quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Mais uns vídeos sobre a invasão dos «refugiados»

Estes são alguns vídeos do Youtube que encontrei nos blogues Totalitarismo Universalista e Bare Naked Islam sobre a actual invasão dos "refugiados" que são, como todos nós bem sabemos, na sua esmagadora maioria muçulmana, ou seja, gente hostil à civilização ocidental.

Macedónia: "futuros médicos cirurgiões e engenheiros europeus" abrem caminho na Europa para chegarem aos países mais ricos como a Alemanha.

video

Holanda: um "refugiado" quis levar um iogurte para fora do centro de "refugiados", o que aborreceu uma assistente social. Resultado: houve um motim e a polícia teve que ser chamada para pôr um ponto final no desaguisado...

video

Reino Unido: a imigração atingiu o nível mais alto de sempre, com 381 mil imigrantes por ano, 201 mil dos quais fora do espaço comunitário europeu.

video

Alemanha: uma médica checa escreveu uma carta que fala sobre a invasão muçulmana que está a decorrer na Baviera, algo do qual os principais meios de comunicação não falam.

video

Grécia: "viúvas e crianças órfãs sírias" tentam ir pacificamente para os países mais ricos da Europa.

video

Itália: "refugiados" da seita islâmica acham que os atentados em Paris foram uma "coisa boa".

video

Nada satisfeita com o que já está a acontecer, a chanceler alemã Angela Merkel quer ainda mais e mais "refugiados" na Alemanha e na Europa, pois 1,5 milhões de "refugiados" não chegam! É preciso mais "técnicos superiores" desde os Balcãs a África que podem ser também chulos, islamizadores, jihadistas ou violadores...

video

Um excelente discurso da Marine Le Pen no Parlamento Europeu sobre a invasão "refugiada" islâmica: "o terrorismo é o resultado da imigração em massa e da irresponsabilidade dos políticos europeus". 

video

E depois bestas são os que acreditam nestas "notícias fabricadas" para denegrir a imagem dos "refugiados" e principalmente do islão e que fazem fomentar "o ódio, a xenofobia, o racismo", etc. Ainda bem que numa democracia a arma do povo é o voto e se é no nacionalismo que os europeus querem apostar, pois então viva a democracia!

Sem comentários: