segunda-feira, 5 de outubro de 2015

A ideologia islâmica e transtornos mentais

Artigo Mental Disorders and Islam, escrito por Mumin Salih, publicado no Faith Freedom International
Tradução: A. L. 

"A maioria das pessoas no mundo civilizado deve ter notado que as pessoas que se convertem ao Islão, e os "muçulmanos de nascença" que de repente se tornam religiosos, desenvolvem novas tendências, tais como: 

  • Eles se voltam contra a cultura, contra as belezas da vida, como a música, as pinturas, o cinema e outras artes. 
  • Eles adoptam um estilo de mau humor, sem piadas, sem risos e sem qualquer outra manifestação de felicidade. 
  • Eles evitam os prazeres da vida, como as refeições em bons restaurantes (contra o vinho). 
  • Eles mudam sua aparência para o pior: os homens passam a ter uma aparência tão assustadora e um olhar de psicótico. 
  • As mulheres se voltam contra seus instintos femininos e fazem todo o possível para esconder sua beleza. 
  • As mulheres voluntariamente se cobrem completamente, mesmo nos dias mais quentes (e afirmam que se sentem perfeitamente bem, apesar de todo o suor malcheiroso). Elas também afirmam que foi escolha delas (mas sabemos que foi o temor de Alá que as obrigou a fazê-lo). 
  • As mulheres buscam voluntariamente ser oprimidas, algumas até incentivam os seus maridos a se casar com outras mulheres. 
  • Eles se tornam anti-sociais, especialmente com os não-muçulmanos. 
  • Tornam-se adeptos da violência. Pregam o ódio e incitam ao assassinato. 
  • Tornam-se difíceis de se conviver em casa e na sociedade. Tornam-se difícéis de se trabalhar com eles. 
  • Viram-se contra suas sociedades e cultivam um sentimento de vingança. 
  • Começam a glorificar práticas de crime, dando-lhe rótulos religiosos, tais como jihad e casamentos jihad (ou seja, prostituição). 
  • Acreditam em mitos e agem em conformidade; eles compram e bebem urina e água de Zamzam para a cura de doenças. 
  • Eles se tornam menos produtivos na sociedade porque eles gastam mais tempo praticando sua religião. 
  • Eles praticam seus rituais mesmo que isso consista em submeter os outros ou causar danos e riscos aos outros, como quando eles bloqueiam as ruas para realizar suas orações, ou pilotam um avião quando em jejum. Eles mentem, às vezes sem perceber, e insistem que o jejum não lhes causa qualquer dano (como se seus corpos tivessem uma fisiologia especial). 
  • Eles denunciam a lei, todas as leis, a favor da lei islâmica, o que os coloca em rota de colisão contra a lei do país ocidental onde quer que existam. 
  • Eles se tornam mentirosos por uma questão de espalhar a grande mentira do Islão. 
  • Juntam-se a outros que pensam como os muçulmanos e praticam homicídio (rotulado de jihad). 
  • Desenvolvem mentes doentias e malignas que obtêm satisfação através da submissão de suas vítimas a métodos ultrajantes e monstruosos de tortura até a morte, que eles registam em vídeo para produzir cenas humanamente insuportáveis como um meio de torturar a sociedade como um todo. 
  • Uma vez no controlo de suas sociedades, forçam a todos daquela sociedade a adoptar o mesmo comportamento psicopata, forçando civis a participar de suas práticas malignas. 
  • Praticam abuso infantil. Privam as crianças da felicidade da infância, negando-lhes brinquedos e jogos comuns. Eles aprovam o casamento infantil e forçam as meninas a isso.
A descrição acima não pretende ser um inventário completo; a lista ainda pode continuar e continuar. A lista acima é ao mesmo tempo assustadora e alarmante porque é real. 

Qualquer observador objectivo pode ver tudo com clareza cristalina. Qualquer um dos sintomas acima descritos, por si só, pode ser uma indicação de um distúrbio de saúde mental que solicita a avaliação e intervenção psiquiátrica. 

Sociedades ocidentais fariam qualquer coisa para erradicar qualquer doença em que as pessoas apresentassem qualquer um dos sintomas acima. No entanto, essas mesmas sociedades protegem o Islão e permitindo que os sintomas acima persistam e se espalhem com o nome do "multiculturalismo". 

A ideologia islâmica e o Islão político funcionam como um vírus mortal que afecta o sistema nervoso e controla as células cerebrais. Assim como outros vírus, ele pode permanecer dormente por anos, à espreita no corpo esperando as condições adequadas para lançar o seu ataque. 

É importante para o mundo civilizado a compreender quão letal o Islão pode ser. 

Uma sociedade que permite que barbárie seja praticada e floresça não pode continuar a se chamar civilizada."


Sem comentários: