sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A esposa é uma propriedade!


Em Winnipeg, no Canadá, um muçulmano iraquiano agrediu a sua mulher nas barbas de um polícia e afirmou que a sua esposa é propriedade dele, logo podia fazer com ela o que bem entendesse! O advogado Vuk Mitrovic não tem dúvidas que este caso, que aconteceu no passado dia 24 de Junho, deveria causar consternação e conseguiu fazer com que o muçulmano ficasse impedido de ter contacto com a vítima e os seus nove filhos (repito: nove filhos)! A família do agressor, que alegadamente fugiu do Iraque porque sofria perseguições de grupos terroristas como a Al-Qaeda (ah??), é muito crente (islamicamente falando) e, ainda segundo Mitrovic, o muçulmano afirmou em tribunal que não concorda com as leis canadianas...
Pois é, não concorda com as leis canadianas, mas está no Canadá porque lá pelo menos não sofre perseguições (que perseguições? Serão xiítas?) como sofria na sua maravilhosa terra muçulmana! Se a lei da sharia é que é fixe então porque é que esses muçulmanos não ficam nos seus paraísos islâmicos? E porque é que não voltam para lá os que estão estacionados nos países não-muçulmanos, hem?? Esses muçulmanos são mesmo uns completos irracionais até dizer chega. Queixam-se da islamofobia no Ocidente quando na verdade o que querem é islamizar e destruir a superior civilização ocidental possibilitada pelo Cristianismo e depois também não querem bazar porque é preciso trabalhar para a Ummah...

4 comentários:

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

SÓ POR QUE AS OCIDENTAIS SÃO VADIAS DECAIDAS NÃO QUER DIZER QUE AS ORIENTAIS TENHAM DE O SER TAMBEM

FireHead disse...

Novamente a generalizar? Enfim, não vale a pena...

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

Novamente a generalizar? Enfim, não vale a pena...

OBVIO NO FUNDO SABES QUE TENHO RAZÃO

FireHead disse...

Não, tanto no fundo como à superfície eu tenho a certeza que és um tretas. No fundo o que tu estás a fazer é acreditar cegamente nas sondagens e esqueces-te que é depois nas contagens dos votos é que as coisas se decidem.