sábado, 30 de outubro de 2010

Pior tromba-d'água em Lisboa em 13 anos

Segundo o DN, em meia hora caíram 34 litros de água por metro quadrado em Lisboa resultando em lojas alagadas, ruas fechadas e caos generalizado nas principais artérias da cidade, e trânsito infernal.
Este país não está mesmo nada preparado para a chuva.

A professora chinesa mais sexy

Parece que as professoras bonitas estão na moda. Zhu Songhua foi eleita a professora mais sexy da China. A rapariga de 30 anos, professora de línguas da escola primária nº 1 de Nantong, província de Jiangsu, tornou-se subitamente uma celebridade através da Internet, com milhares de cibernautas a partilharem as suas fotos e vídeos. "Sou uma pessoa normal, quero viver uma vida normal e não gosto de protagonismo", disse a chinesa.
Num programa da TV de Jiangsu, Zhu disse que "não há maus alunos, apenas maus professores", acrescentando que "ensinar aos alunos amor e responsabilidade era a lição mais importante". Zhu disse também que quando encontra um estudante problemático não o critica, mas dá-lhe "carinho e atenção".
Putos chinocas sortudos dum raio!

Maradona faz 50 anos

El Pibe Diego Armando Maradona faz hoje meio século de existência. Aquele que é tido por muitas pessoas que nunca viram Pelé jogar à bola como sendo o melhor jogador de futebol de sempre (para mim ele até está a atrás de Alfredo Di Stéfano e Eusébio) foi campeão do mundo pela Argentina em 1986 (Pelé foi 3 vezes campeão do mundo pelo Brasil). Para além de ser mundialmente conhecido pelo jeito que tinha para a bola, Maradona também é conhecido pelo abuso de álcool e drogas, que lhe valeram passagens pela prisão e pelo hospital, onde quase podia ter morrido, além de acusações de ligação à máfia de Nápoles.
Foi de facto um grande jogador, mas não é, nem de longe nem de perto, o melhor de sempre.

Depois de treinador de Bancada, o árbitro de Bancada: Uma Evolução Natural

Confesso que tenho dificuldade em compreender os receios que rodeiam a hipotética greve dos árbitros na semana do Porto – Benfica. Não sei se ainda mantém em rigor a velha regra segundo a qual, na ausência do árbitro, deve ser recrutado um espectador na bancada para arbitrar a partida. S assim fosse, o mais provável seria que o árbitro do jogo acabasse por ser um adepto do Porto. Sinceramente, creio que ninguém daria pela diferença. Seria um Porto – Benfica perfeitamente normal. Já aqui recordei a noite histórica em que o Sr. Donato Ramos, depois de ter permitido que o Vítor Baía defendesse com as mãos fora da área, anulou um autogolo do Porto por fora-de-jogo posicional de um jogador do Benfica. Hoje, lembro o saudoso árbitro Carlos Calheiros (que é também o eminente turista José Amorim), que um dia assinalou um penalty contra o Benfica por uma razão que permanece misteriosa até agora. Na primeira repetição, José Nicolau de Melo descortinou (e José Nicolau de Melo descortinava como ninguém) uma falta de Mozer. Na segunda repetição, julgo que aventou uma mão de Hélder. E, na terceira repetição, concluiu que não existia falta nenhuma das infracções anteriores nem qualquer outra, mas optou por dar o benefício da dúvida ao árbitro. Gente maldosa comentou que o benefício da dúvida tinha sido o menor dos benefícios que o árbitro tinha recebido nessa noite. Acredito mesmo que qualquer adepto do Porto faria um trabalho mais isento.
Quanto à greve, não sei se tem razão de ser, mas não percebo a forma do protesto. Quando os trabalhadores da TAP fazem greve, não comparecem na TAP, que é a morada do patrão. Quando os funcionários da EDP fazem greve, abstêm-se de comparecer na EDP, que é a morada do patrão. Quando os árbitros fazem greve, ameaçam não comparecer no estádio do Dragão? Que esquisito.
Todos estes meses depois, o túnel da Luz continua a afastar o inigualável Givanildo da convocatória da selecção brasileira. Há, perversa infra-estrutura! Perversa e sectária, que o David Luiz passa lá todas as semanas e continua a ser convocado.

“ (…) é assustador verificar a frequência com que, graças a uma redacção voluntariamente ambígua da lei, são anuladas em julgamento as escutas telefónicas.” (Miguel Sousa Tavares, Expresso, 11 de Junho de 2007)

“ Durante quatro semanas a fio, o jornal «Sol» levou a cabo, tranquilamente, a divulgação de escutas telefónicas recolhidas num processo em segredo de justiça e abrangendo até alguma gente que, tanto quanto sabemos, não é suspeita de qualquer crime. (…) E todos nós, mesmo os discordantes, fomos obrigados a ler as escutas e concluir a partir dos factos e indícios nelas contidos, sob pena de sermos excluídos da discussão pública”. (Miguel Sousa Tavares, Expresso, 25 de Março de 2010)

Como já aqui tive ocasião de notar, há um grande consenso social em torno do fenómeno das escutas. Até gente de clubes diferentes se encontra no essencial, o que é notável e bonito. Por exemplo, eu concordo com o Miguel Sousa Tavares quando diz que é assustador o número de escutas telefónicas, algumas bem incriminadoras, que são anuladas em tribunal. E também me sinto obrigado a tomar conhecimento dos factos e indício nelas contidos, para não ser excluído da discussão pública. O que pretende quem deseja fingir que as escutas não existem é decretar a obrigatoriedade da hipocrisia. E isso, fiquem sabendo, Miguel Sousa Tavares nunca permitiria. E eu estou com ele nesta luta. Juntos venceremos, tenho a certeza.

"Jornalista – O best seller de Carolina assume foros de escândalo. As críticas vêm até indefectíveis portistas.
Rui Moreira – O Sr. Jorge Nuno Pinto da Costa devia ter falado com os adeptos, devia ter falado com os sócios, sobre esta matéria. E devia ter-lhes pedido desculpa.
(…)
Jornalista – As críticas aos administradores da SAD não se limitam à gestão.
Rui Moreira – À volta daqueles que são os grandes líderes, aquilo que acontece é que se começa a confundir a fidelidade com o cortesão. Perante o Sr. Jorge Nuno Pinto da Costa são absolutamente acríticas, mas nas costas do Sr. Jorge Nuno Pinto da Costa são as pessoas mais críticas. E esta tendência, que é típica dos cortesãos, como nós sabemos, aquilo a que se chama jogos de corredor, é típica também de uma instituição cuja a liderança se aguenta durante muitos anos. (…) Aquele passeio da fama que o FC Porto tem, faltam lá alguns nomes, claramente.
Jornalista – Mas quem é que é o responsável por isso?
Rui Moreira – É a política de guerrilha".
Numa interessante reportagem da RTP, disponível aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=5yjllkmd4wg&feature=related.

Tenho acompanhado com muito interesse o Trio D’Ataque na sequência do despedimento com justa causa de Rui Moreira. Por muito que me custe admiti-lo, o comunicado emitido pela SAD do Porto estava correcto: de facto, o novo elemento (além de ter a estanha mania de permanecer no estúdio durante toda a duração do programa, honrando o contrato que o liga à RTP), emite livremente opiniões que são da sua exclusiva responsabilidade. O novo modelo do programa faz lembrar o tempo em que Rui Moreira não era sequer candidato a sócio do ano, antes de ter percebido que as suas opiniões não eram as mais correctas, quer para as suas ambições inconfessadas, quer para a sua saúde. Espero que o estádio do Dragão tenha corredores espaçosos: há mais um jogador para albergar.

P.S. - Tanto Miguel Sousa Tavares (que esta semana nos obsequiou com uma excelente redacção subordinada ao tema A Caça aos Patos) como Rui Moreira (que fornece aos leitores informações interessantíssimas, como o facto de não ter visto um jogo por estar a entreter um Sr. que até é comendador) insistem que eu não escrevo aqui sobre o que devia. O jurista que cita a declaração de independência pensando estar a citar a constituição americana considera que eu não sei do que falo; o comentador desportivo que foi despedido por não comentar tem reparos a fazer aos meus comentários. Vivemos num mundo estranho.

Ricardo Araújo Pereira, 30 de Outubro in Jornal A Bola

Fonte: Apanhados Quânticos

Quinta vitória consecutiva para a Liga Zon Sagres


O Benfica obteve ontem no Estádio da Luz frente ao Paços de Ferreira a quinta vitória consecutiva para os jogos do campeonato, com o aliciante de estar igualmente sem sofrer golos há 457 minutos.
Roberto, o tal guarda-redes que muita gente, eu incluído (e por isso faço mea culpa), dizia ser um grandecíssimo frango, está finalmente a demonstrar o porquê da sua dispendiosa contratação. Para mim, Roberto agora é de facto um dos jogadores mais importantes da equipa e um dos grandes responsáveis por esta série de 5 vitórias seguidas.
Pablo Aimar fez um golo muito bonito depois de 12 segundos de posse de bola, uma jogada a fazer lembrar Diego Armando Maradona. Alan Kardec fez o segundo golo na conversão duma grande penalidade, algo inédito no presente campeonato (finalmente foi marcado o primeiro penalty a favor do Benfica). Admito que o penalty possa ser forçado, mas também só após o visionamento dumas 10 repetições é que dá para ver que o lance é duvidoso. Seja como for, não foi por aí que o Benfica venceu. O Benfica venceu e venceu justamente, se bem que os jogadores do Paços de Ferreira souberam valorizar o triunfo benfiquista.
No dia 7 de Novembro o Benfica lá estará no covil dos corruptos para ver quem é que está em melhor forma. Mas antes, os corruptos que percam pontos (de preferência três pontos) frente aos estudantes do lacaio portista Jorge Costa, que é para o Villas-Boas baixar a crista.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Miss Venezuela 2010 é luso-descendente

A Venezuela, terra de inúmeras beldades, coroou uma luso-descendente como Miss Venezuela 2010.
Nascida em Caracas e representando o Estado venezuelano de Miranda, Vanessa Andrea Gonçalves Gómez tem 24 anos, 1,77 metros, é modelo e odontologista especializada em estética e desenho do sorriso, e representará a Venezuela no concurso de Miss Universo 2011.
Será que a vitória da luso-descendente tem dedo do Sócrates, já que ele é hermano de Chávez? Cá para mim foi cunha...

Violência escolar é crime

Ora aí está uma excelente notícia: o governo aprovou uma proposta de lei que prevê a criação do crime público de violência escolar para "maus tratos físicos e psíquicos, incluíndo castigos corporais, privações de liberdades e ofensas sexuais, a qualquer membro da comunidade escolar".
Os adeptos do bullying que se cuidem, pois a sua prática pode dar um a cinco anos de prisão e caso resulte em morte da vítima a penalização será agravada entre três a dez anos. Isabel Alçada, a nossa ministra da educação, acredita que a criação deste tipo de crime poderá servir como "efeito dissuasor e como punição de situações que possam ocorrer na escola".

A maior boca do mundo

O preto da foto chama-se Francisco Domingo Joaquim, tem 20 anos, é angolano e entrou na livro dos recordes do Guinness como o homem com a maior boca do mundo. A boca dele é tão grande que até consegue esticar 17 cm em comprimento, conseguindo encaixar nela uma lata de refrigerante.
A Manuela Moura Guedes contra esse Chico angolano não tem hipóteses.

