segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

A melhor escola portuguesa é controlada pela Opus Dei

A Igreja sempre desempenhou um papel fundamental na educação e no ensino
Sem espinhas: o Colégio Cedros, de Vila Nova de Gaia, que é só para rapazes e tem o apoio da Opus Dei, é a melhor escola secundária portuguesa entre 3832 escolas em Portugal e no estrangeiro. "Dizem-nos, muitas vezes, que temos excelentes notas, que são inflacionadas, só porque frequentarmos o ensino privado. O reconhecimento de sermos a melhor escola secundária do país, no ranking do Ministério da Educação, só vem provar que estão errados, porque os exames nacionais são iguais para o público e o privado", afirmou o jovem Miguel Pereira, de 17 anos e aluno do 12.º ano, com média de 20 valores. O director do colégio, Pedro Faure, ainda que "muito satisfeito", garante que a instituição não trabalha para o ranking. "Mas regressamos aos lugares cimeiros depois de, no ano passado, termos estado no 20.º. Já estivemos várias vezes entre os primeiros", afirmou. A escassos metros, a cooperativa proprietária da Opus Dei tem um outro colégio, mas só para raparigas. "Está provado cientificamente que os rapazes e as raparigas têm ritmos diferentes de aprendizagem. Funcionamos todos como um todo e ajudamo-nos, tirando dúvidas sobre as matérias", garantiu Miguel. "A maneira como os rapazes compreendem a matéria não é melhor nem pior do que as raparigas. É apenas diferente", disse outro estudante, Frederico Cardoso. O ensino personalizado, assente na figura de 25 tutores ou perceptores que acompanham o percurso escolar dos alunos a partir do 5.º ano, é outra das particularidades do colégio. Em conjunto com o aluno e a família, o tutor define estratégias e métodos para atingir um melhor desempenho escolar e, se necessário, também aconselha à prática de uma modalidade desportiva ou à frequência de aulas de música, por exemplo.

Mas não se diz por aí que a Igreja é contra o saber (ciência)? Então como
é que há escolas católicas, como as imensas escolas aqui de Macau?
E já que falamos das escolas portuguesas, a Escola Portuguesa de Macau (EPM) desceu 175 posições no ranking, aparecendo agora em 237.º lugar. A EPM perdeu assim também o primeiro lugar entre as escolas portuguesas do estrangeiro (foi ultrapassada pela Escola Portuguesa de Moçambique e pela Escola Portuguesa de Luanda!). Ainda assim, os alunos da EPM conseguiram uma média razoável a matemática nos exames nacionais, 12,78 valores, mas a português a média foi negativa, embora muito perto da positiva: 9,97 (na verdade é praticamente positiva, pois basta arredondar o valor como se faz sempre).

Sem comentários: