.

Padre nu nas redes sociais

No Brasil, um padreco não identificado foi suspenso depois de ter aparecido nu nas redes sociais. O sacerdote, ou melhor, o "sacerdote", pertencia à igreja da pequena cidade de Miracema, no estado do Rio de Janeiro, e foi vítima de chantagem por parte da mulher com quem se relacionava. O "sacerdote", de 40 anos, afirmou perante a diocese de Campos de Goytacazes que a relação era exclusivamente virtual, ou seja, através das redes sociais, mas os seus superiores não perdoaram.
Temos aqui mais um padreco da moda que podia e devia perfeitamente ter escolhido outra profissão.

Islão: o que os outros dizem

 
O sítio Bare Naked Islam diz-nos que a MSA (Associação de Estudantes Muçulmanos), algures da América, criou uma campanha que tenta convencer as pessoas que os muçulmanos são... "humanos".
Tenho muitas dúvidas de que muitos muçulmanos sejam de facto seres humanos.
 

A mesma fonte mostra-nos também um vídeo da decapitação de um homem na Síria. O motivo? Ele era um muçulmano que se converteu ao Cristianismo. Segundo os membros do Estado Islâmico (EI), ele passou a ter "donos americanos que adoram a cruz", pelo que foi executado por apostasia. A forma bárbara como a cabeça do desgraçado foi cortada é de tal maneira chocante que decidi não colocar aqui o vídeo (quem tiver estômago para assistir à cena que se dirija ao blogue Bare Naked Islam).
 

O Washington Post informa que uma amputação da mão de um homem condenado conforme a lei da sharia foi transmitida em directo via Twitter. O castigo da amputação da mão é aplicado aos ladrões de acordo com o Alcorão, uma coisa consolidada na sharia.
 

Segundo o Minuto Digital, o EI desenvolveu uma máquina de amputar para poder proceder à amputação à escala industrial. Tudo para facilitar a aplicação da sharia.
 

Informam o Minuto Digital e o News.com.au que a Arábia Saudita tem levado a cabo tantas decapitações que já atingiu o recorde no ano passado. Entre as vítimas estavam uma indonésia que trabalhava como empregada doméstica de nome Ruyati Binti Sapubi, uma mulher que pedia clemência no meio da rua, 19 pessoas acusadas de bruxaria e de posse de droga, entre outras.
A decapitação é um ritual de abate islâmico. O próprio Maomé mandava pendurar cabeças em estacas para aterrorizar os seus inimigos.
 
 
Segundo o Speisa, um político muçulmano da Nigéria de 68 anos casou com uma menina de 14 anos, algo perfeitamente legal e normal segundo a sharia. Alhaji Abubakar Audu, um ex-governante da localidade de Kogi, é o actual chefe do APC (African People's Congress) sustentado pela Arábia Saudita.
 
 
A propósito dos negros como os nigerianos, segundo o blogue Lei Islâmica em Acção, a maior revolta dos escravos da História não aconteceu nos EUA ou no Brasil, mas sim na Mesopotâmia durante a Idade de Ouro do islão, um acontecimento conhecido como a Revolta de Zanj (séc. IX), em Bassorá (Iraque). Cerca de meio milhão de negros do leste de África revoltaram-se contra os seus donos muçulmanos durante longos 15 anos e acabaram por ser exterminados à boa maneira muçulmana. Um banho de sangue de proporções apocalípticas.
 

A crucificação, um método de execução utilizado na Antiguidade proibido no séc. IV pelo imperador romano Constantino, continua a ser aplicada pelos muçulmanos conforme manda o Alcorão (Sura 5:33). Segundo sítios informativos como The Star, Jews News, The Daily Star ou R7, o EI tem aplicado a crucificação aos seus inimigos (como por exemplo os cristãos, os convertidos ao Cristianismo ou os xiítas), aos criminosos e até mesmo às crianças.
 
 
Os muçulmanos gostam e costumam ter barba grande porquê? Para imitar o Maomé, seguindo o que diz o livro do imã Maliks Muwatta n.º 51.1.1. Além disso, dizem os hadiths que as mulheres preferem homens com barba, que o uso da barba é garantia de sucesso ou que o homem que não usa barba é homossexual. Além disso, todos os muçulmanos têm o dever de imitar o exemplo do Maomé (Sura 3:31) porque quem segue o Maomé tem o perdão e o amor de Alá e quem se desvia do "mensageiro" comete um "evidente erro" (Sura 33:36). O próprio Alcorão afirma 93 vezes que o Maomé é o exemplo de conduta. Logo ele que foi um assassino lunático que matou todos aqueles que estavam contra ele.
 
 
O Minuto Digital refere ainda que o autarca da cidade belga de Amberes, Bart de Wever, criticou a comunidade marroquina local por esta não se integrar por falta de vontade. Criticou também a sua alta taxa de criminalidade e a sua receptividade às teorias salafistas (islão "radical"). "Nunca vi um imigrante de origem asiática queixar-se de discriminação no trabalho ou de qualquer outra coisa. Essa comunidade também não está muito representada nas estatísticas da criminalidade, contrariamente à marroquina", defendeu o político.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Portugal lidera grupo I

 
A equipa de todos nós venceu no Estádio da Luz a Sérvia e garantiu o primeiro lugar do grupo I de qualificação para o Euro 2016 de França. Ricardo Carvalho abriu o marcador de cabeça aos 11', tornando-se no jogador mais velho de sempre a marcar pela selecção nacional (36 anos), o ex-benfiquista Nemanja Matić empatou o jogo aos 61' com um pontapé acrobático e Fábio Coentrão voltou a colocar Portugal em vantagem aos 63'. Portugal não fez uma exibição de encher o olho, pois apesar de somar a terceira vitória consecutiva, todas elas foram pela margem mínima, como que dando-nos a entender que faz o suficiente para ganhar os jogos. Mesmo assim, a selecção orientada por Fernando Santos consegue ser melhor que a do Paulo Bento no que diz respeito aos resultados, coisa que verdadeiramente mais interessa.
 
video
 
Não é por nada, mas acho que a selecção nacional já merecia uma renovação.

Benfica na final da Taça Challenge


A equipa de voleibol do Benfica está na final da Taça Challenge depois der ter superado os sérvios do Partizan Vizura Belgrado, o vencedor da fase a pontuar do campeonato sérvio, com um duplo 3-1 e vai agora jogar com outros sérvios, desta vez do Novi Sad, o terceiro classificado na primeira fase do mesmo campeonato. Os jogos estão marcados para os dias 8 e 12 de Abril, sendo o segundo jogo no nosso pavilhão.
Só tenho uma coisa a dizer. Aliás, duas. A primeira: parabéns, Benfica!! A segunda: as finais são para ganhar!!

Regras para as danças na praça pública

 
Na China é muito normal e frequente ver gente a dançar em grupo ao ar livre, um fenómeno que já assisti várias vezes quando lá estou e que envolverá cerca de 100 milhões de praticantes em todo o país. Chama-se a isso Guangchangwu (广场舞 em chinês simplicado), que significa literalmente "dança na praça pública", e que reúne na maior parte dos casos cidadãos séniores. Com o surgimento de queixas e discussões acesas sobre essa prática, as autoridades chinesas decidiram intervir e regulá-la, impondo um total de 12 coreografias autorizadas em espaços públicos desde que sejam "saudáveis" e "se possam ver", noticiou o China Daily News.
 
video

Que mania que o governo comunista chinês tem de tudo querer controlar.

Educação patriótica também para os funcionários públicos de Macau!

Edifício da Administração Pública, na Rua do Campo
Parece que a chinesificação de Macau está a ser reforçada: depois das escolas, a educação patriótica poderá ser imposta também aos trabalhadores da Função Pública. Segundo o responsável da Associação de Trabalhadores da Função Pública de Origem Chinesa, Lei Kong Weng, o governo macaense deve promover a inclusão da educação patriótica nos cursos de formação para funcionários porque, segundo ele, existem jovens em Macau que se sentem mais "cidadãos de Macau" do que chineses, sendo portanto fulcral o aumento do sentimento de pertença à mãe China porque em "qualquer país ou situação as pessoas devem respeitar a sua pátria". Assim, os funcionários públicos de Macau estarão mais aptos a levarem a cabo as políticas do território em concordância com as orientações da China.

Direita vence em França e na Madeira

Em França, a UMP (União para o Movimento Popular) foi a grande vencedora das eleições departamentais. Nicolas Sarkozy, que quer voltar a ser presidente francês, falou duma nova etapa e do renascimento da esperança em França, pois a sua UMP conquistou entre 65 e 68 departamentos. O grande derrotado foi, como é óbvio, o Partido Socialista do ainda presidente francês François Hollande, essa enorme decepção como também é óbvio, perdendo quase metade dos departamentos. Já a Frente Nacional da Marine Le Pen ficou aquém das expectativas, não conquistando sequer um só departamento. Ainda assim, consolidou o seu lugar como uma das três maiores forças políticas do país.
 
 
Na Madeira acabou para todos os efeitos o jardinismo mas o PSD pelos vistos continua na região de pedra e cal. Miguel Albuquerque é, como já todos estávamos à espera, o novo presidente regional da Madeira, tendo alcançado a maioria absoluta (24 deputados). O esquerdume unido (PS-PTP-PAN-MPT) ficou, mesmo assim, atrás do CDS-PP, elegendo seis deputados, menos um que o partido do Paulo Portas. "Esta maioria dá-me legitimidade para muita coisa", afirmou o vencedor.

 
A democracia voltou uma vez mais a fazer das suas. Em França, o povo, já fartinho do esquerdume, voltou-se novamente para a Direita. Já na Madeira, e apesar dos vaipes imbecis da escumalha anti-Direita, a Direita permanece, e bem, no poder. Felizmente o povo madeirense não é estúpido e sabe perfeitamente qual foi o partido que deixou o país de mão estendida. Haja fé na Madeira! Os madeirenses sabem que não se pode votar no partido que deixou Portugal na bancarrota e cujo antigo líder está preso na cela 44. De resto, a democracia é para todos: ela não existe apenas quando o resultado agrada aos imbecis que de democráticos pelos vistos pouco ou nada têm.

O colapso do Ocidente e a islamização

O filósofo e jornalista brasileiro Olavo de Carvalho, que lançou recentemente o seu último livro, "Jardim das Aflições", falou da destruição do Ocidente com a perda dos valores cristãos. A erosão dos valores cristãos permite a islamização.

video

Olavo de Carvalho falou também do império islâmico que tem base alcorânica.

video

Semana Santa 2015

 
Começou ontem a Semana Santa com o Domingo de Ramos. Na Praça de São Pedro, no Vaticano, o Papa Francisco pediu humildade aos cristãos durante a homilia. Debaixo de um sol brilhante e com o Vaticano repleto de fiéis, o Sumo Pontífice benzeu os ramos comemorando a entrada triunfante de Jesus Cristo em Jerusalém. "O estilo dos cristãos deve ser a humildade e o caminho de Cristo não é a vanidade, o orgulho e o êxito. A humildade é um estilo que nunca deixará de nos surpreender e de nos pôr em crise: nunca nos acostumaremos a um Deus humilde", disse o Sumo Pontífice. O contrário do caminho até Cristo é, ressalvou, "a mundanidade. A mundanidade oferece-nos o caminho da vanidade, do orgulho e do êxito", sendo uma vida alternativa que "o Maligno propôs a Jesus durante 40 dias no deserto. Mas Jesus rejeitou-o sem duvidar". "Também nós podemos vencer esta tentação, não apenas nas grandes ocasiões, mas também nas circunstâncias normais da vida", disse ainda o Papa antes de recordar as vítimas do avião da Germanwings que despenhou nos Alpes franceses.

domingo, 29 de março de 2015

Memorabilia

Mais uma música que me faz lembrar dos bons velhos tempos: Survival Dance ~ no no cry more ~, da banda japonesa TRF (álbum Billionnaire, de 1994).

video

Matou dois filhos e congelou os seus corpos


Em Detroit, nos EUA, a afro-americana Mitchelle Blair, de 35 anos, matou há dois anos atrás os seus filhos Stoni, de 13 anos e Stephen, de nove, e pôs os seus corpos dentro de uma arca frigorífrica. Os cadáveres foram descobertos depois da polícia ter ido à casa da Mitchelle para aplicar uma ordem de despejo. A outra filha de Mitchelle que tem 17 anos e que é meia-irmã dos dois irmãos que morreram acabou por ser institucionalizada. Já Mitchelle acabou por ser presa depois de ter confessado que matou dois dos seus filhos, mentindo depois às pessoas dizendo que eles estavam em casa do tio ou da avó. Na passada sexta-feira, a comunidade local realizou nas ruas da cidade uma vigília pelas almas dos falecidos.

Tribo da Pocahontas exige mais direitos e desafia lóbi dos casinos

Kevin Brown é o actual chefe da tribo Pamunkey
Se forem reconhecidos pelo governo dos EUA, os índios Pamunkey terão benefícios em saúde, educação e habitação. E poderão apostar no negócio do jogo na sua reserva no estado da Virgínia. 

