segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Portugal à frente!


Tal como eu já esperava, ganhou a coligação PSD/CDS-PP, Portugal à Frente, ou simplesmente PàF. Apesar da vitória com um sabor meio amargo, uma vez que não houve maioria absoluta (36,83%), vimos um perigoso crescimento da esquerda radical, com o Bloco de Esterco, irmão gémeo do Podemos e do Syriza, a ultrapassar os comunas e conseguir um honroso 3.º lugar (10,22%) dobrando o número de deputados colocados em 2011 (tem 19 mandatos). O resultado da coligação foi o seu segundo pior resultado de sempre, mas mesmo assim fez história, pois, ao contrário do que aconteceu na Irlanda e na Grécia, os partidos que aplicaram o programa de ajustamento venceram em vez de sofrerem pesadas derrotas. Já o PS foi estrondosamente derrotado, com 32,38% dos votos, e já andam a pedir a cabeça do António Costa, principalmente os seguristas, isto é, os amigos do António José Seguro. "O que o Dr. António Costa fez ao PS e ao país é criminoso", exclamou António Galamba, membro da direcção de Seguro.


Muitos imbecis de esquerda, e também muitas pessoas que votaram nos partidos esquerdistas, entre eles meus amigos, reagiram ao resultado com um grande défice democrático. No Facebook só li comentários ressabiados de gente que só deve achar piada à democracia se o partido no qual vota fosse eleito. Entre os xuxas, a parvalhona da Ana Gomes, tachista sedenta, afirmou estar chocada com a vitória da coligação, isso apesar de ter virado as costas ao Costa porque é uma segurista. O líder máximo dos comunas tugas, Jerónimo de Sousa, sempre desfasado da realidade, afirmou que "vencemos a batalha", isto é, foram ultrapassados pelo Bloco de Esterco. Este, liderado pela actriz falhada Catarina Martins, de facto foi o outro vencedor da noite, ou mesmo o grande vencedor da noite, reflexo de uma boa campanha realizada, o que deixou o anterior líder, Francisco Louçã, todo contentinho da vida. Em comum a esquerda tem o objectivo de mandar já abaixo o governo. Enfim, só sacanices que não constituem, infelizmente, nenhuma novidade.


Entre as surpresas da noite temos o PAN (Pessoas-Animais-Natureza) que conseguiu eleger um deputado, fazendo assim melhor figura que os partidos pequenos como o Livre ou o PDR (Partido Democrático Republicano) do Marinho Pinho. Em relação aos restantes partidinhos, uma nota para o "único partido nacionalista português", o PNR, que conseguiu dobrar os votos (tal como o Bloco de Esterco), obtendo mais de 27 mil votos. À pala disso, a jornalista Clara Viana, do jornal esquerdista O Público, fez "soar o alarme": "Com quase 97% das freguesias apuradas, o Partido Nacional Renovador (PNR), de tendência xenóbofa, já duplicou a votação que obteve em 2011. Está agora com cerca de 23 mil votos (0,5%), quando há quatro anos, quando estavam apuradas a mesma percentagem e freguesias, não ia além dos 14.940 (0,3%). Apesar desta subida fica muito aquém dos resultados obtidos por partidos do mesmo espectro político em outros países da Europa, como é o caso da Frente Nacional, em França, que passou de 6,9 nas legislativas de 2009 para 25% nas europeias de 2014". Enfim, mais do mesmo: extremismo é mau só quando é de direita. Quando é extremismo de esquerda, como é o caso do Bloco de Esterco, tudo bem...


Uma nota também para a abstenção que no início quiseram fazer-nos crer que tinha diminuído quando na verdade foi a maior de sempre nas legislativas! A abstenção ficou nos 43,07% enquanto que em 2011 foi de 41,9%. Vá lá, pelo menos as sondagens acertaram... Pessoalmente fico contente por o PàF ter ganho. Como eu já defendi várias vezes, do mal, o menos: antes a coligação, que me parece mais ser da direitinha, do que qualquer partido de esquerda! Agradeço ao facto da maioria dos eleitores portugueses ter bom senso e não ter dado preferência a um partido bancarrotista, corrupto, irresponsável e caótico que chamou sempre a troika para Portugal e também ao irmão gémeo do Podemos e do Syriza. Até já estou a ouvir a malta a dizer-me "depois não te queixes". Mas é claro que eu não me queixo! Por acaso estou agora em Portugal?!


Mas ei, é verdade! Hoje é dia 5 de Outubro, o aniversário da independência de Portugal (872 anos) e também da implantação da República (105 anos)! Silêncio, meus senhores, que se vai cantar o hino nacional:

video

Viva Portugal!

14 comentários:

wind disse...

Boa semana:)
Os portugueses são tão estúpidos!

Anónimo disse...

Se o nazismo é de esquerda, então o que dizer do PSD?lol

Ivan Baptista disse...

O hino nacional original :

Contra os bretões , marchar, marchar :P

( https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Portuguesa )



Pensei que o 5 de Outubro fosse só sobre a Republica!
Mas sim , Portugal é Muuuuuuuiito mais antigo do que os 105 anos da primeira implantação da República.
O Povo esse, dizem por ai que é o mesmo, um povo difícil que não se governa e que não se deixa governar.
E parece que os nossos defeitos são os do costume, somos muito solidários para os outros mas ao mesmo tempo, somos muito invejosos entre nós e o pior de tudo, é sermos uns complexados que não sabemos dar valor ao que somos ou ao que temos.. enfim, não conheço nenhum português que tenha orgulho em ser português e falo contra mim porque, ás vezes só tenho vontade de GRITAR o quanto os portugas são uns masoquistas, carneiros e merdosos ( sim merdosos de merda mesmo e não medrosos, eu até sou um medroso e cobardolas, mas prefiro 1000 vezes ser medroso do que merdoso, isso de ser-se merdoso é muuuiiito pior ).
Desculpa lá ó firehead mas só tenho que dizer isto, somos uma raça de merda.
Para mim , ser-se de Esquerda ou Direita, não faz nenhum sentido.
Repara lá nisto, faz algum sentido alguém querer saber ou perguntar se sou de esquerda ou de direita se eu for tratar da minha vida ?
Vou tratar da saúde no HSM ou no Hospital da Luz, e o Sr. doutor pergunta-me, então o meu amigo é de esquerda ou de direita ? Se eu tiver azar, calha-me na rifa um estronço que não me grama por ter votado num e não noutro e limpa-me logo do sarampo !
Fodasss, eu só quero é fazer a minha vida tranquilamente ;(

FireHead disse...

Wind,

Pois claro que os portugueses são tão estúpidos! Como é possível existir tantos partidos de esquerda em Portugal?? Como é possível existir ainda comunistas em Portugal? Como é possível o Bloco de Esterco ser o 3º maior partido de Portugal? Como é que possível haver gente que, depois de toda a merda que o PS fez, ainda conseguiu votar nele??

Boa semana também para ti. :)

FireHead disse...

Anónimo,

Eu sei até onde queres chegar. É por causa da palavra "social"? Para começar, eu não sou do PSD, mas sim do CDS-PP.

O PSD é de centro-direita apesar de ser de origem esquerdista (marxista).

O nazismo é igualmente de origem esquerdista (trabalhista; aka socialista); o próprio Hitler afirmou que os nazis são socialistas num discurso do 1º de Maio (data querida dos esquerdistas) e o nazismo é o nome que ele deu ao partido dos trabalhadores alemães (proletariado?).

Seja como for, defino o PSD, e até mesmo o CDS-PP, como sendo da direitinha, só mesmo para não beliscar o conceito que eu tenho de Direita. E antes a direitinha que a esquerdinha, esquerda ou esquerdona.

FireHead disse...

Ivan Baptista,

É verdade. O hino nacional é um dos símbolos da república. E a república surgiu precisamente na sequência do ultimato britânico humilhantemente imposto pela Inglaterra devido ao fracasso da monarquia. Daí a referência aos bretões para elevar o orgulho nacional.

Eii, fala por ti! Eu tenho um enorme orgulho em ser português, ainda por cima um português ultramarino nascido no antigo território português do Oriente que é Macau!

Quanto ao partidarismo, deixa lá isso, é o mesmo que clubismo ou ter uma religião ou ser irreligioso. Talvez possa tudo ser integrado na questão dos gostos e, como tal, não se discutem; lamentam-se apenas. ;)

Vamos mas é esperar que Portugal continue a melhorar, que foi para isso que o povo voltou a eleger a coligação! :)

Anónimo disse...

O PNR precisa de uma Marine Le Pen, alguém que deixe de se preocupar com a ideia de que Portugal, é só para Arianos , e recorde pelo menos os últimos 500 anos da nossa história, há cá de tudo, Brancos, Pretos, Amarelos bons e esses devem ser protegidos, a Portugalidade deve ser ensinada e cultivada, e fazer o contrário, meter toda a merda que não presta Branca, Preta e Amarela num contentor. Se assim não for, nunca teremos um partido Popular Nacionalista, teremos isso sim, um partidozeco de meia dúzia de Neo-Nazis, e outros espécimes que ninguém sabe muito bem o que são.

