segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

O povo polaco diz a verdade sobre os «refugiados»


"Na Polónia mal conseguimos dar-nos ao luxo de ter uma ou duas crianças. No entanto, os muçulmanos vêm para cá, procriam-se como coelhos e esperam que o Estado os sustente".

"A nossa sociedade é cristã, não muçulmana, e os muçulmanos recusam-se a integrar".

"Nós recusamo-nos a tornar como a Suécia ou o Reino Unido, onde 10% a 20% das jovens raparigas cristãs estão a ser violadas em grupo e vendidas como prostitutas por imigrantes muçulmanos".

"Os média perpetuam propaganda e mentiras sobre os tão falados 'refugiados sírios muçulmanos pobres', a maioria dos quais não são sírios nem refugiados legítimos".

"Nós não queremos bárbaros muçulmanos na Polónia".

"Nós não seremos como a França ou o Reino Unido onde bonitas cidades estão a ser destruídas por crimes, violações e lixeira muçulmanos nas estradas, e uma crescente dependência do Estado social".

Facto: a Polónia é governada por nacionalistas e é um dos países mais católicos da Europa.

4 comentários:

Douglas Sulzbach disse...

Polônia é exemplo de combate ao Islã, eles só precisam ficar de olho bem aberto durante a Jornada Mundial da Juventude, que vai ser lá em 2016, se calhar os maometanos vão se sentir ofendidos e vão querer bagunçar!

FireHead disse...

E é também um exemplo magnífico para os totós que se dizem «nacionalistas» e que são pagãos que defendem que o Cristianismo é INCOMPATÍVEL com o nacionalismo, e que o paganismo deveria voltar, quiçá trazendo de volta todas as suas merdas como os sacrifícios humanos, de animais, o infanticídio, a paneleiragem generalizada e todo o tipo de imoralidade e estupidez que só atrasam a humanidade. Onde quer que o paganismo ganhe força, como a ascensão da Nova Era, só vai é haver mais caldinho multiculturalista e «tolerância» para com os intolerantes como os muçulmanos.

Anónimo disse...

"Na Polónia mal conseguimos dar-nos ao luxo de ter uma ou duas crianças. No entanto, os muçulmanos vêm para cá, procriam-se como coelhos e esperam que o Estado os sustente".

"A nossa sociedade é cristã, não muçulmana, e os muçulmanos recusam-se a integrar".


foracomn todos os não brancos da europa independente da raligião dos mesmos.

FireHead disse...

E fora também com os brancos de África, da Ásia, da América e da Oceania independentemente da religião dos mesmos?