domingo, 27 de dezembro de 2015

Pagou para fazer sexo com mais de 12 mil gajas


Um antigo director de uma escola secundária do Japão, Yuhei Takashima, de 65 anos, foi condenado por um tribunal de Yokohama a dois anos de prisão com pena suspensa durante quatro anos por fazer três "viagens sexuais" por ano às Filipinas durante 27 anos, tendo feito sexo com mais de 12 mil gajas, e por tirar fotos a pelo menos três menores nuas. O homem também andou a pedofilar, pois o próprio admitiu que 10% das mulheres com quem fez sexo tinham menos de 18 anos, mas mesmo assim escapou à prisão depois de ter prometido que não voltaria a cometer "novas ofensas". Segundo a AFP, Yuhei Takashima coleccionou mais de 150 mil fotografias em 400 álbuns para "manter as memórias".
Afinal a justiça japonesa também é uma bela treta...

6 comentários:

wind disse...

Fogo! Que nojo!

FireHead disse...

Algo me diz que se as vítimas fossem japonesas, ele não teria tanta sorte. Mas mesmo assim é de lamentar a pena que lhe deram.

Anónimo disse...

Não entendi bem qual a acusação? Ter feito sexo? Serem menores e pedofilia são coisas diferentes. Alem disso o suposto "crime" foi cometido noutro país. Se eu for amanhã viver para a arabia saudita, me tornar carrasco de presos e casar com uma pita de 14 anos, será que me prendem se vier de visita a Portugal?

FireHead disse...

Não me parece que ir às prostitutas seja crime. Mas é crime ter fotos tiradas a meninas nuas e fazer sexo com menores.

Em Portugal a pedofilia é crime. Se fores para a Arábia Saudita e casares-te com uma pita por lá, o que é que te aconteceria se decidires depois voltar para aqui e levares a tua «esposa» contigo? É fazer isso para ver o que é que acontece... Se calhar ao abrigo da lei do fantástico multiculturalismo, a miúda seria mesmo encarada à luz da lei como uma «esposa» legítima - caso contrário estar-se-ia a cometer o supremo sacrilégio de não se respeitar uma cultura alheia!

Anónimo disse...

O problema é que menores e crianças são coisas diferentes. Tu podes casar com uma menor de 16 anos com consentimento dos pais. A pedofilia refere-se a crianças antes da puberdade e não a miúdas de 16 ou 17 anos.

FireHead disse...

Eu sei o que estás a dizer, mas para todos os efeitos um menor é aquele que não tem ainda 18 anos. Portanto mesmo que os pais consintam que um filho ou uma filha com 16 anos (idade mínima para casar) se case, não deixa de ser um casamento com um menor.

Viste a notícia de mais uma professora americana condenada por envolver-se com dois putos de 17 anos? Se tivesse esperado mais um ano certamente já não seria condenada por pedofilia...

Será que se os pais consentirem já não haverá pedofilia?