Pouco mais de quatro séculos depois de terem sido uma das primeiras tribos de nativos americanos a encontrar-se com colonos britânicos, os índios Pamunkey têm agora preocupações bem diferentes. Até ao final do mês deverão ficar a saber se recebem o reconhecimento oficial do Gabinete Norte-Americano de Assuntos dos Índios, que lhes daria benefícios na saúde, educação e habitação, permitindo-lhes, além disso, construir casinos nas suas terras na Virgínia. É esta excepção à lei do jogo daquele estado que já lhes valeu a oposição do poderoso lóbi dos casinos, liderado pelo MGM. 
"Estamos a lutar pela nossa sobrevivência", explicou Kevin Brown, o chefe eleito da tribo, ao britânico The Independent. Os Pamunkey, cujo número passou de mais de 20 mil no século XVII para pouco mais de 200 hoje, estão "a perder cultura a cada geração que passa. Estamos a perder o nosso sangue", afirmou Brown. E a verdade é que na actualidade são pouco mais de meia centena os índios Pamunkey que vivem de forma permanente na reserva. Os restantes preferiram instalar-se em Richmond, a capital da Virgínia, ou noutras cidades americanas. 
Quando os primeiros colonos britânicos fundaram Jamestown, os Pamunkey viviam em aldeias junto ao rio homónimo naquele que é hoje o estado da Virgínia. O seu chefe era Powathan, cuja filha, Pocahontas, terá, segundo a lenda, salvo a vida ao capitão John Smith, um dos britânicos acabados de chegar ao Novo Mundo. Hoje, os Pamunkey são uma das duas tribos que mantêm as terras que lhes foram atribuídas pelos tratados de 1646 e 1677 assinados pelo governo britânico.


Fonte: DN

Uma escola primária da Suécia do séc. XXI


Não vos apetece perguntar o que é que fazem lá na turma a professora Annika Hektor e a aluna Tayna Ann Milne que são loiras? É que a própria ONU já admitiu que a Suécia pode tornar-se num país do terceiro mundo em breve.

A bandeira da Palestina em 1939

Segundo a Enciclopédia Larousse, de 1939, a bandeira da Palestina era assim como está assinalada:



Esta posta é dedicada a todos os anormais que são anti-Israel.

Portugal faz história no râguebi!

video

No Hong Kong Sevens, o maior torneio de râguebi de sete do planeta, e no 23.º duelo entre Portugal e a Nova Zelândia, os Lobos empataram 24-24 com os campeões do circuito mundial (15 vezes em 12 edições!). A selecção portuguesa de râguebi, com as dificuldades que todos nós sabemos que os jogadores de râguebi portugueses enfrentam, fez assim história ao conseguir pela primeira vez não perder com a poderosa selecção dos All Blacks. Além disso, Portugal, que até entrou mal no jogo, não só conseguiu também superar a fasquia dos 14 pontos anteriormente marcados à Nova Zelândia, com quatro ensaios que entraram para a história, como até podia ter ganho o jogo se na última jogada do encontro Nuno Sousa Guedes não tivesse falhado o ensaio. A maioria do público presente no Hong Kong Stadium puxou pela selecção das quinas e no final do encontro o próprio treinador dos All Blacks, sir Gordon Tietjens, admitiu que a sua equipa deveria e merecia ter perdido com Portugal. Segue-se agora o jogo com a França para os quartos-de-final da Bowl.
Grandes Lobos!! Viva Portugal!!

sábado, 28 de março de 2015

O Cristianismo causou mesmo a Idade das Trevas?

Gráfico idiota dos ateus e anticristãos que adulteram a realidade
Quem é que nunca ouviu falar, porque certamente assim estudou na escola, da fábula de que o Cristianismo é responsável pela Idade das Trevas (Baixa Idade Média: 500 DC a 1000 DC), aquela famosa época europeia que começou com a queda do Império Romano e em que supostamente não se deu nenhum desenvolvimento científico?

A "pausa tecnológica" deu-se, na verdade, não por causa da Igreja, que foi antes pelo contrário a única força que empurrou o desenvolvimento científico para a frente (basta lembrarmo-nos que foi a Igreja que desenvolveu o método científico que hoje em dia é usado, por exemplo... mas já lá iremos), mas sim por causa da... própria queda do Império Romano. Com o fim do Império Romano, as preocupações das pessoas que poderiam ter contribuído com avanços científicos voltaram-se para a sua subsistência. Além disso, o bilinguismo (grego e latim) e as condições de estudo dos tempos dos romanos pagãos já tinham entrado em declínio depois do ano 180 à medida que o império entrou em crise. Também os ataques dos bárbaros, tão pagãos como os romanos, resultaram na redução da alfabetização, na perda do grego, na descida populacional, na destruição do comércio e de todas as infra-estruturas imperiais.

Existem dois principais argumentos que acusam a Igreja de ser a responsável pela Idade das Trevas: o facto de ter contribuído para o declínio/queda do Império Romano e o facto de ser hostil ao conhecimento clássico, nada tendo feito para o preservar. O precursor da teoria de que a Igreja é responsável pela Idade das Trevas, o historiador inglês Edward Gibbon (1737-1794), acusou o Cristianismo de ter quebrado a unidade ideológica do império e perturbado a habilidade do Estado de ganhar apoio junto às massas. No entanto, reza a História que a metade oriental do Império Romano, mais cristã que a parte ocidental, manteve-se relativamente mais forte e estável que a metade ocidental, que entrou em colapso, mantendo-se como Império Bizantino até ao século XV. A Igreja e o império agiram para favorecer a unidade, com Deus, o Verdadeiro Deus e não os ídolos pagãos, colocado como Aquele que atribuía ao Império Romano a missão de conquistar, converter e civilizar o mundo. Em relação ao segundo argumento, tal é igualmente falacioso, pois o Cristianismo foi a verdadeira estrutura intelectual que manteve viva a cultura antiga-tardia. Graças aos monges beneditinos, a filosofia, a ciência e a medicina gregas foram preservadas através dum processo laborioso de cópia manual (daí o adjectivo em tom de brincadeira "monge copista"), incluindo obras de Euclides, Ptolomeu, Platão, Aristóteles, Galeno, Simplício, etc. De facto os mosteiros beneditinos foram os locais de pesquisa científica, documentação e preservação do conhecimento (não é por acaso que o S. Bento é o padroeiro da Europa). Os primeiros cientistas reconhecíveis são, quase todos eles, clérigos ou membros da Igreja, como o Nicolau Copérnico.

A Idade das Trevas aconteceu porque não havia um Estado coeso para fornecer estrutura, estabilidade e estimular o comércio. A única instituição que se manteve ligado ao progresso científico foi apenas a Igreja, pois só ela reunia as pessoas de forma útil, assim como o Estado poderia ter feito. A Idade das Trevas deveu-se, isso sim, ao contexto sócio-político da época. Se não fosse a Igreja, que preservou os fundamentos do conhecimento e sobreviveu à queda do Império Romano, não teríamos hoje o mundo moderno. Deve-se, portanto, à Igreja o facto de hoje em dia não estarmos cientificamente atrasados. Foram os grandes homens da Igreja, como os grandes doutores da Igreja (Santo Agostinho, por exemplo), que, pegando no que foi conservado, deram início à ascenção do Ocidente, tanto assim é que os historiadores modernos mais credíveis não se lembram de acusar o Cristianismo pela Idade das Trevas.

Cardeais com Galileu Galilei
A metafísica cristã propunha que o mundo natural é cosmos, é ordem, é inteligível. Além disso, a mensagem cristã dessacraliza radicalmente o cosmos (todo o universo físico) ao enfatizar que só Deus é transcendente e o homem é o ápice da criação e dotado de razão, o dom maior que Deus lhe deu. É graças à tal concepção do mundo que permitiu aos cristãos e somente aos cristãos investigarem, de maneira inédita, com as poderosas armas da razão, o mundo circundante, tratando-o como matéria de investigação e não como um objecto de temor reverencial, que o cristão só deve a Deus. A conquista da razão deu-se em virtude da metafísica cristã.

Sem a Igreja não teria havido ciências sistemáticas e dinâmicas. A ideia de um mundo ordenado, racional, indispensável para o progresso da ciência, está ausente nas civilizações pagãs. Árabes, babilónios, chineses, egípcios, gregos, indianos e maias não geraram a ciência porque não acreditavam num Deus transcendente que ordenou a criação com leis físicas coerentes. Os caldeus acumularam dados astronómicos e desenvolveram rudimentos de álgebra, mas jamais constituíram algo que se pudesse chamar de ciência. Os chineses nunca formaram o conceito de um celeste legislador que impôs leis à natureza inanimada apesar de terem descoberto a bússola, ainda que não soubessem para o que servia senão para adivinhações. A Grécia antiga confundia os elementos com deuses perversos e caprichosos. Os muçulmanos recusavam e continuam a recusar a existência de leis físicas invariáveis porque elas contrariam a vontade absoluta de Alá, que contraria a própria razão só para mostrar que é superior a ela. Por outras palavras, a Igreja, que fundou as universidades, colocou a fé e a razão nos seus respectivos lugares, distinguindo-as apesar de saber que há harmonia entre elas, o que permitiu que o mundo fosse investigado sem os falsos misticismos dos povos pagãos que tornaram impossível a ciência.

Em suma, a Igreja foi a mãe da civilização moderna.

Morreu o autor de livros polémicos sobre a Igreja


Morreu anteontem o escritor portuense Luís Miguel Rocha aos 39 anos de idade vítima de um cancro contra o qual se encontrava a lutar já há oito meses. O escritor alcançou o sucesso internacional com obras polémicas sobre a Igreja Católica, como "O Último Papa" (2006), "Bala Santa" (2007), "A Virgem" (2009), "A Mentira Sagrada" (2011), "A Filha do Papa" (2013) e "A Resignação" (2014), histórias de ficção que envolvem a Maçonaria e supostos segredos da Igreja. O Luís Miguel Rocha chegou mesmo a ser criticado por ser como o Dan Brown, escritor da famosa ficção hilariante que dá pelo nome "O Código da Vinci" e que foi baseado em informações apócrifas e gnósticas das quais a Igreja sempre teve conhecimento.
Uma comentadora da edição online do DN de nome Patrícia Fortunato escreveu no seu comentário que adora a forma de escrever do Luís Miguel Rocha, que leu os seus livros todos e que espera que a morte do escritor não tenha sido "encomendada ou provocada pelos temas que (ele) abordava nos seus livros", acrescentando que sabe "que foi cancro mas neste mundo já tudo é possível!" 
Sim, deve ter sido isso mesmo... E agora pode ser que o Luís Miguel Rocha possa desvendar todos os mistérios...

As 10 cidades mais islamizadas da Europa

video

Pastor lambe o ânus de "fiéis" solteiras que querem maridos


Em Angola, um pastor protestante convidou todas as suas "fiéis" solteiras que querem casar a ficarem nuas de quatro numa praia para ele lhes lamber o ânus. Segundo o pastor, o objectivo era ajudar essas mulheres burras e desesperadas a conseguir maridos, qual fórmula milagrosa. Isso aconteceu no dia 18 do corrente.

PS. Sem comentários.

40 anos a sacudir a água do capote





Leitura complementar: Dar mérito a quem o merece

Fonte: O Insurgente

sexta-feira, 27 de março de 2015

Homem interrompe namoro de tartarugas e sofre perseguição épica

video
 
O apresentador da National Geographic Paul Rose interrompeu o namoro de um casal de tartarugas na Ilha de Assunção, nas Seychelles, o que enfureceu o réptil testudine macho. Resultado: Paul foi perseguido de forma hilariante... à velocidade de tartaruga.

Rui Bragança campeão da Europa de Taekwondo

 
O jovem Rui Bragança, praticante de Taekwondo de 23 anos do Vitória de Guimarães, revalidou o título de campeão europeu desta arte marcial coreana nos -58 Kg no campeonato europeu de categorias olímpicas em Nalchik, na Rússia, depois de no ano passado ter-se sagrado campeão em Baku, no Cazaquistão. Rui Bragança venceu o moldavo Stepan Dimitrov na final da prova.
Muito parabéns, Rui Bragança! Viva Portugal!!

Gangs atacam PSP na escola

 
Mais de 100 jovens de grupos rivais, ou «jovens» de grupos rivais, semearam o pânico no passado dia 20 no bar da Escola Seomara da Costa Primo, na africanizada Amadora. Dois agentes da PSP, do programa da Escola Segura, intervieram para pôr cobro à situação e acabaram cercados e ameaçados de morte, o que levou a que os funcionários da escola ligassem para a PSP para pedir reforços. Um dos líderes de um gang, de apenas 14 anos, agarrou o braço de um dos agentes enquanto incentivava os outros a agredi-lo. Segundo relatos, os membros dos gangs "gritaram para os agentes se despirem porque sem a farda não eram nada e nem mandava nada". Com a chegada dos reforços da PSP, a situação ficou imediatamente controlada. Um dos jovens, ou um dos «jovens», foi identificado e o Ministério Público vai agora apurar as circunstâncias.
Já estou mesmo a ver a cena... os polícias é que são os maus da fita, pois impediram um salutar convívio entre rapazes que não fazem parte de gangs coisa nenhuma, mas sim de associações culturais e de integração na sociedade. Os jovens são o nosso futuro, pelo que temos que ter carinho por eles. E sobretudo ajudar-lhes muito, com muita compreensão e paciência...
Agora a sério: porque é que Portugal não segue o exemplo de Singapura? Esses gajos apesar de serem menores de idade são já grandes o suficiente para andarem a cometer crimes. Como por força da lei não podem ir presos, que tal chicoteá-los de forma a deixar marcas no corpo e depois espetar com eles nos centros de correcção de onde só saem depois de aprenderem a ser gente, isto é, depois de saberem comportar-se na sociedade? É isto que fazem os singapureanos e é assim que a Singapura é uma desenvolvidíssima cidade-Estado que sabe muito bem lidar com o fenómeno da multiculturalidade. Portugal é mesmo um país do segundo mundo.

O Andreas Lubitz era muçulmano?


O co-piloto alemão Andreas Günter Lubitz está nas bocas do mundo por ter provocado deliberadamente a queda de um avião low cost da companhia Germanwings nos Alpes, tragédia que provocou 150 mortos contando com ele próprio. Andreas, de 27 anos (ou 28, conforme as fontes), ter-se-á fechado no cockpit quando o comandante tinha de lá saído e precipitou o Airbus A320 contra as montanhas. As autoridades francesas descartaram desde logo a hipótese de terrorismo, mas parece que também ninguém assume que se tratou de um suicídio. Os colegas de Andreas falam em depressão.

 
De acordo com o blogue Roman Catholic Imperialist, surgiu no Facebook uma página em que se louva Andreas como herói do Estado Islâmico. Consta também que a namorada de Andreas é muçulmana e que ele próprio ter-se-á convertido ao islão, tendo na zona onde ele morava, em Bremen, uma mesquita que já tinha sido anteriormente investigada por incitação ao terrorismo. A mesma fonte não coloca de lado a hipótese de Andreas ter desejado atingir uma de várias centrais nucleares da zona onde se despenhou.

Algumas recentes estatísticas muçulmanas

Atenção: esta entrada contém imagens chocantes.
 

 

 

 

 
 
 
 

República Centro-Africana: o contra-ataque cristão

 
Na República Centro-Africana, os cristãos reagem à invasão islâmica na mesma moeda usada pelos muçulmanos que querem expandir e impor a sua seita: através da violência. Quase todas as mesquitas do país, mais de 430, já foram destruídas, o que levou milhares de muçulmanos a fugir para o vizinho Chade. A organização terrorista muçulmana que mais estragos tem feito naquelas bandas é o Seleka, uma espécie de irmão do Boko Haram da Nigéria que tem cometido muitas atrocidades contra cristãos e não só.
Quem não percebe nada das coisas do mundo e da vida ainda vai pensar que os cristãos estão feitos muçulmanos e a fazer uso da violência para impor o Cristianismo ou só porque sim. Acontece que trata-se, na verdade, de uma legítima reacção ao expansionismo islâmico. Relembro que foi exactamente através da violenta expansão islâmica que se deram as Cruzadas, que serviram para proteger os cristãos e também a superior civilização ocidental. O islão é na verdade uma seita pagã refinada que não tem lugar no mundo civilizado, tal como qualquer seita pagã, como por exemplo o hinduísmo panteísta (cujo país de origem tem tido inúmeros violadores tanto em série como em massa, o que não tem semelhança nenhuma com a superior civilização ocidental), e, como tal, desde sempre perseguiu o Cristianismo como os antigos povos pagãos, perseguições essas que, longe de serem raras (é o cúmulo da burrice afirmar que as perseguições pagãs aos cristãos foram raras!), continuam a haver nos dias de hoje porque há sempre quem não consiga suportar a "sã doutrina da salvação" e prefere odiar a Verdade.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Paganismo e homossexualidade

Alguém alguma vez ouviu algum pagão dizer que é contra a homossexualidade?
E por falar em gays, sabe o(a) caríssimo(a) leitor(a) o que seria da civilização humana ocidental (e não só) se o Cristianismo não tivesse vencido o paganismo? Seria uma civilização onde a homossexualidade, longe de ser condenada, seria até incentivada. Isso, claro, só para não falar doutras coisas que hoje em dia mereceriam repulsa sem pestanejar, como por exemplo os sacrifícios humanos aos ídolos ou o infanticídio.

O blogueiro pagão Roberto Quintas, que é wiccano (a WICCA é uma seita naturalista e de bruxaria que crê na existência de dois deuses, um masculino [chifrudo] e um feminino), afirma que a homossexualidade já existia nos tempos pagãos da Grécia e de Roma, onde ritos "sagrados" que serviam para "comungar com o divino" e que incluíam a "sexualidade sagrada" eram comuns. No ofício militar, salienta o blogueiro, os ritos homossexuais foram adoptados para garantir a "honra", a "fraternidade" e o "destemor dos combatentes no campo de batalha". "Um soldado era mais confiável se tivesse feito um compromisso, um laço com o seu irmão em armas com uma relação que os ligasse intimamente e isso era feito com um soldado experiente adoptando um mancebo (um jovem, púbere) como o seu protegido, como o seu amado, como o seu aluno. Ambos viviam juntos de tal forma que era impossível não surgir uma atracção física, amor e desejo, fundamentais para que o jovem se dispusesse até a morrer se necessário fosse pelo seu tutor".

