sábado, 30 de novembro de 2013

O povo Kristang

 
Um dos lugares que eu gostaria imenso de visitar, e que poderei visitar em breve devido à proximidade geográfica, é Malaca. Em Malaca (Melaka, i.e., "O Estado Histórico"), o terceiro mais pequeno Estado da Malásia, existe um povo conhecido por Kristang ("cristão"), que descende dos portugueses e que sobrevive desde o século XVI como uma pequena comunidade de cerca de 5000 pessoas.
 
 
Os Kristang, também conhecidos por euroasiáticos portugueses ou malaqueiros, são actualmente um grupo étnico resultante de uma mistura entre portugueses e malaios, possivelmente também com alguma mistura indiana e chinesa, e que ainda nos dias de hoje mantém o Catolicismo e as tradições culturais de Portugal, especialmente da província do Minho, de onde partiram muitos dos primeiros colonos portugueses para a região em 1507, isso mesmo depois da tomada da região pelos holandeses em 1641. Como as mulheres não participavam nos descobrimentos, muitos portugueses acabaram por casar e ter filhos com as nativas (isso é, aliás, uma coisa que o português sempre fez de melhor - o Brasil é um exemplo perfeito da miscelândia à moda do tuga): D. Afonso de Alburquerque promoveu a miscigenação como forma de colonização de Malaca, em 1511, concedendo aos que se casassem com as indígenas a isenção de impostos à coroa portuguesa. Hoje em dia, os Kristang são uma das comunidades características e preservadas da Malásia apesar do risco de extinção que enfrentam.
 
 
O dialecto Kristang está, infelizmente, ainda mais em vias de desaparecimento. "Houve um tempo em que até os comerciantes chineses em Malaca falavam o Kristang. Era muito popular na altura", disse Joan Marbeck, uma dos falantes do crioulo luso-malaio, também falado na Singapura. O dialecto Kristang resulta da "malainização" do português durante a ocupação lusa de Malaca, à semelhança do patuá macaense, o Papiaçám Cristám di Macau (patuá), igualmente em risco de extinção (quanto a isso vale a pena realçar o excelente trabalho feito pela Associação dos Macaenses [ADM] liderado pelo advogado Miguel de Senna Fernandes, promovendo espectáculos em patuá como forma de preservação do dialecto macaio).
 

"Nós durámos todos estes séculos", disse Martin Theseira, um activista da causa Kristang de Malaca. "E durámos sem escolas e sem nenhuma ligação com Portugal", acrescentando que "Nós não estamos muito contentes" porque crê haver uma tendência para fazer desaparecer a identidade Kristang através da integração, não apenas religiosa e cultural mas também étnica, na maioria malaia, que é muçulmana (apesar de o islão proibir o casamento interreligioso a não ser que haja conversão à seita de Maomé). "Há muitas forças que nos querem destruir", garantiu. Há por lá um hotel que é o Hotel Lisbon (Hotel Lisboa, como também há aqui em Macau), mas não é permitido por lei servir bebidas alcoólicas. "Como é isso português se é proibido beber?", perguntou Theseira. "Não é compatível com o nome Lisbon".
 
 
Os Kristang são a prova viva da grandeza de Portugal que espalhou as suas sementes um pouco por todo o mundo. Um verdadeiro nacionalista português só tem é de se orgulhar dos feitos dos seus igrégios avós por este mundo fora, mostrando ao mundo que Portugal não é apenas e só um rectângulozinho à beira-mar plantado no início da Europa, mas também partes espalhadas neste globo onde se respira a Portugalidade. Portugal só foi verdadeiramente grande quando se fez ao mar. A vocação de Portugal sempre foi universalista. O verdadeiro nacionalismo português sempre foi integral.

Opiniões DN

Duas vergonhas nacionais: em defesa da PSP

Os acontecimentos que marcaram as últimas duas semanas colocaram novamente as questões da segurança interna no centro das agendas mediáticas. São - pelas reacções que suscitaram e pela ignorância que as acompanha - duas vergonhas nacionais.
A primeira vergonha diz respeito às reacções de muitos altos responsáveis políticos quando (num momento inédito da nossa democracia) os polícias que se manifestaram em frente à Assembleia da República (AR) ultrapassaram uns metros do perímetro de segurança. Como situações excepcionais requerem medidas excepcionais, só vejo como lamentável, errada e desproporcionada a decisão do ministro ao aceitar demitir o director nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) abstendo-se de dar um sinal de abertura às reivindicações destes profissionais, enquanto parece continuar a proteger a Guarda Nacional Republicana (GNR). Para além de ser já o segundo director nacional que este ministro, na prática, demite, teve ainda o ministro da Administração Interna (MAI) de suportar a humilhação de ouvir no discurso do novo director nacional da PSP a reiteração da estratégia do seu antecessor e - inequivocamente - um sinal de solidariedade relativamente ao seu colega. Uma vergonha evitável se - com bom senso - o MAI tivesse percebido que o diálogo é o melhor caminho nesta circunstância.
A segunda vergonha diz respeito à completa falta de antecipação da parte do Serviço de Informação e Segurança (SIS) relativamente à invasão (pacífica) de quatro ministérios por um conjunto de sindicalistas. Só pode - efectivamente - causar enorme preocupação que o SIS não tenha previsto de forma sustentada as ameaças potenciais e não tenha, em devido tempo, alertado os outros membros do Sistema de Segurança Interna para o reforço das medidas de segurança nos ministérios. Este só ocorreu a posteriori mas - em contraste com o que se passou com a PSP - não parece ter existido consequências. Na verdade - e até à data - tudo se mantém na mesma na orgânica interna do SIS. Uma reforma (mais uma) que tarda em acontecer.
Por tudo isto, seria bom que o actual governo de coligação PSD-CDS abandonasse de uma vez por todas a sua postura de aparente autoritarismo (sem autoridade, entenda-se...) e demonstrasse vontade em estabelecer pontes com os altos responsáveis da PSP. Se tal não acontecer, este Governo arrisca uma clivagem ainda mais evidente entre GNR e PSP e - pior - arrisca ficar conhecido como sendo o defensor da Guarda (GNR) e uma espécie de carrasco da Polícia (PSP). Será isto que queremos?
 
Paulo Pereira de Almeida
 
 
A Europa na Grande Coligação
 
A Alemanha vive há uma década em "grande coligação". As reformas de Schroeder, que curaram o "doente europeu", foram apoiadas pela CDU; em 2005, os dois partidos formalizaram a parelha e, a partir de 2009, mesmo fora do governo, o SPD apoiou mais a política europeia da sra. Merkel do que o FDP. Se Schroeder guinou à direita no "ajustamento" económico, laboral e social, Merkel vira à esquerda com a assinatura deste acordo de coligação. Há duas razões para isso. Uma, porque o SPD foi sempre mais inteligente nas cinco rondas negociais, condicionando-as a um referendo interno. Outra, porque Angela Merkel já governava ao centro, sem grandes decisões ou reformas polémicas, uma vez que já o grosso já estava feito. Mas este acordo mostra três importantes pontos. Primeiro, foi sempre a política interna e não a Europa a empatá-lo: introdução do salário mínimo nacional, congelamento de novos impostos e mais dívida, baixa da idade da reforma, maior impacte no bolo energético para as renováveis ou a dupla nacionalidade para cidadãos alemães com origem estrangeira (maioritariamente turcos e eleitores do SPD). Ao contrário do que muitos queriam, o SPD não bateu o pé à política europeia de Merkel nem sequer a colocou no centro da negociação. Este segundo ponto revela que o SPD escolheu conquistas internas em vez da alteração da política europeia alemã. O acordo é contra a mutualização da dívida na zona euro, exige disciplina financeira a terceiros e mantém o Bundestag com a chave para futuros apoios, sempre em troca de "reformas" e restrições. É ainda assumida como prioritária uma parceria estratégica com a Rússia. O terceiro ponto mostra que estavam três partidos, e não dois, a negociar. Merkel teve de gerir a agenda do SPD e a intransigência da CSU, que chegou a acenar com novas eleições. A chanceler é o equilibrador interno desta tríade. No exterior, permanece timoneira.
 
Bernardo Pires de Lima
 
 
Ensaio sobre a cegueira
 
Um povo ama intensamente as suas ilusões. Poucos querem saber a verdade acerca do que repetem com convicção sabendo, no fundo, ser falso. A sociedade moderna é aberta e tolerante, aceitando com bonomia multidões de heterodoxos e rebeldes. Mas revelar a realidade é intolerável, merecendo insulto e agressão, pois nada é tão repudiado como a voz da consciência.
A triste situação dos últimos anos é disso prova evidente. Portugal viveu décadas de grandezas a crédito, que só podia acabar numa crise terrível. Agora, quando a inelutabilidade da dívida nos apanhou, inventamos novas ilusões para nos eximirmos às responsabilidades e justificarmos a raiva contra os cortes inevitáveis. E ai de quem desmascarar essas tolices!
A perversa ilusão dos últimos vinte anos é hoje evidente. Qualquer observação honesta revela que um buraco deste tamanho só podia existir com cumplicidade de todos. Os gastos ruinosos foram repetida e democraticamente sufragados pelos eleitores. Todos beneficiámos e aplaudimos com vigor. Os avisos de insustentabilidade dos défices eram crescentes, de organizações internacionais e especialistas domésticos. Até ao último momento ninguém quis saber. Dias antes do fatídico 6 de Abril de 2011, a todos os níveis da sociedade, cada um ainda negava a exigência de mudar a sua vida.
Quando o choque rebentou e a primeira ilusão morreu, houve duas reacções. O povo em geral abriu os olhos e mudou mesmo de vida. Tem sido espantoso ver a atitude de famílias e pequenas empresas, que no meio de enormes sofrimentos, se desembrulham da terrível situação. Mas nas elites foi urgente construir novo mito que permitisse depositar a culpa em porta alheia, justificando os protestos. Afinal éramos todos inocentes e a maldade vinha de um punhado de corruptos incompetentes e da troika que nos ajudava. Esta segunda fantasia, em que todo o aparelho político-mediático anda apostado desde então, constitui uma magna operação de desinformação. E que se livrem de a contrariar!
O Estado, câmaras e instituições fazem o mínimo de reformas possível, esperando que tudo passe para se voltar ao mesmo. Grandes empresas, próximas do poder, gravemente atingidas pelas tolices antigas, aparentam uma normalidade oca. Em particular a banca, óbvia protagonista da crise financeira, assobia para o lado, empurrando o buraco com a barriga. A oposição, grande responsável da crise, grita indignada como se lhe fosse alheia, sem realmente apresentar uma verdadeira alternativa à austeridade. Apesar dos disfarces, a patente incapacidade de todas estas entidades em cumprir as suas funções sociais mostra a gravidade da situação.
Funcionários, médicos, professores e muitos outros grupos profissionais, que tanto ganharam nos anos fáceis, tinham de conhecer a trajectória ruinosa que os seus sistemas seguiam. Só com enorme cegueira voluntária podem agora indignar-se perante os cortes de despesas insustentáveis que acumularam diariamente sem denunciar. Pensionistas, subsidiados, munícipes e utentes quiseram acreditar nas benesess que políticos irresponsáveis lhes concediam, apesar de os défices funcionais mostrarem a evidência do embuste. Não só os aceitaram mas erigiram-nos em direitos inalienáveis, apesar de muito superiores às receitas e liquidados por dívida externa. Agora, dizer-lhes que os seus descontos não garantem os níveis prometidos gera fúrias incontroláveis. Os realistas têm de ser corruptos, neoliberais, hipócritas ou mentecaptos, pois nada é mais negativo do que a sinceridade num povo embevecido pela ilusão. A verdade é crime de lesa-pátria.
Neste mito colectivo a explicação comum para os cortes indispensáveis é que o Governo é perverso e incompetente e os parceiros europeus oportunistas. Estes, que nos emprestam uma fortuna no fundo do nosso buraco, são criticados pela sua solidariedade, pois exigem-nos aquilo que tínhamos de fazer de qualquer maneira. Deste modo um país de inocentes busca explicações mirabolantes para o mal que criou. Pois não há maior cego do que o que não quer ver.
 
João César das Neves


sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O menino que vive acorrentado pela família


He Zili é um menino chinês de 11 anos da província de Zhejiang que vive acorrentado pela sua família desde bebé. O avô, que toma conta dele, diz que esta é a única maneira de garantir que a criança não ataca ninguém. Tudo porque He tem um distúrbio mental que surgiu depois de uma queda que teve quando tinha apenas um ano e que o faz atacar qualquer pessoa que veja.
O Centro Nacional de Doenças Mentais da China revela que existem cerca de 100 milhões de chineses com problemas de saúde e 160 milhões com distúrbios graves como esquizofrenia e psicose paranóica. O problema é que as autoridades parecem pouco querer saber disso, pois os apoios às pessoas nessas condições são praticamente inexistentes.

Pitão engoliu homem

 
Em Kerala, perto de Goa, um pitão devorou um homem embrigado que estava a dormir. O desgraçado possivelmente nem sentiu nada...

Cidade flutuante

 
O projecto norte-americano Freedom Ship é um navio com 25 andares, cerca de 1,6 Km de comprimento, 2,7 biliões de toneladas e capacidade para albergar 50 mil residentes e 30 mil visitantes diários. O navio, que usará vários tipos de energia entre eles as renováveis, é uma autêntica cidade flutuante, com escolas, hospitais, galerias de arte, lojas, parques, um aquário, um casino, um centro comercial, uma doca e um aeroporto no terraço. O objectivo do projecto é fazer com que o Freedom Ship, que estará sempre no mar, navegue à volta do mundo fazendo uma volta completa a cada dois anos.

Menor violada e raptada para casamento

 
No Algarve, a PJ deteve pai e filho por suspeitas de rapto e violação de uma menor de 15 anos. A vítima é cigana, vive em Quarteira com a família e terá sido escolhida para casar com um dos detidos, um jovem de 22 anos (pedófilo). "Foi tudo um mal entendido", garantiu um familiar da menor. Segundo a PJ, os detidos "forçaram (a vítima) a coabitar com o violador". Um familiar dos detidos afirmou que tudo aconteceu "com a autorização da rapariga" que "está grávida".
Temos que respeitar a cultura cigana porque temos que ser bonzinhos uns para com os outros. Aceitemos as diferenças porque não queremos ser rotulados de racistas ou xenófobos. O multiculturalismo é mesmo maravilhoso...

Portugal sobe ao 5º do ranking

 
Depois das vitórias frente à Suécia no play-off de qualificação para o Mundial de 2014, a selecção subiu nove posições no ranking da FIFA, ultrapassando o Uruguai, a Itália, a Suíça, a Holanda, o Brasil, a Bélgica, a Inglaterra, o Chile e os EUA. Em primeiro lugar da lista está a Espanha (1507 pontos), seguida da Alemanha (1318), Argentina (1251) e Colômbia (1200). O Brasil, com 1102 pontos, está em 10º.

Liga Europa à espera do Benfica e do fcp?


Portugal ficou, pelo menos por enquanto, sem representantes na Liga Europa. O Vitória de Guimarães era o único dos três clubes portugueses na competição que dependia apenas de si próprio para se apurar para a fase seguinte, mas o empate a zero bolas em Rijeka e a vitória do Lyon em Sevilha deixaram os minhotos matematicamente afastados da competição. Já o Estoril conseguiu não perder com o líder do grupo H, o Sevilha, em Espanha, mas amealhou no total apenas 3 pontos, menos 3 que Slovan Liberec e Friburgo. O mais provável é a Liga Europa voltar a contar com equipas portuguesas na próxima fase: o Benfica e o fcp, ambos relegados da Liga dos Campeões.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O transporte mais sustentável de sempre?

 
Um arquitecto português a trabalhar em Nova Iorque, Tiago Barros, poderá ter criado o transporte mais sustentável de todos os tempos. O seu projecto, denominado Passing Cloud, está a ser alvo de elogios da comunidade internacional. O Passing Cloud é uma série de balões pesados e unidos em forma de nuvem envoltos numa estrutura de aço inoxidável coberta por uma tela elástica de nylon suficientemente forte e flexível que se move com o vento e protege os passageiros de serem empurrados. No Passing Cloud é o tempo que dita o tempo da viagem e o objectivo é fazer precisamente com que as pessoas se sintam, literalmente, nas nuvens, flutuando no céu precisamente como uma nuvem. Este inovador meio de transporte não emite CO2, não produz resíduos e utiliza apenas uma energia minima.

 
Eu não chamaria a isso um meio de transporte, mas pronto...

K.O. Game

 
Nasceu em Nova Iorque uma moda estúpida que consiste em derrubar com apenas um murro as pessoas que passeiam nas ruas: o jogo do K.O (K.O. Game). As pessoas são atacadas de surpresa e o momento é registado pelos agressores e publicado, na maioria dos casos, na Internet. "Isto não é um jogo, é violência pura", disse um polícia ao USA Today. Para combater esta "moda", já foi reforçada a vigilância policial nas ruas de Nova Iorque e também de Brooklyn, Washington e Filadélfia, locais onde também já foram registados várias ocorrências.
O GTA (Grand Theft Auto) já começa a provocar sérias consequências na sociedade...

Político norueguês desafia padrões de beleza

 
O politico norueguês Torstein Lerhol, de 27 anos, posou nu para o jovem fotógrafo norueguês Henrik Fjørtoft com o objectivo de questionar as ideias rígidas sobre a beleza e a satisfação pessoal. Torstein pesa apenas 17 Kg porque sofre de uma doença degenerativa de nome atrofia muscular espinhal e precisa de assistência 24 horas por dia.


"Bem, como vocês podem ver nas fotos, eu tenho um aspecto físico diferente do da maioria das pessoas. E tenho uma deficiência severa. Apesar disso, tenho sido muito bem sucedido na minha vida", disse Torstein, que para além de político (de centro-esquerda) também dá aulas e é orador motivacional. "Eu sou a prova viva de que não é preciso ter boa aparência ou ser um rapaz digno de um poster para se ter sucesso ou uma vida plena. Queria transmitir isso com as minhas fotografias, e mostrar também que o culto da beleza na sociedade contemporânea é um pouco superficial e ilusório", acrescentou Torstein, que é filho de agricultores duma pequena aldeia chamada Vang.
 
 
Apesar de ser de centro-esquerda, nada nos impede de ver nele uma grande força de vontade de levar com a vida avante. E ainda bem. Que Torstein sirva como uma lição de vida para todos nós.

Os benfiquistas que paguem!

 
No próximo dia 1 de Dezembro, o Rio Ave recebe o Benfica no Estádio dos Arcos, em Vila do Conde. Como podemos ver na foto de cima, os sócios do Rio Ave com "quota 11" não precisam de pagar para assistir ao jogo porque quem lhes vai pagar o jogo são aos adeptos do Glorioso (e possivelmente também o mês de Novembro aos funcionários do clube). Para os restantes, ou seja, os não adeptos com "quota 11" do clube vilacondense, até uma criança com 4 anos de idade terá de pagar no mínimo 25 euros! O mais engraçado é que, no ano passado, quando foi para receber o Clube Regional Assumidamente Corrupto (CRAC) do Pinto da Costa, o preço dos bilhetes para a "Bancada Nascente" era de 10 euros, para a "Bancada Poente Descoberta" era 15 euros e para a "Bancada Poente Descoberta" 20 euros (a prova está aqui)...
Toca a roubar ao Zé Povinho benfiquista! Para quando o tão famoso boicote aos jogos fora, pá?!

Bayer Leverkusen 0 X 5 Manchester United


No grupo A, o Manchester United cilindrou os alemães do Bayer Leverkusen, na Alemanha, por 5-0! A equipa do português Nani inaugurou o marcador aos 22' através de Valencia, que respondeu bem a um cruzamento de Wayne Rooney. 8 minutos depois, Spahic fez autogolo e colocou os red devils a vencer por 2-0. Na segunda parte, e sempre com o United a controlar o jogo, Evans (66'), Smalling (70') e Nani (88') estaleceram o resultado final.
 

Ajax 2 X 1 Barcelona

 
Na véspera, o Ajax recebeu e venceu o Barcelona por 2-1. Na ArenA de Amesterdão, os holandeses marcaram os golos através de Thulani Serero e Danny Hoesen ainda na primeira parte. Tudo o que os blaugrana conseguiram fazer foi reduzir a desvantagem já no segundo tempo por intermédio de Xavi Hernández, de grande penalidade a castigar falta de Joel Veltman, que acabou por ser expulso, sobre o brasileiro Neymar. O Ajax está assim em terceiro lugar do grupo H, com um ponto menos que o AC Milan.
 

Benfica vence em Bruxelas pela 1ª vez

 
O Benfica venceu em Bruxelas pela primeira vez depois de derrotar o Anderlecht por 3-2 no Estádio Constant Vanden Stock. Os encarnados chegaram a estar virtualmente eliminados da Liga dos Campeões (a Liga Europa já está garantida, aconteça o que acontecer), mas a vitória do Paris St-Germain sobre o Olympiakos (que continua a depender de si para ocupar o 2º lugar do grupo C) deixou o Benfica com uma ténue esperança para o apuramento (que eu espero bem que não consiga) para os oitavos-de-final. Num jogo estatisticamente equilibrado, o Anderlecht adiantou-se no marcador por Mbemba. O Benfica empatou através de Matić ainda na primeira parte. No segundo tempo, Mbemba marcou na própria baliza, Massimo Bruno igualou e Rodrigo, que entrou aos 87', aproveitou-se de um erro adversário para carimbar o 3-2 final já em cima da hora (golo não disponível no vídeo). Para o Benfica se apurar é preciso ganhar ao Paris St-Germain e confiar no Anderlecht, já eliminado das competições europeias, em Atenas...
 
 
"Os objectivos foram totalmente cumpridos, só para esta noite. Garantimos já a Liga Europa, mas ainda falta uma jornada. Gostava de acreditar mais. O Olympiakos não é uma equipa muito melhor do que o Anderlecht, mas na Grécia transforma-se completamente. Vamos defrontar uma das melhores equipas da Europa actualmente e vamos esperar para ver o que acontece na Grécia", disse Jorge Jesus em declarações à SportTV.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Estudo americano sobre preferências raciais

 
Are You Interested (AYI - "Estás tu interessado[a]") é um serviço de encontros do Facebook que indica que, regra geral, as mulheres asiáticas são as mais apreciadas por homens de qualquer raça excepto pelos próprios asiáticos (que preferem, por sua vez, as "latinas"); os brancos são os mais apreciados por mulheres de qualquer raça excepto as negras (que preferem os negros); os negros são os menos apreciados excepto pelas negras (que gostam menos dos brancos do que dos amarelos); e as negras são as menos apreciadas por todos... inclusive pelos próprios negros.
Enfim, viva a mulher asiática!

Puto esfaqueia mãe


No bairro do Fai Chi Kei, aqui em Macau, um adolescente de 14 anos que não frequenta a escola esfaqueou a sua própria mãe quando esta dormia porque é viciada no jogo e está desempregada. A mulher, que ainda se levantou da cama e começou a fugir, acabou por desmaiar no local, já o puto está agora a ser acompanhado pelo Instituto de Acção Social. Este disse às autoridades que a mãe é viciada no jogo e que, por isso, nunca tinha cuidado dele, nem lhe dava dinheiro. A PSP suspeita de níveis de stress elevados.

Gregos querem ter SIDA por causa dos subsídios

 
Há cada vez mais gregos a injectar-se com o vírus do HIV só para poderem receber cerca de 700 euros em benefícios de saúde mensais, divulgou a Organização Mundial da Saúde (OMS). A taxa de infecção de HIV quase triplicou nos últimos 10 anos. A taxa de suicídio no país também disparou. "Estas tendências adversas na Grécia representam uma advertência para outros países a sofrer austeridade fiscal significativa, incluindo Espanha, Irlanda e Itália", lê-se no relatório da OMS (que bom que se esqueceu de referir Portugal, pois afinal de contas costumam sempre esquecer-se de Portugal em muitas coisas...).
Está anunciada a tragédia grega. No tempo das vacas gordas ninguém se preocupou com a chegada de um cenário apocalíptico...

Ian Watkins "pedofilou"

O vocalista dos Lostprophets, Ian Watkins, admitiu ter abusado de um bebé de um ano. O cantor galês, de 36 anos, que era acusado de 24 crimes de natureza sexual, alegou que não se lembra do sucedido por ter estado sob influência de drogas, mas admitiu ter incitado através de uma conversa na Internet com uma mulher a abusar de uma criança. Para além disso, também fez imagens que mostravam abusos sexual de menores. Por causa destas acusações, a banda anunciou o seu fim. A sentença será conhecida a 18 de Dezembro.

Encontrado local dos Jardins Suspensos da Babilónia

 
Os Jardins Suspensos da Babilónia constavam na antiga lista das Sete Maravilhas do Mundo, maravilha essa cuja localização se desconhecia. Graças à investigadora britânica Stephanie Dalley, da Universidade de Oxford e que trabalhou nisso durante 20 anos, podemos ficar a saber que os Jardins Suspensos da Babilónia ficavam na região central do Iraque, perto de Mosul. Isso apesar de não haver provas arqueológicas nem indicações concretas em textos fidedignos sobre a localização dos tais jardins. Aliás, há até quem considere que eles nunca sequer existiram.

Hungria católica

Soube através do blogue Acção Integral, do amigo Reaccionário, que entrou em vigor no primeiro dia deste ano a nova Constituição da Hungria que consagra a predominância da Fé e da Comunidade sobre o indivíduo, sublinhando o papel essencial da família e da Igreja Católica como características da identidade húngara. A palavra "República" foi eliminada do preâmbulo, que passou a começar por "Deus abençoe os húngaros". A nova Carta exclui também o crime do aborto e as relações homossexuais, tudo em prol da instituição que é o casamento e da instituição familiar. Estas reformas foram aprovadas democraticamente, ou seja, pela maioria parlamentar, mas, como era de esperar, os nada democráticos partidos da oposição trataram de acusar o governo de ser fascista e autoritário. A maçónica União Europeia e também o FMI exigem a mudança da Constituição húngara e as agências de rating colocam a Hungria no nível "lixo".
Que Deus continue, pois, e sempre, a abençoar a Hungria!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

O comentário do líder do PNR sobre o que aconteceu no Pinhal Novo

Apesar de não ser militante do PNR, não consigo deixar de ter alguma consideração pelo seu líder José Pinto-Coelho, que eu tenho na minha lista de amigos do Facebook. Na famosa rede social, Pinto-Coelho deixou um comentário sobre o que aconteceu no restaurante "O Refúgio", no Pinhal Novo, e que culminou com a morte de um jovem militar da GNR às mãos de um criminoso da Moldávia. "Na última noite, morreu um jovem militar da GNR, no cumprimento do seu dever. O assassino: um imigrante invasor! Os primeiros culpados: os governantes deste regime que promovem a invasão imigrante, de inúteis subsídio-dependentes e criminosos (atenção que todos os que estão para trabalhar, que estão integrados e nos respeitam, são bem-vindos!) e retiram meios e autoridade às forças da ordem. Até quando teremos que suportar o absurdo da impunidade para toda a espécie de bandidagem e o abandono e desprezo pelas forças da ordem? Só é pena que os responsáveis por este estado de coisas não sejam as primeiras vítimas da criminalidade. Isso sim, seria merecido!", escreveu assim o líder do partido português que se afirma nacionalista.
Não foi por acaso que eu sublinhei o que ele escreveu entre parênteses. Ora bem, é nisso que me aproxima de Pinto-Coelho e o afasta dos ditos nacionalistas étnico-rácicos que pululam não só no PNR como também aqui neste meu blogue, muitos deles sob a capa do anonimato e que têm a mania de pensar que eles é que são os verdadeiros nacionalistas porque o "verdadeiro nacionalismo" é, no entender deles claro está, étnico-rácico (coitados, não conhecem o integralismo, o verdadeiro nacionalismo de Direita, ao contrário do nacionalismo de esquerda que eles defendem como defendia o Hitler). Assim, não deixa de ser irónico vê-los agarrados ao PNR, onde também existem muitos saudosos do António de Oliveira Salazar e do seu Estado Novo (ou "minho-timoristas", como gostam de dizer os nazis, ou seja, nacional-socialistas) - atrevo-me até a dizer que estes são a maioria no partido -, dando a entender que o PNR não passa efectivamente de uma manta de retalhos, congregando todo o tipo de nacionalistas exactamente porque é isso que todos acreditam ser, embora em grupos com visões diferentes. Sei que muitos desses etnicistas/racialistas preferem a lógica do "do mal, o menos" e que preferem o minho-timorismo ao estado em que Portugal agora se encontra, como que aceitando baixar a cabeça e engolir os seus princípios, nem que para isso barafustem, critiquem e gozem com os minho-timoristas nos seus blogues pessoais, entre eles e noutras paragens de ranço nazi.
O José Pinto-Coelho não é contra a imigração, ou seja, não é contra o facto de haver imigrantes em Portugal (sejam eles brancos, pretos ou amarelos; logo não pode evitar a miscigenação, até porque isso significa ir contra a liberdade individual de cada um), já para os nazis basta haver um só imigrante (que se calhar até pode ser branco como um bósnio) para fazer soar o alarme e levar-nos a todos a pensar que o país está a ser invadido e que a etnia, a raça, a cultura, etc. estão em cheque. O Pinto-Coelho, tal como eu, defende a integração dos imigrantes e isso significa que os imigrantes têm que se adaptar ao país que os acolhe e acima de tudo respeitar a maioria, nada atentando contra ela.
"Em Roma, sê romano" - um provérbio não aplicável aos nacional-socialistas.

Extrema-direita e neonazismo vencedores em Baska Bystrica?

 
Soube através do DN que na região eslovaca de Baska Bytrica o partido de extrema-direita foi o grande vencedor depois das eleições realizadas por aquelas bandas. Marian Kotleba, de 36 anos (na foto à esquerda), é o líder do partido Nossa Eslováquia, que o DN diz ser "neonazi" (mas afinal é neonazi ou de extrema-direita?), e é um sujeito que gosta de uniformes militares (como eu, caramba!) e que já foi condenado várias vezes por incitamento ao ódio racial. Já chegou inclusive a liderar um partido marginal que organizava manifestações e marchas contra a minoria cigana, para além de ter como ídolo Jozef Tiso, o presidente da Eslováquia durante os tempos em que o país era satélite da Alemanha de Adolf Hitler e que mandou milhares de judeus para campos de concentração (ok, o partido não é afinal de extrema-direita, mas sim da extrema oposta... ai, esse maldito politiquismo correcto!). A vitória de Kotleba como novo governador regional foi visto pelos restantes parlamentares como um "enorme revés para a democracia". Baska Bystrica é habitada por cerca de 650 mil pessoas e a abstenção nas eleições atingiu quase 80%...

O puto de 13 anos que deu aulas a licenciados

Quin Etnyre é um sobredotado californiano de 13 anos que deu aulas a licenciados no Massachussets Institute of Technology (MIT). Para além disso, já inventou vários dispositivos, criou a sua própria empresa (Qtechknow, uma empresa de electrónica que vende sensores e objectos controlados pelo software Arduino) e é blogueiro. Entre as suas invenções temos por exemplo o robô Fuzzbot, que funciona com autonomia e consegue contornar obstáculos, e um boné que detecta gases.
É o que dá ser sobredotado. Pelos vistos é mesmo uma sorte ser assim.

Os Maias tiveram contacto com os ET's?

Segundo o sítio Brain's Sparks, o governo mexicano revelou artefactos maias que indicam um possível contacto da antiga civilização pré-colombiana com os extraterrestres que viajavam em naves espaciais. Essas peças, alegadamente com 1800 anos, foram descobertas há cerca de 80 anos atrás por uma equipa do Instituto Nacional de Antropologia e História na localidade de Calakmul, no México, e constarão agora num documentário que será realizado sobre as revelações dos Maias.
Resta saber se isso é mesmo verdade ou não...
 



"Pastor" come a Bíblia

 
Ora aqui está um idiota que, de tanto acreditar que cumpre a Palavra de Deus, chegou ao ponto de A comer. Elvis Breves, um "pastô" brasileiro duma seita pseudo-cristã qualquer, ainda por cima formado em Direito pela Universidade Salgado de Oliveira, deliciou-se comendo uma página duma Bíblia falsa (a protestante, que tem menos 7 livros que a Bíblia Sagrada) com garfo e faca...
Até onde chega a palermice da livre interpretação da Bíblia inventada pelos protestantes?

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Mostrados ossos de São Pedro pela 1ª vez

 
O Papa Francisco mostrou os ossos de São Pedro, o primeiro Papa da História, na cerimónia de encerramento do Ano da Fé, no Vaticano. Os oito fragmentos de ossos, entre dois a três centímetros de comprimento e numa cama de marfim dentro de um baú de bronze, foram pela primeira vez exibidos perante o público. Apesar de não haver testes de ADN que comprovem que os ossos são realmente de São Pedro, a Igreja Católica "não tem intenção de abrir nenhuma discussão".

Israel adopta medidas para expulsar ilegais de África

 
O Estado Judaico adoptou uma série de medidas para expulsar os imigrantes ilegais de África. Entre elas está a criação de um centro de detenção "fechado" para os clandestinos que entrem em Israel e para os que forem apanhados a "perturbar a ordem pública". Segundo o governo israelita, é preciso "encorajar os imigrantes a regressarem aos seus países de origem, a aumentar a segurança dos habitantes de Israel e a reduzir a presença de imigrantes nos centros das cidades". "Estas medidas, aprovadas por unanimidade, são proporcionais e necessárias para manter o carácter judaico e democrático do Estado", assegurou Benjamin Netanyahu, o primeiro-ministro israelita.
Mas se os africanos - refiro-me aos negros - forem judeus ou converterem-se ao judaísmo continuariam a ser uma ameaça ao "carácter judaico" de Israel? Sendo assim então todos os não judeus também constituiriam uma afronta, mesmo os que estejam lá legalmente. Todavia, numa coisa estou de acordo: há que correr com os ilegais e os imigrantes criminosos.

Mais um GNR morto

 
O imigrante do leste que fez explodir uma granada no restaurante no Pinhal Novo, e que afinal era da Moldávia, acabou abatido na sequência duma operação táctico-policial. Segundo novos dados, o imigrante conhecia o dono do restaurante, para quem tinha chegado a trabalhar, e terá agido por vingança. De acordo com o tenente-coronel Jorge Goulão, o moldavo recusou a rendição ao longo de mais de seis horas de negociação. E afinal houve uma vítima mortal: o GNR Bruno Chainho (na foto ao lado), de 27 anos e natural de Santiago do Cacém, foi o primeiro a abordar o moldavo quando este entrou no restaurante e acabou morto a tiro.
Os pêsames à família do Bruno e que a justiça abrilesca não trate de condenar o militar que abateu o moldavo...

"Portugal podia ter feito mais"

Esteve aqui em Macau na semana passada o professor brasileiro Áureo de Mello Júnior, com quem convivi durante a sua estadia, para falar do desenvolvimento do Brasil no pós-golpe militar numa conferência no Instituto Internacional de Macau e para doar 50 livros de literatura brasileira à Escola Portuguesa de Macau.
Representante da União Brasileira de Escritores, o professor de História da Universidade Cruzeiro do Sul (São Paulo), disse, numa entrevista ao jornal Hoje Macau, que Portugal podia ter feito mais em relação a Macau no que diz respeito à língua portuguesa. "Sou, por assim dizer, um divulgador da lusofonia e da língua portuguesa, que é a quinta língua mais falada do mundo. Acho que Portugal podia ter feito mais em relação a Macau. Uma vez que, por exemplo, em África, metade fala francês e outra metade fala inglês, mesmo já depois da descolonização. E em Hong Kong também toda a gente fala inglês fluentemente. Isso poderia também ter acontecido em Macau", observou. Não obstante, o português é uma língua que cresce em número de falantes, até na Ásia: "não só na China, como no Vietname, na Coreia do Sul e por aí - existe um interesse pela língua portuguesa, principalmente por interesses comerciais. Muitos estudantes são formados em universidades e, através de intercâmbios, estudam língua portuguesa. Isso tem crescido muito", realçou.
Pois é, mais de 400 anos de estadia em Macau e só muito poucos é que sabem falar português...

Durão Barroso em Macau

 
O presidente da Comissão Europeia, da maçónica União Europeia, o português Durão Barroso, que já chegou a ser um militante maoísta quando era mais jovem, encontra-se aqui em Macau para "reforçar a parceria que une as duas partes há mais de vinte anos". "Somos parceiros de longa data, nos bons e maus momentos", disse Barroso. Fernando Chui Sai On, o líder do Executivo de Macau, enalteceu a comissão mista, por ter "uma grande importância" e ir "certamente desempenhar um papel activo para desenvolver ainda mais esta parceria estratégica de longa data". Instado a falar sobre a comunidade lusófona de Macau, Barroso diz que esta continua a ser um "actor central na vida política, económica e social" do território. "Verifico que, passados 14 anos (após a entrega de soberania à China), Macau está com um desenvolvimento impressionante, (que) a Lei Básica está a ser obervada (e que) a comunidade lusófona continua a ser um actor central na vida política, económica e social desta região e a granjear respeito e admiração", disse.

Manny Pacquiao derrotou Brandon Rios

 
Uma grande fight ontem na Arena do Cotai, em Macau: de um lado, o conhecido filipino Manny Pacquiao, e de outro o norte-americano Brandon Rios. Pacquiao contou com o apoio da grande comunidade filipina local, a maior comunidade estrangeira de Macau, venceu o combate, defendeu o título de peso médio da WBA e pôde assim dar uma alegria ao seu povo sofrido, depois de duas derrotas - as únicas da sua longa carreira - terem colocado o seu valor em causa, chegando ao ponto de equacionar pendurar as luvas caso perdesse o combate com Rios. "Pacman", como é carinhosamente conhecido, cumpriu assim a sua promessa de vencer para dedicar o feito a todas as vítimas do tufão Haiyan. O derrotado Brandon Rios, que chegou a Macau com fanfarronices dizendo que "não era o saco de pancada de ninguém", não teve argumentos para discutir a vitória. O filipino venceu por decisão unânime dos juízes.
 

Bravo, Manny Pacquiao!

A maior derrota de Villas-Boas

 
O Tottenham de André Villas-Boas foi a Manchester perder com o City por 6-0 e caiu para o 8º lugar da Premier League. Para além de ser a maior derrota sofrida pelo treinador português, o clube também já não perdia assim desde 1996. No Estádio Etihad, a equipa de Manuel Pellegrini fez os golos por intermédio de Jesús Navas (bis), Sandro (autogolo), Agüero (bis) e Álvaro Negredo. Com este resultado, o Manchester City igualou o Southampton no 4º lugar, com 22 pontos.

domingo, 24 de novembro de 2013

Matić desbloqueia Sporting de Braga


O Benfica derrotou o Sporting de Braga na Luz por 1-0 e aproveitou-se do deslize dos rivais corruptos frente ao Nacional no Cabrão Dragão para se aproximar ainda mais do primeiro lugar. Apesar da exibição sofrível, o Benfica ganhou à equipa de Jesualdo Ferreira porque só ganha quem marca, daí o resultado ser mais que justo. 
O Sporting de Braga, que vinha de quatro derrotas consecutivas, foi à Luz disposto a provocar uma surpresa, mas o sérvio Nemanja Matić, num lance de inspiração aos 72', desbloqueou o jogo. Os visitantes, que nunca ganharam na Luz, até estiveram perto de conseguir tamanha proeza, mas os ferros da baliza de Artur (13' e 48'), bem como o próprio goleiro brasileiro (por três ocasiões), evitaram os golos braguistas (diz o ditado que a sorte protege os audazes...). Já do lado do Braga, o guarda-redes Eduardo apenas fez a sua primeira defesa aos 70'. Cardozo não jogou devido a lesão e a equipa foi orientada pelo adjunto de Jorge Jesus, Raúl José, devido ao castigo aplicado ao "mestre da táctica" (orientará a equipa até dia 20 de Dezembro). 
"Trabalhámos durante a semana e os processos estão consolidados. O treinador não é necessário porque os jogadores sabem o que fazer em campo. Jogámos contra uma boa equipa, forte, que tem valor para estar mais acima na tabela. Fomos competentes e demos mais um passo rumo ao nosso objectivo, que é sermos campeões", disse Raúl José à Benfica TV. Já Jesualdo Ferreira lamentou a falta de sorte e disse que a derrota da sua equipa é injusta.


Há muito tempo que eu mandei a nota artística lixar. O que eu e todos os benfiquistas mais queremos é ganhar desde que seja de forma limpa.

Glorioso hóquei em patins


Durante anos, mais de uma década, vimos como a Federação de Patinagem de Portugal fechou os olhos a roubos em cima de roubos e calcados com mais roubos que impediram que o Benfica lutasse em pé de igualdade com o rival que somou títulos alicerçados nos ditos roubos.
 
Tivemos de ser de uma competência imaculada para conseguir vencer o campeonato nacional de 2011/12 (o nosso 22º, sim, porque o troféu de 1961/62 é, na sua concepção, um campeonato a que deram outro nome). Toda a Glória internacional que agora vivemos começou aí, com essa conquista caseira, arrancada a ferros, contra tudo e todos. Nestes momentos sucessivos de conquistas europeias e mundiais é importante não esquecer aquela 29ª jornada do campeonato nacional de 2011/12, em que Sérgio Silva liderou o nosso Benfica para a antecâmera do campeonato que se confirmaria em Almeirim. Bastou uma vez, uma única vez em que derrotámos o "sistema" (e que "sistema"!) em Portugal, para podermos mostrar ao Mundo que a sua melhor equipa de hóquei joga com a nossa camisola e com o nosso emblema. As conquistas da Liga Europeia, Taça Continental e Taça Intercontinental decorrem daquele campeonato nacional de 2011/12.

Assim, neste momento de merecida celebração da equipa que mais alto subiu na história do hóquei em patins português é de extrema importância recordar que a consolidação deste estatuto internacional é um imperativo, mas que, para que estas vitórias gloriosas tenham sequência, é essencial interiorizar que é dentro de portas, na mesquinhez de um hóquei ainda carregado de viciação, que temos de recomeçar a ganhar, contra tudo e contra todos.


Fonte: Tertúlia Benfiquista

Imigrante faz explodir granada em restaurante


Na noite de sábado, um imigrante do leste europeu lançou o pânico ao fazer explodir uma granada no restaurante "O Refúgio", no Pinhal Novo, ferindo quatro pessoas, duas das quais militares da GNR. As motivações do imigrante, que fala português, são uma "incógnita", disse o tenente-coronel Ribeiro Goulão, que esteve a negociar com o criminoso a libertação de um dos militares feridos, que foi o único que se manteve refém dentro do estabelecimento. Os restantes feridos foram levados para o hospital de São Bernardo, em Setúbal.
É o que dá Portugal deixar entrar gente de merda vinda de fora...

Anti-islamismo em Angola


As mesquitas em Angola estão a ser destruídas. Segundo as autoridades, a construção ilegal é o motivo para a sua destruição, o que está a provocar mal estar entre os muçulmanos. 
"A nossa religião nós não podemos abandonar, se não tem sítio para rezar nós vamos sair de Angola e vamos procurar outro país porque o mundo é muito vasto", disse Alfa Mamadu Diallou à Voz da América, acrescentando que estão a ser alvos de perseguição (que bom!). "Seremos obrigados a sair para irmos para outros sítios, porque Deus (ou antes Alá, que não é Deus mas sim um ídolo pagão?) disse, se num sítio não tiver como cumprir com a sua religião é melhor sair e ir para outro sítio", desabafou. "Isto está a criar um sentimento de revolta. Nós não somos terroristas, somos cidadãos que nascemos nesta terra e tanto os cristãos como os muçulmanos estamos condenados a viver em paz e o governo não pode estar a encerrar as nossas crenças", disse outro muslo, David (que, coitado, acredita mesmo que o islão consegue conviver pacificamente com os não muçulmanos. 
Lá está, ele só diz isso porque os muslos são poucos por lá, daí fazerem uso da jogada islâmica da dissimulação ordenada por Maomé para enganar parvos quando estes forem a maioria, a taqiyya: تقية ). Segundo o jornal francófono Xibaaru, é por causa da pressão popular que as mesquitas são destruídas e que as autoridades angolanas, pelo menos as da localidade de Viana Zango, não consideram o islão uma "religião" mas sim um culto (coisa que é mesmo verdade, pois o islão é verdadeiramente um culto pagão). Rosa Cruz e Silva, o ministro da Cultura de Angola, disse que a legalização do islão não foi aprovada pelo Ministério da Justiça e Direitos Humanos e que, como tal, a destruição de mesquitas é actualmente uma prioridade. Angola, ex-colónia portuguesa, é predominantemente cristã (95%, ainda que 1/4 parte seja cristã da treta, ou seja, protestante) e, pelos vistos, o povo angolano está ciente das barbaridades que os muçulmanos de outros países africanos, como a Nigéria, a Costa do Marfim ou a Somália, estão a cometer contra os cristãos. 
Só por causa disso dou os meus parabéns a Angola.

Pedófilos convertem-se ao islão por causa da «sharia»


No Reino Unido, pedófilos que estão na prisão de Whitemoor convertem-se ao islão. Porquê? Porque assim têm o apoio dos "irmãos da fé", uma vez que a lei da sharia é a favor da pedofilia. E os defensores do multiculturalismo que estupidamente acreditam que todas as "religiões" são iguais e que o islão é a "religião da paz" vão continuando imbecilmente a assobiar para o lado...

Beijo proibido


Em Marrocos, três menores com idades entre os 14 e os 16 anos publicaram uma fotografia em que dois deles surgem a dar um beijo na boca no Facebook e foram acusados de atentado à moral e aos bons costumes, aguardando agora a decisão do tribunal em liberdade condicional depois de terem estado presos num centro de menores. A “religião” predominante no país é o islamismo...

sábado, 23 de novembro de 2013

Balas com carne de porco para matar muslos

Uma empresa de Idaho (EUA), Jihawg Ammo, lançou no mercado bélico uma novidade no mínimo curiosa: balas cobertas de uma tinta especial feita a partir de carne de porco para matar islamitas. Como sabeis, o porco é considerado haram (proibido) para os muçulmanos, por ser impuro, portanto nada melhor que usá-lo para matar precisamente esses gajos, que na verdade estão abaixo dos coitadinhos dos porcos. Segundo uma lenda, o general norte-americano Black Pershing, que livrou as católicas Filipinas do terrorismo islâmico em 1911, enterrou cadáveres de muçulmanos em covas repletas de sangue e entranhas de porco...

Campanha "Free Hugs" deu prisão na Arábia Saudita

 
A campanha Free Hugs (Abraços Grátis), um movimento internacional, deu prisão na Arábia Saudita. Dois jovens foram detidos pela polícia religiosa local quando davam "abraços gratuitos" aos transeuntes de Riade. "Hoje é um abraço grátis, amanhã é um beijo grátis e depois é sexo grátis", escreveu assim alguém, que deve ser muçulmano, no Twitter.
O islão, que é a lei da Arábia Saudita, é realmente a "religião da paz"!

O mais antigo meteorito vindo de Marte

 
Cientistas acreditam terem descoberto no deserto do Sara o meteorito marciano mais antigo na Terra. O meteorito terá cerca de 4,4 mil milhões de anos, chama-se NWA 7034 (baptizado de Black Beauty) e pode revelar muita coisa sobre Marte. Existem na Terra cerca de 100 meteoritos marcianos, mas a maioria deles tem idades compreendidas entre os 150 e os 600 milhões de anos. Munir Humayun, da Universidade Estatal de Flórida, disse que "Este meteorito (Black Beauty) continua a revelar os seus segredos".

GNR morre depois da manifestação


Um militar da GNR de serviço na zona de Lisboa morreu de ataque cardíaco quando se dirigia, com a sua mulher, para a estação de metro depois de ter participado na manifestação de mais de dez mil agentes da autoridade em frente à Assembleia da República.
É menos uma pessoa para proteger os cidadãos numa altura em que Portugal se tornou num país a saque. Que descanse em paz.