quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A vez delas

Durante décadas, convenceram-nos que os homens traem muito mais do que as mulheres. O discurso prevaleceu até aos dias de hoje, mas a realidade dos números e da experiência dos terapeutas já não o confirma. Afinal, porque traímos?

Há quem o faça para vencer a rotina de uma relação desgastada pelos anos. Há quem caia na vertigem de uma nova paixão, tão magnetizante que é impossível evitá-la. Há quem sucumba ao desejo de provar o fruto proibido. Ou, simplesmente, quem esteja no lugar errado, com a pessoa errada (ou será a certa?), à hora errada. Nem sequer é novidade. Os homens, não é segrego, sempre traíram. As mulheres também, embora de uma forma muito mais "clandestina". Mas os estudos e a experiência dos especialistas põem a nu uma nova realidade: elas traem (quase) tanto como eles.
A mudança mais significativa nos padrões de infidelidade nos últimos anos está no número de mulheres que cometem adultério.
Um estudo publicado em Junho no jornal
Archives of Sexual Behavior confirma a tendência já revelada por investigações recentes: contrariamente à crença popular, é ténue a diferença nas taxas de infidelidade admitidas por homens (23%) e mulheres (19%).
Os números deitam por terra os mitos veiculados sobre as diferenças de género na indifelidade, mas são apenas a ponta do icebergue. A falta de consenso sobre o que constitui a traição (o caso recente do congressista americano Anthony Weiner, caído em desgraça pelo envio de imagens sugestivas numa rede social, veio reacender o debate) e, sobretudo, a carga negativa associada ao conceito, faz com que estes comportamentos sejam ocultados muitas vezes, viciando as estatísticas.
"Alguns estudos sugerem que 45 a 55% das mulheres casadas têm relacionamentos extraconjugais. Nos homens, os números rondam os 50 a 60%. A diferença não é muito significativa", revela a psicóloga Cláudia Morais. E, ainda que seja difícil saber ao certo se se trai mais hoje, o psiquiatra Júlio Machado Vaz admite que a conclusão é "provavelmente verdadeira" no caso das mulheres. "Pelo menos, assumem-no mais na realidade terapêutica", afirma.
Certo, garantem os dois especialistas, é que, agora como ao longo dos tempos, elas são mais competentes em encobrir as incursões fora da relação. A justificação, adianta Morais, é simples. As mulheres são, no geral, "muito mais atentas aos detalhes do que os homens", o que explica também que tenham um faro mais apurado para detectar as "facadinhas" deles. "É como se tivessem um 'sismógrafo' que lhes permite perceber alterações de comportamento que possam significar uma potencial infidelidade".


Mudam-se os tempos...

Mas, afinal, porque parecem as mulheres trair mais hoje? Por um lado, a emancipação feminina "favoreceu o alargamento da rede social, criando maior oportunidade para os relacionamentos extraconjugais", lembra Morais. Mas as oportunidades não explicam tudo, "nem sequer a maior parte" do problema, defende Machado Vaz. O que acontece é que elas hoje "recusam muito mais o duplo-padrão sexual, que transforma os comportamentos 'naturais' nos homens em 'imorais' nas mulheres", defende o sexólogo. Libertadas pela revolução sexual dos anos 60, as mulheres reivindicam o direito à realização pessoal e à satisfação íntima. São mais livres, mais activas, mais honestas sobre a sua sexualidade.
Será, talvez, o triunfo da era do prazer. O sexo pelo sexo, por exemplo, deixou de ser um comportamento quase exclusivo dos homens. C.M., uma empresária de 33 anos, confirma-o. Loira vistosa e confiante, fala sem pudor e sem culpa da primeira aventura extraconjugal, há seis anos, e das muitas que se seguiram. Era mais uma viagem de negócios como tantas outras. Mas, daquela vez, a travessia do Atlântico revelou-se mais interessante do que o habitual. No avião, pediu à hospedeira para mudar de lugar e sentar-se ao lado "de um amigo", um homem "alto, moreno, com olhos da cor do mar" que captara a sua atenção durante o
check-in. A ligação foi instantânea. "Conversámos a viagem toda até São Paulo. No final, trocámos e-mail e números de telemóvel." Três dias depois, ele foi ter com ela ao sul do Brasil. Passaram "a tarde e a noite" juntos. "Estava longe de tudo e não resisti", conta.
Tinha-se casado dois anos antes, pela segunda vez (a primeira fora aos 17). "Mudei muito depois do divórcio. Sei o que quero e do que preciso. Já fui infiel várias vezes, em especial quando viajo, mas também em Portugal", confessa. Para a empresária, as pessoas fazem "um bicho de sete cabeças" quando se fala em traição. "Envolver-me com outra pessoa é mais uma questão de desejo e adrenalina. É algo que não vivemos no dia a dia, muito menos quando temos uma relação de oito anos. Nunca fiquei com a consciência pesada. Se estou bem e realizada, consigo fazer mais feliz quem vive comigo."
A tentação não é de agora; existe desde que Eva trincou a maçã. O que mudou foi sobretudo a forma como elas (não) lhe resistem. Mas, ainda que a infidelidade se tenha democratizado, persistem alguns estereótipos de género nas suas motivações. Segundo o estudo publicado no
Archives of Sexual Behavior, a excitação sexual desempenha um papel maior nos homens, mas nas mulheres domina o descontentamento com a relação e a pouca compatibilidade sexual com os companheiros. "Os homens continuam a ser capazes de clivar com mais facilidade sexo e amor, (de darem) aquela 'facadinha' que julgam em nada influenciar uma relação estável", afirma Machado Vaz. Esta visão compartimentada da vida sexual e afectiva é menos habitual nas mulheres, revela o sexólogo. "Para elas, a vertente psicológica, o 'trair na cabeça', não é menos valorizado. Talvez por isso, em regra, levem mais tempo a tomar a decisão de trair."
Para R.M., 28 anos, ser infiel era algo impensável. Em Abril, poucos dias antes de ficar noiva do homem com quem namorava há quatro anos, emigrado alguns meses antes em França, conheceu João durante uma saída com uma amiga. A combustão esteve longe de ser instantânea, mas a vertigem foi-se acentuando durante a noite e nos encontros seguintes. "Ao princípio não me chamou a atenção, não havia qualquer química. Mas, com o tempo, fomo-nos tornando mais próximos e começámos a provocar-nos de forma subtil mas sedutora. Um dia, deixei de resistir...", confessa.
A decisão foi bem pensada antes de ser concretizada. "Há quem diga que só se arrepende do que não faz, mas penso de forma oposta. Só me arrependo do que faço. Por isso, ponderei muito e não me arrependo." Nem mesmo quando, poucos dias depois de se envolver com o João, o namorado a surpreendeu com um pedido de casamento durante uma ida à praia, "com direito a joelho na areia e anel". Apesar do
affair, o sim saiu sem hesitação. "Dizem que quem ama não trai. Não concordo. Ninguém trai porque é fácil. É sempre muito difícil, mesmo que também possa ser muito bom. A experiência foi arrebatadora e abalou um pouco a minha relação, mas eu sempre soube quem queria para o meu futuro e decidi não pôr isso em causa", afirma.

