domingo, 19 de julho de 2015

PSG derrota Benfica

O primeiro 11 de Rui Vitória não contou com caras novas
Rui Vitória não teve sorte logo no primeiro jogo ao comando do Benfica: o bicampeão nacional, que voltou a jogar de branco, foi derrotado, na International Champions Cup no BMO Field, em Toronto, pelo Paris St-Germain por 2-3. Mesmo sem as principais estrelas o PSG é sempre o PSG, e graças aos petrodólares o clube da capital francesa tem conseguido nos últimos tempos equipas muito competitivas, contratando jogadores como Zlatan Ibrahimović, David Luiz, Thiago Silva ou Lavezzi (que não jogaram), mas também não deixa de ser verdade que das últimas, e não foram poucas, vezes que ambos os clubes se cruzaram nas competições europeias foi o Benfica que levou sempre a melhor. Praticamente desde os tempos do técnico Fernando Santos.

O português Pizzi não conseguiu bater o guarda-redes adversário
Os franceses adiantaram-se no marcador aos 29' através de Augustin, mas os bicampeões deram a volta ao marcador graças ao Talisca, que surgiu em boa forma, aos 34', e pelo artilheiro Jonas, aos 42'. Na segunda parte, e fruto das muitas alterações que Rui Vitória operou na equipa, esta perdeu gás e a equipa de Laurent Blanc aproveitou para dar a volta ao marcador: Lucas, de penálti aos 64', igualou e Digne, aos 79', deu a vitória ao PSG perante quase 18 mil adeptos presentes no estádio, a grande maioria deles adeptos do Benfica, pois o Canadá tem cerca de 400 mil portugueses. "Foi uma emoção grande ter estado como treinador do Benfica com tantos portugueses e benfiquistas nas bancadas. E foi importante para os novos jogadores pereceberem a dimensão do Benfica", referiu, no final do jogo, Rui Vitória. Sobre o resultado, nada que lhe tire a confiança: "Na primeira parte estivemos muito seguros, com bons movimentos e critério na hora da decisão. Sofremos o golo de uma forma que não pode acontecer, mas reagimos bem e demos a volta. No segundo tempo fizemos muitas substituições e houve muitas perdas de bola e quebras de ritmo". O técnico português falou ainda do Maxi Pereira, que mudou-se para o CRAC e afirmou que é um orgulho lá estar, dizendo que só lhe interessa os que estão no Benfica. "Todos os outros não me interessam".


O Benfica vai agora para Newark, nos Estados Unidos, onde vai defrontar na próxima terça-feira a Fiorentina orientada pelo português Paulo Sousa em mais um desafio para a International Champions Cup. O jogo dá à 1:00 em Portugal continental e às 8:00 aqui em Macau.

2 comentários:

Observador disse...

É bom perceber que o Benfica não jogou com os colossos (?) Duisburgo e Atlético.
A primeira parte com um onze sem reforços, deu sinais positivos.
O resto ... muitas substituições.

FireHead disse...

Sim, mas não podemos evocar isso como desculpa. Afinal de contas, o PSG também não jogou com os melhores.

Não querendo ser campeão do defeso como os outros, tenho curiosidade em saber se vão ou não chegar novos reforços.