sexta-feira, 10 de julho de 2015

Tailândia deporta uighures para a China


O governo de Banguecoque, a braços com o drama da invasão ilegal uighur, que é uma das 56 etnias chinesas oficialmente reconhecidas pelo regime de Pequim, anunciou que vai deportar esses alógenos para a China e também para a Turquia. Para a China deverão voltar cerca de 90 uighures que terão entrado na Tailândia no passado mês de Março e a deportação será feita "conforme as regras e princípios humanitários", garantiu Weerachon Sukonthapatipak, o porta-voz do governo do reino tailandês. A China já reagiu e afirmou que vai saber tratar bem desses seus uighures, como que a dizer por outras palavras que eles estão certamente lixados.


A notícia da deportação levou a que um pequeno grupo de manifestantes uighures anti-China e pró-Xinjiang radicados na Turquia atacasse o consulado-geral da Tailândia (ainda bem que não atacaram o consulado ou a embaixada da China porque senão...), provocando danos materiais de pequena monta. Por outras palavras, não é nada de anormal vindo da parte de quem veio, ou seja, dos muçulmanos.

6 comentários:

Ivan Baptista disse...

Já ouvi dizer que, os nipónicos num passado recente eram bárbaros.
Hoje em dia, que relação os chineses de uma forma geral teem com os japoneses?

Na Mongólia, há gente do bem ou ainda há nómadas com comportamentos medievais ? A Mongólia não é um pais moderno ?
No passado os Mongóis tinham má fama , depois de ir ao wikipédia, verifiquei que os tártaros vinham do deserto de gobi, região norte da china e sul da Mongólia.
Estes uighur tal como os tártaros, são turcomanos, e no passado, Gengis Khan fez das suas, onde as tribos turcomanas locais foram assimiladas pelo império Mongol de Gengis Khan .
E por aquilo que se fala de Gengis Khan, o gajo era um terror, um flagelo!

Os da etnia han(diz o wikipedia que), são a maioria da china onde representam 91% de toda a população da china, e parece que , neste momento estão a dominar ou a assimilar todas as outras minorias.
Não digo que os da etnia han sejam bárbaros mas, que perigos os da etnia uighur representam para toda a china, se são uma minoria tão pouco significativa?

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

EU SE FOSSE A TURQUIA VOS ABSORVERIA POIS O DNA DELES NÃO É DOS PIORES E A CULTURA É PARECIDA

FireHead disse...

Ivan Baptista,

Os uighures são cerca de 10 milhões, se não estou em erro, e concentram-se na província de Xinjiang, o turquestão chinês. O povo han já lá habitava antes dos invasores muçulmanos terem-se alastrado até lá.

Os japoneses cometeram horríveis atrocidades na Ásia e o pior é que até hoje em dia nunca reconheceram oficialmente as suas culpas nem tão pouco formalizaram um pedido de desculpas como deve ser. Por muito que haja quem possa não gostar da China, os chineses até têm razão quando se fartam de criticar os japoneses por esta sua atitude. Além disso, também os coreanos estão do lado dos chineses nesta questão.

Quanto à Mongólia, existem na verdade duas: a Mongólia interior, que pertence à China, e a Mongólia exterior, ou Mongólia propriamente dita. O gengis Khan foi um génio militar e as muralhas da China serviram precisamente para proteger os chineses dos invasores mongóis. Até se diz que os actuais húngaros descendem dos mongóis que chegaram até à Europa, os magiares.

Os uighures são um perigo para a estabilidade na China na medida em que cometem atentados em nome do islão e pela independência de Xinjiang. E não têm andado a cometer crimes apenas em Xinjiang. Não há muito tempo atrás atacaram também em Cantão. São tipo a ETA no País Basco. Mas com os chineses eles não brincam. Lá tudo o que é dissidente contra o regime central chinês não passa por bons bocados.

FireHead disse...

KVRGANIVS NOSTRATORVM,

Bem visto! É por isso que os uighures deveriam bazar todos para a Turquia.

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...

Bem visto! É por isso que os uighures deveriam bazar todos para a Turquia.

13 de julho de 2015 às 18:24

SIM ASSIM CATAI ROUBA OS RECURSOS NATURAIS DO TARIM

FireHead disse...

Sim, porque essa companhia aérea de Hong Kong ao fim e ao cabo também pertence à China.