É natureza, estúpido

A pergunta impõe-se: o que leva uma mulher, a poucos meses de se casar, a envolver-se com outro homem? R.M. não procura a desculpa fácil. "Amo o meu noivo, mas penso de uma forma diferente desde que ele foi para França. Uma pessoa quando ama convive, abraça, está presente... Nem sempre é fácil lidar com a distância, mas resume-se tudo ao facto de estarmos carentes. Sou mãe (tem um filho com 11 anos), tenho namorado, mas acima de tudo sou mulher. Nunca ninguém me tinha feito sentir assim ao ponto de trair só pelo desejo", garante.
Traímos, antes de mais, porque podemos. Em muitas situações, trair é fácil e o risco reduzido. Com mais frequência do que possamos admitir, nem sequer tem consequências. Por isso traímos. É difícil resistir à tentação, sobretudo quando ela está tão perto. A oportunidade é a pior inimiga da fidelidade.
Mas oportunidade e desejo não explicam tudo. A complexa equação da infidelidade não tem solução fácil nem uma explicação universal que responda a todas as situações. Cada caso é um caso e a receita de um adultério inclui, muitas vezes, ingredientes complexos. "É só escolher: paixão verdadeira por outra pessoa; paixão pelo estado de paixão; sexo puro e duro; ajuste de contas; como anti-depressivo ou poção de rejuvenescimento; em 'protesto' contra uma relação enferrujada pela rotina, etc.", enumera Júlio Machado Vaz. E nem sempre o adultério é intencional, refere Mira Kirshenbaum, autora de
When Good People Have Affairs: Inside The Hearts & Minds of People in Two Relationships ("Quando as Boas Pessoas Traem: Dentro dos Corações e das Mentes das Pessoas em Duas Relações", numa tradução literal), que elaborou 17 razões que levam as pessoas a trair, entre os quais o acaso. "Por vezes, as pessoas não estão à procura. Basta estar no sítio errado, na altura errada", refere.
Traímos também porque é da nossa natureza, admitirão muitos homens (embora nenhum dos contactados tenha aceitado abrir a sua 'caixa de Pandora' para este trabalho). É a velha desculpa biológica, que a ciência tenta há muito validar. A descoberta recente de um "gene de infidelidade" parece confirmar a hipótese: segundo um estudo de uma universidade nova-iorquina, as pessoas com a mutação genética DRD4 (presente num quarto da população) têm uma maior propensão para trair. A explicação está na forma como a mutação influencia o processamento da dopamina, um neurotransmissor que actua no cérebro influenciando, entre outras, as sensações de prazer e motivação. "É como se, durante a traição, as pessoas recebessem uma descarga de prazer maior", explica Justin Garcia, coordenador do estudo.
A biologia ajuda também a explicar porque é que, no geral, homens e mulheres ainda traem por razões distintas: eles mais por motivações sexuais, elas mais por razões emocionais. Segundo alguns investigadores, as hormonas e os neurotransmissores desempenham um papel na infidelidade e ajudam a perceber as diferenças de género por trás da traição. Neles, faz-se sentir o efeito da testosterona, que eleva a libido - homens com maior propensão para o adultério revelam frequentemente níveis mais elevados desta hormona, associada à agressividade e à competitividade. Nelas, sente-se mais o efeito da ocitocina, a hormona do amor, que, entre outras funções, é responsável pelos sentimentos de apego e vinculação afectiva -, o que explica o facto de as mulheres serem, em regra, mais propensas a estabelecer e manter os vínculos dos relacionamentos.
Para Júlio Machado Vaz, há ainda factores circunstanciais que podem facilitar a infidelidade, como a Internet, que veio não só tornar a traição acessível à distância de um clique como redefinir o próprio conceito. "As novas tecnologias tornaram apaixonante a discussão sobre o que é trair. Já foram decretados divórcios por infidelidade que nunca passou do teclado do computador pessoal...", sublinda o psiquiatra.

O potencial da Internet

A proliferação de redes sociais como o Facebook, salas de chat e sites que promovem encontros, incluindo entre casados, é terreno fértil para reencontrar paixões antigas e fazer novas amizades. O que muitas vezes começa como uma forma de escape, para fintar a rotina da relação, acaba por conduzir à concretização física da traição e arruinar muitos casamentos. Segundo Ana Carvalheira, que conduziu um dos maiores estudos realizados em Portugal sobre relações pessoais e comportamentos sexuais na Internet, mais de metade das pessoas (20% das quais eram casadas ou viviam em união de facto) que participaram em conversas erótico-pornográficas na Internet (vulgo cibersexo) concretizaram o encontro sexual. E desengane-se quem pensa que o fenómeno é coisa de homens. As diferenças entre sexos são quase inexistentes.
"A Internet reúne um conjunto de características que podem ser favorecedoras da infidelidade, nomeadamente o anonimato e a possibilidade de encontrar pessoas com os mesmos gostos, preferências e interesses", refere Carvalheira, que acrescenta ainda o facto de a Web permitir uma forte e rápida percepção da intimidade. "A pessoa sente que é íntima de outro muito rapidamente. Tudo isto favorece o estabelecimento de relações eróticas e amorosas." A psicóloga sublinha o "potencial erótico" da comunicação escrita na Web, que favorece os que escrevem melhor. "Permite ler nas linhas e nas entrelinhas. Para além disso, a outra pessoa é facilmente idealizada. Esse exercício pode ser estimulante à medida que se progride no jogo de sedução", refere.
Será, talvez, um quadro pessimista para os românticos do amor incondicional, eterno e monogâmico. Mas a realidade é o que é: a infidelidade existe. Os estudos não permitem comprovar se está ou não a crescer, mas é certamente hoje muito mais descoberta do que há alguns anos (os mesmos meios tecnológicos que a facilitam acabam, na maior parte dos casos, por a denunciar). Talvez amor e desejo sejam, de facto, coisas diferentes. Talvez, como (se) defendem muitos, a fidelidade emocional seja diferente da fidelidade sexual. Talvez um dia rejeitemos a monogamia, admitindo que ela mais não é que imposição cultural. Talvez abracemos o nosso lado animal e deixemos de resistir aos nossos impulsos. E talvez então homens e mulheres passem a aceitar as regras do jogo, sem se deixar enredar na teia do ciúme. Será então o definitivo triunfo da sociedade da liberdade, do livre arbítrio e do prazer?


Nélson Marques in Revista Única, Expresso

Suécia: pai bateu no filho e foi detido

Um conselheiro municipal da autarquia italiana de Canosa di Puglia, Giovanni Colasante, de 46 anos, foi detido quando estava de férias em Estocolmo depois de ter dado uma bofetada ao seu filho de 12 anos que estava a fazer birra. Na Suécia, um país desenvolvidíssimo, qualquer forma de violência física contra os descendentes, por mais leve que possa ser, é crime.
Colasante foi logo algemado e levado para detenção provisória durante três dias, não podendo agora regressar a Itália porque o julgamento está marcado para o dia 6 de Setembro. A sua esposa acabou por ficar com ele, mas a criança regressou a casa com o restante grupo de pessoas que acompanhava o casal nesta viagem à Escandinávia.
Caraças, que choque cultural! Há bofetadas que fazem sentido e eu próprio já levei imensas dos meus cotas quando era puto. Pelos vistos um mau pai na Suécia seria um bom pai num país latino...

Taxistas unidos jamais serão vencidos

A edição do Correio da Manhã de anteontem, dia 29 de Agosto, informa-nos que um taxista de 44 anos foi roubado e ameaçado de morte na noite de sábado, na praceta Camilo Pessanha, na Amora, no Seixal.
Chamado pela central para um serviço, o taxista foi buscar o cliente, de cerca de 30 anos, à referida morada e foi-lhe pedido que o levasse a umas roulotes em Santa Marta de Corroios. Uma vez lá chegado, o homem pediu ao taxista para que o esperasse para o regresso a casa. Depois de o levar a casa, o homem disse que tinha ficado sem dinheiro, mas que ia a casa buscar a quantia necessária para pagar. Assim que regressou ao táxi, o assaltante tinha uma catana nas mãos (uma catana? Isso cheira-me a coisa de preto...), e, vendo que o taxista estava a falar ao telemóvel com um colega, encostou-lhe a catana ao pescoço e disse-lhe para desligar o telemóvel. O colega, do outro lado da linha, apercebeu-se da situação e alertou todos os taxistas da zona, que têm sido alvos constantes de ataques por parte de assaltantes, para se dirigirem ao local. O agressor acabou por levar apenas o telemóvel do taxista, mas, quando tentava fugir, foi cercado por vários taxistas que lhe deram um enxerto de porrada.
Ora aí está a solução para o problema da criminalidade: fazermos justiça com as nossas próprias mãos, já que não podemos contar com os tribunais para nada. Os meus parabéns aos senhores taxistas!

Presidente ameaçou jogadores

O multimilionário Bulat Chagaev, presidente do clube suíço Neuchâtel onde actuam o jovem português Max Veloso e o moçambicano ex-Sporting Paíto, ameaçou os jogadores na companhia de guarda-costas armados no balneário depois do empate registado frente ao Lausana. Quem fez a revelação foi um jogador, que pediu anonimato, ao sítio 20 minutes. "Um dia vai matar-nos a todos. Se falhas um passe ou cometes um erro qualquer, ficas sempre com medo que algo te possa acontecer", contou o atleta.
Chagaev já tinha anteriormente ameaçado os seus jogadores. Em Maio, depois duma derrota da equipa, Chagaev terá feito iguais ameaças aos seus jogadores, embora tenha desmentido depois o sucedido. Ah, e já agora, a título de curiosidade, Bulat Chagaev é natural da Tchechénia. Elucidativo...

Sporting contrata «profeta»

Chegou o último reforço do Sporting: o brasileiro Elias, a contratação mais cara de sempre do Sporting. O clube leonino comunicou à Comissão do Mercado de Valores de Mobiliários (CMVM) que chegou a acordo com o Atlético de Madrid para a transferência do jogador brasileiro de 26 anos a troco de 8,85 milhões de euros. Elias assinou um contrato válido por cinco temporadas, tem uma cláusula de 40 milhões de euros mas não vai poder alinhar pelo clube na Liga Europa uma vez que já jogou pelo Atlético no play-off de acesso à Liga Europa frente ao Vitória de Guimarães (cujos jogadores provaram um ataque de fúria de certos adeptos desmiolados que invadiram o complexo de treinos justo no primeiro treino do novo técnico, Rui Vitória), tendo até apontado dois golos.
"Espero ter o mesmo sucesso que o Liedson, o levezinho", desejou Elias. "Prometo muita vontade e determinação. Não sou um matador mas sei fazer golos. Tenho muita técnica. Procuro chegar ao ataque e tenho boa recuperação de bola", acrescentou.
Por outro lado, os lagartos do Alvalixo parecem mesmo apostados em importar as más práticas dos seus principais rivais e despacharam o internacional português Yannick Djaló para os franceses do Nice a troco de 4,5 milhões de euros por 75% do passe. O internacional português nascido na Guiné-Bissau já desejava, recordemos, sair do Sporting para o estrangeiro há imenso tempo.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Benfica saiu líder do nevoeiro


O Benfica assumiu a liderança, ainda que provisória (o CRAC só joga com o União de Leiria no próximo dia 6), da Liga ZON Sagres depois de ir à Choupana vencer o Nacional da Madeira por 2-0.
No Estádio da Madeira, antigo estádio engenheiro Rui Alves (o presidente da agremiação nacionalista madeirense), uma cabeçada de Oscar «Tacuara» Cardozo no nevoeiro lançou o voo da águia. Na primeira parte o jogo teve duas paragens devido ao nevoeiro, mas felizmente o jogo não precisou de ser adiado. Antes da segunda paragem, o paraguaio goleador abriu o marcador, logo na primeira oportunidade que o Benfica criou no jogo. Este Benfica, adaptando o modelo de jogo europeu (4X2X3X1), com a inclusão do craque Axel Witsel no 11 titular, um jogador cerebral e de extrema importância na manobra da equipa, já vai aos poucos mostrando visíveis melhorias no controlo dos momentos do jogo. E, finalmente, o Benfica conseguiu acabar um jogo sem sofrer um golo (Artur Moraes sempre muito tranquilo na baliza).
Com um banco de luxo do qual o Benfica já se pode novamente gabar depois da primeira época de Jesus que culminou com a conquista do título nacional, o técnico português soube ler o jogo e acertou nas substituições: Enzo Pérez e Bruno César entraram bem no jogo e o Benfica conseguiu jogar de forma equilibrada e com Javi García a assumir-se como primeira referência na construção.
O Nacional, assim que ficou reduzido a 10 unidades, passou a ser dominado pelo Benfica e, já nos minutos de desconto, o reforço brasileiro Bruno César, que ainda não há muito tempo os seus detractores diziam que ele é um gordo e que está inadaptado ao futebol europeu, marcou um belo golo num contra-ataque depois de ter ficado com a bola, na sequência de um canto do Nacional, muito antes do meio campo e de ter feito uma cavalgada monumental.
O árbitro do Porto Artur Soares Dias devia ter expulsado o brasileiro Fellipe Lopes, do Nacional, por agressão a Witsel.

A indignação de Meredith Goldstein

A rapariga da foto, Meredith Goldstein, é autora da coluna amorosa do The Boston Globe e costuma dar "bons conselhos" a quem recorre à secção em busca de orientações.
Recentemente, um homem de 29 anos escreveu-lhe dizendo que tinha uma namorada com quem se dava muito bem e chegou a ponderar a hipótese de viver com ela até ao momento em que ela lhe revelou que, nos tempos da faculdade, chegou a ter imensos relacionamentos casuais, tendo inclusivamente dormido com cerca de 35 homens. O rapaz confessou ter ficado "de rastos" com a "bomba" e que, se soubesse disso desde o início, nunca lhe teria dado uma hipótese. Ele diz até que, apesar dela lhe fazer feliz e de ser o melhor relacionamento da sua vida, olha agora para ela como uma "mercadoria estragada".
Meredith ficou indignada com o que leu e respondeu-lhe, horrorizada e quase histérica: "Qual é o número de parceiros que teriam sido ajustado? Cinco? 20? 34? Onde é que você faz a divisão a partir da qual é legítimo qualificar a mulher de 'mercadoria estragada'? A sua namorada conhece-se bem. Ela divertiu-se na faculdade, cresceu e agora quer um verdadeiro parceiro. Ela escolheu-o a si, confiou em si o suficiente para revelar o seu passado e agora ela está a ser chamada de 'mercadoria estragada'".
Parece que Meredith nos quer dar a entender que o facto da rapariga, que tem 26 anos, ter tido uns 35 parceiros sexuais durante os tempos da faculdade fez com que ela se conhecesse bem, como que se o conhecimento aumentasse sempre depois de cada parceiro sexual, além de parecer querer impingir-nos a ideia de que foi algo naturalíssimo. Meredith focou simplesmente no que ela sente e não nos sentimentos do homem que o levaram a escrever-lhe. O gajo está preocupado com o futuro que ele poderia vir a ter caso aceitasse a sua namorada. Como ele próprio afirmou, se soubesse o que sabe hoje, teria rejeitado um compromisso sério com ela. Meredith concluiu: "Ela experimentou uma variedade de homens e você é o homem com quem ela quer coabitar. As experiências dela tornaram-na na mulher que ela é hoje. Devido a isto, esteja grato por ela ter vivido a vida que viveu. Não estrague a relação - por si e por ela".
Eu acho que o passado de cada um não nos diz respeito, mas mesmo assim não consigo deixar de ficar um pouco abananado com esta notícia. Até que ponto um homem pode confiar numa mulher com um historial sexual como o da namorada do rapaz? O mesmo se pode aplicar de igual modo a um homem com um "passado sexual frutífero". Será uma questão de machismo e de feminismo?

Moeda nova como protesto

O presidente da câmara de Filettino, na Itália, está contra a proposta do governo que visa a fusão de cidades com menos de 1000 habitantes como forma de economizar os meios. Luca Sellari, assim se chama o autarca, não quer ver a sua cidade fundida com a cidade vizinha de Trevi e decidiu criar uma nova moeda denominada "Fiorito", com a sua fronha a constar nas notas. O seu próximo passo agora é conseguir a independência da cidade de Filettino "com um pouco de empenho" e diz contar com o apoio da população.
Filettino fica a 100 quilómetros de Roma, tem cerca de 550 habitantes e Sellari entende que é possível transformar a cidade num principado à semelhança de San Marino.

Canibal gay

Na Rússia, em Mourmansk, no passado dia 19 de Agosto, um jovem homossexual de 21 anos atraiu para a sua casa um homem de 32 anos que conheceu na Internet, num site de encontros paneleiros, envenenou-o, cozinhou-o e comeu-o! Durante uma longa semana, o canibal de Mourmansk cozinhou os restos mortais do companheiro com muita imaginação e competência culinária, a saber, filetes, croquetes, salsichas... "O único móbil do crime do homicida era, precisamente, comer carne humana", divulgou o relatório da polícia. O canibal homossexual enfrenta agora uma pena de 15 anos de prisão.

Fotos no ângulo certo

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Marcha anti-islamização em Berlim

Apesar das violentas ameaças feitas pela antifaria na Internet, felizmente a marcha anti-islâmica de Berlim, que fez parte da cerimónia de encerramento do primeiro evento sobre a anti-islamização na capital alemã, decorreu sem problemas e com forte protecção policial. Menos de uma centena de esquerdistas "anti-racistas" e "anti-fascistas" ranhosos apareceram por lá, mas foram facilmente repelidos. Algumas centenas de pessoas, entre elas Lars Seidensticker, o candidato de Berlim do movimento Pro Deutschland que foi recentemente vítima de um ataque com ácido enquanto colava cartazes da campanha, marcaram presença na marcha.


O evento contou com a presença de várias personalidades de outros países europeus. Os muçulmanos na Alemanha, esses, continuam "preocupados" com a crescente islamofobia no lugar de se preocuparem com os radicais islâmicos que são o verdadeiro problema. Em boa verdade, não existem muçulmanos mais ou menos radicais. Todo o muçulmano é lixo e não pode estar no Ocidente. Razão tem o ministro do Interior germânico Hans-Peter Friedrich que provocou a ira dos muçulmanos quando disse que historicamente o islão não pertence à Alemanha. Nem da Alemanha, nem do Ocidente. Há que acabar com o islão no Ocidente (já nem digo no mundo) e, como é igualmente necessário, acabar também com o esquerdume.

Pânico em autocarros

Na zona de A-da-Beja, na capital africana Amadora, um grupo de mais de 30 «jovens» invadiu e causou o pânico em dois autocarros da Rodoviária de Lisboa durante cerca de meia hora, no passado sábado. Um dos motoristas foi assaltado e a PSP conseguiu deter 12 suspeitos para identificação (para identificação? Só para identificação?!).
Segundo o Correio da Manhã, os «jovens» saíram de uma festa por volta das 23 horas e invadiram um primeiro autocarro em Casal de Cambra, na não menos africanizada Sintra. Sem pagar bilhete, os «jovens» tomaram de assalto outro autocarro já depois do assalto ao motorista de 35 anos. A bófia acabou por interceptar o segundo autocarro e pedir reforços, já que se encontrava em inferioridade numérica em relação aos «jovens» (que devem parecer uma ninhada de ratos, imagino).
Uma vez mais o Correio da Manhã fez questão de ocultar a identidade étnica/rácica dos «jovens». E ficou uma vez mais provado que justiça é coisa que não existe neste país que foi destruído pelos capitães de Abril. Portugal é um autêntico paraíso para os criminosos!

Monge tibetano condenado


O tribunal chinês de Aba, na província de Sichuan, condenou o monge tibetano Drongdru, de 46 anos, a 11 anos de cadeia por homicídio intencional depois de ter sido dado como provado que ele escondeu durante 11 horas um outro monge que se imolava pelo fogo, e assim impedindo que pudesse receber apoio médico.
Rigzin Phuntsog, sobrinho e discípulo de Drongdru, morreu a 16 de Março num acto visto como uma forma de protesto contra a posição das autoridades chinesas em relação ao budismo tibetano (Mahayana).
Em Abril, o mosteiro de Kirti, onde se encontram os monges, foi alvo de um raide por parte das autoridades chinesas que resultou no desaparecimento de 300 monges, estando agora cercado por militares que já foram acusados pelos grupos pró-tibetanos internacionais de espancarem e deterem os monges. A ONU já pediu informações acerca do paradeiro dos monges.

Manchester United humilha Arsenal


Resultado histórico ontem em Old Trafford: o Manchester United, adversário do Benfica na fase de grupos da Liga dos Campeões, envergonhou o Arsenal por inesquecíveis 8-2! Wayne Rooney fez um hat-trick com três golos de bola parada e Ashley Young bisou. Nani, Welbeck e Park fizeram os restantes golos. Para os gunners, órfãos de Fabrègas e Nasri, marcaram Van Persie (que desperdiçou uma grande penalidade, falhando o empate quando estava 1-0) e Walcott. O treinador escocês do Manchester United, Alex Ferguson, apostou em jovens jogadores e apresentou o seguinte onze: De Gea, Smalling, Jones, Evans, Evra, Nani (Park, 68 minutos), Cleverley, Anderson (Giggs, 68 minutos), Young, Rooney, Welbeck (Chicharito, 36 minutos).
A seguir ao Barcelona, o Manchester United é bem capaz de ser o mais forte candidato a conquistar tudo. O meu Benfica que se cuide.

Real Madrid massacra Saragoça



O Real Madrid entrou com o pé direito na Liga Espanhola ao bater o Saragoça, onde jogam o guarda-redes ex-Benfica Roberto e o português vimaranense Fernando Meira, por contundentes 6-0! O português Cristiano Ronaldo foi o herói do jogo ao apontar um hat-trick.

Memorabilia

Lembrei-me há uns dias atrás da bonita canção Angel de Lionel Richie. Quantos é que não andam insistentemente à espera de encontrar o seu anjo? E quantos é que se podem gabar de já o terem encontrado?
Sonhei recentemente com aquela pessoa que chegou de facto a ser o meu anjo, num passado cada vez mais distante da minha vida, e não pude deixar de me lembrar desta canção que faz parte do álbum Renaissance, lançado no ano 2000, do cantor norte-americano que tem a mesma idade que o meu velho.

domingo, 28 de agosto de 2011

Notas soltas

Gary Harrop, de 29 anos, é um ladrão que foi preso depois de ter sido apanhado a dormir na casa que invadiu, em Tauton, no Reino Unido. Gary tinha tomado 11 comprimidos Valium antes da invasão...

Na China, um motorista foi apanhado pelas câmeras de trânsito numa estrada na província de Sichuan a apalpar as mamas da mulher que viajava ao seu lado no carro enquanto conduzia. A imagem foi publicada na Internet e rapidamente causou polémica. Segundo a imprensa, o homem é um empresário de Mianyang e a jovem que aparece ao seu lado não é a sua esposa.

Um menino australiano de 10 anos foi forçado pela sua mãe a passar vergonha em público. Segundo uma reportagem do Townsville Bulletin, a mulher estava farta de saber que o seu filho foi várias vezes apanhado a roubar e decidiu obrigá-lo a sair, em Queensland, com uma placa presa à sua camisola que dizia "Não confie em mim. Vou roubá-lo porque sou um ladrão". A sessão de vergonha durou uma hora.

Inalar álcool através de um tubo a custo de 4 euros é a última e perigosa moda em alguns bares da ilha espanhola de Maiorca. Os oxy shots (shots de oxigénio) consistem em fazer com que o álcool inalado entre, em forma de gás, nos pulmões e depois na corrente sanguínea, prometendo "bebedeiras duas vezes mais rápidas". As autoridades já criticaram esta nova prática que está a ser promovida na Internet por causa dos efeitos nefastos que podem causar no corpo humano.

Em Mount Dora, no estado norte-americano da Flórida, um casal americano foi detido depois de ter sido apanhado em flagrante a viver num carro imundo com os seus três filhos. Justin Hamilton, de 31 anos, e Kristen Harris, de 26, foram detidos por negligência infantil. Justin disse às autoridades que viviam no veículo apenas há poucos dias e que a família ficava no carro apenas durante a noite.

De volta à China, mas agora para Xangai, uma jovem noiva está a causar impacto na Internet depois de se ter casado apenas com o véu e com pequenos recortes a taparem as partes íntimas do seu corpo. Um jornal local está disposto a oferecer à jovem cerca de 1000 euros para que ela se apresente na redacção e fale sobre o sucedido, mas a polícia procura-a para que esta pague uma multa por atentado ao pudor.

Em Cuzco, no sudeste do Peru, uma suposta queda de um meteorito intrigou a população e as autoridades. Um vídeo divulgado por uma estação de televisão do país, o Canal N, mostra imagens de algo em chamas a rasgar os céus da cidade rumo a uma região florestal afectada pela seca no sul da cidade. As autoridades estão a proceder a buscas para encontrar vestígios do mesmo.

O artista chinês Huang Mingbo fez uma escultura no mínimo caricata: uma mota pequena com casca de lagostas. A peça foi exibida no passado dia 23 durante um evento em Fuzhou, na província chinesa de Fujian.

Uma supostamente bonita história de amor entre dois brasileiros, ele a residir na Suécia e ela no Brasil, em Ribeirão Preto, terminou de forma abrupta e inesperada. O rapaz, de 17 anos, descobriu que a "mulher" com que ele conversava na Internet durante quase dois anos, e por quem se tinha apaixonado, lhe tinha enganado. Numa visita inesperada a Ribeirão Preto, o rapaz quis, conforme acreditava, arrancar a namorada, órfã de mãe, das garras do cruel padrasto, que ela garantia que a espancava brutalmente quase todos os dias. A ideia de resgatá-la para ir viver com ele na Suécia foi pelo cano abaixo quando descobriu que ela afinal é uma pita de 12 anos que vive com os seus pais (que ficaram igualmente chocados com a história...) e que se relacionou com ele na Internet quando tinha apenas 10 anitos. Completamente lixado, o rapaz bazou de autocarro até São Paulo para onde iria apanhar o avião de regresso à Suécia, não fosse o facto de não ser permitido, no Brasil, a nenhum menor de 18 anos sair do país sem ser na companhia de um responsável adulto. Não obstante a decepção que teve com a pita, o coitado do rapaz ficou assim obrigado a passar vários dias a dormir nos bancos do aeroporto enquanto esperava que a sua irmã lhe mandasse a tal autorização para ele poder regressar à Suécia através da Embaixada da Suécia no Brasil. Pode ser que ele já tenha aprendido a ter mais cuidado com os relacionamentos virtuais...

O cubano Yoandri Hernández Garrido, de 30 anos, é conhecido por "Vinte e quatro" na comunidade onde vive, na província de Guantánamo, por ter 24 dedos distribuídos igualmente entre as mãos e os pés. Yoandri é condutor de barcas entre as margens do rio e cozinheiro de um centro turístico, garante que leva uma vida "normal" e que mais ninguém na sua família tem a mesma "virtude" que ele. Além disso, sente-se "à vontade" com a sua esposa, com quem teve três filhos que "nasceram inteiros e sem alterações". Yoandri é apenas mais um de muitos casos de polidactilia.

«Pio XII salvou mais judeus que Schindler»

O historiador judeu Rabbi David Dalin assegura que o Papa Pio XII salvou mais judeus que Schindler. Apesar das polémicas, os historiadores judeus vão certificando através de documentos o grande trabalho de Pio XII na Igreja Católica para a salvação de milhares de judeus que foram perseguidos pelos nazis. De acordo com o historiador, que se sustenta em provas históricas, pelo menos 700 mil judeus foram salvos pela Igreja Católica através do Papa Eugenio Pacelli.
"Durante o século XX o povo judeu não teve nenhum amigo tão grande", declarou Dalin. "Durante a Segunda Guerra Mundial, Pio XII salvou mais vidas de judeus do que que qualquer outra pessoa, até mais que Raoul Wallenberg e Oskar Schindler". Numa entrevista, Dalin explicou que hoje em dia existem historiadores empenhados em desacreditar os documentos que comprovem que Pio XII se esforçou para salvar os judeus durante o Holocausto, inspirando-se na obra teatral "El Vicario", de Rolf Hochhuth, que não tem nenhum valor histórico e que lança acusações polémicas contra este Papa. Esses historiadores ignoram ou eliminam o estudo realizado por Pinchas Lapide, que foi cônsul geral de Israel em Milão e que se encontrou com muitos judeus italianos que sobreviveram ao Holocausto. Lapide documentou como Pio XII ajudou pelo menos 700 mil judeus a escaparem com vida das mãos dos nazis. "Bem, agora segundo outro cálculo, esta cifra chega aos 860 mil", acrescentou. "Temos muita documentação que demonstra que ele não ficou calado, pelo contrário, falou em voz alta contra Hitler e quase todos viram nele um opositor do regime nazi. Durante a invasão nazi a Roma, Pio XII disse secretamente ao clero para salvar todas as vidas humanas possíveis por todos os meios. (...) Só em Roma, 155 conventos e mosteiros ofereceram refúgio a uns 5 mil judeus. Num certo momento, pelo menos 3 mil salvaram-se na residência papal de Castelgandolfo, livrando-se assim da deportação para os campos de concentração nazi. Seguindo as instruções directas de Pio XII, muitos sacerdotes e monges ajudaram na salvação de centenas de judeus, pondo em perigo as suas próprias vidas".
Quanto à acusação de Pio XII nunca ter denunciado em público o anti-semitismo, Dalin explica que tal se tratou de uma estratégia orientada para proteger o maior número possível de judeus contra a deportação. "Uma denúncia explícita e dura contra os nazis por parte do Papa teria sido um convite à represália e teria piorado ainda mais a situação dos judeus em toda a Europa. Certamente poder-se-ia perguntar: o que é que poderia ser pior que o extermínio de 6 milhões de judeus? A resposta é sincera e terrivelmente honesta: o assassinato de outras centenas de milhares de judeus. Os bispos católicos que se encontravam nos países ocupados aconselharam Pacelli a não protestar publicamente contra as atrocidades cometidas pelos nazis. Temos provas de que o bispo de Münster quis pronunciar-se contra a perseguição dos judeus na Alemanha e que os responsáveis das comunidades judaicas e da sua diocese lhe suplicaram para que não o fizesse, pois teria provocado uma repressão ainda mais dura contra eles".
E assim aos poucos a injustamente caluniada figura do Santo Padre Pio XII vai sendo resgatada da mentira, muito graças à acção dos investigadores judeus.

EUA anunciam morte do nº 2 da Al-Qaeda

Os Estados Unidos da América informaram que o número dois da Al-Qaeda, o líbio Atiya Al Rahman, morreu na região tribal de Waziristão, no Paquistão, no passado dia 22 depois de um avião teleguiado ter atacado um veículo e matado quatro militantes.
Al Rahman tinha menos de 40 anos, foi escolhido pessoalmente por Bin Laden e foi emissário da Al-Qaeda no Irão, tendo realizado tarefas de recrutamento de activistas e contactado outros grupos islâmicos para vinculá-los à Al-Qaeda. Ele era adolescente quando se uniu a Bin Laden no Afeganistão contra as tropas soviéticas nos anos 80 do século passado.
A sua morte significa uma nova vitória para as operações lideradas pelos Estados Unidos contra a Al-Qaeda, uma vez que nas regiões tribais no noroeste do Paquistão os membros da Al-Qaeda têm os seus refúgios. Washington acredita que é na região semi-autónoma do Waziristão que se encontra o quartel-general da Al-Qaeda e é lá onde se orquestram acções contra a NATO no Afeganistão. O anúncio da morte de Al Rahman ocorre numa altura em que o Estados Unidos se preparam para lembrar os ataques de 11 de Setembro em Nova Iorque.
Morre um, surge outro.

O islão cresce a olhos vistos no Brasil

Os locais de culto islâmico quadruplicou no Brasil desde o ano 2000, em parte devido ao sucesso da novela "O Clone". Não há registos de convertidos ao islão no Brasil, mas sabe-se que existem 127 centros de doutrinamento islâmico.
No bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, está a ser construída a primeira mesquita com capacidade para 400 pessoas, a mesquita da Luz, mas é no estado de São Paulo que se concentra a maior comunidade islâmica do país. Segundo um estudioso da Universidade Fluminense, Paulo Pinto, depois dos atentados terroristas de 11 de Setembro de 2001 nos Estados Unidos da América, "houve um interesse crescente pelo islão e muitos decidiram converter-se. O islão foi entendido como uma nova forma de resistência". De acordo com o mesmo, a novela "O Clone", que também foi transmitida em Portugal, apresentou aos brasileiros uma "imagem positiva do Oriente com um herói muçulmano e todo o imaginário das festas". Sami Isbelle, a porta-voz da sociedade muçulmana do Rio fundada em 1951, afirma que o número de muçulmanos no Brasil não pára de crescer, sendo maioritariamente brasileiros que se convertem sobretudo graças à Internet. "No Rio há umas 500 famílias dos quais 85% são brasileiros convertidos que não têm nada de árabes", diz. Paulo Pinto diz que os muçulmanos no Brasil são qualquer coisa como um milhão.
Que Brasil é que o Papa Bento XVI encontrará na próxima Jornada Mundial da Juventude? O Brasil ainda é o maior país católico do mundo, mas o mais certo é em breve o figurino mudar-se. Para além das seitas protestantes, o islão está a avançar a um ritmo alarmante em toda a América Latina. Enquanto que aqui na Europa o islão cresce devido à invasão dos seguidores de Maomé, em países como o Brasil é a própria gente nativa que se converte, talvez por uma questão de exotismo. Qualquer dia acabam com as tanguinhas e os biquínis para darem lugar às burqas e aos niqabs! Lembrados devemos estar todos que ainda recentemente houve um ataque terrorista cometido pelo muçulmano Wellington Menezes de Oliveira contra uma escola no Rio de Janeiro...

sábado, 27 de agosto de 2011

Criador de cartazes nacionalistas atacado

Na Suíça, o especialista propagandista e criador de cartazes do Partido do Povo Suíço (SVP/UDC), Alexander Segert, foi vítima de um ataque incendiário em sua própria casa. O seu veículo, um jipe, ficou destruído pelas chamas. Segundo os bombeiros, só a custo é que se conseguiu impedir que o fogo alastrasse à habitação de Segert e da sua família.
As suspeitas do acto criminoso recaem sobre os militantes de extrema-esquerda, uma vez que a notícia do ataque, juntamente com a informação da morada de Segert, tinha sido publicada no sítio Indymedia ainda antes da polícia tornar público o acontecimento.
Os cartazes de Segert disseminaram por toda a Europa tendo um deles sido utilizado em Portugal pelo Partido Nacionalista Renovador.

Eis, pois, como a esquerdalha, sem argumentos ou capacidade de chegar ao povo, faz as coisas num país desenvolvido como é a Suíça. Já que não consegue conter de forma legal o por demais evidente crescimento do nacionalismo, recorre ao crime para perturbar o processo democrático...

Expo Islam no Natal

Na Itália, a organização "Jovens Muçulmanos de Itália" anunciou a Expo Islam que terá lugar na cidade de Bolonha... no dia 25 de Dezembro! A Liga Norte já reagiu à afronta islâmica considerando tal evento uma provocação.
Manes Bernardini, militante deste partido nacionalista, afirmou que ele não faria semelhante coisa num país islâmico, pois seria uma imposição estrangeira em terras islâmicas precisamente na altura de uma das maiores celebrações muçulmanas como é o caso do Natal para os cristãos. Bernardini acrescentou também que a realização da Expo Islam implicaria a remoção da árvore de Natal do lugar onde a exposição teria lugar, o que é inaceitável.
Yassine Lafram, da organização muçulmana, nega querer provocar a Igreja Católica, alegando que a escolha da data se deve simplesmente ao facto das pessoas estarem geralmente de férias nessa altura e, como o evento não está destinado somente aos muçulmanos, permitiria a visita de mais gente, e comparou a Expo Islam à Festa de l'Unità, uma espécie da "nossa" festa do Avante.
A da'wa, o proselitismo islâmico, segue dentro de momentos...

Boccia: Portugal em segundo

Portugal conquistou a medalha de ouro e a medalha de bronze na Taça do Mundo de Boccia que está a decorrer em Belfast, na Irlanda do Norte. Abílio Valente, estreante em competições internacionais, conquistou o ouro na classe BC2 depois de bater o campeão mundial e líder do ranking mundial, o britânico Nigel Murray. Já Domingos Vieira garantiu o bronze na competição individual de BC4 depois de ter perdido na meia-final com o brasileiro Eliseu dos Santos e de ter vencido o representante de Hong Kong, Wai Yan Vivian, no jogo de atribuição do terceiro e quarto lugares. Na competição de pares BC3, Armando Costa, Luís Silva e José Carlos Macedo conquistaram também a medalha de bronze. Com estas conquistas, Portugal, que conquistou quatro das cinco edições anteriores, ficou na segunda posição, atrás da Coreia do Sul.
Parabéns, Portugal!

Roubaram o busto de Rui Filipe

Um assalto ao cemitério do Vale da Cambra que decorreu na noite de terça para quarta-feira resultou no furto do busto em bronze de homenagem ao malogrado jogador portista Rui Filipe, que morreu aos 26 anos num acidente de viação em 1994, e da placa a referir a homenagem feita em 2001 por parte do município e do FC Porto e cujo preço estimado rondaria os 3 mil euros. Muitas outras imagens e bustos da região têm sido roubados. Presume-se que os ladrões estejam metidos no negócio de reciclagem de metais no mercado clandestino, atendendo ao valor elevado que o cobre tem agora no mercado.
Já nem os mortos os larápios respeitam.

Barcelona vencedor da Supertaça Europeia


O Barcelona venceu, com toda a naturalidade e como era esperado, a Supertaça Europeia no Estádio Luís II, no principado do Mónaco. Um golo do inevitável Messi e outro de Fabrègas chegaram para derrotar o clube portuense do Pinto da Costa, que até jogou bom futebol e chegou a obrigar os catalães, durante bons períodos do jogo, a jogar atrás, no seu meio campo.
Na primeira parte, enquanto os jogadores do CRAC discutiam de igual para igual com o colosso espanhol, um erro do colombiano Guarín deitou tudo a perder (a defesa portista apostou muito no arriscado erro do fora-de-jogo, defendendo muito adiantado no terreno) ao minuto 39. Messi recebeu a bola dos pés do colombiano, tirou Helton do caminho como se estivesse a fintar dentro de uma cabine telefónica (gostei da expressão, Luís Freitas Lobo!), e inaugurou o marcador. No segundo tempo o controlo do Barcelona foi praticamente total. Para piorar ainda mais as coisas, Rolando e Guarín acabaram expulsos, o que terá repercussões no primeiro jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões. O catalão Fabrègas, resgatado ao Arsenal no início da época, fez o segundo golo e confirmou a superioridade blaugrana, que para mim é de facto a melhor equipa de futebol da actualidade. Com a conquista da Supertaça Europeia, o Barcelona ultrapassou o Real Madrid em termos de títulos totais e é mais que provável que Mourinho, Ronaldo, Coentrão e companhia siguen lo chupando.
No fim do jogo, o treinador do "fóculporto", Vítor Pereira, acusou o árbitro holandês, que curiosamente beneficiou o clube do Freixo no jogo contra o Villarreal para a Liga Europa na época passada (e que, recordemos, terá jantado com dirigentes portistas numa marisqueira de Matosinhos), de não ter assinalado um penalty contra o Barcelona a 10 minutos do fim: "Sei que é complicado apontar aos 80 minutos uma grande penalidade contra o Barcelona. Se fosse na área contrária seria penalty". Guarín disse que a grande penalidade foi o momento decisivo do jogo e que as coisas poderiam ter mudado. Já o brasileiro Hulk, o senhor 100 milhões, afinou pelo mesmo diapasão e disparou: "Se tivessem apontado o penalty a história seria diferente".
É engraçado como não falam nunca de todos os penalties que lhes foram perdoados na época passada - não houve um único por mais claríssimo que fosse que tivesse sido assinalado contra a agremiação portuense! E o árbitro também não podia proteger duas damas: uma delas é claramente mais poderosa que outra. E antes que apareçam por aqui adeptos afectos ao clube do Dragão do Apocalipse ou simples anti-benfiquistas a mandar vir comigo, deixem-me admitir, como já o fiz, que apesar de tudo o clube das cores azul e branca jogou muito bem, caiu de pé e que se perdeu a Supertaça Europeia é porque esteve presente no Mónaco. Enganaram-se todos aqueles que, como eu, esperavam que o Barcelona iria massacrar e humilhar a equipa da segunda cidade portuguesa.
Do outro lado, para além de ter superado o eterno rival Real Madrid em títulos, Pep Guardiola superou o mítico Johan Cruyff: conquistou 12 títulos em 15 possíveis! Os adeptos catalães, à imagem e semelhança dos adeptos portistas, durante o jogo não se esqueceram do seu ódio de estimação e cantaram ¡Madrid, cabrón, saluda al campeón! Já só ficam a faltar agora conquistar um pentacampeonato europeu para igualar o registo do Real Madrid. Os merengues que se cuidem.

Sporting e Sporting de Braga «in»; Vitória de Guimarães e Nacional «out»

Das quatro equipas portuguesas que estavam a disputar o acesso à Liga Europa, duas conseguiram e duas falharam. Sem grandes surpresas, os três clubes ditos grandes e o actual quarto grande seguem em frente nas competições europeias.

O Sporting venceu por 2-1 os dinamarqueses do Nordsjaelland em Alvalade num jogo muito complicado onde o desperdício por parte dos jogadores leoninos foi a nota dominante. Foi preciso esperar até ao último quarto de hora do jogo complementar para o Sporting marcar, finalmente, um golo à fraquinha equipa dinamarquesa, golo marcado por André Santos. A 7 minutos do fim, o brasileiro Evaldo, algo trapalhão, fez o segundo golo e o sofrimento leonino só não acabou até ao apito final porque Laudrup conseguiu o tento de honra já nos descontos. No ar ficou a ideia que o problema do Sporting não é a equipa nem o treinador, mas sim estrutural. Agora na fase de grupos da Liga Europa o Sporting vai defrontar a Lázio de Roma, o Zurique da Suíça e o Vaslui da Roménia.

O Sporting de Braga arrancou um empate a duas bolas em Berna, Suíça, frente ao Young Boys, depois de um empate a zero na pedreira de Braga. Os arsenalistas adiantaram-se no marcador aos 24 minutos através de Hélder Barbosa, mas na segunda parte Mayuka empatou para os suíços. Mesmo em vantagem na eliminatória, o Sporting de Braga voltou a marcar, aos 78 minutos, por intermédio do brasileiro Lima, mas Farnerud amenizou a eliminação suíça a 9 minutos dos 90. O Sporting de Braga vai agora ter de jogar na fase de grupos com os belgas do Club Brugge, os ingleses do Birmingham (que eliminaram o Nacional da Madeira) e os eslovenos do Maribor.

O Vitória de Guimarães foi copiosamente derrotado no estádio D. Afonso Henriques pelo Atlético de Madrid, ainda sem Falcao (não foi inscrito na Liga Europa), por 4-0. Os colchoneros adiantaram-se no marcador através de uma grande penalidade inventada pelo ex-benfiquista Salvio logo aos 2 minutos e bem convertida por Gabi. Adrian Lopez bisou aos 18 e 60, o ex-benfiquista Reyes teve um remate ao poste de Nilson e Salvio fechou a contagem aos 81. Na ressaca da derrota europeia, e depois de tantos desaires no início da época, Manuel Machado abandonou o comando técnico dos vimaranenses.

O Nacional da Madeira também foi goleado, por 3-0, em Inglaterra, frente ao Birmingham que milita no segundo escalão local. O melhor jogador em campo foi Ellison, o guarda-redes da equipa madeirense, e isso diz tudo. O Nacional vai agora defrontar o Benfica na segunda-feira para o campeonato e certamente não será pêra doce para os encarnados, pois essas equipas só são boas é a fazer frente ao Glorioso em Portugal.

Quanto à Liga dos Campeões, o Benfica vai defrontar o Manchester United, o Basileia e o Otelul no grupo C. O "fóculporto" ficou no grupo G juntamente com o Shakhtar, Zenit e Apoel.

Multiculturalismo sim, mas...

Na Holanda, uma sondagem de opinião pública revela que a maioria dos holandeses indígenas (brancos, entenda-se) diz querer que os seus filhos vivam numa sociedade multicultural apesar de preferir que eles vivam em bairros de brancos e frequentem escolas só para brancos. Apesar dos inquiridos dizerem reconhecer as "vantagens" de viver numa sociedade multicultural, 57% deles estão preocupados com a situação das suas crianças numa sociedade de culturas e raças/etnias diferentes.
Já não estou a perceber nada. Mas afinal os holandeses querem o multiculturalismo ou não querem? Querem que ele exista e querem que os seus filhos vivam e estudem só com brancos? A esquerdalha não vai gostar mesmo nada de saber disso.

O imã pedófilo do Canadá

Um líder muçulmano foi acusado de abusos sexuais contra crianças no Canadá. Teme-se agora que o imã Mohammad Masroor, de 48 anos, tenha igualmente abusado sexualmente de muitas outras crianças noutros países, pois trata-se de um imã que viaja bastante para ensinar às crianças os preceitos alcorânicos.
A polícia de Toronto descobriu que Masroor tinha três passaportes, todos eles com identidades diferentes da sua identidade verdadeira, um com o nome Junaid Salman, outro com o nome Abdur Rahim e o terceiro com o nome Abdul Karim Abdul Aziz, tendo viajado para a Hungria, Itália, Áustria, Índia, Qatar e Arábia Saudita. Masroor foi membro do grupo islâmico Tablighi Jamaat, um grupo com sede no Bangladesh e que se dedica ao proselitismo tendo como alvo as crianças.
A comunidade muçulmana do Canadá mostra-se "chocada" e muitos muçulmanos não acreditam nas acusações de pedofilia que são feitas contra o imã (ou não... a pedofilia é permitida pela lei islâmica).
A polícia canadiana está agora a trabalhar com a Interpol na procura das outras vítimas do imã pedófilo.


