terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O FireHead é islamofóbico, yo!

O blogueiro Leocardo, o grande Luís Crespo, aquele mesmo que não pára de surpreender com a sua preserverança (ou teimosia) em relação àquilo que tão romanticamente acredita e defende, voltou a lembrar-se aqui do je. Desta vez o assunto é a islamofobia, essa coisa maldita que umas quantas pessoas teimam em alimentar porque existe uma tal coisa que é o islão, existem os islâmicos, existe a Kabbah de Meca com o seu meteorito, existe a islamização, etc.

Quem costuma seguir o Leocardo tanto no blogue dele, Bairro do Oriente, como no Facebook, consegue aprender que, segundo ele, claro está, não existe nenhuma islamização no Ocidente nem sequer mesmo o racismo! Tudo não passa de chavões e construções sociais, é claro! E o homem argumenta mesmo, lá arranja palavras, casos, acontecimentos, pessoas, etc. que ajudam a confirmar a sua posição e, tal como os ateus em relação à crença em Deus, maravilha-se com as suas "descobertas" mesmo que elas nada tenham de científico ou lógico. Mas o que mais me irrita mesmo nele é a presunção que ele tem da sua certeza. Ah e tal, and the truth shall set you free. Ok, eu aproveito para fazer mea culpa porque eu, e qualquer pessoa, quando acho que tenho a razão muitas das vezes excedo-me. É por isso que ele, que é agnóstico, tem o arreliante azar de constatar que a madrasta da realidade lhe impinge constantemente a existência das religiões, infelizmente para ele, do mesmo modo que a realidade também me faz lidar com o facto de infelizmente existirem muçulmanos, ateus ou agnósticos. Ora, se nem tudo a ciência consegue explicar racionalmente, não há problema! Ter uma religião é que não é nenhuma solução! Que coisa, o homem sempre foi um bicho religioso que começou por considerar a Natureza como uma mamã divina mas precisa urgentemente de se livrar das correntes da religiosidade que só o atrasam! A prova disso é o facto de haver sempre gentalha que afirma que a Igreja Católica tem estado sempre contra a ciência, o ensino ou o progresso, apesar de ironicamente ter financiado e contribuído para muitos dos desenvolvimentos científicos por ter a maior academia científica do mundo, ter criado uma rede de escolas/ensino, ter fundado a Universidade, etc., o que é impressionante! É um facto que a Igreja, como em Macau, controla uma enorme rede de escolas, o que configura um autêntico caso paradigmático... Como é isso possível se a Igreja é contra o saber e quer fazer das pessoas todas uma cambada de burros, né? A ignorância atroz e até de certo ponto mesmo criminosa que muita gente tem sobre a Igreja é que é de facto de bradar aos céus... mas pior é haver gente, supostamente do século XXI, que deve acreditar, talvez mais por ingenuidade do que por burrice crónica mesmo, que os homens da Idade da Pedra pensavam como nós, isso a propósito da Bíblia (já lá iremos)...


A imagem de cima é sobre uma resposta que eu dei ao Luís já em 2011. De lá para cá não retiro uma só vírgula no que eu escrevi. O Luís veio dizer que eu faço "um truque de ilusionismo quase impossível de alcançar ao comum dos mortais: a mentira coerente!" Ora, isto é MENTIRA!! O Luís está a afirmar que só eu é que defendo isso que eu escrevi? Eu posso apostar o que ele quiser que o que não falta é gente que concorda comigo porque acredita no mesmo que eu e que... errrr... como dizer?, não é mentira nenhuma (atenção, camaradas Afonso de Portugal, Pedro Erik, José Atento, Lura do Grilo, etc. - vocês também vão tornar-se alvos da ira do Luís, tal como eu agora estou a ser e tal como a actriz Maria Vieira também já teve a sua dose!). Onde é que está a mentira aí, senhor Luís? As Cruzadas não defenderam a Europa? Queres exemplos? A Batalha de Lepanto, serve? Olha quantos Kosovos é que certamente não existiriam na Europa se o império otomano tivesse tido mais sucesso. É mentira?? Antes de nascerem Portugal e Espanha não andavam os muçulmanos na Península Ibérica?? É MENTIRA?? Não existem actualmente países europeus onde as suas comunidades islâmicas andam com exigências?? Não?? Porquê, é MENTIRA?? E porque é que sublinhaste a frase "não se trata de racismo"? O islão por acaso é alguma raça?? Os muçulmanos têm uma determinada raça?? Estás a insinuar que eu, por ser contra o islão, sou racista?? É MENTIRA, pá! É claro que provas mais que provadas de muçulmanos estacionados na Europa, com mais ou menos influência nas suas comunidades, como por exemplo o Anjew Choudary, não servem! Eu já topei o Leocardo há imenso tempo: as "provas" dele é que estão sempre certas e são irrefutáveis! Já as minhas e as das pessoas que pensam como eu são sempre tendenciosas e não se sustentam porque são de extrema-direita ou nazis (que para ele é tudo a mesma coisa). Epá, a sério, assim não vale!


E juntamente com os sírios têm-se fartado de entrar também na Europa somalis, eritreus, etíopes... Que grande pretexto tem sido a guerra da Síria, pá! Ma não, isto também é capaz de ser uma MENTIRA! Primavera Árabe, anyone? MENTIRA!! Ai e também nisso o Luís teria tanto que desmentir sobre a islamização. Nem precisamos de ir muito longe: com que então em Portugal os "refugiados" têm direito a médicos homens e as "refugiadas" têm direito a médicas? E ser-lhes-á servida comida halal, é? Uma vez ele disse-me qualquer coisa do tipo: a Europa é melhor que a Arábia Saudita e outros fins do mundo do género (isto não quer então dizer que a civilização ocidental é superior? Ai não?), daí adaptar-se às necessidades dos que vêm de fora, que não são de maneira nenhuma invasores - esse nome feio só passa pela cabeça dos extremo-direitistas e nazis. O Luís deve defender até que os europeus deveriam estender-lhes uma passadeira vermelha, abrir-lhes os braços e eventualmente também as pernas. Ups, mas isso já não anda a acontecer na Europa? Não, não e não: é MENTIRA!

O mito da islamização? Outra vez? O número de muçulmanos na Europa cresce, onde é que está a dúvida? O Pew Research Center confirma que os muçulmanos têm a mais alta taxa de natalidade entre os grupos religiosos, quer isso dizer que eles não crescem? Pá, a realidade diz o seguinte: há cada vez mais muçulmanos na Europa. Para quê continuar a negar a realidade? Eu não sei de que fontes é que o Luís gosta de retirar informações, mas só lhe falta mesmo agora dizer que o Pew Research Forum é tendencioso. Aqui neste site, onde aparece uma foto que ele partilhou, confirma-se um facto: "O número de muçulmanos na Europa cresceu de 29,6 milhões em 1990 para 44,1 milhões em 2010. A população muçulmana da Europa deverá ser superior a 58 milhões em 2030. Enquanto os muçulmanos representam hoje cerca de 6% da população total da Europa, em 2030, espera-se que os muçulmanos cheguem a 8% da população da Europa, ou o dobro do que era em 1990". Ahhh, não, mentira, mentira, MENTIRA!! A islamização é um mito e não é preciso ser inteligente para concordar com isso, seus nazis! O Pew Research Center mente! O número de muçulmanos na Europa se calhar pode até não atingir os 50 milhões até 2030 como alega o Luís que não vai mesmo acontecer devido aos dons proféticos que ele se calhar detém (e diga-se de passagem que eu nunca defendi isso), mas cresce e cresce muito e mais comparativamente aos não-muçulmanos! Isto é um FACTO, camarada! Abre os olhos!

E aqui temos um vídeo que fala sobre as no-go zones. Tudo MENTIRA, é claro. O vídeo só poderia ser verdadeiro se a apresentadora fosse mais bonita, é o que é!

video

E, é claro, fontes como o Breitbart ou o Gatestone Institute que falam sobre o mesmo assunto são para ser demonizados sem pestanejar. O melhor é não perderem tempo em lá irem ler as barbaridades que os lunáticos querem fazer passar por verdades. Tentar contrariá-las é uma pura perda de tempo. Acreditem nos tipos como o Luís, pá: não existem as no-go zones. Ponto final, parágrafo.

Já viram o cenourinha de baixo que é um inglês convertido ao islamismo? O quê, zona controlada pela sharia em Inglaterra?? Que idiotice é essa, pá? Esta foto de certeza que foi manipulada para corroborar com a tese de que existem no-go zones. Certamente que foi tirada num dia em que houve um baile de pijamas, cenário muitas vezes visto por exemplo à entrada da mesquita central de Lisboa às sextas-feiras. Vá, repitam todos comigo em uníssono: não existem no-go zones controlados por muçulmanos na Europa! É MENTIRA!


E olhem-me só isto, mais uma mentira que faz rir até cair para o lado: polícia da sharia na Alemanha, coisa que revoltou muitas pessoas por lá? Ainda por cima uma notícia da tendenciosa RT? É MENTIRA!! Porra, não sejam nazis criminosos! Islamofóbicos dum raio!


Adiante...


Bom, aqui quase que arranha a ataque ad hominem. O Luís sabe que eu creio na Igreja Católica portanto não sei qual é o espanto de ler comentários meus como este. E acho também piada ele falar das profecias de Fátima que foram reveladas depois de terem acontecido. Aham, então ele está a dizer que a Igreja Católica já atingiu a vitória final, é isso? É que não parece, pois é gente como eu que anda turva "pelo veneno da religião" e gente como o Luís não está turva por nada... ah não, que ideia! Mas, pá, "infelizmente" as religiões existem... e depois ele também mente!! Com que então foi-me administrado o "veneno da religião desde muito jovem"? De onde ele inventou isso? Eu fui um agnóstico como ele, como já cheguei a afirmar aqui no blogue, portanto o que hoje eu sei sobre a Igreja não me foi administrado porra nenhuma; foi investigado e aprendido de livre vontade e em sã consciência. Eu sei onde é que ele quer chegar quando faz essas insinuações estapafúrdias, numa de querer dizer que ele é superior aos crentes como os ateus também se acham quando não têm motivos absolutamente nenhuns para isso, antes pelo contrário, e ele vê na dúvida, na crítica e nos ataques às religiões como uma forma de vida. O Luís pode ser agnóstico à vontade e alimentar-se do ódio pelas religiões, ou em particular pela Igreja Católica, que isso não me aquece nem me arrefece. Mas esta das contradições e raciocínios sem nexo? Brutal! Quando o assunto é sobre a Igreja, quem se tem fartado de dar bacoradas é ele, mas sou eu que estou turvo, estou envenenado e confuso - apesar de até ser um rapaz inteligente, atenção! No meio de ofensas lá veio um elogiozinho que é para não ficar mal... e ele é que não tem problema nenhum. Repito: nenhum. E agora com toda a vossa licença que eu preciso de me rir...


Recompondo-me... 

Tem piada: eu escrevi sim estas entradas todas a pensar no Luís que defende que a islamização é um mito. Tenho um segredo para vos contar, isto se eu entretanto já não o fiz: o Luís é a ÚNICA pessoa que eu conheço, ainda que virtualmente, que afirma peremptoriamente que a islamização é um mito. Não, não é nenhuma mentira. Só ele mesmo. Mesmo os que eu conheço e que não são tão histéricos ou alarmistas como eu e os que pensam como eu - que para o Luís tanto podem ser da extrema-direita como nazis (porque, repito, para ele são a mesma coisa) - concordam que é preocupante o aumento do número de muçulmanos "radicais" (tive que acrescentar este adjectivo que é para alinhar com o politicamente correcto), mas se os leitores estiveram atentos a esta posta que eu aqui coloquei em resposta a uma entrada que o Luís colocou no seu blogue, verá facilmente que ele nunca se preocupou em rebater com argumentos (ou provas, vá) os factos que me levam a crer que existe sim uma islamização (ele apenas diz que provou que a islamização é um mito - é lógico; só mesmo aquilo que lhe interessa). Reparem na falácia usada pelo Luís: eu é que uso contradições e disparates que não podem ser confirmados! Mas é ele que não se preocupa em refutar o que eu aqui coloco porque as minhas fontes são sempre tendenciosas! E quando é com ele as fontes mais enviesadas servem sempre desde que sustentem a causa dele. Só assim é que ele consegue virar o feitiço contra o feiticeiro e transformar vítimas em assassinos, como os cristãos coptas do Egipto que morreram vítimas da perseguição islâmica no pós-Primavera Árabe. Diz ele que nós é que recorremos a manobras de propaganda com forte incidência nas imagens, coiso e tal... Só não sei porque é que ele não respondeu a todas as outras coisas que eu escrevi nessa posta. Vá lá saber-se, né? Como o Luís é, repito, a ÚNICA pessoa que eu conheço e que acredita que a islamização é um mito, vou ter de chegar forçosamente à conclusão que só ele é que está mal.


Em baixo, ele em momento algum se preocupou em refutar o que quer que seja, como por exemplo comentar o vídeo mais que tendencioso certamente criado por nazis ou extremo-direitistas e que fazem as delícias aqui dos paranóicos como eu. Quando não há argumentos o insulto é sempre a via mais fácil, mas como ele é um tipo todo polite, o insulto por vezes camufla-se com uma boa dose de ironia à mistura, portanto pronto, lá veio o PREC...


Mas o Luís não consegue meter uma coisa muito simples na sua cabeça. Ele acredita que eu estou contra a imigração ou contra os muçulmanos só mesmo naquela do ter de estar. É claro que há mesmo resmas e resmas de cenas no meu blogue que ele não leu porque não teve tempo mesmo ou simplesmente porque não lhe convinha mesmo nada ler, caso contrário saberia até se cansar que eu sempre defendi que os imigrantes têm que cumprir com as regras dos países que os acolhem. Aliás, ao contrário de muitos "nacionalistas", eu uso sempre a palavra "alógeno" associado a imigrante criminoso. É que se o Luís quisesse mesmo apostar nessa sua paranóia acerca de mim, não iria nunca conseguir entender como é que eu posso ter amigos negros, indianos, chineses, etc. E não, ó Luís, podes estar descansado, não entro em tilts nem em nada do género, não tanto como tu gostas de entrar quando o assunto é a Igreja Católica. Neste aspecto és tal e qual um ateuzinho: gozar ou ofender as crenças dos outros é fixe e legítimo, mesmo que isso signifique gozar ou ofender directamente os crentes, mas agora ai daquele que se atreva a gozar contigo! Estás acima de Deus, da Igreja, de tudo? Isso é que era bom, né? E repara lá se ultimamente não és tu que me tens "perseguido" no Facebook com as tuas brincadeiras... Não me digas que acreditas estupidamente que tu me consegues fazer mudar de opinião? Desiste lá disso, ó homem...

Quanto à Suécia e à Dinamarca, a táctica habitual do Luís: pois, é claro que há integração das muçulmanas! Então não há? Faz-me lembrar os malabarismos que ele teve que usar para desmentir a informação de que a Suécia é o segundo país do mundo com a mais alta taxa de violação devido à imigração, sobretudo muçulmana. No Facebook, o Luís fez uso do ABC (nada tendencioso, pois claro, porque se fosse já confirmaria que a Suécia é mesmo o segundo país do mundo com mais violações)... que diz que a Suécia, olha, afinal está num "honroso" sexto lugar nesse capítulo.


Ahá! Uma luz no fundo do túnel!!


É claro que a estatística não é nada agradável mas é sempre melhor acreditar em fontes que colocam a Suécia em sexto lugar na lista dos países com as mais altas taxas de violação do que nas que dizem que é o segundo país, não é assim? Assim já se pode legitimar a imigração islâmica, o multiculturalismo, a substituição demográfica! Ah, pois é, porque é que esses europeus brancos não fazem mais filhos? Assim é claro que no futuro os europeus serão assim mais para o escurinho, para gáudio de gente como o Luís. O quê, racismo? Qual quê! Cada qual só tem o que merece, é ou não é? Assim, se há cada vez menos brancos é tudo por culpa dos próprios brancos! A Europa nunca teve tanta gente como tem agora, mas ai daquele que defende o controlo da imigração! Quem é que ainda não sabe que os países ocidentais são de todos e que África é dos africanos como a Ásia é dos asiáticos?

É engraçado a posição do Luís. Como é que dois ou três casos isolados não são prova? Então quer isso dizer que os suecos não são como nós sempre pensávamos que eles são, isto é, um povo socialmente desenvolvido, organizado e solidário? Ah, deve ser obra dos naturalizados, então. Não é por acaso que dizem mesmo que eles já são tratados como "novos suecos". Coisa que agrada imenso ao Luís, pois, como já foi referido, os brancos não se reproduzem portanto é óbvio que no futuro os suecos não serão mais como os que hoje ainda são. Aliás, a própria ONU (fonte tendenciosa, balha-me Déuz!) afirma que já não faltarão muitos anos para a Suécia tornar-se num país terceiro-mundista! Mas nada de dizer coisas estúpidas como substituição populacional, genocídio de um povo (crime contra a humanidade segundo a ONU, excepto se for de brancos ou de cristãos) e coisas do género, está bem? Nada de dizer estas coisas porque é tudo MENTIRA! O Luís é um valente social justice warrior, uma tendência que agora anda muito na moda.


Convido agora os leitores do meu blogue a darem uma vista de olhos no seguinte caso que qualquer pessoa com dois dedos de testa e algum bom senso tem de se conter para não começar a dizer impropérios: o Luís baseia-se num sítio oficial do governo da província alemã de Baden-Württemberg - diz ele que esta localidade é o melhor lugar para se viver - onde 10 milhões de residentes "produzem três vezes mais que nós". Lá, cerca de 11% da população é imigrante ou de origem não-alemã, havendo entre eles não só muçulmanos como também italianos e gregos. Qual é o argumento precipitado do Luís? Os imigrantes contribuem necessariamente para a prosperidade económica, dando uma facada em todos aqueles que acreditam que a esmagadora maioria dos migrantes muçulmanos (a maioria desses imigrantes) é escória e uma contrariedade para as despesas públicas. No Facebook ele fez questão de me dizer que esta é uma ligação directa que ele próprio faz, e não o governo local, e terminou o seu comentário assim: "factos são factos, ponto". Mas alguém estava à espera que um sítio oficial de uma municipalidade tenha tomates e diga coisas desagradáveis sobre ela própria? Tipo, em Lisboa devíamos falar a nível oficial dos problemas que assolam a capital portuguesa? Marketing não é assim, meu caro: trata-se de realçar o que há de bom e do melhor e minimizar ao máximo, de preferência ocultando, tudo o que é mau. Mas quando há provas de que os imigrantes contribuem para o aumento da criminalidade (como o caso da Suécia)... ah bom, vá lá, então, é, é... tipo, os nativos também cometem crimes, certo? Dois pesos e duas medidas!


Vejamos: ele é que faz a ligação entre a emigração (imigração neste caso) e a prosperidade económica (porque é que o sítio oficial não o faz? Tem medo de ferir susceptibilidades nazis e extremo-direitistas?) e diz que é um facto. Mas a prosperidade não pode ser devido acima de tudo e principalmente à maioria dos trabalhadores de lá que é alemã, formada, competente e trabalhadora? Não pode antes ser o facto da localidade ser próspera a nível económico e daí haver precisamente por lá tantos imigrantes à procura de melhores condições de vida? Se isto fizer sentido então o Luís transformou a consequência na causa (é engraçado como esta fonte também não diz nada sobre o contributo da imigração na prosperidade económica). De acordo com a Wikipédia, a região é das economicamente mais avançadas da Europa sobretudo nos sectores de alta tecnologia e de pesquisa e desenvolvimento. Logo, conclui-se, segundo a óptica do Luís, que os imigrantes que vão para lá são todos especializados, o que se enquadra no fenómeno do brain drain. Ou será que eles vão para lá para fazer o que os locais não querem fazer? Também é uma hipótese tão plausível como a de, graças a 11% da população, a economia ser pujante - e sem esses 11% a coisa estar diferente, para pior. Seja como for, em termos gerais nada disso invalida a existência de milhares de imigrantes que, longe de contribuírem para a riqueza dos países acolhedores, são antes mais encargos para os respectivos contribuintes. E, depois de andar a perder algum tempo a pesquisar, descobri aqui que Baden-Württemberg foi a primeira região alemã a implementar a nível regional a deportação. Que dado tão curioso...

Como, os "refugiados" não rejeitaram comida da Cruz Vermelha por causa da cruz? Então, onde é que está a prova nada tendenciosa e irrefutável sobre isso?

video

Epá, então não se vê perfeitamente no vídeo tendencioso e cheio de malícia e raiva contra os "refugiados" que eles não gostavam era da farda dos homens? Não tem nada a ver com a cruz, pá! Este é que era o "precioso detalhe" que escapou aos islamofóbicos. Aliás, as fontes que dizem que os "refugiados" não recusaram comida, apesar dos gestos evidentes que andaram a fazer, defendem que eles não queriam comer mas sim atravessar a fronteira apesar de não estarem autorizados a tal. Procede?

Reparem no que é que diz um sítio islâmico sobre a cruz como a da cruz vermelha. Ahhh, esses muslos, não podemos levar a sério tudo aquilo que dizem... São uns brincalhões, nada de mais...


Ah, malandro, de novo! Lá porque há gente que não crê em Jesus Cristo não quer dizer que eu tenho de deixar de acreditar que Jesus Cristo diz a verdade, né? Para mim o agnosticismo também é algo que infelizmente existe como o ateísmo ou o islão também existem, so what? A alegada falta de conhecimento, como significa a palavra agnosis, permite afinal ter a certeza de algo a ponto de poder afirmar categoricamente o que quer que seja? Tem mais piada gozar com o agnosticismo do que com uma religião: mas se não se pode ter a certeza da existência de Deus então porque é que se perde tempo a falar de Deus, esse "tipo invisível", e das religiões? É um mistério! Eu até consigo compreender que ser agnóstico é uma maneira mais chique da descrença, pois ao contrário dos ateus os agnósticos historicamente não carregam nenhum fardo relacionado com ideologias nefastas nem com matanças. Mas também não é menos verdade que do agnosticismo nunca se gerou nada, é como o vazio que nada preenche, antes permanece na mesma. E sei também que faz imensa confusão ao Luís haver seguidores de Jesus Cristo, mas e depois? Ah, e de facto o Trump não diz verdade nenhuma. É a mentir que se ganha as eleições, é verdade... de repente lembrei-me do caso português. Enfim, já até estou a imaginar o que lhe vai na alma: os americanos são burros por terem preferência pelo Trump. Aliás, os americanos são e sempre foram burros. Se calhar é por causa disso que ainda são a actual superpotência mundial. Nada mau.


Sigamos agora para a posta seguinte do Luís:


Ora aí está! Só faltava mesmo isto! Absorvido pela febre agnóstica, irmã bastarda do ateísmo, o Luís agora pretende escarrapachar-nos nas fuças o facto da Bíblia ser um livro igualmente terrível como o Alcorão porque há livros do Antigo Testamento que nos dizem que a carne de porco é proibida. É preciso ser tão básico que até chateia, isso de andar a querer comparar o Cristianismo com o islamismo. O Luís não sabe porque é que o porco era considerado um animal impuro, como também são o coelho, os peixes sem escamas, a avestruz e os répteis. Então e porque é que os judeus - e não os cristãos, ok? - consideravam e ainda consideram estes animais impuros? Esta é que é a questão que não pode ser ignorada. Quem lê o Antigo Testamento percebe que os israelitas são o povo eleito por Deus, portanto nessa qualidade houve a necessidade duma distinção entre Israel e os gentios (os outros povos que eram pagãos). Assim, o que os gentios comiam estava interdito aos judeus. A distinção era vista também em diversas outras leis que proibiam práticas comuns dos pagãos. Este facto é entendido ao longo da leitura da Bíblia, mas, claro, isto é só para quem sabe lê-la.


Primeiro: o Luís acha que é a única pessoa que está em contacto com pessoas na Europa? O Luís acredita que só ele é que fala com gente que veio agora da Europa? Que argumento mais que conveniente. E se eu lhe disser: "ai sim? Que giro, olha que eu também!"? E se eu lhe disser que possuo relatos de gente que está ou esteve na Europa e que presenciou in loco ou sofreu directamente na pele a islamização? Ainda agora apareceu na SIC Notícias o investigador português Ricardo Soares de Oliveira a dizer que viveu alguns anos na Bélgica e que conheceu muito bem o bairro de Molenbeek dizendo que só não vê quem não quer que aquilo é um antro de islamização e de criminalidade, como o tráfico de droga, e que até é sobejamente conhecido pelas autoridades belgas. Mas ahhh, é verdade, é claro, já me ia esquecendo: é tudo MENTIRA, invenções, má fé, má língua...

Segundo: o "truque" do Novo Testamento? Mau, Maria! Então mas o cristão é aquele que segue a Antiga Aliança ou a Nova, pá?? Mas quem é que é esse agnóstico para querer sequer ousar pensar que consegue ensinar o padre a rezar Missa? Escuta aqui, ó amigo, sabes que existe o Novo Testamento por algum motivo, não sabes? Sabes que hoje em dia ainda existem judeus, não sabes? Ah, mas o Antigo Testamento faz parte integral da Bíblia e não sei quê, blá blá blá, mimimi... De acordo! E depois? Sabes que se começa sempre a ler um livro da primeira página até à última, não sabes? Começa-se a ler do princípio até ao fim, não é? Ou quando contavas a história do Capuchinho Vermelho ao teu filho dizias-lhe que a chavala visitou primeiro a avó antes dela ser comida pelo lobo? É à pala de rancorosos actuais com intelectos funcionais assim que as coisas não andam para a frente. Qualquer dia o Luís vai dizer que os portugueses escravizaram negros no passado, o que é um facto, portanto os portugueses continuam a ser um povo escravizador agora e para sempre por causa do que fizeram os seus antepassados. Isso elevado ao extremo resulta numa espécie de um antifa esquerdista irracional dos dias de hoje que clama pela destruição da civilização ocidental desejando a vingança dos descendentes dos escravizados...

É certo que o Deus castigador do Antigo Testamento assusta e incomoda muita gente, principalmente os incréus. Mas, caramba, estavam à espera que os homens de há mais de 1000 anos atrás e que viviam em contextos e realidades completamente diferentes de nós escrevessem o quê? Coisas que se conformassem com a maneira de ver que nós, gente do século XXI, temos?? Mas pronto, já está mais que provado que não vale a pena discutir a Bíblia com o Luís porque o homem é daqueles que ficam retidos no tempo e não andam para a frente. Será difícil para ele entender o outro lado da medalha, como por exemplo as canalhices que a Bíblia fala e que tentaram sempre fazer com o povo judeu? É uma viagem ao Inferno demasiado arriscada para ele fazer, pelo que fica só mesmo na parte do sadismo, no locus horrendus, e põe depois em causa tudo aquilo que vem depois. Ah, um cristão diz ao Luís que Deus é amor? Não, não é - diz ele. Deus é punição, é sádico, mata povos, logo não pode amar. Que raio de Deus seria se tivesse Ele deixado então extinguir o povo que cria n'Ele? E se as populações inteiras hostis, como a de Sodoma e Gomorra onde não se achavam sequer dez justos, não tivessem sido aniquiladas? E o conceito de justiça? Olha lá, ó Luís, e se alguém te matasse a mulher, ias perdoar assim na boa o assassino? Ou ias exigir justiça? Olha eu, que acredito em Jesus como tu sabes, se alguém se atrevesse a fazer isso a alguém que me é querido, acabaria logo com a raça dessa pessoa! Mas isso sou eu, que sou sádico e nada adepto de coisas tipo make love, not war característico dos hippies...


A passagem bíblica diz o seguinte e fiz questão de sublinhar uma frase a verde desta vez porque o camarada já tinha também sublinhado a primeira frase do versículo 20 - que eu não lhe pedi para ler, pá!! - com a cor vermelha:


Xiiiii, mas isto aconteceu mesmo?? Já viram a interpretação desonesta do Luís? Jesus proclamou puros todos os alimentos, logo também a carne de porco, né? Não, hahaha, já sei, já sei, é MENTIRA!! Foi por isso que ele ainda zombou desse facto e preferiu contornar o versículo 19 para falar do versículo 20 dizendo que se trata da "parábola do cocó". How crazy can it get? Realmente há mesmo gente que não tem mesmo tal entendimento como afirma a passagem...

Ai ai ai, então e o São Pedro? Como se já não bastasse ele ter eliminado a obrigação da circuncisão para abraçar os gentios à fé de Cristo (sim, a circuncisão é ainda uma prática corrente entre os judeus e os muçulmanos), ainda caçou animais impuros para comer e depois foi dizer que não comeu animal impuro nenhum (Actos 10:14)! Mas pronto, isso não interessa para nada, pois para o Luís o que interessa é que na Bíblia está escrito no Antigo Testamento que não se pode comer porco. Portanto, como está escrito então tudo o que se escreveu depois disso e que faz com que isso deixe de servir não conta! Se calhar para o Luís, os cristãos não deveriam comer carne de porco porque têm na Bíblia o livro sagrado dos judeus que é a Torá. Assim, pergunto eu: então mas afinal os cristãos seguem Jesus, que levou as leis à perfeição (Mateus 5:17), ou para serem exactamente iguais aos judeus como se Jesus não tivesse vindo ao mundo? Ele há com cada coisa...

