quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Capa de uma revista no Ocidente do futuro

10 comentários:

João José Horta Nobre disse...

De arrepiar!

FireHead disse...

É só uma brincadeira, amigo. Toda a gente sabe que a islamização é um mito. Há quem diga que tem números, dados, enfim, factos que confirmam isso mesmo.

C disse...

Infelizmente são quase todos árabes, pretos, não sou branco como 99,9% dos portugueses, porque branco é norte europeu e escandinavo, não sou racista, mas os pretos são atrasados e os árabes, não tem haver com religião, os países cristãos em áfrica também são um caos, não é pela religião é por os pretos serem atrasados.

FireHead disse...

E a maioria dos árabes é muçulmana. Coincidência apenas.

Douglas Sulzbach disse...

Não, a África e o Oriente Médio não são atrasados por causa da cor da pele, são atrasados por causa da religião mesmo, por causa daqueles costumes primitivos que eles insistem em manter em pleno século XXI, o ultra-conservadorismo deles é o entrave para o progresso daquelas regiões. O Qatar por exemplo, é rico por causa do petróleo, mas sua população é uma das menos alfabetizadas e desenvolvidas do mundo todo, tudo por causa daquela seita deles que proíbe que as mulheres estudem, tenham formação acadêmica, que elas participem da política do Estado, que exclui os seguidores de outras crenças, enfim.
No mundo nenhum país islâmico tem alto IDH, nenhum mesmo, a mais bem colocada é a Turquia que já é bem mais liberal.
Agora na África, que já tem países católicos (cristãos no geral) estes são os mais desenvolvidos do continente, ainda com péssimo IDH, mas melhores que os islâmicos. Angola e África do Sul por exemplo, são melhores que Somália, Eritreia, Sudão!
Mas uma coisa nunca deixa de ser verdade: todos os países de maioria branca/europeia, são desenvolvidos e de primeiro mundo: Canadá, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, toda a Europa (incluo alguns países do leste também como Polônia e República Checa), no próprio Brasil, as regiões mais desenvolvidas foram aquelas colonizadas por imigrantes alemães, italianos e poloneses (dentre dezenas de grupos étnicos que colonizaram o país)!
Tem alguma explicação para o sucesso das raças brancas? não poderia ser tanta coincidência.

C disse...

São violentos mais por serem árabes do que por serem muçulmanos.

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Ui, não digas isso porque há muitos consumidores de mitos que acreditam que a Igreja atrasou o desenvolvimento, contribuiu para a ignorância, o analfabetismo, a anti-ciência, o anti-progresso, etc. etc.! :)

Historicamente não se pode negar o facto dos brancos terem-se superiorizado em termos civilizacionais. Tal facto não é alheio o Cristianismo que, para muitos, não contribuiu para nada de nada, foi apenas um acessório, um penduricalho, que apenas serviu para atrasar e matar, lolol.

O curioso é que, cientificamente, os amarelos (asiáticos) até possuem um QI superior ao dos brancos. Faz algum sentido no caso excepcional do Japão. Países de maioria negra não são países bons para viver, mas já foram bons quando os brancos lá mandavam, como é o caso da África do Sul e mesmo de Angola ou Moçambique. Mas é claro que todos nós sabemos que eu por estar a afirmar isto sou um enorme racista. :)

FireHead disse...

C,

Sim, claro, porque o islão é a religião da paz! Mas tu não deste um tiro nos pés? Então o povo árabe, que é maioritariamente muçulmano, não devia estar domesticado pelo islão que tu bajulas?? :O

Douglas Sulzbach disse...

Não sei de fato que quem mais contribuiu para o progresso do Ocidente, mas uma coisa é certa: nenhum país muçulmano é bom para se viver (claro que só para os extremistas), haja visto os conflitos que ocorrem dia sim e outro também, tudo em nome do Maomé e das 72 virgens prometidas!

FireHead disse...

Douglas Sulzbach,

Pois é. Nenhum país muçulmano é bom para se viver. Mas muitos muçulmanos querem bazar para o Ocidente, ou seja, para uma terra que não é muçulmana, supostamente porque por lá vive-se melhor do que nas terras muçulmanas. E depois que já lá estão, importam as suas culturas hostis em relação ao Ocidente e procuram impor os seus costumes e o islão. Para quê? Para depois acabar por transformar o Ocidente como a miséria de onde fugiram? Faz sentido?