Esta é mais uma de muitas notícias acerca dos muçulmanos que os grandes média não têm o mínimo de interesse de divulgar em nome do politicamente correcto. Afinal, um imã pedófilo não é o mesmo que um padre pedófilo...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Divórcio resultou em suicídio do pai e do filho

Um homem de 41 anos, Anildo, saiu de casa com o seu filho de seis anos e foram a pé até à estação de comboios da Póvoa de Santa Iria. Depois de ter comprado dois bilhetes para Vila Franca de Xira, dirigiram-se à linha 2 onde foram atropelados mortalmente pelo comboio Intercidades. Anildo atravessava um período de divórcio e decidiu cometer suicídio, mas acompanhado...
É triste existirem tantas mentes doentias neste mundo. Infelizmente existem muitos outros casos em que as crianças são vítimas inocentes da crueldade de adultos mentecaptos e irracionais. Não há sofrimento nem desespero nenhum que justifique isso.

Afinal não é a sua filha

A portuguesa Lucinda Neves pensava ter encontrado a sua filha, que estava desaparecida desde Dezembro de 1999 na Venezuela, através do Facebook em Fevereiro passado, mas os exames de ADN negaram o parentesco entre a emigrante madeirense e a jovem, que afinal não é a Angely Sofia Nunes, mas sim Carla. "As provas (de ADN) deram negativo, não confirmam que ela era a minha filha. Acabo de falar com a Carla e expliquei-lhe que as coisas são assim, não se pode andar com mentiras, mas que nada vai mudar no nosso relacionamento", disse Lucinda. "Desde que a vi, para mim ela é minha filha, é o destino, se ela está comigo por algo será. Continuaremos juntas e vou continuar à procura de Angely, até à última gota da minha vida, nada nem ninguém me impedirá", acrescentou.

Amorim não se considera rico

Américo Amorim, o homem mais rico de Portugal e a 200ª pessoa mais rica do mundo de acordo com a Forbes, com uma fortuna avaliada em cerca de 2,5 mil milhões de euros, disse ao Jornal de Negócios que não estaria disponível para aceitar um imposto especial sobre as grandes fortunas. "Eu não me considero rico. Sou trabalhador", disse Amorim.
Entretanto, em França já foi apresentado um novo plano de austeridade com medidas no valor de 11 mil milhões de euros, incluíndo a introdução de uma tributação extraordinária sobre os mais ricos. Isto porque os super-ricos franceses querem pagar mais impostos depois de no passado dia 15 Warren Buffet, o terceiro homem mais rico do mundo, ter publicado um artigo de opinião no New York Times a pedir aos políticos para pararem de "mimar os super-ricos" com isenções fiscais. Como consequência, surgiu uma petição no sítio da revista de informação Le Nouvel Observateur, onde os membros das 16 maiores fortunas de França, entre eles a herdeira da L'Oreal e o director da petrolífera Tofal, pedem a criação de uma "contribuição especial" sobre os rendimentos mais elevados sem afectar o cash flow das respectivas empresas.
"Em Portugal, o mais rico dos ricos portugueses, e um dos 200 mais ricos do mundo, afirmar que é um mero assalariado é insultuoso para o povo português", afirmou Pedro Filipe Soares, do patético Bloco de Esquerda. Resposta idêntica não se fez esperar nas redes sociais onde já existe uma página no Facebook com o título "Uma moedinha para ajudar Américo Amorim, esse trabalhador pobrezinho".
Temos, pois, que salvar os ricos como o Amorim. Foi a pensar em gente como ele que os 'Contemporâneos' e alguns artistas, entre eles o já falecido Angélico Vieira, participaram na seguinte campanha em auxílio aos ricos:

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Francês ganhou a lotaria pela segunda vez

O francês Pierre ganhou a lotaria pela segunda vez depois de já ter sido bafejado pela sorte em 1996. Segundo o jornal francês Le Parisien, Pierre ganhou cerca de 3 milhões de euros no sorteio do loto francês de 27 de Julho depois de ter ganho e perdido os 2,860 milhões de euros investidos em acções num crash bolsista em 1996. "Tenho uma boa estrela", disse Pierre, que foi novamente contemplado pela sorte e não quer repetir os mesmos erros do passado. Por isso, vai investir no imobiliário, de forma a "assegurar um património aos seus dois filhos".

Camelo sacrificado


Um camelo foi sacrificado na Turquia antes de um jogo de futebol. Segundo os muçulmanos, foi para dar sorte.
Porque é que esses cabrões não se sacrificam uns aos outros já que os pagãos sacrificavam seres humanos e o Alá que eles adoram é um desses imensos deuses pagãos?

A Europa islamicamente ocupada

Bem-vindos à Eurábia - o fim da Europa como a conhecemos (Giulio Meotti)

À medida que a população islâmica cresce, podemos estar a assistir ao fim da Europa tal como a conhecemos hoje. Estamos a atravessar a auto-extinção da civilização europeia que moldou a época em que vivemos. No seu novo bestseller "Civilização", o reconhecidíssimo historiador de Harvard, Niall Ferguson, escreve: "Se a população muçulmana no Reino Unido continuar a crescer a uma taxa anual de 6,7% (tal como aconteceu entre 2004 e 2008), a sua percentagem no total da população inglesa irá crescer dos cerca de 4% em 2008 para 8% em 2020, para 15% em 2030, e 28% em 2040, ultrapassando finalmente os 50% em 2050."
Mas Ferguson não está só no uso do termo "Eurábia", para descrever um continente europeu islamizado: A historiadora Bat Ye'or gastou a sua carreira estudando o fenómeno, e o professor Bernard Lewis disse ao diário alemão "Die Welt" que "a Europa terá maiorias islâmicas pelo menos até ao final do século XXI".
Espera-se que o número global de muçulmanos deve saltar 35% nos próximos 20 anos, crescendo duas vezes mais rápido que a população não-islâmica - e isto não é a opinião destes "eurofóbicos" - mas do famoso US Pew Forum, que publicou projecções para o crescimento da população muçulmana entre 2010 e 2030.
Os números mais assustadores estão na Europa. Alguns dos maiores aumentos da população muçulmana na Europa em números absolutos para os próximos 20 anos devem ocorrer no Reino Unido, França, Itália e Alemanha. As populações muçulmanas na Itália e na Suécia estão projectadas para "mais do dobro do tamanho". O cardeal Angelo Bagnasco, presidente da Conferência Episcopal Italiana, avisou acerca do "lento suicídio demográfico" e o padre italiano Piero Gheddo, deão dos missionários do Vaticano, avisou que "a Europa será dominada pelo Islão no espaço de poucas gerações".

Uma baixa taxa da fertilidade na Europa, imigração massiça de países muçulmanos e uma minoria islâmica confiante estão fazendo do berço da civilização ocidental a sua própria sepultura. Tal como o historiador Walter Laqueur avisou, estes são "os últimos dias da Europa".
Ano após ano, o número de nascimentos em toda a Europa caiu em comparação com o número de mortes. Para que haja uma população estabilizada, uma nação precisa de uma taxa de fertilidade de 2.1 novos nascimentos por mulher. Essa é a situação geral na América. Israel tem uma significativa taxa de 2.6. A Itália tem entretanto uma das mais baixas taxas de fertilidade do mundo inteiro: 1.3. Mark Steyn, autor da obra "América sozinha" alertou que no final do século XXI pode "ainda haver uma região geográfica marcada no mapa como Itália, mas tal será apenas uma mera designação oficial."
Segundo o jornalista americano Cristopher Caldwel, na Áustria, conquanto que no século XX 90% da população fosse católica, o Islão pode tornar-se na religião maioritária entre os austríacos com menos de 15 anos de idade no ano 2050. Nas quatro maiores cidades da Holanda, Amesterdão, Roterdão, The Hague e Utrecht, o nome "Maomé" já é o mais usado para os recém-nascidos. O mesmo acontece em Bruxelas, capital da União Europeia.
Em outras regiões, por exemplo em Espanha, no ano de 1998 só 3,2% da população era de origem estrangeira. Hoje já são mais de 15%. Segundo o Pew Forum, a população islâmica da França aumentará dos actuais 4,7 milhões para 6,9 milhões em 2030. A demografia está na verdade a mudar todas as cidades europeias: as populações de Amesterdão, Bruxelas e Marselha já são entre 20 a 25% muçulmanas; Birminghan, Colónia, Copenhaga, Londres, Paris, Roterdão, Estocolmo, Estrasburgo, e The Hague são entre 10 a 20% muçulmanas; Berlim, Hamburgo e Viena são entre 5 a 10% muçulmanas.

O problema é que o grupo demográfico de maior crescimento populacional na Europa é também o mais religioso e o mais resistente às bênçãos de uma democracia liberal. Não é difícil imaginar como esta confrontação entre uma apatia ateística europeia e um turbilhão teológico muçulmano irá acabar.
A Irmandade Muçulmana dirige a maioria das mesquitas europeias. Os seus grupos da linha da frente são cortejados pelos governos e pelos média ocidentais. A Europa é uma das suas prioridades. Eles chamam-lhe: "dar al shaadi", ou seja: terra de missão. Yusuf al Qaradawi, o mais famoso guru da Irmandade, falou claramente: "O Islão vai retornar à Europa, não pela espada, mas pelo proselitismo."
A Europa arrisca-se a perder todos os seus preciosos dons: a dignidade humana, a liberdade de consciência, a liberdade de expressão, a autoridade da lei, a separação entre o estado e a mesquita. Por toda a Europa há dezenas de jornalistas, cartunistas e escritores que vivem debaixo de ameaças terroristas.
Os últimos ficheiros do WikiLeaks revelaram que pelo menos 35 terroristas presos em Guantánamo estavam radicalizados em mesquitas londrinas antes de terem sido enviados para combater o Ocidente. Existem no Reino Unido 80 tribunais "sharia" funcionando como um apartheid legalizado dentro da lei comum. Estes tribunais baseiam-se na rejeição do princípio da inviolabilidade dos Direitos Humanos. Os tribunais formalizam o "talaq", o repúdio da mulher por parte do marido, a poligamia, o direito a 'repreender' a esposa e a prevenção de casamentos entre credos diferentes.

A Holanda - com todas as suas leis contra a discriminação - já é uma sociedade segregada. As maiores mesquitas na Europa já fazem parte da luxuriante, verde e aquosa paisagem rural holandesa. No Teatro Zuidplein, um dos mais prestigiados de Roterdão, um balcão inteiro está reservado para as mulheres muçulmanas. Isto não está a acontecer no Paquistão ou na Arábia Saudita, mas na cidade de onde partiram os "pais fundadores" dos Estados Unidos da América.
A publicação "The Economist", conhecida por posicionar-se longe de ideias anti-islâmicas, referiu-se a Roterdão como o "pesadelo eurábico." O pesadelo está ameaçando também os judeus. Segundo a Agência Judaica, no ano passado, o anti-semitismo na Europa foi "o pior desde a 2ª Guerra Mundial", e só irá piorar no futuro. Livros como o "Mein Kampf" e "Os Protocolos dos Sábios de Sião" são bestsellers proeminentemente expostos em lojas muçulmanas na Rua Edgware, no coração de Londres.

Não nos esqueçamos de Ilan Halimi, um jovem judeu de Paris, raptado e torturado sem que ninguém interviesse nas zonas residenciais adjacentes ao seu prédio. Os residentes ouviram os gritos de Halimi, mas ninguém disse uma palavra.
Na Suécia, um país descrito pelo The Guardian como "o maior sucesso que o mundo jamais conheceu", os judeus estão a abandonar grandes cidades como Malmö, devido a razões de segurança e ataques anti-semitas. Frits Bolkestein, o guru liberal holandês, acabou de despoletar um rastilho na Holanda ao afirmar que "os judeus não têm futuro aqui e deviam emigrar para os EUA ou Israel."
A famosa Holanda de Baruch Espinoza, abrigo dos judeus portugueses e espanhóis que fugiram à Inquisição, está abrindo portas a um reino de temor, intimidação e subjugação. Os judeus estão também a fugir de Antuérpia, a cidade outrora orgulhosamente apelidada de "Jerusalém do Norte".
O anti-semitismo é uma erupção do barbarismo na nossa civilização, e os judeus têm sempre sido um barómetro de tolerância. Quando os judeus tiverem saído de Amesterdão e de Antuérpia, nada será igual na Europa. Não nos deveríamos surpreender se, um dia, sob a bandeira da Eurábia, estes novos europeus tentarem expelir os descendentes do Holocausto da Terra de Israel. Este segundo Shoah (Holocausto) chamar-se-á: "Paz e Justiça para a Palestina".


De acordo com o seguinte sítio, proliferam as zonas urbanas europeias dominadas pelos islâmicos, onde a população muçulmana pratica a sua própria lei e afasta-se cada vez mais da lei europeia, uma invasão que se faz sem o recurso às armas e que está a possibilitar cada vez mais proto-estados islâmicos em solo europeu. Neles a polícia, as ambulâncias e os bombeiros ou são regularmente atacados ou então pura e simplesmente não entram.

No Reino Unido, o grupo "Muçulmanos contra as Cruzadas" (Muslims against the Crusades) lançou campanha em 12 cidades inglesas para as converter em estados islâmicos independentes. Numa mesquita londrina de zona islamizada os clérigos ameaçam de morte as mulheres que não usem véus, colam-se cartazes a declarar certas zonas como «reguladas pela sharia», enquanto cartazes publicitários considerados ofensivos para os muçulmanos (por terem mulheres semi-nuas, por exemplo) são regularmente vandalizados, os não-muçulmanos são atacados em certas áreas para se irem embora, as próprias autoridades britânicas levaram a tribunal dois missionários cristãos por «crime de ódio», como andarem a distribuir panfletos cristãos em «zona muçulmana». Numa área de Londres um radical perguntou ao secretário de Estado John Reid: «Como é que te atreves a vir a uma área muçulmana»?

Na Bélgica, a capital Bruxelas tem já 20% de população islâmica. Vários bairros de imigrantes tornaram-se zonas fora do alcance das forças policiais. O desfile da cidade, festival de música electrónica a ter lugar no dia 27 de Agosto em Bruxelas, teve a sua rota alterada por ordem do presidente da câmara de Molenbeek-Saint Jean, Philippe Monreaux, porque a marcha cruzaria com o bairro dominado pelos muçulmanos. Em Kuregem a patrulha policial tem de ser feita com dois carros, um deles para impedir que o outro seja atacado. Em Molenbeek a polícia até tem ordens não oficialmente assumidas para nem sequer beberem café ou comerem uma sanduíche em público durante o mês do jejum muçulmano.

Na Alemanha, o comissário da polícia Bernhard Witthaut revelou em entrevista que os imigrantes muçulmanos estão a impor áreas fora do alcance da polícia a um ritmo alarmante. O entrevistador perguntou assim a Witthaut: «Existirão áreas urbanas que são áreas que a polícia não controla?» Witthaut respondeu: «Todos os comissários da polícia e o ministro do Interior negarão isso. Mas é claro que nós sabemos onde nós podemos ir com a patrulha policial e onde, numa primeira fase, podemos ir fazer a ronda. A questão é que os nossos colegas não se sentem mais seguros a fazer a ronda e temem poder eles próprios tornar-se vítimas de crimes. Nós sabemos que essas áreas existem. E o pior é que sabemos que nessas áreas os crimes já não resultam em detenções. Eles estão entregues a eles próprios. Só nas piores situações é que nós, na polícia, é que aprendemos algo com isso. O poder do Estado está completamente fora da questão».

Em Itália, os muçulmanos controlam a Piazza Venezia em Roma, onde realizam impunemente as suas orações em público. Em Bolonha, ameaçam repetidamente fazer explodir a catedral de San Petronio porque esta igreja contém um quadro de há seiscentos anos, inspirado no «Inferno de Dante», que representa Maomé no inferno.

Na Holanda, um tribunal ordenou ao governo que revelasse publicamente uma lista de quarenta áreas «interditas» à polícia. Os cinco maiores bairros problemáticos estão em Amesterdão, Roterdão e Utrecht. A área mais problemática de todas é a área de Kolenkit, em Amesterdão, seguida de três em Roterdão: Pendrecht, het Oude Noorden e Bloemhof. Na quinta posição está o distrito de Ondiep, em Utrecht, à frente de Rivierenwijk (Deventer), Spangen (Roterdão), Oude Westen (Roterdão), Heechterp/Schieringen (Leeuwarden) e Noord-Oost (Maastricht).

Na Suécia, que tem das legislações mais liberais da Europa em matéria de imigração, há já vastas áreas de Malmö que são «interditas» a quem não for muçulmano e até os bombeiros são atacados à pedrada, numa das vezes até foi quando estavam a tentar apagar um incêndio numa mesquita. Cocktails Molotov são atirados contra as forças policiais e, mais recentemente, alguns adolescentes apontaram raios laser verdes aos olhos de agentes policiais, cegando-os temporariamente. O imã de Malmö, Adly Abu Hajar, chegou a declarar que «A Suécia é o melhor Estado islâmico.»

Em França, apurou-se o expressivo número de 751 «zonas urbanas sensíveis», eufemismo para dizer zonas controladas por muçulmanos onde a polícia não entra e o Estado francês não manda. Em Paris, Lyon e Marselha, os muçulmanos já se dão ao luxo de fechar ruas inteiras (estradas e passeios) para as suas orações, violando as leis nacionais, enquanto algumas mesquitas já têm altifalantes para disseminarem o seu brado de Alá por toda a região, e perante tudo isto há algumas queixas de cidadãos mas a polícia nada faz com receio de «causar» motins.