Viva Portugal!!!

FireHead disse...

Anónimo,

Essa de Portugal ser só para os arianos é uma piada que só não faz rir os racialistas/etnicistas. Dizer que os portugueses, sejam eles os "originais" ou os "actuais" que são a "maioria" do povo, são arianos é gozar com a fronha do Hitler. Infelizmente há racialistas/etnicistas no PNR, mas também há, e com certeza que muitos mais, não-racialistas/etnicistas no partido, a começar pelo próprio José Pinto-Coelho, que é um profundo admirador confesso do Salazar - esse "minho-timorista", credo! - e do Estado Novo de um país que ia do "Minho até Timor".

Sempre defendi que a raça e a etnia não são a coisa mais importante na definição de uma nação porque para mim, e também para a senhora realidade, existem nações multiétnicas, multirácicas, multilinguísticas ou multiculturais. No caso português o mais importante é que todos partilhem da Portugalidade, ou seja, a cultura e a língua portuguesas mais o apego a Portugal. Tudo o que é merda para o país, não honra a nossa História, o nosso império e os nossos Maiores, seja ele de que cor for - inclusive a branca - não merece ser português. Quem nega o nosso passado, os nossos feitos, as nossas façanhas, por muito que não concordem com eles, não são senão traidores ou falsos portugueses.

Defendo também, no entanto, que o povo português tem que ser essencialmente branco porque a base é inegavelmente europeia, latina, católica. Os portugueses de outras cores serão sempre excepções, não regra, pelo que deverão ser minorias. Do mesmo modo que o povo angolano tem que ser essencialmente negro porque é africano e o povo chinês tem que ser principalmente amarelo porque é asiático. Não faz sentido que as coisas fossem doutra maneira.

O mais engraçado é que para esses neonazis, líderes nacionalistas como a Marine Le Pen, que afirma que a raça não é importante, ou o Geert Wilders, que tinha uma avó indonésia, não são verdadeiros nacionalistas, mas sim a falsa Direita, ou a falsa oposição. Infelizmente para esses imbecis, são esses líderes que vão ganhando popularidade e os seus partidos vão crescendo enquanto que eles vão continuando a crescer apenas aqui na Internet ou por trás nos bastidores, nos Stormfronts e merdas do género.

Anónimo disse...

"Richard Evans, in his magisterial three volume history of Nazi Germany, is quite clear on whether Hitler was a socialist: “…it would be wrong to see Nazism as a form of, or an outgrowth of, socialism.” (The Coming of the Third Reich, Evans, p. 173). Not only was Hitler not a socialist himself, nor a communist, but he actually hated these ideologies and did his utmost to eradicate them."

Toma e embrulha.

Anónimo disse...

Dizer que o povo português não é branco, mas é da cor do arco-íris é dizer que o mesmo não existe, o que é falso e é querer promover a extinção do dito povo.

Anónimo disse...

BTW, há 400 anos que os brancos estão no continente americano, mas nunca ninguém se lembrou de dizer que os mesmos são apaches, ou cherokees, ou navajos, ou siouxes, ou inuits, enfim todos os povos não-brancos merecem o mínimo de respeito ao contrário dos povos brancos, é o que é.

FireHead disse...

Anónimo das 19:33,

Para que dar ouvidos a esse tal Richard Evans quando se pode dar ouvidos ao próprio Hitler, dumbass?

Ouve o que diz o amigo Alexandre Seltz e vai embrulhando:

https://www.youtube.com/watch?v=7ft54tYvsFA

FireHead disse...

Anónimo das 06:54,

Dizer que o povo português é todo ele branco é negar a realidade. O povo português é é MAIORITARIAMENTE branco. Para um povo não se extinguir é preciso que filhos sejam feitos, ou seja, não é mantendo a taxa de mortalidade superior à da natalidade.

FireHead disse...

Anónimo das 06:59,

Sim, ninguém se lembra de dizer que os brancos, que estão na América há 400 anos como tu dizes, são apaches, cherokees, etc. etc., mas diz-se que eles são americanos tal como americanos são os índios de lá. Se os brancos que estão na América, mesmo que já lá estejam há 400 anos, são europeus e não americanos, então que vão mas é para a terra deles.