sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Ui, muslos dão comida aos carenciados. E depois?

Notícia do Correio da Manhã: a comunidade islâmica de Lisboa, por intermédio de dezenas de voluntários, anda a fornecer refeições aos carenciados.


Os pró-imigracionistas, traidores apátridas, multiculturalistas, refugees' lovers, etc. rejubilaram logo com tamanho acto de caridade destes muslos. Mas eu, como gosto muito de ser do contra e de meter nojo, fui investigar e reparei que estes muslos realmente andam a dar carne halal, ou seja, não há bifanas nem couratos para ninguém (e português que é português gosta de comer porco). Quem não sabe o que é que é o abate halal pode informar-se aqui, aqui ou aqui. Mas tudo bem, não há problema, defender-se-ão eles, pois as galinhas em Portugal também são abatidas por tugas do jeito que são, isso e coiso... Ah, e com certeza que quando uma pessoa está com fome não vai ligar lá muito ao que há disponível para comer. Daí talvez possamos acreditar que os muslos ou os judeus famintos não terão problemas em comer porco se só há porco para lhes dar (e os "refugiados" muçulmanos nunca chegaram a recusar comida da Cruz Vermelha e tal...). Logo, é normal os muslos solidários só fornecerem carne halal! De certeza que a Associação Hare Krishna também daria apenas comida vegetariana aos carenciados e estes só comeriam se quisessem...
Outra coisa engraçada no meio da incoerência destes trogloditas é o facto de se realçar de forma efusiva a comunidade islâmica de Lisboa, como se outras associações, como a Comunidade Vida e Paz - ligada à Doutrina Social da Igreja Católica - ou a Abrigo não merecessem igual destaque. Mas também compreende-se o joguinho: os muçulmanos têm estado na ordem do dia por causa do terrorismo a eles associado e a esmagadora maioria dos refugiados - que têm sido preferidos em detrimento dos carenciados dos países acolhedores - é muçulmana, pelo que os muslos já precisavam urgentemente de fazer alguma coisa para limpar a sua imagem...

4 comentários:

wind disse...

Convenhamos que em Portugal, por serem poucos, não têm dado de falar e olha que já cá estão há imensos anos, mesmo antes da instauração o EI.

Ivan Baptista disse...

O PAN ( Partido dos Animais e da Natureza ) , não faz parte da coligação da Esquerda ?
Então e o que é que estão há espera ? Carne halal, Isso não é sofrimento animal ? :)
Esta coligação é muito engraçada, ainda me lembro de ouvir falar mal do Mpla de Angola pelo Be, e parece que temos por lá no parlamento, uma ministra familiar de um membro do Mpla :O
Mas que intrujice :/

Pessoalmente, não tenho nada contra a comunidade islâmica que temos por cá no nosso pais . Por enquanto , parece que os Mohamed, são pacíficos e tal .
Mas se o poder politico continuar com medidas arco-íris e mais coiso, então o mais provável é não se conseguir viver na utópica ideologia Hypie - Peace and Love , children of the rainbow :^) ( http://www.nacjonalista.pl/wp-content/uploads/2013/04/Bez%C2%A0tytu%C5%82u1112.png ) :")

FireHead disse...

Wind,

Imensos? Tipo milhões? Não, milhares. Muito menos de meio milhão. É uma comunidade bastante reduzida, logo discreta. Os muçulmanos são mesmo assim, não tem nada que enganar: se são poucos, portam-se bem, clamam por tolerância e igualdade. Quando já são assim-assim, começam a exigir coisas em nome da diversidade, no dia em que já forem uma comunidade significativa tornar-se-ão atrevidos como em certos países europeus, terão os seus próprios guetos com a sharia, ameaçam publicamente as pessoas, etc. etc., e no dia em que forem já a maioria, o país por eles ocupados torna-se numa nova Palestina. É tiro e queda.

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Sim, o PAN é de esquerda. Já reparaste no espectro político português? É só partidos de esquerda. Como é que podemos acreditar num futuro melhor para Portugal?

É claro que os Mohameds em Portugal são pacíficos e tal. Como disse à Wind, é porque eles são relativamente poucos, logo insignificantes.