Quem já leu a Bíblia e o Alcorão consegue facilmente, sem grande inteligência, chegar a uma óbvia conclusão: o Evangelho é uma mensagem actual (logo o Antigo Testamento deixou de ser válido porque foi ab-rogado) tal como o Alcorão (que é supostamente um "ditado divino") tem versículos que foram ab-rogados: os versículos melhores, os mansukh, deram lugar a versículos ab-rogadores, os nasikh, que são violentos e usados agora pelos jihadistas (os tais "radicais") como fonte de inspiração!

E desculpa lá não comentar as outras coisas, como aquela cena dos tipos dos direitos dos animais, porque realmente não vi por lá ponta por onde pegar.


Não é por nada, mas parece que essa táctica de atirar com o porco aos muçulmanos tem resultado... pelo menos nos locais destinados à construção de mesquitas. E ei, parece que os próprios islâmicos levam mesmo muito a sério a "profanação" dessas terras e exemplos destes não faltam. Ah, mas se calhar não passam de uma grande MENTIRA.

Não, meu caro, eu não circulo por este mundo com os faróis no mínimo e os piscas avariados porque simplesmente não conduzo. Mais um cavalo mal apostado...

Alá, o nosso Deus comum? Que politiquice correcta e ecuménica, meu caro! Ainda não aprendeste, nas tuas imensas visitas aqui ao meu blogue, que eu não considero que Alá é Deus? E não me estou a referir à palavra árabe que significa mesmo Deus, mas sim ao que é que Alá é e o que ele é não é seguramente Deus. O Alcorão diz de forma inequívoca que Deus não tem filhos (Sura 4:171), logo nega a Trindade, ou seja, não estamos mesmo de maneira nenhuma a falar do mesmo Deus. Já cheguei inclusive a falar disso numa das respostas que te dei aqui no blogue. Mas é claro que preciso dar-te um desconto nesta questão, pois afinal de contas és um agnóstico e não se pode exigir que percebas minimamente de religiões. Ah, e antes que digas que as religiões não fazem falta, parece que a História da humanidade, para o bem e para o mal, não está disposta a dar-te razão. Aliás, não se pode querer que um agnóstico perceba do que quer que seja sobre Deus e sobre as religiões porque o agnosticismo não é sequer uma posição válida pelo simples facto do "não saber" ou do "talvez" não fazer parte da lógica. Um agnóstico está automaticamente errado porque não sabe se existe ou não Deus e qualquer esboço de interpretação ou crítica que ele faz sobre a Bíblia ou até mesmo o Alcorão já faz parte de uma fase incoerente posterior que escapa à verdadeira essência do agnosticismo.


O fim da nossa conversa, diz o Luís? Que eu saiba lá no Facebook eu esperei que ele desse seguimento à mesma, pois assim eu podia ter desenvolvido o meu raciocínio e se calhar ter-se-ia evitado que ele agora falasse do fim da nossa conversa no blogue dele. A imagem de baixo é a prova de que foi ele que me deixou a fazer a pergunta para o boneco e posso jurar que eu não apaguei nenhum comentário dele. E ele também pode confirmar que foi ele próprio que desistiu de conversar comigo. Foi um fim da conversa por ele imposto, depois de me ter dito para esperar porque ele estava a ir para casa.


E assim é claro que é fácil dizer depois besteiras como eu já estar pela cintura na "areia movediça da incoerência e do disparate", quiçá já mesmo muito pertinho de bater as botas... quando na verdade foi ele que fugiu da conversa se calhar porque já não estava a conseguir dar conta do recado e bazou para casa, para o seu local de conforto, para preparar com calma o seu "ataque" por aqui na blogosfera. Ora, eu não tenho o hábito de fugir de uma boa discussão e tudo o que ele escreve e que me é dirigido, desde que eu tenha conhecimento, não fica nunca sem a sua devida resposta. E até agora quem se limitou sempre a fugir das discussões ignorando propositadamente ou sem capacidade de dar respostas aos meus argumentos (FACTOS) é ele. Por isso que eu acho imensa piada à sua maneira de virar o tabuleiro quando lhe é desfavorável inventando piadas como isso de eu andar a recorrer a metáforas numa de insistir que ele é que é o cromo que possui a verdade toda. Ele não tem interesse nenhum em refutar, debater, discutir, dialogar. Ele só quer impor, contrariar, dizer que tem números, provas e factos, mas só ele mesmo. Se alguém lhe apresentar coisas que desmintam o que ele defende, ele deixa de responder ou acusa a pessoa de ir a fontes tendenciosas e talvez bata com o pé e vá logo arquitectar um plano que envolve escrever uma ou mais do que uma posta no blogue para mandar abaixo uma pessoa como fez com a Maria Vieira (teria piada se ela tivesse conhecimento de que foi "vítima" do Luís e lhe respondesse à letra).

E pronto, vou ficar por aqui, mas não sem antes deixar um recado útil aos meus amigos leitores: tenham cuidado com o que andam a ler por aí. Têm que aprender a distinguir a verdade da mentira! Vocês querem notícias verdadeiras? Perguntem àquele que sabe mesmo a verdade por ter os números e os factos. Não, pelo visto não é Jesus ou o Donald Trump. É o Luís Crespo. Leiam o que ele escreve. É tudo a verdade, apenas a verdade e nada mais para além da verdade. Não percamos mais o nosso tempo. Só ele sabe o que é a verdade e o que é a mentira. Sigamos pois o Luís, o verdadeiro salvador, nascido já há 41 anos atrás. Glória a ele nas alturas! Ámen... doins.

20 comentários:

Fatyly disse...

Ó rapaz tive de soltar uma sonora gargalhada com estas tuas palavras (atenção por respeito e jamais em tom depreciativo):

"O blogueiro Leocardo, o grande Luís Crespo, aquele mesmo que não pára de surpreender com a sua preserverança (ou teimosia) em relação àquilo que tão romanticamente acredita e defende(...)"

e sabes porquê?

Porque tu procedes e és tal e qual o que descreves de "Leocardo" que desconheço quem seja. Não li o post, fiquei-me apenas por este teu pedaço e ambos defendem no ou o que acreditam.

Não sei se existe harmonia entre vós, mas já noutro post que li...vejo apenas duas visões diferentes sobre o mesmo problema.

Respeito e muito o teu espaço e não te julgo por nada, assim como teria a mesma postura se frequentasse o espaço do outro Senhor.

Apenas isto e sobretudo para ti e sabendo tu como sou e quem sou, acho (sem incriminar-te em nada) que a divulgação de imagens assustadoras, dantescas, com ou sem permissão dos intervenientes passa a uma banalização do cerne da questão e como tal não vejo.

Vi, o que desejo que nunca vejas
Senti, o que desejo que nunca sintas
Ouvi, o que desejo que nunca oiças
Comi, o que desejo que nunca comas


e a ambos desejo o encontro de coordenadas de entendimento e que a esperança num futuro melhor esteja sempre presente nos vossos corações.

Desculpa, desculpem as minhas palavras!

Um abraço e tudo de bom junto de quem mais amas.

Feliz Natal


FireHead disse...

Hahaha, gostei do teu comentário. Bom, cada qual vê as coisas que quer ver, como quer ver, e depois tira as conclusões que melhor entender. Eu nada tenho pessoalmente contra o Luís Crespo, até o tenho no Facebook, mas é claro que há certas coisas que passam dos limites. Ele considera-se o maior, o mais esperto, o mais engraçado e depois ainda se vangloria do que escreve. O pior é que depois faz constantemente publicidade ao que escreve, expondo-se a ele próprio (coisa que se calhar ele até adora) mas também aos outros, como a Maria Vieira, o Nuno e eu, claro. Conheço gente que já me disse que ele é problemático e incendiário, havendo até amigos meus que o eliminaram do Facebook por causa disso, ou por não estarem para ler as cenas que ele escreve no mural. O problema é que, como se isso não bastasse, ele também gosta de replicar os seus textos em grupos do Facebook...

Boas Festas! :)

Afonso de Portugal disse...

Confesso que não conheço o blogueiro em causa, mas estou francamante mal impressionado com a sua "argumentação". Nem sei se vale a pena perderes tanto tempo a responder-lhe. Por outro lado, se a audiência dele for mais ou menos a mesma que a tua, convém fazê-lo...

Ele garante que não existem "no-go zones"? Ele que o prove, deslocando-se até aos arredores de Paris, ou subúrbios de Londres e trincando uma sandes de presunto enquanto bebe uma cerveja à frente de toda a gente!

Ele diz que o Breitbart e o Gatestone Inststitute não são fontes fiáveis? Ele que prove que as histórias que eles publicam são falsas!

Ele diz que os muçulmanos se estão a integrar na SUPERIOR Civilização Ocidental? Ele que o prove, vivendo vários meses num bairro em que só haja muçulmanos!

Enfim, o problema desse Luis é o mesmo problema de todos os islamófilos... falam longe do epicentro dos problemas! E, como dizem os brasileiros, "pimenta no cú dos outros é refresco!"

Ivan Baptista disse...

Pá, não li tudo mas, parece que já não é a primeira vez que falas desse tal luís, e o que me parece é que, ele chama-te de sectário e parece que te sentes ofendido com isso, dás-lhe demasiada importância tás a ver :/
Pá, fica na tua e ele com a dele, é que se lhe dás demasiada importância, mais argumentos ele teem para te atingir com isso.
Caga nisso , mais pintelho ou menos pintelho vai dar tudo ao mesmo

Já agora , Cristo era bem diferente da representação da ultima ceia do quadro de Da Vinci :O
http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/sociedade/detalhe/cristo_era_moreno_com_metro_e_meio.html

FireHead disse...

Afonso de Portugal,

Ele fala de mim no blogue dele e depois replica as suas postas no Facebook, pelo menos no mural dele e em mais dois grupos do Facebook. Eu não aprecio este tipo de coisas porque gosto do anonimato. Perguntou-me ele se podia falar de mim? Não. Também de certeza que não perguntou à Maria Vieira se a podia criticar no seu cantinho. Só por causa disso estou a equacionar informar a Maria Vieira sobre isso, se é que ela já não sabe, que é para pelo menos ela usufruir do direito à resposta.

O tipo de argumentação dele é rasca. Eu sei que tu és ateu e respeito-te na mesma pela pessoa que és, mas o gajo simplesmente parece mesmo um daqueles ateuzinhos que ficam todo contentes quando descobrem a pólvora e acreditam que têm a posse da razão. E depois também acho incrível a forma como ele se precipita dizendo que as coisas são factos mesmo carecendo de comprovação. Aquela então da Baden-Wüttemberg é de cortar os pulsos. Quem é que com dois dedos de testa acredita que essa região só é desenvolvida por causa dos 11% dos imigrantes, pá??

Ele diz que não existem no-go zones, que não existe a islamização, que sempre se pôde em todo o lado comer carne de porco na Europa e que o racismo também não existe! Já dá para ter assim uma ideia que tipo de gajo ele é, né? Audiência? Tem alguma. O blogue dele já teve mais comentadores, mas isso é porque dantes ele não filtrava os comentários. Agora é mais no Facebook que ele arranca palmas, mas para não variar os "amigos" dele são também da laia dele. Um deles até já veio dizer que eu é que tenho conceitos pré-concebidos e que não vale a pena discutir comigo, dando razão ao Luís Crespo... que prefere fugir em vez de responder ou acusar as fontes às quais eu recorro de serem tendenciosas... Não parece um puto a fazer birra? Como ele é ou deixa de ser, é com ele... mas agora arrastar-me juntamente com ele para a lama é que não!

Ele, provar que as histórias são falsas? Eu até acho que sei como é que ele reage a isso: são apenas "dois ou três casos isolados". Na pior das hipóteses ele diz que os nativos também são assim ou ainda fazem pior. Doutra vez publicou no Facebook sobre crimes cometidos pelos extremo-direitistas e insinuou que lá em Rotherham não houve aquele escândalo da pedofilia em massa cometida por muçulmanos. Assim é claro que não vale a pena discutir, mas não é comigo, não...

O gajo deve achar que nós temos prazer em estar contra os muçulmanos. Eu não tenho prazer nenhum. Com os muçulmanos eu posso bem desde que não estejam a fazer merda na terra que não é deles. Como diz o Geert Wilders, o meu problema é com o islão. Mas não vale a pena. Para os Luíses da vida airada nós somos racistas, islamofóbicos, nazis, isso tudo.

Ele está longe, bem longe, do epicentro dos problemas... está em Macau, uma terra simpática onde a maioria é chinesa, ou seja, um povo que não tem nem nunca teve problemas em lidar como deve ser com os muçulmanos. Se ele vivesse numa no-go zone - e ele até podia ir mesmo lá viver já que não acredita que isso existe - é que haveria de ser lindo. Aí já veria como é que elas mordem. Há muitas pessoas assim como o Luís que já viraram autênticos islamofóbicos depois de uma agravéis experiências enriquecedoras ao pé dos muçulmanos. Se calhar é mesmo isso que lhe está a fazer falta.

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Nos últimos tempos ele não me tem parado de chatear lá no Facebook postando merdinhas. Pá, se a intenção dele é picar-me, como pode ele não esperar uma reacção da minha parte? :O

Quanto à imagem de Cristo, essa aí já é antiga e não passa apenas de uma hipótese, ainda por cima daquelas bem fatelas. É quase impossível que Jesus tenha sido loiro e com olhos azuis, pois Ele era judeu e naquela época e região a maioria dos judeus era etnicamente muito semelhante. Não fazia sentido nenhum Ele ser loiro, mas isso sou eu a dizer.

Se fores investigar melhor, os primeiros desenhos de Cristo nem sequer são as que hoje nós mais temos, mas sim as romanas que representavam Jesus como um jovem imberbe e de cabelo curto, à imagem dos romanos da época. Só mais tarde é que foi adoptada a imagem do Cristo Pantocrator, que é a actual.

Eduardo Oliveira disse...

Prezado FireHead:

Por que perder tempo com esse cidadão? Acaso achas que ele é apenas alguém mal informado aguardando a iluminação? Acaso achas que ele não percebe o que ocorre diante dos seus olhos? Essa gente é vítima de fundamentalismo ideológico em grau demencial. A realidade pode até mesmo esbofetear a face de pessoas como ele que ainda assim nada mudará. Não perca o seu tempo com gente assim.

Lura do Grilo disse...

Caro Firehead

Lamento dizer também que acho que lhe dá demasiado troco. Desmontam-se as falácias do Leocárdio, Leonardo, Leopardo ou o que seja o que for, em quatro tempos:

1 - O velho testamento é também subscrito pelos muçulmanos
2- O novo testamento veio abrir ao homem um novo tempo para os que "eram duros de coração" e julgavam os outros sem olhar aos próprios pecados
3 - O bom cristão imita Cristo cuja única irritação foi correr com uma corda os vendilhões do Templo e o bom muçulmano imita maomé: um homem viciado, violento, escravizador, salteador, assassino e violador
4 - O novo testamento abre o caminho para incluir todos os seres humanos; o corão evoluiu para o radicalismo que divide a humanidade ao meio: homens/mulheres; Crentes/não crentes;homens livres e escravos.

Acresce que o islão não é bem uma religião: é mais uma ideologia.

Um vintém é um vintém e um cretino é um cretino

Josephvs disse...

http://eponymousflower.blogspot.ca/2015/12/no-christmas-in-bethlehem-christians.html

Mais reportorio para mostrares ao fdp :)

Feliz Natal

FireHead disse...

Eduardo Oliveira,

Eu perco tempo com esse cidadão porque ele também perde tempo a falar de mim e ainda se vangloria das palermices que escreve - e o pior é que tem quem também ache piada ao que ele escreve para além dele. E sim, também tenho dúvidas que ele algum dia mude. Se não mudou mais cedo também não será agora a partir dos 41 anos que tal vai acontecer.

FireHead disse...

Lura do Grilo,

E o mais engraçado é que ele parte de pontos de vista do homem moderno na análise estática que faz da Bíblia. Ora, se ele tem a perfeita noção de que existem muitas coisas que não são lá muito boas no Antigo Testamento é porque é graças aos princípios e valores morais cristãos que lhe foram incutidos pela civilização ocidental do qual ele partilha porque foi nela que ele nasceu. Se fossem pelos valores agnósticos, bom, não seria nada assim, pois para começar nem sequer existem valores agnósticos.

De resto, para quem não percebe mesmo nada, todas as religiões são iguais, logo é óbvio que elas não fazem falta nenhuma. Eu, como crente na Igreja Católica, também digo sempre que as outras religiões é que não fazem falta nenhuma porque só a Igreja Católica é que é a verdadeira religião. Isso seria logo considerado fundamentalismo ou fanatismo porque eu sou crente. Um não-crente, como é o caso do Luís, é que nunca seria fundamentalista ou fanático. Não existe fundamentalismo agnóstico, pois não?

De facto tenho que dar razão aos tipos que o conhecem: ele é um problemático e incendiário.

FireHead disse...

Josephvs,

Não vale a pena, ele não acredita na islamização, seja no Médio Oriente, no Ocidente ou na Conchichina. A fonte é mais que tendenciosa. :P

Abraço e Boas Festas!

Anónimo disse...

Tas lixado, o gajo vai fazer o que fez, com um outro tipo há algum tempo. Que personagem demente aquele serzinho....

wind disse...

Não sei quem é o outro, mas nisto sabes que estou contigo. Assumo que soi Islamofóbica e borrifo-me para o que me possas chamar:)
Até já o escrevi no meu facebook e não tive insultos, se calhar porque só partilho com amigos. lololol

FireHead disse...

Wind,

Mas eu não sou islamofóbico. Sabes porque é que eu não sou islamofóbico? Porque fobia significa medo e islamofobia significa ter medo do islão, coisa que eu não tenho. Eu tenho é medo, porventura, do que é que os jihadistas podem fazer, mas isso é normal porque quem tem cu tem medo! Do mesmo modo que eu não sou xenófobo porque não tenho medo de nenhuma etnia!

O que eu verdadeiramente sou é anti-islâmico, e não é porque tenho medo do islão: é porque eu sei o que é que consiste verdadeiramente o islão.

Há quem confunda as coisa e mistura alhos com bugalhos quanto a isso. Eu não estou contra a imigração de pessoas que crêem no islão. Se eles não tiverem o desejo nem a vontade de islamizar ou matar "infiéis", e desde que sejam civilizados e saibam integrar-se num país ocidental e obedecer às regras que o regem, contribuindo também para o desenvolvimento do país em vez de estarem a sobrecarregar os contribuintes, não vejo o motivo de querer que eles não existam. O problema é que nós não sabemos, entre eles, quem é que vem por bem e quem é que vem por mal. Portanto, ou se procede a um critério rigoroso e controlo da imigração, ou corremos o risco de termos mais terroristas na Europa. Mais atentados como o que aconteceu em Paris vão com toda a certeza acontecer. E depois, vão continuar a chorar sobre leite derramado, é isso? Vão continuar a insistir na lavagem cerebral e dizer que o islão é pacífico e que os jihadistas não representam o islão?? Chamo a atenção para a "minoria" que é "radical": eles são mais de 60 milhões de pessoas. Isso é uma minoria? É, partindo do princípio que os muçulmanos são mais de 1000 milhões de vivalmas, claro...

FireHead disse...

Anónimo,

Referes-te ao Nuno? Pelo meio o Luís também gozou com o outro que também é agnóstico como ele e que disse que ele era anormal, ou algo assim do género, e o tipo até fez uma posta com um vídeo com as imagens dele... foi mesmo surreal... XD

Pá, eu acredito que ele não me vê do mesmo jeito que vê o Nuno e esse outro. Eu pelo menos considero-o um amigo apesar de todas as nossas divergências. Apenas defendemos a nossa dama e como não dá para agradar a gregos e a troianos ao mesmo tempo...

Afonso de Portugal disse...

«O tipo de argumentação dele é rasca.»

Eu nem chamaria ao que ele faz argumentar! Ele limita-se a descartar todos os incidentes envolvendo muçulmanos como sendo excepcionais.


« o gajo simplesmente parece mesmo um daqueles ateuzinhos que ficam todo contentes quando descobrem a pólvora e acreditam que têm a posse da razão»

O problema é que a esmagadora maioria dos ateus são de esquerda. E, no que toca ao Islão isso faz toda a diferença! Quando se trata de falar nos católicos, é só arrebatamento e agressividade, “ai, os padres são todos pedófilos”, “ai, as cruzadas foram um acto de agressão bárbara” e “ai, a inquisição matou milhares de pessoas por dizerem a verdade”.

Mas depois vem o Islão e é como se a noite fosse dia, “não se pode generalizar”, “todas as religiões apelam à violência”, “não podemos falar em misoginia islâmica porque em Portugal morrem muitas mulheres às mãos de machistas”, “as cruzadas foram um acto de agressão bárbara” e outras milhentas hipocrisias!

Para algumas pessoas, o ateísmo parece ser apenas um instrumento de rebeldia contra a Civilização Ocidental. Quanto o ateísmo não pode ser usado para atacar o Ocidente, perdem o interesse.


« Aquela então da Baden-Wüttemberg é de cortar os pulsos. Quem é que com dois dedos de testa acredita que essa região só é desenvolvida por causa dos 11% dos imigrantes, pá??»

Ninguém. Nem mesmo ele, estou convencido! A imigração, só por si, não determina o sucesso económico de nenhum país ou região. São o modelo económico e a organização social vigentes que levam esse sucesso.


«Não parece um puto a fazer birra? Como ele é ou deixa de ser, é com ele... mas agora arrastar-me juntamente com ele para a lama é que não!»

O problema é que este género de comportamento é mesmo uma estratégia deliberada. Havendo um passado comum e até uma amizade, torna-se ainda mais mesquinho.


«Ele está longe, bem longe, do epicentro dos problemas... está em Macau, uma terra simpática onde a maioria é chinesa, ou seja, um povo que não tem nem nunca teve problemas em lidar como deve ser com os muçulmanos.»

Então estás mais do que explicado. O problema dele é falta de conhecimento de causa!


«Há muitas pessoas assim como o Luís que já viraram autênticos islamofóbicos depois de uma agravéis experiências enriquecedoras ao pé dos muçulmanos. Se calhar é mesmo isso que lhe está a fazer falta.»

Eu não tenho a menor dúvida. A ele e a muitos outros que pensam da mesma forma!

FireHead disse...

Tipo, já deu para reparar que para ele os casos de terrorismo e criminalidade envolvendo muçulmanos são todos pontuais... e quando eles acontecem, alto lá, tem que ser bem investigado, não vá a coisa estar a ser inventada e alimentada por nazis ou pelos «nacionalistas», coisa que ele não gosta. Ah, e é bem verdade o que dizes, se há cristãos que acusam os muçulmanos de praticarem a islamização ou o terrorismo a resposta que ele dá é o facto dos cristãos não serem melhores, ou pelo menos no passado não o terem sido, e lá vem a lenga-lenga toda da Inquisição, das Cruzadas, do Galileu, do prego no pão e iscas com pataniscas. Ora, isso não é argumentar, é simplesmente fazer o contrário: fugir do debate usando chavões. Ainda por cima tratam-se de mitos e eu já por várias vezes expliquei aqui no blogue (coisas que não interessam a ele) o porquê de ter havido a Inquisição ou as Cruzadas.

De facto a maioria dos ateus é de esquerda. Por isso que até me admiro como é que tu podes ser de direita.

Bom, quanto à imigração, depende. Os Estados Unidos cresceram e tornaram-se super-potência mundial à base da imigração. Mas sim, também é verdade que há a imigração de gente que presta e a imigração de gente que não interessa a ninguém. E a maior parte dos imigrantes que ajudaram a fazer dos EUA uma grande nação é proveniente da Europa, com culturas semelhantes e de fé cristã (ainda que protestante, mas também católica como os latinos ou ortodoxa como os eslavos). Não consta que foram os muçulmanos que emigraram para os EUA logo depois da sua independência que contribuíram para o seu crescimento. Ora, até os chineseses de Cantão, os fundadores da Chinatown, fizeram seguramente mais que os muçulmanos, quanto mais não seja para construir as linhas férreas que ajudaram os americanos na sua expansão territorial a oeste. E no caso de Barder Württenberg, não são só os muçulmanos os imigrantes embora sejam a maioria, mas também italianos e gregos. Mas o que o Luís pretendia aí referir é a imigração em geral porque pensa que nós estamos contra a imigração em geral, o que é um erro.

Bom, eu não o conheço pessoalmente embora já o tenha visto algumas vezes porque Macau é um sítio bastante pequeno. O que eu sei é que ele vangloria-se daquilo que escreve como se fosse o dono da razão... e mesmo assim tem adeptos. Lol, realmente já nada me surpreende...

De resto, é um social justice warrior. Mais palavras para quê? Bem queria eu que ele também pudesse provar que tudo aquilo que eu escrevo aqui no blogue sobre os muçulmanos ou os «refugiados» fosse mentira.

Ivan Baptista disse...



" De resto, é um social justice warrior. "

Pessoas como ele, são como tu descreves, são uns " social justice warrior ", quer dizer, é que esse tipo de pessoas também incentivam a perseguição e o ódio tás a ver, é algo tipo, uma espécie de paradoxo .
Olha, fui lá para o blog do teu amigo e por estupidez ou não, deixei por lá um ou outro comentário, e achei-o muito simpático secalhar por não me dar troco :)
Afirmei algo como , achei muito mal o fulano expor as pessoas sem o consentimento das mesmas, isto porque, acho isso maldoso ,isso é tipo Bullying gratuito !

" O que eu sei é que ele vangloria-se daquilo que escreve como se fosse o dono da razão "
Pá, mas não somos todos assim ?
Também conheço pessoas com esse tipo de complexo, acham-se donos do conhecimento secalhar porque é uma mania, ou então, um simples distúrbio, pois não sei bem, há ,falta tambem ai falar daquelas pessoas que se acham donos da moral e dos bons costumes :)

De resto, por aquilo que eu tambem li no blog dele, será que existe para ali uma boa dose de mania da Ditadura da diversidade ? Olha, secalhar é só porque sim , pois secalhar também eu estou a dar-lhe importância a mais :/

É como aquela frase, falem mal ou bem de mim, o que importa é que me dão importância

Ou então outra frase, " Se soubéssemos quantas e quantas vezes as nossas palavras são mal interpretadas, haveria muito mais silêncio neste mundo. "

Fonte : ( http://www.citador.pt/frases/citacoes/a/oscar-fingall-oflahertie-wills-wilde )

Resumindo e baralhando, mas que pintelhice, tanto choro para quê ? Se ele te dá importância, secalhar porque tu ou algo o incomoda, caga-te nisso e continua na mesma ;)

FireHead disse...

Pessoas como ele, são como tu descreves, são uns " social justice warrior ", quer dizer, é que esse tipo de pessoas também incentivam a perseguição e o ódio tás a ver, é algo tipo, uma espécie de paradoxo .

Ele próprio já admitiu que já recebeu ameaças por causa do que escreve no blogue dele. Foi, aliás, por causa disso que ele decidiu sair do anonimato.

Olha, fui lá para o blog do teu amigo e por estupidez ou não, deixei por lá um ou outro comentário, e achei-o muito simpático secalhar por não me dar troco :)

Eu acredito que no fundo ele até é uma boa pessoa.

Pá, mas não somos todos assim ?

Somos e eu próprio admiti isso, pois fiz mea culpa praticamente logo no início desta minha entrada. Agora a questão é saber se temos ou não motivos para nos considerarmos certos.

Também conheço pessoas com esse tipo de complexo, acham-se donos do conhecimento secalhar porque é uma mania, ou então, um simples distúrbio, pois não sei bem, há ,falta tambem ai falar daquelas pessoas que se acham donos da moral e dos bons costumes :)

Pois, mas as pessoas também precisam de ter a humildade suficiente para aprender quando os outros mostram factos ou argumentos. Mudar de ideias faz parte da vida; já cismar e manter-se no erro é um problema.

De resto, por aquilo que eu tambem li no blog dele, será que existe para ali uma boa dose de mania da Ditadura da diversidade ? Olha, secalhar é só porque sim , pois secalhar também eu estou a dar-lhe importância a mais :/

Ele ultimamente tem feito da questão dos refugiados um cavalo de batalha. Todos aqueles que são contra o acolhimento dos refugiados são os alvos dele e não importa os argumentos que estes alegam para defenderem o que defendem; o ponto de vista dele é que está certo e acabou.

É como aquela frase, falem mal ou bem de mim, o que importa é que me dão importância

Sim, se calhar é isso...

Ou então outra frase, " Se soubéssemos quantas e quantas vezes as nossas palavras são mal interpretadas, haveria muito mais silêncio neste mundo. "

Fonte : ( http://www.citador.pt/frases/citacoes/a/oscar-fingall-oflahertie-wills-wilde )


É verdade. Eu por acaso também já cheguei a interpretá-lo mal e está aqui o que aconteceu:

http://bloguedofirehead.blogspot.pt/2015/05/esclarecimento-sobre-confusao.html

E para confirmar que eu, ao contrário de certo tipo de gente, não tenho problemas absolutamente nenhuns em dar o braço a torcer quando eu erro, fiz mea culpa. Ele pode confirmar isso mesmo.

Resumindo e baralhando, mas que pintelhice, tanto choro para quê ? Se ele te dá importância, secalhar porque tu ou algo o incomoda, caga-te nisso e continua na mesma ;)

Eu duvido que ele me dê importância... Ele tem-se é dirigido a mim por causa do que eu tenho andado a postar lá no Facebook, se calhar porque não tinha mesmo mais nada que fazer. Deve ser porque ele sabe que eu creio na Igreja Católica e como a Igreja Católica é um ódio de estimação dele, nada como pegar-se comigo para provar que ele é que é o dono da razão e que eu, que sou «inteligente» como ele diz que eu sou, é que ando «turvo por causa do veneno da religião»...