domingo, 15 de novembro de 2015

O bairro nazi de Yaphank


Há um bairro na localidade de Yaphank, a 100 quilómetros de Nova Iorque, em que só são aceites "arianos", ou melhor, brancos americanos descendentes de alemães. Durante a II Grande Guerra viveu por lá uma comunidade de apoiantes do regime nazi e havia ruas com nomes como Adolf Hitler, Hermanm Göring, Joseph Göbbels, e de outras figuras do Terceiro Reich, e agora há por lá a German American Settlement League, um grupo com tendências nazis que decidiu recuperar a zona, controlando um pequeno terreno com cerca de 50 casas. A notícia de que por lá só são aceites "arianos" veio à tona depois de um casal de descendentes de alemães, Philip Kneer e Patricia Flynn-Kneer, ter apresentado uma queixa no tribunal por não conseguir vender a sua casa devido às "práticas discriminatórias" da German American Settlement League com o claro objectivo de preservar a vizinhança totalmente branca. "Aqui sentimo-nos como uns animais em cativeiro. É terrível para toda a gente – para os miúdos, para nós e até para os cães", desabafou o casal. Curiosamente, o nome Yaphank vem da palavra índia americana Yamphanke, que significa "margem do rio".
Um bairro onde só entram brancos descendentes de alemães nos Estados Unidos? E depois? E que dizer dos bairros na Europa onde os brancos não entram?

2 comentários:

Anónimo disse...

o branco nao tem direito a sua propria soberania racial.

enquanto isso, judeus tem sua propria cidade no estado de new york ,onde habitam mais de 20.000 pessoas .
https://en.m.wikipedia.org/wiki/Kiryas_Joel,_New_York

ja em israel , há bairros em que a compra venda de imoveis so é permitida a judeus.
http://www.dailystormer.com/israel-property-for-jews-only/

FireHead disse...

Sim, mas os judeus também são, muitos deles, brancos, a não ser que alguém esteja a sofrer de alguma patologia qualquer marada nos olhos para não enxergar isso. E comparar religião (judaísmo) com raça também é uma coisa de alguém que deve sofrer de profundas perturbações.

Em Israel, um Estado judaico, não é anormal haver imóveis que são vendidos e comprados só por judeus. Estranho seria se houvesse por lá imóveis que são vendidos e comprados só por muçulmanos.