Niankhkhnum e Khnumhotep (Egipto), o registo físico da homossexualidade mais antigo
Também o blogueiro "sacerdote de um coven" (vá-se lá saber o que é que isso quer dizer) de nome Natan Brith, que busca o "sagrado masculino", defende a homossexualidade porque ele é gay e porque existem, como ele diz, vários deuses gays, citando alguns nomes, como Antinous de Bitínia, o preferido do imperador romano Adriano, ou o deus azul (ou deus Queer), que é o "primeiro reflexo visto pela deusa no espelho curvo e negro do universo".

Deus Queer ou deus azul: representação da sexualidade
como o abraço apaixonado do divino em cada um e no universo
Outro blogueiro pagão, Lutivinus, também wiccano como o Roberto Quintas, afirma que Zeus, o deus maior do paganismo grego, sentia-se atraído por Ganimedes apesar de ter tido vários filhos com mulheres mortais, como por exemplo o famoso Hércules. Também Calisto ou Eros tiveram práticas gays. Lutivinus cita ainda relatos sobre Frey e Loki, da mitologia nórdica, para justificar que o paganismo anda mesmo de braço dado com a homossexualidade.

O "bruxo" Dallan, outro wiccano, afirma que eles, os pagãos, entendem que a divindade não liga à "orientação sexual" das pessoas porque eles vêem o amor acima de tudo como um sentimento: "A WICCA é tão aberta à homossexualidade, pois entendemos que não há masculino sem o feminino e o amor gay não é diferente do amor hetero".

A blogueira pagã Gaia Gil descreve as religiões pagãs voltadas para a deusa-mãe (Gaia ou a Natureza) como "alternativas viáveis" para os homossexuais porque "a Terra, bem como todos os seus filhos, são sagrados e devem ser respeitados" (a premissa gnóstica de que os homens são parte da divindade) e "todo o acto de amor e prazer é convertido num rito sagrado". "Dentro de uma religiosidade saudável, o desejo e amor por pessoas do mesmo sexo deve ser entendido apenas como uma possibilidade humana a ser celebrada e sacramentada como qualquer outra", defende a pagã dona do blogue A ALTA SACERDOTISA (coisa que ela se calhar pensa que é).

Segundo Scott Lively e Kevin Abrams, nas culturas pagãs os homossexuais frequentemente têm uma posição elevada na religião e na sociedade quando as civilizações pagãs governavam o mundo o homossexualismo e a pederastia eram amplamente praticados e aceites.

Judy Grahn diz que "Muitos aspectos do xamanismo possuíam conteúdo homossexual, e muitos dos deuses, espíritos e divindades do mundo têm sido associados à homossexualidade. No Taiti havia divindades especiais para a adoração homossexual. Os antigos templos xintoístas do Japão exibem até hoje cenas de orgias sexuais rituais semelhantes aos da Bacanália dos romanos. A grande deusa-mãe da antiga China, Kwan-Yin, era adorada com rituais sexuais que incluíam sexo anal entre homens. Quando os conquistadores espanhóis chegaram à América Central encontraram uma prevalência de sacerdotes gays e estátuas sagradas e esculturas em pedra representando a união homossexual como um acto sagrado. No Yucatan, o deus Chin era famoso por ter estabelecido a homossexualidade sagrada e um sacerdote gay servia nos templos exactamente como acontecia com os templos da antiga Babilónia e Suméria".

O escritor George Grant descreve Roma como "um Satyricon perpétuo. Egipto, Pérsia, Cartago, Babilónia e Assíria estavam impregnadas de tradições pederastas. E os antigos impérios dos mongóis, tártaros, hunos, teutões, celtas, incas, astecas, maias, núbios, mings, os cananeus, e zulus igualmente celebravam a depravação, a degradação e o deboche".

Segundo o historiador Arno Karlen, que escreve sobre cultos homossexuais em todo o mundo antigo, existiam "miches" entre os devotos de Ishtar e Astarte, na Síria, os albaneses e os babilónios, os cananeus vizinhos dos hebreus antigos, e em Cos, em Creta e Éfeso, e por todo mundo grego. A antiga religião de Baal, referida na Bíblia, foi um destes cultos. Os adoradores de Baal construíram para si lugares altos, e colunas, e aserins (postes fálicos usado para honrar a deusa da fertilidade), em todo o outeiro alto e debaixo de toda árvore verde, e havia também sodomitas na terra. O culto a Baal sobreviveu nos tempos romanos e teve grande importância no deboches infame dos imperadores romanos nos primeiros séculos depois de Cristo.

A existência de pagãos serve para nos lembrar que o Demónio existe mesmo
Não deixa de ser impressionante a existência nos dias de hoje de pagãos, quais irracionais, que se insurgem contra o Cristianismo que apenas e só construiu a superior civilização humana de que há memória destruindo toda a porcaria imunda que significa o paganismo.