segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Macau, Cidade Latina & Festival de Luz de Macau 2015


Houve ontem mais uma edição do "Desfile por Macau, Cidade Latina" que teve início nas Ruínas de São Paulo e terminou na praça do Tap Seac, reunindo, segundo a organização, cerca de 100 mil visitantes com muita animação, cor e música na celebração da multiculturalidade da antiga colónia portuguesa. Sob o tema "Paz, Amor e Integração Cultural", mais de 50 associações, coros musicais e grupos de danças locais, muitos deles de matriz portuguesa como os transmontanos Caretos de Podence que fizeram a sua estreia, desfilaram pelas ruas do território. As Ruínas de S. Paulo reproduziram um cenário que remeteu para os Descobrimentos, a Travessa da Paixão contou com as figuras do "Senhor Kiss" pensadas por um artista local para representar o amor, a calçada da Igreja de S. Lázaro foi invadida por "bactérias loucas" e, durante todo o desfile, Macau revelou as suas características culturais únicas. "Macau é pequeno, tem 600 mil habitantes, mas Macau tem quatro séculos de intercâmbio, não só com Portugal, mas com o mundo ocidental. Macau é uma chave que abre muitas portas, entre a China e a Europa", afirmou Guilherme Ung Vai Meng, o presidente do Instituto Cultural de Macau, salientando que o evento tem como desafio promover o centro histórico de Macau como património da humanidade pela UNESCO a todo o mundo.


A parada latina deste ano contou com o mesmo orçamento do ano passado (16 milhões de patacas, qualquer coisa como 1,6 milhões de euros) mas sofreu algumas alterações e melhorias. Só não se consegue compreender lá muito bem como é isto de dizer que Macau é uma cidade latina quando a esmagadora maioria da população macaense é chinesa e nessa mesma parada participaram, como sempre têm participado, imensas organizações não-latinas, com artistas chineses, taiwaneses, indianos e até mesmo indonésios. "Esta é a nossa característica, importantíssima, de certeza que continuamos (a realizar este evento", garantiu Guilherme Ung Vai Meng.


Depois disso as atenções viraram-se para o Festival de Luz de Macau 2015 - Viagem de Luz, que teve início ontem e que dura até o dia 31. Este ano o tema é "A Aventura em Macau da Fada da Borboleta e os Pequenos Elfos" e pode ser visto em 11 pontos turísticos da cidade entre as 19:00 e as 22:00. Organizada pela Direcção dos Serviços de Turismo em parceria com o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais e com a empresa de publicidade macaense Macau Creations, o Festival de Luz de Macau é mais um evento que visa posicionar Macau como um centro mundial de turismo e de lazer. Na cerimónia da apresentação deste que é o primeiro Festival de Luz de Macau, o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, referiu que "independentemente da escala, da forma de exibição e do programa dos eventos, eles reflectem de forma abrangente as características do encontro das culturas oriental e ocidental e o charme do património mundial, desenvolvendo, assim, uma maior sinergia".



4 comentários:

Fatyly disse...

Culturas que desconhecia por completo e o que chama mais a atenção é o imenso colorido. Gostei de ver e saber.

Boa semana

Beijos

Ivan Baptista disse...

Macau, Cidade Latina ..

E eu a pensar que se veria fotos de mulheres meio despidas a desfilar no Sambódromo !

FireHead disse...

Fatyly,

Felizmente aqui as coisas não estão tão más como muitas das principais cidades europeias porque por cá continua a haver uma esmagadora maioria étnica e cultural que é a chinesa. Aliás, não passa pela cabeça de nenhum chinês uma cidade chinesa não ter uma esmagadora maioria populacional chinesa. Se na Amadora dissessem o mesmo dos portugueses, o caldo entornar-se-ia. :P

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Ah não, isso não dá. Seria logo censurado. :)