segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Para os "refugiados", tudo!

Soube da seguinte notícia no blogue Reflexos, de um amigo meu que deixou já há algum tempo de comentar aqui no meu blogue certamente devido às nossas divergências políticas, notícia esta que também pode ser vista por exemplo aqui. Trata-se, inequivocamente, de mais um gritante caso da arte de bem receber tão própria dos portugueses:


A Direcção-Geral da Saúde (DGS) elaborou um guia de 112 páginas que indica que os "refugiados", na sua esmagadora maioria muçulmanos que não assimilam o modo de vida ocidental, terão o direito de escolher os seus médicos consoante o sexo, bem como de poder comer a sua própria comida, ou seja, comida halal! Tudo isto para ir de encontro às "questões culturais e religiosas", ou melhor, islâmicas! Mas não, isto não é islamização nenhuma nem coisa que se pareça!
Se uma mulher ocidental vai para o Irão está obrigada a usar o véu na cabeça como qualquer outra mulher lá, seja ela muçulmana ou não. Chama-se a isso ser romano em Roma. Mas no Ocidente, que é diferente, para melhor, tolerante, civilizado, etc. e tal, é permitida a ingerência alógena. Enfim, coisas do multiculturalismo vibrante. Os refugiados ocidentais também têm estas atenções todas nos países islâmicos? Duvido. Até porque não existem refugiados ocidentais.

2 comentários:

Afonso de Portugal disse...

A dimitude tem destas coisas... é preciso ir agradando aos futuros senhores de Portugal!

FireHead disse...

Sim até porque não é mentira para ninguém que terra uma vez conquistada pelos muçulmanos é terra dos muçulmanos por direito.