domingo, 16 de agosto de 2015

Trabalhadora humanitária norte-americana sistematicamente violada pelo líder do EI antes de morrer

video

Mais uma notícia que só está é bem em passar ao lado: uma trabalhadora humanitária norte-americana de nome Kayla Mueller, de 26 anos e solidária para com o povo sírio, morreu em Fevereiro deste ano depois de ter sido feita refém pelo Estado Islâmico. Antes de morrer, foi repetidamente torturada e violada pelo líder do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi.
Ainda vai continuar a haver muito mais gente a querer ir ajudar lá para aqueles lados?

Sem comentários: