sábado, 12 de dezembro de 2015

Iémen: jihadistas fazem explodir igreja


Um grupo de jihadistas fez explodir a igreja da Imaculada Conceição no Iémen na passada quarta-feira dia 9, um dia depois da solenidade da Imaculada Conceição, sob gritos de "Allahu Akbar" no bairro residencial de Moualla, em Áden, a segunda maior cidade do país. A igreja tinha sido construída em 1950 quando a região estava sob domínio britânico que durou até 1967. Já no passado dia 16 de Setembro a igreja de São José, situada noutra região da cidade, foi incendiada depois de ter sido saqueada na véspera, o que levou à debandada da maioria dos católicos do país. Segundo a Rádio Vaticano, os poucos católicos que permanecem no Iémen são assistidos pelos salesianos indianos Thomas A. Kizhake Nellikunnel e George Muttathuparambil. No Iémen estão ainda também cerca de 20 missionárias da caridade de Madre Teresa que cuidam dos doentes e que estão em quatro casas: Sana'a, Hodeida, Taiz e Áden. Desde a unificação do Iémen em 1990, a situação dos cristãos tem piorado devido à intolerância islâmica que não aceita outra religião senão a "religião da paz".
Enfim, profecias sobre o Anticristianismo que continuam a ser cumpridas.

4 comentários:

wind disse...

Filhos da mãe!

Lura do Grilo disse...

Uma tragédia que o cristianismo sofre e um silêncio cúmplice dos meios de comunicação social.

FireHead disse...

Wind,

Pois é, já viste? Se fosse em Portugal e alguém fizesse explodir uma mesquita, aqui d'El Rey, seria logo um crime de ódio e de racismo elevado ao cubo...

FireHead disse...

Lura do Grilo,

O silêncio e os braços cruzados por quem tem o direito, a obrigação e o dever moral de fazer algo pelos cristãos perseguidos fazem parte duma agenda esquerdista. Como o Cristianismo é e sempre foi um dos maiores inimigos do esquerdismo, nada como atacá-lo ou então deixar que um outro inimigo mortal da Igreja, o islão, dê conta do recado. Por um lado fazem cumprir as profecias sobre o Anticristianismo e por outro hão-de pagar bem caro por isso.