domingo, 13 de dezembro de 2015

Grace Poe

Senadora filipina desde 2012, Grace Poe é também empresária e filantropa
A senadora filipina Mary Grace Poe Llamanzar, mais conhecida por Grace Poe, quer ser presidente e está à frente nas sondagens mas tem a sua candidatura desconsiderada pela Comissão de Eleições por duvidar que ela tem uma ligação efectiva ao país. Grace, que nasceu em Buenavista, Guimaras, nas Filipinas, foi abandonada à nascença, em 1968, junto à catedral de Jaro, na cidade de Iloilo, e foi adoptada por um casal de actores filipinos famosos: Fernando Poe Jr. e Susan Roces. O nome Grace foi-lhe dado pelo padre que a baptizou, que disse que o facto dela ter sido encontrada foi uma graça de Deus. "Mantenho que sou uma filipina de nascimento e que cumpro o requerimento de 10 anos de residência", garantiu Grace, de 47 anos, na terça-feira. Ela viveu nos EUA mas regressou às Filipinas em 2005 após a morte do seu pai adoptivo, readquirindo a nacionalidade filipina em 2006. "Ser filipina é mais do que está no papel e no nome. É ter uma vida honrada, os nossos valores e, outra coisa, servir de forma honesta", afirmou, esperando agora avançar com um pedido para o Supremo.

Grace Poe a rezar na catedral onde foi encontrada quando era bebé
Grace precisa agora de provar à Comissão de Eleições que tem efectivamente família filipina. "Descobri que eu tenho uma suposta tia em Guimaras. Ficarei muito feliz se isso for verdade", disse Grace aos jornalistas. Essa tia chama-se Lorena Rodriguez-Dechavez e é a irmã da sua falecida mãe, Victoria. Lorena já garantiu ao Inquirer, um órgão informativo filipino, que pode fazer um teste de ADN a qualquer momento para provar que ela é de facto a sua sobrinha. "Nós temos estado calados este tempo todo porque ela tem-se dado bem. Mas agora vimos em defesa dela porque a sua candidatura está a ser questionada", afirmou Lorena.

Sem comentários: