segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O lobby muçulmano europeu

Os europeus geralmente fantasiam sobre o assim dito lobby judeu, que eles afirmam possuir um mata-leão sobre as finanças, média e política americanas, e é responsável por toda a forma de mal conspiratório. Entretanto, poucos europeus gostam de falar sobre a crescente influência do lobby muçulmano europeu, uma conglomeração de centenas de organizações políticas e religiosas muçulmanas, muitas das quais são experientes porta-vozes para o islão militante, que abertamente persegue agendas anti-europeias, anti-ocidentais e antissemitas, e geralmente recebem apoio financeiro de países fundamentalistas islâmicos, como a Arábia Saudita.
Numa Europa onde o islão é a religião que mais cresce, e onde o número de muçulmanos triplicou nos últimos 30 anos, o lobby muçulmano europeu está a tornar-se cada vez mais assertivo e habilitado a pressionar políticos europeus em implementar incontáveis políticas pró-islâmicas, especialmente aquelas que institucionalizam a lei da "sharia" islâmica. Grupos de lobby muçulmanos estão, de facto, a transformar a sociedade europeia de formas inimagináveis há apenas poucos anos atrás; os críticos dizem que o seu objectivo final não é nada mais do que a islamização da Europa.
Alguns dos mais efectivos grupos de lobby muçulmano estão localizados no Reino Unido, casa de uma das maiores comunidades muçulmanas na Europa, e incluem organizações tais como o Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha (MCB), o maior corpo muçulmano da Grã-Bretanha com cerca de 500 organizações afiliadas, nacionais, regionais e locais, mesquitas, centros de caridade e escolas. O MCB recentemente pressionou o governo britânico a adoptar a lei islâmica e dar aos tribunais da "sharia" plenos poderes para julgar muçulmanos em casos civis. O governo britânico quietamente sancionou os poderes dos juízes da "sharia" para julgar em casos desde os de divórcio e de disputas financeiras àqueles que envolvem violência doméstica. Enquanto que, previamente, os julgamentos dos tribunais da "sharia" na Grã-Bretanha não podiam ser aplicados e dependiam do acordo voluntário entre muçulmanos, os julgamentos emitidos por uma rede de cinco tribunais da "sharia" são agora vinculáveis com o pleno poder do sistema judiciário, através dos tribunais de condados ou Altos Tribunais. Os tribunais da "sharia" com estes poderes foram erigidos em Birmingham, Bradford, Londres e Manchester, e a sede da rede está localizada em Nuneaton e Warwickshire; e mais dois tribunais estão a ser planeiados para Edinburgo e Glasgow. No geral, pelo menos 85 tribunais islâmicos da "sharia" estão agora a operar na Grã-Bretanha, quase 20 vezes do que era anteriormente acreditado. Um estudo do "think tank Civitas" encontrou que querelas de tribunais não-oficiais e conselhos regularmente aplicam a lei islâmica para resolver disputas de negócios, casamento e domésticas, muitos operando em mesquitas. O estudo alerta sobre uma "aduladora" aceitação dos princípios da "sharia" na lei britânica. Embora o MCB se apresente como um órgão islâmico "moderado", este e alguns de seus afiliados simpatizam e possuem ligações com movimentos islamitas no mundo muçulmano, particularmente a Irmandade Muçulmana e o Jammat-e-Islami, um partido paquistanês radical comprometido com o estabelecimento de um estado islâmico no Paquistão governado pela lei da "sharia". Longe de promover o islamismo moderado, o real objetivo do MCB, segundo os críticos, é ajudar os muçulmanos na Grã-Bretanha a tornarem-se mais radicais nas suas crenças. Entre outras posições, o MCB acredita que a morte é a penalidade apropriada para a apostasia e o homossexualismo. O grupo recentemente endossou uma declaração pró-Hamas que pede a "jihad" contra os judeus e Israel, e perdoa o ataque a tropas britânicas. O MCB também faz regularmente manchetes para boicotar as cerimónias do Dia do Memorial do Holocausto na Grã-Bretanha; está também a fazer campanhas pelo estabelecimento de um Dia do Memorial do Genocídio alternativo que "incorporará tragédias similares". Um outro grupo muçulmano, o Comité de Relações Públicas Muçulmanas do Reino Unido (MPACUK), tem o objectivo aberto de mobilizar os eleitores muçulmanos a afectar o resultado das eleições britânicas. Durante as eleições gerais em 2010, o MPACUK foi essencial na deseleição de seis membros do parlamento que foram entendidos como não sendo suficientemente pró-muçulmanos. Durante as eleições gerais em 2005, o MPACUK lançou uma campanha contra a deputada Lorna Fitzsimons, do Labour. O MPACUK distribuiu um panfleto afirmando que Fitzsimons não tinha feito nada para ajudar os palestinianos porque ela é judia. Outro panfleto dizia: "Lorna Fitzsimons é uma ardente sionista e membro do mais poderoso lobby anti-muçulmano do mundo, o lobby de Israel". Fitzsimons não é judia, e o MPACUK retirou o panfleto mais tarde, mas obteve sucesso em deseleger Fitzsimons; desde então, muitos deputados britânicos têm-se curvado para apascentar os eleitores muçulmanos. O MPACUK recentemente trabalhou com o Channel 4 para produzir um documentário intitulado "Operação Voto Muçulmano". Com o objectivo de pressionar por maior participação de muçulmanos na política britânica, o documentário conta a história de dois activistas do MPACUK que se dirigiram para o norte de Inglaterra para tomar assentos seguros de muitos "deputados belicistas sionistas". O website do MPACUK diz que o seu trabalho é definido pelo princípio central do anti-sionismo. "O MPACUK opõe-se à ideologia política racista do sionismo e objectiva contrabalançar a influência do lobby sionista. A evidência abertamente disponível demonstra uma agenda sionista para dominar o Médio Oriente e empurrar um "'choque de civilizações' entre o islão e 'o Ocidente'". "Nós, portanto, acreditamos que o anti-sionismo é uma prioridade estratégica para contrabalançar a maior e mais urgente ameaça enfrentando a "ummah" (a diáspora muçulmana)". O seu website também diz que os muçulmanos na Grã-Bretanha devem ser proactivamente comprometidos com os média e com a política como o caminho mais efectivo para "reavivar o fardo (obrigação) da 'jihad'". Os grupos de lobby muçulmano também pressionaram o governo britânico a sancionar o "Acto do Ódio Racial e Religioso", que cria um novo crime: atiçar intencionalmente ódio religioso contra pessoas sob argumentos religiosos. Como previsto, a nova lei estabeleceu novos limites na liberdade de expressão num país onde a elite politicamente correcta rotineiramente procura silenciar a discussão pública sobre o crescente problema da imigração muçulmana.
O crescente poder do lobby muçulmano europeu foi mais recentemente demonstrado pela decisão da União Europeia a meio de Dezembro de silenciosamente abandonar uma nova medida que exigiria que as carnes "halal" (religiosamente aprovada para os muçulmanos) carregassem um rótulo para ajudar os consumidores não-muçulmanos a identificar as suas origens. Com o crescimento exponencial da população muçulmana europeia, milhares de toneladas de carne abatida "halal" estão agora a entrar na cadeia alimentar geral, onde está sendo inconscientemente consumida pela população não-muçulmana.
Ao curvar-se a grupos de pressão muçulmanos - tais como o World Halal Forum Europe e o Halal Monitoring Committee -, e tirando o requerimento de etiquetamento "halal", a União Eeuropeia está efectivamente a estabelecer a lei da "sharia" como normativa para a indústria da carne europeia. A polémica do "halal", em que grupos de lobby muçulmanos estão a procurar impor os requerimentos do islão, não apenas ao seu próprio povo, mas também ao resto da sociedade, ilustra como o crescimento do islão está a influenciar as vidas diárias de centenas de milhões de europeus não-muçulmanos.
Em França, que tem a segunda maior população do continente depois da Alemanha, muitos grupos de lobby islâmicos estão a competir para representar o estimado de 4,1 milhões de muçulmanos do país. O Conselho Francês da Fé Muçulmana (CFCM) serve como o interlocutor oficial com o estado francês na regulação de atividades religiosas muçulmanas e ,como tal, é o representante de facto de todos os muçulmanos franceses perante o governo nacional. Os outros principais grupos de lobby islâmico são o Comício para Muçulmanos Franceses (RMF), apoiado por Marrocos, e a União de Organizações Islâmicas Francesas (UOIF), próxima à Irmandade Muçulmana.
Na Alemanha, casa da maior população muçulmana em termos absolutos, a poderosa União Turco-Islâmica para Relações Religiosas (DITIB), ela própria um braço da autoridade de relações religiosas do governo turco, obteve sucesso em persuadir a cidade de Colónia a aprovar a construção de uma nova megamesquita. A mesquita futurista abrigará até 4000 fiéis e terá uma enorme cúpula e minaretes de 55 metros (180 pés), cada qual tão alto como torres comerciais de 18 andares. A mesquita de 4500 metros quadrados, que tem um preço de 20 milhões de euros, está a ser financiada por doações de mais de 800 grupos muçulmanos dentro e fora da Alemanha. Os críticos do projecto dizem que a mesquita é um esforço deliberado de estragar a paisagem de Colónia, ao tirar a atenção da catedral gótica da cidade, uma paisagem cristã famosa globalmente. Em meses recentes, grupos de lobby muçulmanos também persuadiram o governo alemão a adaptar o sistema de educação secular da Alemanha para que atenda a preferências islâmicas. O Ministério de Educação da Alemanha, por exemplo, concordou em financiar estudos islâmicos em muitas universidades estatais para treinar líderes de oração muçulmanos e professores religiosos. A ministra da Educação da Alemanha, Annette Schavan, diz: "Nós queremos que tantos imãs quanto possíveis sejam educados na Alemanha. Imãs são construtores de ponte entre as suas congregações e as comunidades onde as suas mesquitas se localizam". Ela declara depois que a Alemanha precisaria de 2000 imãs e professores se todos os 16 estados oferecessem cursos de islão. Por toda a Alemanha, no estado de Rhineland-Palatinate, grupos de lobby muçulmanos estão a trabalhar com o Ministério da Cultura para designar aulas pró-islâmicas para as escolas públicas. As novas directrizes recomendam cancelar todas as excursões escolares durante o mês do Ramadão, tomar em conta as sensibilidades dos muçulmanos quando planeiam estágios e eventos escolares e passar menos trabalhos escolares durante o Ramadão porque o jejum pode levar a uma perda da performance e da concentração entre os estudantes muçulmanos. No estado alemão da Baixa Saxónia, o Conselho Central Muçulmano Alemão está a pedir ao Ministério da Educação para incluir o islão no núcleo curricular das suas escolas como parte de uma iniciativa politicamente correcta de contrabalançar os crescentes sentimentos anti-islâmicos no país. Em Berlim, o Ministério da Educação, Ciência e Pesquisa recentemente publicou um guia chamado "Islão e a Escola", que dá aos professores conselhos práticos em como evitar ofender os estudantes muçulmanos.
Na Escandinávia, o Conselho Muçulmano da Suécia, uma organização de grupos islâmicos no país, está a pressionar o governo sueco a implementar uma legislação especial para os muçulmanos. As demandas incluem o direito a feriados islâmicos específicos, o financiamento público especial para a construção de mesquitas, uma demanda que todos os divórcios entre casais muçulmanos sejam aprovados por um imã e que aos imãs deve ser permitido o ensino do islão nas escolas públicas.
À medida que a população muçulmana da Europa cresce, grupos de lobby muçulmanos vão também exercendo significativa influência na política europeia para o Médio Oriente, resultando num notável endurecimento de atitudes europeias para com Israel. Muitos países europeus, por exemplo, ávidos em manter boas relações com comunidades muçulmanas locais, estão a preparar o fundamento político para a União Europeia reconhecer um estado palestiniano, possivelmente já em Outubro de 2011, mesmo se as negociações para um entendimento permanente entre Israel e a autoridade palestiniana não estejam concluídas - uma abrogação total dos acordos de Oslo assinados na ONU. Em Dezembro de 2009, a União Europeia adoptou uma resolução que, pela primeira vez, pede explicitamente que Jerusalém se torne a futura capital de um estado palestiniano. A mudança não somente reflecte os esforços da União Europeia em pré-julgar o resultado de assuntos reservados a negociações de status permanente, mas em Dezembro de 2010, um influente grupo de ex-líderes e oficiais da União Europeia publicaram uma carta urgindo à comunidade para implementar sanções contra Israel. A Europa também tem sido o marco zero para uma série de leis anti-Israel que exploram o princípio legal da jurisdição universal para molestar actuais ex-líderes militares e políticos israelitas, com os objectivos duplos de atar as mãos de Israel contra o terror palestiniano e deslegitimar o estado judeu. Tal "lawfare" é geralmente ajudado e instigado por grupos de lobby muçulmanos na Europa por meios de apoio logístico e financeiro. Esta constante demonização de Israel pela burocracia europeia está também a afectar as ruas europeias, onde a linha entre críticas válidas contra Israel e o antissemitismo está a crescer perigosamente. Uma pesquisa conduzida pela Universidade de Bielefeld, por exemplo, mostra que mais de 50% dos alemães iguala as políticas de Israel para com os palestinianos com o tratamento nazi aos judeus e que 68% dos alemães diz que Israel está empreendendo uma "guerra de extermínio" contra o povo palestiniano. Em termos da Europa como um todo, uma pesquisa oficial da União Europeia mostra que a maioria dos europeus considera Israel como a maior ameaça à paz mundial. Um outro relatório comissionado pelo Centro de Monitoramento da União Europeia sobre Racismo e Xenofobia (agora chamado de Agência da União Europeia de Direitos Fundamentais) descobriu que os imigrantes muçulmanos são em grande parte responsáveis pelo nítido aumento da violência antissemita na Europa. Os grupos de lobby muçulmanos terão certamente pressionado a União Europeia para que esse relatório não fosse divulgado ao público geral.

Soeren Kern

Grávido de gémeos

Um transgénero espanhol, Rubén Noé, anuncia estar grávido de gémeos para, segundo ele, ou ela, acabar com tabus sociais.
Noé, de 25 anos, que nasceu com o nome Estefanía Corondonado, mantém os órgãos reprodutivos do sexo feminino, mas contou à imprensa espanhola que deseja ser pai ao lado da sua namorada, a espanhola Esperanza Ruiz de 43 anos e mãe de dois filhos com quem pretende casar e registar os gémeos (resultantes duma inseminação artificial).
O caso de Rubén não é o primeiro nem há-de ser o último: o americano Thomas Beatie, também transgénero, deu à luz a sua primeira filha no ano passado e está agora novamente grávido...

Apanhado nu

Num subúrbio da cidade do Cabo, na África do Sul, um homem foi apanhado nu pelo Google Street View numa rua de Plumstead. A imagem foi divulgada por blogues e sites locais, o que levou o Google a censurar a foto.

Japão é campeão asiático

video

O Japão sagrou-se tetracampeão asiático - tornando-se assim no país mais vencedor de campeonatos asiáticos - depois de vencer na final do campeonato, realizado no Qatar, a Austrália, que deixou de competir nos torneios da Oceania em 2006, por uma bola a zero.
A final foi pautada pelo equilíbrio táctico e pela alta velocidade, tendo os japoneses resolvido o jogo a quatro minutos do fim do segundo prolongamento quando Yuto Nagatoma, numa jogada individual, cruzou para a área onde estava Tadanari Lee, filho duma segunda geração de coreanos de Tóquio e que representa o clube japonês Sanfreece Hiroshima, que, sem marcação, fez o seu primeiro golo pela selecção nipónica na sua segunda internacionalização.
Bom, sem querer tirar o mérito aos japoneses, a Ásia, apesar de ser o maior continente do mundo, não possui grandes selecções de futebol. Num campeonato mais exigente como é o campeonato da Europa, certamente a selecção nipónica teria poucas chances de conseguir o apuramento para as eliminatórias.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Digamos não à islamização!

Digamos não à islamização do Ocidente assinando esta petição. Como já não existem as Cruzadas para proteger a nossa civilização dos invasores muçulmanos, resta-nos apelar à consciencialização do fenómeno para que os governos ocidentais reajam enquanto tal ainda é possível.
Digamos não à imigração islâmica nas nossas democracias ocidentais! Não queremos ser dominados pelas bárbaras leis da sharia!

Afeganistão: casal apedrejado

O seguinte vídeo amador está a correr mundo: um casal de namorados afegãos foi apedrejado até à morte em Kunduz, no nordeste do Afeganistão.
Sidqqa, de 19 anos, fugiu do seu casamento combinado em Outubro último e foi ter com Khayyam, o namorado, que era casado e pai de dois filhos. O casal tinha fugido para o Paquistão, mas regressou à sua aldeia natal depois de receber garantias de que nada lhes iria acontecer. Chegado à aldeia, o casal foi arrastado por uma milícia talibã, foi julgado por adultério num tribunal improvisado e lapidado por decreto de dois mullahs, tendo tudo acontecido muito rapidamente.

video

Os tolerantes e os ecuménicos ainda querem proteger a seita islâmica, a "religião da paz"?

sábado, 29 de janeiro de 2011

O projecto Irmandade Muçulmana

Fundada em 1982 no Egipto mas oficialmente banida do país, a Irmandade Muçulmana planeia dominar o Ocidente através da expansão das bárbaras leis do islão e encontra-se directamente relacionada com um enorme amontoado de organizações islâmicas (CAIR, ISNA, ICNA, MSA, MAS e muitas outras organização islâmicas americanas).
video

90 mortes no Egipto

Depois da Argélia e da Tunísia, o Egipto. Há registo de mais de 90 mortes em cinco dias de violentos e históricos protestos levados a cabo por manifestantes nas ruas do Cairo.
O presidente egípcio, Hosni Mubarak, no poder há 29 anos, anunciou a demissão do governo para conter a revolta, mas recusa-se a abandonar o poder.
O centro da capital, a maior metrópole do continente africano, é hoje descrito por testemunhas como "uma zona de guerra", que conta com a presença de tanques para dissuadir os manifestantes num país mergulhado numa crise económica, política e social.
Pouca sorte teve o jornalista da BBC Assad El Sawey, que afirmou ter sido espancado com barras de aço pela polícia secreta egípcia enquanto fazia a cobertura duma manifestação de 15 mil pessoas depois das "orações" tradicionais de sexta-feira. "Quando me prenderam, começaram a bater-me com barras de aço, do tipo que se usa aqui para abater animais", afirmou. O repórter sofreu ferimentos na cabeça e foi também alvo de pancadas com cassetetes eléctricos.

Piloto bêbedo

Um piloto da Delta Airlines, George La Perle de 49 anos, com 20 anos de experiência, foi condenado a seis meses de prisão devido à embriaguez. O homem estava tão embriagado que nem sabia para que destino teria que descolar do aeroporto de Heathrow, em Londres, com 241 passageiros a bordo. O homem estava quatro vezes acima do limite permitido de álcool no sangue quando foi detido pelos agentes de segurança num terminal do aeroporto londrino. O seu destino seria Detroit, nos Estados Unidos, mas ele disse aos agentes que ia para Nova Iorque.
O que é que o álcool faz...

Homem tatua "MINI" no pénis

O alemão Andreas Muller, de Sachsen Anhalt, participou num concurso lançado pela rádio local que sorteava um MINI Cooper. Não era, no entanto, um concurso qualquer: quem quisesse ganhar o carro teria que tatuar a palavra "MINI" no pénis (era só para homens?).
Empolgado, o alemão de 39 anos aceitou o desafio. Os seus gritos foram transmitidos em directo enquanto o tatuador tatuava a palavra no seu órgão sexual, o que lhe permitiu ganhar o carro. "Uma vez que eu esteja sentado no carro, nada vai importar. A dor irá embora e tudo estará bem", disse Andreas.
Existem malucos em toda a parte.

Avô aos 29 anos

Um galês de 29 anos, que preferiu manter o anonimato, foi pai aos 14 anos e prepara-se agora para ser avô: a sua filha, de 14 anos, está grávida. Segundo o Daily Mail, a pitinha e o namorado estudam numa escola no sul do País de Gales.
"Nunca pensei que isto fosse acontecer de novo comigo; fui pai aos 14, e agora vou ser avô antes dos 30", disse o jovem pai e futuro avô, acrescentando que a sua filha decidiu continuar com a gravidez apesar das implicações futuras. "Fui um pai adolescente e sei como isso pode ser difícil. Agora chegou a vez da minha própria filha ficar a saber", disse com orgulho o avô mais jovem do Reino Unido.

Um dos líderes da EDL alvo de tentativa de assassinato

Um dos líderes da EDL (Liga da Defesa Inglesa), Kevin Carrol, foi alvo de tentativa de assassinato por parte de gangues muçulmanos armados ao serviço da jihad em Luton. Apesar de ter havido vários disparos, Kevin felizmente não foi atingido e a luta da EDL contra os muçulmanos radicais, que estão a tentar impor a sharia e transformar a Inglaterra num estado islâmico, está longe de estar acabada.
O país está agora a colher os frutos da imigração muçulmana que cada vez mais está a provocar tensões entre muçulmanos e não muçulmanos, que cada vez têm mais problemas em poder viver em paz na sua própria terra.
A imigração islâmica devia ser proibida. Alguns muçulmanos vêm viver para democracias ocidentais à procura de melhores condições de vida, mas muitos querem igualmente seguir o exemplo do seu falso profeta Maomé (que é como eles devem realmente fazer, conforme está escrito no Corão) e tentam fazer com que os governos dos países que os acolhem se submetam (islão significa literalmente submissão) à lei islâmica, a sharia, em vez de respeitarem as leis já existentes, adoptando medidas de claro confronto com os valores da sociedade ocidental.
Europa, reage! Ocidente, acorda! Em nome da nossa civilização! Que pena já não existirem as Cruzadas contra os invasores muçulmanos!

Mas o Rui Pereira ainda é ministro?

Milhares de eleitores não puderam votar no passado dia 23 devido a falhas do Ministério da Administração Interna, mas Rui Pereira ainda continua a ser o ministro da Administração Interna.
"Este não é um erro burocrático, administrativo, pelo qual baste pedir desculpas. Como cidadão, aquilo que eu teria esperado era que quem tem responsabilidade política tivesse logo tirado consequências. Não é preciso estar a oposição ou o país a pedir a demissão de ninguém", declarou Passos Coelho aos jornalistas. "O ministro nem se demitiu nem foi demitido, o que já diz tudo da maneira como o governo encara estes processos", acrescentou.
No parlamento, Sócrates quis proteger o seu lacaio e falar da política económica para desviar o assunto, mas a oposição da direita insistiu na demissão de Rui Pereira.
Rua, seu socialista!

Vestido de noiva comestível

Na Colômbia, um chef, Juan Manuel Barrientos, criou um vestido de noiva feito de 2 mil pétalas de rosa açucaradas. O colombiano diz que começou a dedicar-se a esta arte quando se apercebeu que as noivas não só se vestem com pompa e circunstância para os convidados, como também se despedem para os maridos à noite, criando assim um vestido tendo isso em conta. Para além do vestido, o chef criou também pulseiras, anéis e gargantilhas de caramelo, bouquet de flores comestíveis e sandálias de pão.

Criança julgada como adulto

Jordan Brown é um rapaz americano de 13 anos que pode ser condenado a prisão perpétua, no Estado da Pensilvânia, por ter matado a namorada do seu pai quando tinha apenas 11 anos. Os advogados do adolescente - que sempre se declarou inocente - estão a tentar convencer a justiça norte-americana a não o julgarem como adulto, tendo para isso que convencer os três juízes do painel de recurso. Caso consigam, Brown será julgado num tribunal de menores, podendo sair em liberdade quando completar 21 anos.
Nos EUA, cerca de 2400 prisioneiros cumprem pena perpétua por crimes cometidos quando eram menores. Brown poderá tornar-se na pessoa mais jovem na história dos EUA a ser condenada (se esse for o caso) a uma pena de prisão perpétua por homicídio.

Ladrões idosos

Um relatório anual divulgado pela polícia japonesa revelou que o número de furtos em lojas atribuídos a idosos atingiu um nível recorde no país em 2010. Segundo o documento, 26,1% dos acusados de furtos em lojas detidos no ano passado tinham mais de 65 anos. Um total de 27362 idosos nessa faixa etária foram presos sob acusação de furto em lojas, um número quase igual ao dos adolescentes, e este recorde representa uma tendência constante nos últimos anos.
Quando a polícia iniciou este tipo de registo em 1986, o número de aposentados presos foi de 4918 e desde então o número de presos aumentou, chegando aos 10 mil em 1999 e aos 20 mil em 2004. No ano passado a maioria dos idosos furtou alimentos ou roupas em vez de coisas mais caras. O problema é que, segundo o relatório, os idosos não roubam devido a problemas financeiros, mas sim por causa do "sentimento de isolamento, peculiar à idade".
A sociedade japonesa está a passar por um rápido processo de envelhecimento e a sua economia continua a enfrentar dificuldades. Mais de 20% da população do país tem mais de 65 anos, um número que deve aumentar para cerca de 40% em 2050.

Crónica de João Gobern

À hora a que termino esta crónica, a Comissão Disciplinar da Liga fez o que devia: vai proceder a um inquérito aos incidentes no final do Benfica-Nacional. Não custa a crer que, dentro da moldura de sentenças previstas para estes casos, Jorge Jesus, treinador dos campeões nacionais, venha a ser castigado: seja qual for a terminologia utilizada – e é curioso como nestes casos de imagens que não são rigorosamente conclusivas as paixões clubísticas servem para se ganhar certezas, dos “vários empurrões” às “agressões e murros”, o quadro não parece de molde a que o técnico saia ilibado do caso. Se assim se entender, condene-se. Mas, de uma vez por todas, que não se crie um precedente que, depois, não tenha consequências na jurisprudência e que se julguem os prevaricadores sem se lhes olhar para o emblema. É o mínimo.
Dito isto, deixando claro que por aqui não passam esponjas nem branqueamentos, confesso a minha perplexidade por mais uma sessão de “desforra” vinda de André Villas-Boas, uma atoarda mesquinha que envolve “miúdos e graúdos”. O meu espanto tem a ver apenas com isto: a continuar assim, em campo e fora dele, o jovem treinador do FC Porto verá os seus méritos profissionais e técnicos reconhecidos; já a sua personalidade e o seu carácter serão objecto de acesas discussões.
Continuo a pensar que Villas-Boas reage mais como adepto ou, dentro da “escola” portista, como dirigente. Para seu bem e para sossego geral, deveria ser mais contido e mais inteligente. Deixando vir à superfície uma obsessão constante pelo Benfica e por quem o representa, está a apoucar-se, a si e a quem lhe dá emprego – a constante referência ao inimigo, as mordidelas guerrilheiras, o toca-e-foge com as palavras, a piada grosseira sempre dirigida ao mesmo alvo, as ingerências em assuntos que nada têm a ver consigo, ameaçam fazer de André Villas-Boas mais um caso patológico a juntar à lista que se julgava produto de um qualquer microclima da zona de Contumil.
As claques portistas podem estar a festejar seja o que for (até um penálti capaz de fazer de Hulk um atleta com dons de adivinhação…), mas nunca se esquecem de enviar um cântico “amigo” ao SLB, cuja sigla entoam mais vezes que a do próprio clube. Jorge Nuno Pinto da Costa pode ser questionado sobre eleições presidenciais, sobre gastronomia ou sobre vias rápidas e SCUT – qualquer que seja o tema, ele há-de encaixar uma indirecta ou uma directíssima ao Benfica, com o qual parece sonhar acordado. Villas-Boas vai pelo mesmo caminho? Que seja feliz. Mas que não se esqueça que um treinador não faz uma vida só num clube. E que se recorde que José Mourinho, campeão a partir a loiça, nunca por nunca aceitou ser a voz do dono.

Fonte: Apanhados Quânticos

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Islão: o que os outros dizem

Jihad na Rússia

Embora o atentado ainda não tenha sido reivindicado e apesar dos esforços patéticos dos média convencionais no sentido de falar sobre a explosão no aeroporto russo sem fazer qualquer tipo de referência à suposta orientação ideológico-religiosa dos seus perpetradores, ninguém parece duvidar de que se tratou de mais um acto de
jihad contra o mundo ocidental.

Nada Disto É Novo


Jimmie Akesson: as políticas de imigração (do governo sueco) são extremistas

O líder do Democratas Suecos, Jimmie Akesson, disse numa entrevista ao programa Hardtalk, da BBC, que o problema da imigração é que as políticas imigratórias ao longo das últimas décadas são extremistas e, além disso, muitos dos imigrantes são muçulmanos. Muitos dos imigrantes muçulmanos segregam nos subúrbios das grandes cidades, eles constroem sociedades paralelas e abusam do sistema de bem-estar do Estado.

A entrevistadora pergunta: "Então é a imigração muçulmana que quer que páre?"

Akesson: "Nós queremos reduzir o montante de imigrantes em geral, mas a maioria dos imigrantes que vieram nas últimas décadas são muçulmanos."

A entrevistadora pergunta mais ou menos assim: "Acha que os muçulmanos estão a destruir a sociedade?"

Akesson: "É um resultado do enorme montante de imigrantes com diferentes valores, que não tiveram oportunidade de se tornar parte desta sociedade, segregando a si mesmos nos subúrbios das grandes cidades, onde os imigrantes já são a maioria. Eu não acho que este é o caminho a seguir, se você quer ter uma sociedade segura, aberta e tolerante."

(...)

Entrevistadora: "Disse que a criminalidade está a aumentar por causa da imigração. Em que se baseia para fundamentar isso?"

Akesson: "Bem, os imigrantes são um pouco mais criminosos que os suecos nascidos aqui. São factos, especialmente em violência, estupros, etc."


Mente Conservadora


Reino Unido: 100 conversões ao islão em cada semana

Cerca de 5200 britânicos convertem-se ao islão a cada ano, e 62% são mulheres, segundo uma pesquisa encomendada por
Faith Matters.
O típico britânico convertido torna-se muçulmano aos 27 anos e, segundo a pesquisa, não é motivado à conversão pelo casamento. 55% dos convertidos, entretanto, são casados com um muçulmano de nascimento e 12% são casados com outro convertido.
A pesquisa descobriu que a vasta maioria das mulheres convertidas adoptam a
hijab (véu) depois da conversão. Citam-se os livros como influência primordial sobre os convertidos, seguidos de amigos muçulmanos e Internet.

Catholic Culture


População muçulmana vai crescer duas vezes mais rápido que outras

A população muçulmana vai crescer duas vezes mais rapidamente que as outras, durante os próximos vinte anos, altura em que constituirá mais de um quarto dos habitantes do planeta, revelou um estudo norte-americano hoje publicado.
De acordo com o instituto de estudos
Pew Forum on Religion and Public Life, o crescimento anual da população muçulmana vai atingir 1,5 por cento contra os 0,7 por cento para o resto dos habitantes do planeta.
Segundo o estudo intitulado
The Future of the Global Muslim Population (O Futuro da população muçulmana), em 2030 os muçulmanos vão constituir 26,4 por cento da população mundial, contando então com 8,3 mil milhões de pessoas.

Lusa / SOL

Nonagenários voltam a casar 50 anos depois

Um casal de nonagenários britânicos subiu ao altar no passado sábado, mais de 50 anos depois de se terem divorciado, período durante o qual ficaram praticamente sem falar um com o outro.
Leslie Harper, de 93 anos, e Elsie Dunn, de 90, casaram no Cartório de Registos de Bridlington, em Yorkshire (Inglaterra). Eles conheceram-se em 1937 e casaram quatro anos depois, na cidade de Hull, mas separaram-se em 1954 e ficaram 50 anos praticamente sem contacto um do outro. A única ligação entre eles era a sua filha, Pauline, nascida em 1945. Ambos tiveram depois outros casamentos nos anos 60 do século passado, mas acabaram por ficar viúvos. Logo depois da morte da mulher de Leslie em 2004, ele voltou a entrar em contacto com a ex-mulher, tentando uma reaproximação.
"Ele ligou para a nossa filha, Pauline, perguntando se ela achava que eu gostaria de vê-lo", contou Elsie ao jornal Driffield Post Times. "Ela foi muito a favor, mas disse que ele deveria ligar primeiro. Um dia ele veio aqui, e foi isso".
Leslie e Elsie voltaram a morar juntos logo depois da reaproximação e agora estão novamente casados.
Há mesmo casos engraçados.

Mãe de 12 gémeos

Gladys Bulynia é uma queniana que vive sozinha com 10 de seus 12 filhos gémeos num país onde muitas pessoas acreditam que o nascimento de gémeos é uma maldição. A sua família não quer mais contactos com ela e até o seu marido a abandonou após o nascimento do sexto par de gémeos, temendo que ela estivesse amaldiçoada.
Bulynia, de 35 anos, ficou grávida pela primeira vez quando ainda era uma estudante do secundário, mas o seu namorado da altura era jovem demais para casar com ela. A sua família quis que ela deixasse os bebés no hospital local para adopção porque segundo a tradição do povo Bukusu, ao qual ela pertence, os gémeos trazem azar e que, a não ser que ao menos um deles morra, isso significa morte certa para um ou para ambos os pais.
A tradição de eliminar o segundo gémeo não é mais praticada apesar de casos ocasionais de infanticídio ainda serem verificados em certas áreas rurais do oeste do Quénia.

Jovem matou pai à facada

Na aldeia de Esteiro, em Pampilhosa da Serra, um jovem de 16 anos matou o seu pai à facada com uma catana de fabrico artesanal e deslocou-se a pé ao posto da GNR da sede de concelho - a cerca de 20 Km da aldeia - para confessar o crime e entregar-se. O corpo da vítima foi transportado para o Instituto de Medicina Legal de Coimbra e a investigação do caso está agora a ser conduzida pela Directoria de Coimbra da Polícia Judiciária. O rapaz vai ficar agora a aguardar julgamento em casa com pulseira electrónica, segundo a medida de coacção decretada pelo Tribunal de Coimbra.
Uma fonte policial admitiu à Lusa que o jovem terá cometido o crime em alegada retaliação pelos alegados maus-tratos que o pai, de 55 anos, lhe infligira.

Berlusconi insulta apresentador em directo

video

Silvio Berlusconi, envolvido num caso que já é conhecido por Rubygate, de prostituição de menores e de abuso de poder, insultou em directo o apresentador dum programa da televisão que abordou o assunto. "Infame", "repugnante" e "desprezível" foram os insultos que Berlusconi proferiu por telefone ao jornalista Gad Lerner, do programa L'Infedele, acusando-o de "deformar a realidade" e de usar "falsas teses, distantes da realidade e da verdade". Durante a breve ligação, Berlusconi ofendeu também as convidadas no debate chamando-as "dessas chamadas senhoras". O apresentador respondeu-lhe dizendo: "Você é um mal educado".

Taça Millennium: Benfica nas «meias»


Sempre vai haver um clássico de futebol nas meias-finais da Taça Millennium. O Benfica bateu o Rio Ave em Vila do Conde por 2-0, num jogo em que o árbitro marcou quatro grandes penalidades (três a favor do Benfica e um a favor do Rio Ave), e assim apurou-se para as meias-finais onde vai defrontar a agremiação corrupta do Porto que já só estava à espera do vencedor desse jogo para discutir a presença no Jamor.
Em relação ao jogo, o Rio Ave dispôs da primeira ocasião de golo quando João Tomás enganou bem o árbitro setubalense João Ferreira num lance com Fábio Coentrão, com o homem do apito a assinalar penalty. O mesmo João Tomás, ex-jogador do Benfica, fez justiça ao falhar o castigo máximo, permitindo a defesa do habitual guarda-redes suplente Júlio César. O Benfica depois teve também dois penalties mal assinalados e um bem assinalado (David Luiz falhou e Cardozo só fez golo na segunda tentativa), mas depois também teve (mais) dois penalties roubados. Cardozo, com um remate sortudo, fez o segundo golo e fixou o resultado.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Suspensão da imigração em Haia

Uma notícia surpreendente vinda da parte de quem veio: liberais de Haia, na Holanda, querem parar temporariamente com a imigração na cidade por esta já estar a deteriorar-se a um ritmo recorde! Segundo esses liberais, da fracção do VVD, a tendência só pode ser revertida através duma acção rápida e resistente.
O conselheiro Arjen Lakerveld diz que Haia está dominada por grandes grupos de imigrantes que "colocam uma pressão sobre os serviços sociais": "É caro. Verifique agora que o fluxo de pessoas desfavorecidas seja interrompido por um par de anos. Do contrário, você está a esfregar as mãos com as torneiras abertas." Lakerveld diz que o afluxo contínuo de imigrantes compromete a qualidade de vida na cidade: "Nós não estamos a ir bem nas estatísticas. No momento, estamos no topo em matéria de criminalidade e da deterioração". Lakerveld acrescenta que impedir temporariamente (porque não definitivamente?) a entrada de imigrantes é legalmente viável: "Temos a Lei de Roterdão. Isto significa que um município pode solicitar ao ministro para designar áreas com requisitos de renda para pessoas que procurem viver lá".
Será que os liberais holandeses também já estão a abrir os olhos para a realidade do problema efectivo que constitui a entrada da escumalha vinda de fora e que é necessário defender a sua própria identidade?

Bibi diz que mentiu

A SIC avançou que Carlos Silvino, vulgo Bibi, deu uma entrevista à revista Focus, a primeira desde a sua condenação no processo Casa Pia, em que garante ter mentido ao tribunal e diz que os arguidos estão todos inocentes.

video

Movimento SOS Educação

Mais de 25 escolas do ensino particular com contrato de associação foram encerradas pelos pais e encarregados de educação em protesto contra os cortes do Ministério da Educação aos apoios, calculando-se que estejam cerca de 60 mil alunos em risco de não ir às aulas até sexta-feira. Entre gritos de SOS, pais e alunos manifestaram-se à porta das suas escolas, entrando em confronto com a ministra da educação, Isabel Alçada.
O Ministério da Educação já anunciou que vai "analisar" o encerramento das escolas particulares, lembrando que cabe aos directores controlar estas situações em coordenação com as forças de segurança para repor a ordem. "Tendo em conta que estas situações provocam a impossibilidade de garantir o acesso à prestação do serviço público de Educação, o assunto será analisado pelo Ministério da Educação", afirma o gabinete da ministra.

Opiniões DN

A crise do globalismo

O globalismo aconteceu sem projecto de governança conhecido, nem directório identificável, um efeito colateral de avanços sem precedente da ciência e da técnica, e da utilização desses avanços por um sistema financeiro sem valores de referência. Como de hábito, o esforço para organizar ao menos um conceito que permitisse unificar a visão da unidade, muito mais complexa do que a nossa mundialização que esteve nos seus primórdios, não deixou de ser feita por académicos e comentadores. Tornou-se popular a que definiu essa globalização como "a intensificação das relações económicas, políticas, sociais, e culturais, para além das fronteiras" (Sorensen, 1951), talvez simples demais para ajudar a racionalizar a anarquia em que se tornou a ordem internacional. Foram mais elucidativas, a caminho de uma conceptualização final, as identificações de percursos transnacionais em expansão, em domínios bem identificados parcialmente.
Os mercados nacionais, oferecendo aos consumidores produtos vindos de longe; a música popular, que deixa de ser nacional e reúne multidões em qualquer latitude para escutar executantes de renome mundial; as televisões, que dominam os ambientes da informação sem distinção salvo a determinada pela hegemonia; o comércio de comida rápida instalado em todos os lugares. Por cima de tudo, a tecnologia oferecida à área da comunicação é a que mais desafia a indagação sobre a possibilidade de uma comunidade civil globalizada estar em crescimento, ao mesmo tempo que o ditado antigo de que o dinheiro não tem nacionalidade vai provocando uma nova hierarquia de países, e condenando alguns à irrelevância crescente. Durante alguns anos de alegres e pouco esclarecidas percepções, a divisão entre o Norte rico do mundo e o Sul carinhosamente descrito como composto de países em desenvolvimento permitiu traçar uma fronteira de pobreza que parecia estabilizada, mas os factos mostram que a mobilidade também atingiu severamente essa realidade, que a pobreza avança em direcção ao Norte, e que a anarquia mundial tende para agravar-se. A sementeira de conflitos, alguns perigosamente armados, acompanha o confronto dos valores do passado em erosão com esta globalização insuficientemente compreendida pelos analistas, e casos como os do terrorismo global levam alguns a considerar que cresce a vontade de recuperar valores seculares de outros tempos não esquecidos, e que "se verifica o renascimento de um fundamentalismo em todos os domínios das maiores religiões, islão, cristianismo, judaísmo, shintoismo, ou confucionismo" (Snarr).
É evidente que a hierarquia das potências, medida em qualquer das balanças, militar, económica, cultural, também anunciou o avanço da erosão do velho mundo, mas esse facto atinge primeiro, mais severamente, e com evidência, os pequenos países, antes protegidos pela ordem internacional que defendia a jurisdição interna, e a igualdade formal, e que agora tendem finalmente para exíguos, isto é, com reduzidas capacidades para enfrentar os novos desafios.
O equilíbrio exigível para tentar racionalizar, e tornar efectiva, uma nova ordem, procurando não consentir em que o pessimismo seja a perspectiva dominante, aconselha a fazer o inventário dos aspectos positivos da evolução, abrindo cooperações para novos caminhos de esperança. E, neste domínio, os inventários correntes apontam para o crescente respeito pelos direitos do homem das novas gerações, com apoio nos movimentos que se internacionalizam contra os abusos; paralelamente, os governos de carácter totalitário vão enfraquecendo, por vezes sem dúvida alargando a área de reacção violenta contra a queda, a economia diversifica-se, e aparecem novas oportunidades, mas não se defende de crises mal compreendidas, as trocas culturais multiplicam-se, todas as culturas falam com voz própria, cada uma exige respeito e não apenas tolerância. Falta avançar com segurança na informação e no conhecimento, mas com respeito por um paradigma mundializado de valores.

Adriano Moreira


O regresso das viúvas negras

Em menos de um ano, o metro e o maior aeroporto de Moscovo sofreram atentados suicidas. Passam pelo metropolitano nove milhões de pessoas por dia e no último ano 20 milhões circularam pelos corredores do Domodedovo. A probabilidade destes ataques atingirem os objectivos é altíssima: tráfego constante, maciço e grande concentração de civis. Infelizmente, é pouco provável que as coisas fiquem por aqui. No momento em que escrevo não há autoria confirmada. No entanto, um padrão parece ter regressado a Moscovo e faz pender a origem para extremistas do Cáucaso, conhecedores dos hábitos moscovitas e com os níveis de vingança a rebentar os termómetros. As "viúvas negras" que se explodiram no metro em Março passado podem ter regressado, agora que estão reunidas três grandes condições. A primeira releva a continuidade de um perfil vingativo e genuinamente alienado: com os maridos mortos pelas tropas de Putin nas guerras chechenas, passaram por uma reintegração social difícil dadas as regras nos clãs norte-caucasianos, acabando por sentir extrema apetência pela vingança e enorme vulnerabilidade às lideranças terroristas. A segunda aponta para a melhoria do financiamento ao terrorismo regional. Um ataque como este implica estadia prolongada em Moscovo, quotidiano insuspeito, reconhecimento do aeroporto e da sua segurança. Para isso é preciso dinheiro. Ora o terrorismo alimenta-se do crime organizado e, no Cáucaso, das novas rotas de heroína vindas do Afeganistão. Desde que começou a guerra, a Rússia viu aumentar 40 vezes o tráfico no seu território. A terceira aproveita-se do contexto político: legislativas (2011) e presidenciais (2012) obrigam o Kremlin e o FSB a mostrar de que são feitos. Cada ataque com sucesso mostra uma força com pés de barro. Por isso, a Moscovo só resta responder com punhos de aço. Terminou a paz podre.

Bernardo Pires de Lima


Os cortesãos cegos

Vivemos numa sociedade oficialmente livre-pensadora, sem tabus, preconceitos ou dogmas. Estão criadas as condições para os tabus mais acéfalos, preconceitos mais avassaladores, dogmas mais totalitários, por não existir sequer a disposição para reconhecer essa possibilidade.
Um dos contos mais geniais da literatura revela onde pode chegar a cegueira ideológica. Publicado na colectânea medieval espanhola El Conde de Lucanor de 1335 (Enxemplo XXXII - de lo que contesció a un Rey con los burladores que ficieron el paño), foi vulgarizado por Hans Christian Andersen como As Roupas Novas do Imperador (Kejserens nye Klæder) em 1837. Os cortesãos, a quem foi dito que o tecido do traje do imperador é invisível a quem não é filho de seu pai, estão dispostos a exaltar a beleza das vestes, sem conseguirem admitir que o rei vai nu. Sintomaticamente, na versão de Andersen, quem não vê as roupas é estúpido ou incompetente, mas na Idade Média interessava mais a família que a competência.
Não faltam exemplos desta cegueira. Há anos assistiu-se à derrocada do glorioso paraíso colectivista da União Soviética que tantos louvaram acefalamente durante décadas. Antes desfizera-se o mito da supremacia da raça ariana. Mas a sociedade sem tabus tinha de ter uma obsessão ainda mais infantil. O nosso dogma é a equivalência entre os estilos de vida.
Todas as civilizações e culturas sempre souberam que a família, onde as gerações se unem e sucedem, amando-se, educando-se, sustentando-se, perdoando-se, constitui a base da sociedade. Sempre houve alternativas, avaliadas de forma diferente nas várias culturas, mas nenhuma as viu como semelhantes à célula vital. A cultura ocidental contemporânea é a primeira que tenta negar a evidência.
Começa logo por não ser possível sequer falar de família. Agora é "família tradicional", porque alegadamente há várias. E aqui o adjectivo é pejorativo. Depois um portentoso aparato mediático, filmes, televisão, revistas, livros, jornais, lança-se numa campanha de propaganda massiva a favor das alternativas, adultério, divórcio, promiscuidade, concubinato, perversão, deboche, etc. É tudo excelente.
A origem desta tese aberrante é compreensível. As gerações anteriores, defendendo ferozmente a família, costumavam desprezar quem vivia nessas alternativas. Isso é inaceitável, porque todos devem ser respeitados, qualquer que seja a sua opção. Mas uma coisa é respeitar as pessoas, outra é respeitar as opções. Aí surgiu o erro que gerou o actual tabu. Todos respeitamos e cuidamos dos doentes, mas ninguém acha que a doença é igual à saúde. Aliás, precisamente por estarem a sofrer, os doentes são ainda mais acarinhados que os demais, por viverem pior. As disfunções familiares são doenças sociais. Sem desprezar ou censurar os que as sofrem, deveriam ser acudidos e respeitados, trazendo-os à condição saudável.
Em vez disso assistimos a um delírio de argumentação que, partindo de um conceito distorcido de autonomia pessoal, exalta aquilo que traz infelicidade, miséria, desgraça. Porque, vale a pena lembrar, até em termos agregados são já visíveis os resultados desta atitude. Todos reconhecem que, naturalmente, a sociedade ocidental se encontra em decadência demográfica, política, social e moral. Porque defender a família é considerado conservador, e o contrário de conservador é destruidor.
Apesar disso as luminárias contemporâneas estão dispostos aos maiores malabarismos para sustentar o axioma de equivalência contra qualquer evidência. Trata-se de um tabu absoluto e indiscutível: cada um vive como quer e ninguém tem nada com isso. Hoje, discute-se e critica-se tudo, a todos os níveis, menos aquilo que na nossa vida é mais influente sobre todos.
Quando surgem as tragédias, inevitáveis em estilos de vida desviantes, aparecem logo alcateias de comentadores para assegurar que o sucedido nada tem a ver com a perversão ou a opção de género, porque coisas dessas acontecem em todo o lado. Como os cortesãos de Andersen, nem se dão conta do seu ridículo.

João César das Neves

Facebook incita ao divórcio

Um estudo britânico indica que o Facebook incita ao divórcio, uma vez que a maior rede social já provocou cerca de 28 milhões de separações. Um advogado afirmou que, dos 30 casos de divórcio que lidou nos últimos nove meses, o Facebook estava implicado em todos. Já a empresa "Divórcio on-line" afirma que um em cada cinco pedidos de divórcios do último ano continham referências à rede social.
"A razão mais apontada é a proliferação de conversas inadequadas, de teor sexual, com pesssoas com quem os utilizadores não as deveriam ter", disse Mark Keenan, director-geral do "Divórcio on-line" ao The Telegraph.
Emma Patel, presidente duma empresa de advogados de família, afirma que o site actua como um terceiro agente virtual nas separações: "O Facebook tem sido culpado pelo aumento das separações de casais. As pessoas sentem-se tentadas a partilhar os seus sentimentos online e, em alguns casos, não só expressam o seu stress, como também fazem acusações inflamatórias contra o parceiro", acrescenta.
O Facebook reagiu através dum porta-voz que afirmou que culpar o Facebook "é como culpar o seu telemóvel ou o e-mail".

O homem das bonecas insufláveis

Dave Hockey, de 57 anos, possui 12 bonecas insufláveis de tamanho natural e já chegou a gastar 16 mil libras (mais 18 700 euros) numa viagem de seis semanas com as suas bonecas ao redor mundo. Ele levou os brinquedos sexuais para passear em diversos pontos turísticos, como Stonehenge (Reino Unido), Grand Canyon (EUA), Las Vegas (EUA) e Cataratas de Niágara (fronteira entre Canadá e EUA).
Casado e pai de dois filhos, Dave disse que a sua mulher entende o seu hobby. "Ela não está ameaçada pelas bonecas. Ela sabe que não vou fugir com uma peça de silicone de 35 quilos em forma de mulher", destacou.
Há gajos com cada pancada...

Humanos devem comer insectos

Cientista propõe que humanos comam insectos como fonte alternativa de proteína

Um insectólogo holandês vem fazendo uma campanha para convencer o mundo ocidental a adoptar um costume que, segundo ele, é bastante comum nos trópicos: comer insectos (prática conhecida como entomofagia) como fonte alternativa e sustentável de proteína.
A proposta de Arnold van Huis, detalhada no artigo publicado na revista The Scientist, não é nova. Em 1885, o insectólogo britânico Vincent M. Holt escreveu um pequeno livro intitulado Why not eat insects? (em tradução livre, por que não comer insectos?). Os argumentos dos dois especialistas, no entanto, ganham força num momento em que o mundo procura soluções para a crise dos alimentos.
Na Grã-Bretanha, um estudo sobre alimentos e o futuro da agricultura encomendado pelo governo e divulgado nesta semana pede acção urgente para evitar a fome global. Segundo o relatório, dentro de 20 anos, serão necessários 40% mais alimentos, 30% mais água e 50% mais energia para suprir as necessidades da população do planeta.


Fonte: BBC Brasil

O primeiro casamento gay em Pequim

Realizou-se em Pequim, a capital da China, o primeiro casamento gay. Dao Wen e Xiao Qing conheceram-se há três anos num fórum gay na Internet e decidiram dar o nó à revelia da lei chinesa, que não aceita uniões entre pessoas do mesmo sexo. Mesmo assim, juntaram 50 amigos e emitiram dois certificados de casamento falsos, semelhantes aos emitidos pelo Ministério dos Assuntos Civis, e o "casamento" até teve direito a tudo, desde leitura de votos até ao copo de água. Wen diz que decidiu dar este passo porque "a sociedade está mais aberta, mais tolerante, e isto torna-nos mais corajosos em mostrar o nosso amor em público".
O apresentador do evento foi Xiao Dong, um voluntário num centro de prevenção do HIV/SIDA, que diz que "com uma união sólida, existe menos risco de propagação do vírus pela via sexual".
Não tenho dúvidas de que na China existem muitos gays, pois ainda é o país mais populoso do mundo...

Parabéns, Eusébio!

O King Eusébio, indiscutivelmente o melhor jogador de futebol português de todos os tempos, completa hoje 69 anos de idade.
Parabéns, Eusébio!

Miklós Fehér (1979-2004)

Faz hoje sete anos que o jovem húngaro Miki Fehér partiu deste mundo aos 24 anos de idade vítima duma fibrilhação ventricular devido a uma cardiomiopatia hipertrófica. Desde então, em memória dele, o número que ele usava, 29, foi retirado do Benfica.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Atentado suicida no aeroporto de Moscovo

Um atentado terrorista (muçulmano?) provocou uma explosão no aeroporto moscovita de Domodedovo, o mais movimentado da capital russa, que resultou em pelo menos 31 mortos e 130 feridos. Segundo a agência Interfax, já estão a ser procurados três suspeitos. Uma fonte disse à agência Ria Novosti que a explosão foi equivalente a pelo menos 5 kg de TNT.

video

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Reino Unido: proselitismo islâmico com direito à ameaça de morte

No Reino Unido, um grupo de muçulmanos pratica publicamente o proselitismo, desprezando a lei britânica. O homem que filmou a cena foi ameaçado de morte e o bófia, que estava lá, nada fez. É o Reino Unido, em vias de islamização, dos dias de hoje.

video

Mais uma "morte de honra"

Mais uma notícia que nos chega do Paquistão: Saimi Bibi, de 17 anos, morreu electrocutada pelos seus familiares por se ter apaixonado por um rapaz que eles não aprovavam. O conselho da aldeia, o panchayat, do distrito de Bahawalpur, decidiu que o castigo da jovem seria a morte.
A "morte de honra" é o castigo para todas as mulheres que casam sem consentimento dos seus familiares ou que tenham relações sexuais antes do casamento e serve para "lavar" a honra da família. Segundo uma comissão independente de Direitos Humanos no Paquistão, estima-se que 650 mulheres terão perdido a vida desta forma em 2009. Outra forma de "lavar a honra" sem haver morte implica desfigurar a mulher atirando-lhe ácido à cara, ficando assim estigmatizada como kari (mulher preta).
A barbárie humana no seu expoente máximo, mas é a cultura dos paquistaneses, logo há que aceitá-la...

O perigoso babuíno japonês

Foi lançado um alerta de emergência na cidade de Mishima, no Japão: Lucky, o babuíno que aterrorizou vários resorts no centro do Japão no ano passado, tendo atacado e mordido cerca de 120 pessoas, escapou do Parque Natural estatal onde vivia depois de ter sido capturado em Outubro passado após cerca de dois meses de busca.
Lucky pertence à espécie selvagem mais comum no Japão, considerada uma praga nas zonas rurais do país por destruir áreas de cultivo e roubar comida e objectos.

Jorge Jesus poderá ser castigado

Jorge Jesus arrisca um castigo de uma semana a nove meses. A Comissão Disciplinar da Liga de Clubes vai decidir amanhã se há motivos para abrir um inquérito disciplinar ao treinador do Benfica, na sequência do incidente verificado no final do Benfica X Nacional. Ainda no relvado, o treinador do Benfica envolveu-se com o jogador da equipa da Madeira, Luís Alberto.
E quem provoca não merece castigo?

Opiniões Benfiquistas

Reflexão em dia de eleições

No Benfica vota-se electronicamente desde 2006. No país, em 2011, altera-se o número de eleitor das pessoas sem as avisar, impedindo muitas de votar. Ainda há quem diga que o Benfica não é maior do que Portugal...


Tertúlia Benfiquista


O "senhor" Jokanovic

Não vou completar o
post do jogo contra o Nacional porque um facto mais importante e que merece mais atenção ocorreu. No final do jogo houve um "sururu" como todos puderam ver no centro do relvado, uma briga que envolveu como principais protagonistas Jorge Jesus, Luís Alberto e Franco Jara.
O que muitos não viram, porque não se encontravam no estádio, foi a sequência dos acontecimentos. Para quem não sabe, o "bom" do Luís Alberto, após o apito final, discutiu com o Jara e a conversa ficou por ali, com o brasileiro a abandonar as quatro linhas. No entanto, o sempre simpático Jokanovic, para não repetir a vergonhosa cena de há uns anos na Choupana com o Cajuda, foi falar com o seu jogador e incitou-o a regressar ao relvado e a brigar com Jara.
Quem esteve no estádio pôde ver isto. Luís Alberto voltou ao terreno de jogo para voltar a tirar satisfações de Jara e Jorge Jesus, ao aperceber-se, interveio. Interveio e fê-lo da forma vergonhosa que vimos, sejamos honestos. E pelo que fez, Jesus merece ser castigado de acordo com os regulamentos, gostemos ou não dele.
Cabe agora ao Benfica saber defender os seus interesses da melhor forma possível, protegendo ao máximo o seu treinador. Uma pena pesada para Jesus poderá comprometer muita coisa ainda este ano.

P.S. Espero que a comissão disciplinar da Liga tenha em atenção o comportamento de Jokanovic, bem como a atitude provocatória de Luís Alberto, que não ocorreu apenas no final do jogo, mas também quando apontou o primeiro golo.


Eterno Benfica

Cavaco sucede a Cavaco

Ganhou aquele que todos esperavam logo à primeira volta. Cavaco Silva vai continuar a ser o presidente da República, foi o que decidiu a maioria dos eleitores juntamente com a gigantesca abstenção. Cavaco conseguiu 52,94% dos votos enquanto que dos restantes candidatos, todos eles da esquerdalha e que passaram praticamente a campanha toda a insurgir-se contra o Cavaco, o que conseguiu a melhor colocação foi Manuel Alegre, com 19,75%, à frente de Fernando Nobre com 14,1%, Francisco Lopes com 7,14%, José Coelho com 4,5% e, o grande perdedor, Fernando Moura com apenas 1,57%. Uma boa vitória da direita sobre a repugnância esquerdista.
Em relação à elevada abstenção, o que é que há a dizer? Muita gente pelos vistos não merece mesmo viver em democracia, pois não sabe que votar é um direito cívico, ou melhor, um dever da democracia. Não sabem as pessoas que, ao não votarem, outros estarão a votar por elas? E depois, ironicamente, ainda têm a lata e consideram-se com moral para criticar quem está no governo ou, no caso, na presidência. Acaso não sabem que o direito ao voto é um direito que foi conquistado e que actualmente existem ainda países no mundo, como por exemplo a República Popular da China, cujos povos ainda suspiram pelo direito de poder decidir quem é que dirige os destinos dos mesmos? Há que votar sempre, nem que seja em branco, como eu votei por motivos de tranquilidade de consciência. Se as pessoas não votam, para que nos serve a democracia? Isto aqui se calhar estaria realmente melhor se fosse uma ditadura...

Sudaneses do sul querem a independência

Com a apuração dos votos praticamente concluída, 98,8% dos sudaneses do sul votaram a favor da separação do país no referendo, resultante dum acordo de paz de 2005 que pôs fim a uma guerra civil de 21 anos (a mais longa de África), com uma adesão em massa de eleitores próxima de 95%. A secessão será uma vitória contra a escravatura e a islamização.
"Nós (pretos) fomos escravos dos árabes. Votamos hoje pela nossa liberdade", disse Doku John, um jovem sudanês do sul. "É o fim da arabização, o fim da islamização".
O norte muçulmano terá agora de gramar a autodeterminação do sul cristão, cuja cerimónia da independência está marcada para o dia 9 de Julho, e assim o Sudão deixará de ser o maior país africano. Há consenso de que a capital será Jubá, mas não a respeito do nome do país que será o mais novo do mundo, que poderá ser Sudão do Sul, Novo Sudão, República do Nilo ou Kush, em homenagem a uma das primeiras civilizações da região sul do rio Nilo, que se desenvolveu por volta de 1500 a.C., sendo também o nome duma das etnias que lá povoam.

Está frio?

O Instituto de Meteorologia prolongou até às 12 horas de segunda-feira o aviso amarelo em oito distritos devido à persistência do frio. Os distritos de Bragança, Porto, Guarda, Vila Real, Viana do Castelo, Portalegre, Castelo Branco e Braga vão continuar a registar valores baixos da temperatura mínima.
Mas que má notícia para os adoradores do Verão! A verdade é que se as pessoas se vestissem melhor, como é o caso de muita gente que eu vejo por aí, não estaria tão frio assim. Afinal ainda estamos no Inverno e o frio é uma característica dos países desenvolvidos, um grupo em que Portugal incrivelmente (ainda) faz parte. Os países quentes são países subdesenvolvidos e com muita gente a viver na miséria, portanto gramem agora com o frio que o frio sempre ajuda a conservar. Isso antes que comecem a queixar-se do imenso calor (que coisa irónica!) que vai fazer no Verão que vem.

As festas loucas de Berlusconi

Uma prostituta de luxo, Nadia Macri, revelou que o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, teve relações sexuais, à vez, com oito mulheres, numa única noite e que uma delas foi Ruby R., a adolescente marroquina de 17 anos (na foto) que jurou que Berlusconi não lhe tocou "sequer com um dedo".
Nadia Macri contou ter estado presente, a 24 de Abril do ano passado, numa das famosas festas "bunga-bunga" de Berlusconi, na residência do primeiro-ministro italiano em Arcore, nos arredores de Milão. "Estavam lá outras sete mulheres, seis brasileiras e a marroquina, Ruby", revelou.
Depois do jantar, desceram ao piso inferior, onde havia uma discoteca, e começaram a dançar e a despir-se enquanto lhes ofereciam bebidas. Depois, foram para uma piscina coberta, "onde o primeiro-ministro se juntou a nós, todo nu". Após o banho, Berlusconi foi para um pequeno quarto, onde havia uma cama de massagens. "A próxima! A próxima!" - dizia Berlusconi - E a cada cinco minutos abríamos a porta e consumávamos o acto sexual. Uma de cada vez", relatou a prostituta.
Nadia e Ruby receberam cada uma um envelope com 5 mil euros das mãos do primeiro-ministro. "Perguntou-me o que eu fazia na vida, e eu respondi que era prostituta. 'Não, não podes dizer uma coisa dessas', respondeu ele", contou.
O relato de Nadia contradiz tudo aquilo que Berlusconi tem afirmado até agora. O primeiro-ministro italiano sempre negou ter tido sexo com Ruby e desmentiu categoricamente alguma vez ter pagado por sexo.

Liga Zon Sagres: 17ª jornada

Na Liga Zon Sagres, o Benfica recebeu e venceu o Nacional da Madeira por 4-2. O Benfica controlou o jogo praticamente desde o início contra uma equipa que nunca se encolheu e procurou jogar de igual para igual. Gaitán fez o primeiro golo numa jogada em que o árbitro Rui Costa (do Porto) não viu uma grande penalidade cometida sobre Salvio (dentro da área não se pode dar a lei da vantagem, o que vale ao Benfica é que Gaitán marcou golo...), Sidnei fez o segundo (dois jogos consecutivos a titular e a marcar, Sidnei deverá provavelmente substituir David Luiz no eixo de defesa benfiquista) e Cardozo fez o terceiro já na segunda parte. O Nacional conseguiu depois reduzir a desvantagem para 3-2 por intermédio de Luís Alberto e Mihelic, numa altura em que o Benfica tirou o pé do acelerador, mas o argentino Franco Jara acabou com o susto do Benfica ao apontar o quarto golo, sentenciando a partida já perto do final e permitindo ao Benfica a melhor sequência da época: sete vitórias consecutivas.

No final da partida, Jorge Jesus desentendeu-se com um jogador brasuca do Nacional, Luís Alberto, e tê-lo-á agredido (tê-lo-á, pois as imagens não são esclarecedoras, mas é evidente que houve pelo menos tentativa de agressão por parte do técnico). O brasileiro do Nacional também tentou (pelo menos) agredir Jorge Jesus. Tudo porque o jogador do Nacional terá chamado "pai" ao Jorge Jesus, digo eu. O árbitro nada escreveu acerca disso no seu relatório, mas é de esperar que alguma coisa de mal aconteça agora ao Benfica, assim como espero que o Pinto da Costa também seja castigado pelas declarações proferidas acerca da arbitragem de Elmano Santos no Benfica X Académica da jornada anterior.


E por falar em merda, os corruptos dos Andrades continuam com a confortável vantagem de 8 pontos no campeonato graças aos seus amigos árbitros depois de terem vencido em Aveiro o Beira-Mar por 1-0. Hulk fez o golo da partida ainda na primeira parte na marcação duma grande penalidade duvidosa (até que se aceita, no entanto o árbitro só podia mesmo tê-lo assinalado porque era para os corruptos da cidade do Porto) e só assim é que o Beira-Mar pôde ser derrotado em casa pela segunda vez esta época. Se realmente existisse justiça desportiva em Portugal, o clube portista de futebol nunca estaria onde está.
A 17ª jornada só fica concluída na segunda-feira com o jogo Marítimo X Sporting.

Benfica conquista supertaça de andebol


O Benfica venceu a sua quarta supertaça de andebol ao bater o Águas Santas na final por expressivos 28-20 depois de na fase de grupos ter deixado o Sporting e os corruptos do Contumil pelo caminho.
Parabéns a toda a equipa!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Bandidos de "burqa"

Parece brincadeira mas não é: no Canadá, em França e também no Reino Unido surgiu uma onda de assaltos a lojas e instituições bancárias praticados por homens disfarçados de muçulmanas de burqa.
Ora aí está mais uma boa razão para o Ocidente não ceder à islamização e proibir o uso integral da vestimenta islâmica feminina. Quer dizer, o ideal mesmo era correrem com os muçulmanos todos que vivem no Ocidente mas isso também já era pedir demais...