O suicídio da Europa

Esta notícia veio no Correio da Manhã, mas tomei conhecimento dela através do blogue a cidade do sossego.
Em Inglaterra, o nome Maomé é o nome masculino mais escolhido este ano pelos pais para os seus bebés recém-nascidos. De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas de Inglaterra, Maomé (Mohammed) é o nome de mais de 7 mil crianças inglesas (!!!), acabando com a liderança de 14 anos de nomes como Jack, Harry e Joshua.
Triste Europa, para onde caminhas tu?

Macau de fora do Mundial A de hóquei em patins

A selecção de hóquei em patins da minha terra natal, Macau, uma das mais fortes selecções da Ásia, senão mesmo a melhor, falhou a subida para o Mundial A depois de ter perdido com a Holanda por 7-3 em jogo dos quartos-de-final do Mundial B de hóquei em patins que se disputa na Áustria.
Paciência, rapazes, para o ano há mais. Há mais marés que marinheiros.

Megan Fox é a mais sexy?

Megan Fox é a mulher mais sexy do mundo de acordo com a edição espanhola da revista FHM.
Não concordo! Ela é bonita, mas não é a melhor de tantas celebridades que andam por aí à solta, tanto em termos de cara como de corpo. E as muitas tatuagens que ela tem não abonam a seu favor (não curto tatuagens).
A mesma revista considera também Sara Carbonero, a jornalista desportiva espanhola namorada do guarda-redes do Real Madrid Iker Casillas, melhor que a namorada russa de Cristiano Ronaldo, Irina Shayk.

Viciada no Farmville mata filho bebé

A mulher da foto chama-se Alexandra Tobias, é norte-americana, tem 22 anos e declarou-se culpada da morte do seu filho bebé por o ter abanado violentamente, alegando que o seu choro não lhe permitia jogar o "Farmville", um dos jogos mais populares do Facebook com cerca de 60 milhões de utilizadores registados e que visa a gerência duma quinta virtual. Alexandra corre o risco de ser condenada a prisão perpétua.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Sismo e tsunami matam 343 pessoas

O sismo e o tsunami que abalaram a Indonésia provocaram 343 mortos e 338 desaparecidos num arquipélago isolado no oeste da maior nação islâmica do mundo.
Nestas alturas muita gente adora questionar a existência de Deus. Porque é que Deus permite uma catástrofe dessas? Será que existe mesmo Justiça Divina? E o que é que faz constantemente o ser humano à Natureza? Ela pelos vistos não perdoa.

O lutador de sumo português

Carlos Neves, de 29 anos, com 177 Kg, 1,89 metros e natural da Marinha Grande, é campeão português de sumo, a tradicional modalidade de luta nipónica, e ficou pelos dezasseis-avos-de-final no campeonato do mundo de sumo realizado em Varsóvia, na Polónia.
Carlos é funcionário numa empresa de segurança e organizadora de eventos para crianças, para além de ser também dirigente da Federação de Sumo de Portugal, que não tem estatuto de utilidade pública. O número de praticantes de sumo em Portugal ronda os 80 e no topo da modalidade já constam imensos atletas não japoneses.
Ainda que eu não seja apreciador de sumo (só se for aquele que é para beber mesmo), como artista marcial espero que a modalidade se desenvolva aqui em Portugal tal como qualquer outra arte marcial válida que se preze.

Professora sexy de Milão

Pelos vistos não é só cá em Portugal que há uma professora sexy que teve chatices lá no seu trabalho. Em Itália, Ileana Tacconelli, de 28 anos, professora do colégio católico San Carlo de Milão, foi considerada "muito sexy" por um grupo de pais. A revolta ocorreu depois da mulher ter publicado fotos e vídeos seus na Internet. Uma mãe reclamou que a professora era "muito atraente", sendo uma distracção para os estudantes.
E eu que teria sido um puto tão feliz se tivesse tido uma stôra assim...

Travesti valente

No passado dia 13 de Julho, no Canadá, um adolescente chamado Rufus Bowman teve a infeliz ideia de querer assaltar o travesti prostituto Josué Bumpus (na foto), alegando que queria um dos seus serviços. Os dois gajos dirigiram-se para um beco e foi aí que Rufus sacou duma arma de fogo e ameaçou o travesti, dando-lhe um tiro no braço. Apesar de a bala ter ficado alojada nas costelas, o travesti continuou a lutar e acabou mesmo por espancar o ladrão! O caso foi considerado suficientemente grave para ser ouvido em tribunal de adultos e o adolescente foi condenado a três anos de prisão após declarar-se culpado.
Ele há com cada coisa...

PSD não vai com a laia do governo?

À quinta ronda de reuniões, governo e PSD romperam as negociações sobre o orçamento de Estado para 2011. "Não tinha dúvidas de que era um mau orçamento, em consequência das más políticas dos últimos anos e do grande buracão nas contas públicas. E tem efeitos muito gravosos para as famílias", afirmou Eduardo Catroga, do PSD, no final do encontro com a equipa do Executivo, liderada pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.
Numa declaração que durou cerca de meia hora, Eduardo Catroga criticou duramente o desempenho do Executivo nos últimos anos: "O Governo deixou derrapar as contas públicas. Se analisarmos a estimativa feita em Julho e agora feita em Setembro chegamos à conclusão que houve uma derragem de dois mil milhões de euros. O Governo em vez de reduzir as contas públicas, ainda as agravou."
A culpa não é do PS. A culpa é de todos aqueles que puseram no poder toda essa escumalha e também de todos aqueles que se abstiveram de votar. Porque é que foram os homens no passado lutar pelo direito de voto (os chineses adorariam ter esse privilégio...), e mais tarde as mulheres, se agora muita gente não comparece às urnas na altura das eleições? Não votam eles, votam os outros por eles. E depois queixam-se, como é típico. É a democracia no seu melhor. Não ponham a direita no poder enquanto é tempo, não...

Penthouse chegou a Portugal

Os tarados têm a partir de hoje a nova revista para adultos aqui em Portugal depois do fecho da FHM e da Playboy. A Penthouse Portugal chegou hoje às bancas com uma tiragem de 80 mil exemplares e é, segundo o director da publicação da mesma, José Mascarenhas, "uma revista muito completa". "Além de uma sessão (fotográfica) portuguesa, a da capa, temos três sessões estrangeiras, e secções de jogos, filmes, carros, artigos longos, artigos curtos, bem pensados", acrescentou, não deixando de lamentar a perda da concorrência devido ao fecho da Playboy.
Portugal é o 12º país a publicar a Penthouse, revista essa que teve a sua primeira edição em 1965.

Bin Laden exige retirada dos franceses

O canal de televisão fantoche conotado com os idólatras muçulmanos, a Al-Jazeera, divulgou hoje uma mensagem áudio em que Osama Bin Laden exige a retirada das tropas francesas do Afeganistão e admite fortes represálias contra a França.
"A única maneira de preservar a vossa segurança é a retirada das tropas (francesas) da guerra de Bush (antigo Presidente norte-americano) do Afeganistão", afirmou o líder da Al-Qaeda, na mesma mensagem. Bin Laden afirmou também que os muçulmanos têm "o direito" de responder com violência à proibição do véu integral em França. "Se a França tem o direito de proibir as mulheres livres de usar o véu, não é também o nosso direito empurrar para a saída os vossos homens invasores, cortando-lhes a cabeça?", questionou o líder da Al-Qaeda.
Ora como eu concordo com o gajo! É isso mesmo! Na terra dos outros mandam os outros, não os que vêm de fora. De que é que o Ocidente está à espera para expulsar de vez os invasores muçulmanos?

Opiniões DN

Contentar-se com o que há

Nestes tempos de pluralismo, diversidade e agitação existem poucos consensos. Um dos mais gerais é a crítica ao sistema. Vivemos no regime mais reprovado, vituperado e desprezado da história. É espantoso o grau e vastidão desse acordo. Toda a gente acha que isto está mesmo muito mal.
Em Portugal, Europa e mundo, das esquerdas às direitas, conservadores ou revolucionários, jovens e idosos, governos e oposições, todos concordam que isto anda cada vez pior. E não se diga que a causa é a crise financeira, porque mesmo no período anterior, que hoje nos parece de optimismo e euforia, as queixas eram universais. O nosso tempo detesta-se a si próprio. Os únicos períodos, aliás fugazes, de algum alívio e esperança vêm de oportunidades de mudar a detestada situação. O mais recente, na eleição de Obama, foi visto como um triunfo da heterodoxia e contracultura. Já acontecera o mesmo com Blair ou até Sarkozy. Depois, como é inevitável, todos acabam atacados por se acomodar e manter a abominação.
Os lamentos e mal-estar são compreensíveis pelas múltiplas injustiças, abusos, sofrimentos, miséria, desorganização, corrupção, vícios, perversões. Cada um identifica os males que considera piores e todos se queixam por razões objectivas e reais, embora muitas vezes contraditórias. Aquilo a que uns atribuem a maldade, outros lamentam a falta. Mas a questão é, não a justificação, mas a sabedoria das acusações.
Antes de mais é bom perguntar: para quê criticar o sistema? Este é o mundo que temos e ninguém nos vai dar outro. Já era mau quando cá chegámos e continuará a sê-lo depois de partirmos. Não seria mais sensato entretanto contentar-nos com o que temos?
É verdade que o conformismo é um dos vícios mais abominados neste tempo, e todos pensam que estes protestos nos desinstalam, contribuindo para melhorar a situação. Mas será mesmo assim? É indispensável que cada um tente deixar o mundo o melhor possível. Mas isso é uma actividade humilde e atenta, ao nosso nível local, amando e ajudando o próximo. Nada tem que ver com bramar contra males remotos e genéricos, nos quais a nossa influência é nula. Tal lisonjeia o nosso ego, mas não passa de vacuidade ociosa. Quando não é mesmo prejudicial, como as próximas greves, nada resolvendo, pois não há mesmo dinheiro, apenas servem para diminuir o pouco que ainda existe.
Suponhamos, no entanto, que as nossas queixas eram ouvidas. Iriam mesmo melhorar alguma coisa? A verdade é que os problemas globais são muito complexos, e as soluções têm inesperadas consequências nocivas. Basta lembrar como a ingénua confiança dos nossos avós nas virtudes do progresso industrial criou os actuais pesadelos ambientais, ou como o desenvolvimento das regiões pobres, tão ansiosamente desejado, começa a suscitar perigosos desequilíbrios globais que irão assombrar o futuro.
Por outro lado, será a situação assim tão má? Não há dúvida de que, persistindo muitos e graves problemas, o mundo progrediu nos últimos tempos muito mais do que seria de esperar há uma ou duas gerações. A percentagem de pessoas a viver no planeta com menos de dois dólares por dia é ainda de quase 50%. Mas era de 63% em 2002 e de 75% em 1980. Mesmo a actual crise e desemprego, se significam graves sofrimentos para muitos, não têm comparação com a miséria que se vivia por cá há 20 ou 30 anos, em crises menos profundas que esta.
O aspecto mais grave deste clima de descontentamento e queixume é, no entanto, a ingratidão. Tudo aquilo que somos e temos devemo-lo ao sistema que nos sustenta. É este mundo que tanto desprezamos que nos alimenta todos os dias, nos veste, abriga, educa e orienta. Podemos protestar, mas é graças a ele que todos sobrevivemos. Aliás, os críticos só conseguem atacar com tanta eficácia o regime usando os largos meios que o mesmo lhes fornece.
Esta é hoje a suprema posição incorrecta, mas quero dizer uma palavra a favor deste nosso horroroso sistema. Não porque é bom, justo ou agradável, mas porque é nosso. Tem muitos defeitos, mas a grande vantagem de existir.

João César das Neves


A fronteira da pobreza

Há anos que os sinais da evolução do Estado português para a condição de Estado exíguo, isto é, com uma relação deficitária entre recursos e objectivos imperativos da governação, cresciam de aviso e de significado. Nesta data, em que a invocação da soberania repetidamente aflora como defesa contra as consequências das debilidades, e para impedir a erosão da igual dignidade na comunidade internacional, a circunstância de que sem capacidades não existe real estatuto internacional igual, implica assumir o dever da solidariedade de todas as forças políticas para que, adoptando uma plataforma comum, reponham a confiança da população e tornem aceitáveis, com determinação, os sacrifícios exigíveis, remetendo para outro plano de intervenção constitucional a averiguação e imputação de culpas, de imprevisão, de falta de autenticidade, e de má governança.
A restauração do valor da confiança na relação global do Estado com a sociedade civil continua a ser a maior exigência no sentido de conseguir a mobilização das vontades dos cidadãos para que não se agravem nem as carências nem os temores, estes piorados pelo diálogo tantas vezes mais descredibilizante dos adversários do que esclarecedor das circunstâncias. Não parece de ignorar que por todo o Ocidente, e portanto também pela Europa, a debilidade das lideranças é evidente e preocupante, que a sociedade civil europeia mostra em vários lugares a insatisfação, agravando os medos, por uma desobediência civil violadora de todas as regras do civismo responsável.
Tardam a aparecer as vozes renovadoras e mobilizadoras das solidariedades e das esperanças que deram provas de capacidade quando a devastação da última guerra exigiu enfrentar um desastre sem comparação com a crise actual, vozes que não eram as dos responsáveis pelo cataclismo, era uma nova geração de cidadãos que não rejeitava os cargos políticos, as dificuldades, nem as definições de novos futuros. A questão do Estado social ameaça desenvolver-se ao contrário desta exigência, quando a sua principiologia é indicativa e não imperativa, vem na Carta dos Direitos Humanos e diplomas complementares da ONU, e está plasmada nos assumidos Objectivos do Milénio, dos quais a ONU não desiste embora lute pelos meios que escasseiam. Não pode exigir-se o seu desenvolvimento quando os meios, mas não a vontade, evidentemente faltam, mas renunciar aos princípios é como que deitar fora a esperança, sem a qual enfraquece a determinação cívica. A sociedade civil tem o dever e o poder de abrir caminho a uma nova geração de responsáveis, de mobilizar o civismo dos melhores para não recusarem os cargos políticos, e não ficar submetida a um dogma de enquadramento partidário inviolável que não vigora nos Estados parceiros da União. Porque, se a situação conhecida é grave, a prospectiva não é animadora de uma melhoria próxima, nem o futuro das próximas gerações lhes pode ser anunciado fácil. Mas sem a reposição da confiança na relação entre a sociedade civil e o Estado, em todas as vertentes da soberania e da administração autónoma ou não autónoma, é difícil que a decisão de os melhores ficarem não seja ultrapassada pela vontade crescente de partirem em busca de outro futuro e segurança.
A regra de que o subdesenvolvimento tem a sua mais grave expressão no facto de a sociedade precisar do técnico, ter o técnico, e não ter emprego para o técnico, parece animar a emigração dos quadros. Numa circunstância em que a fronteira da pobreza, que, durante o século passado, o PNUD desenhava excluindo a cidade planetária do Norte, abundante, afluente, e consumista, está a deslocar-se para o Norte do Mediterrâneo, onde não abundam as vozes que assumam responsabilidades pelo desastre do globalismo económico e financeiro sem governança, e o aparecimento de responsáveis da nova geração, determinados, competentes, e desassombrados, que não esqueçam os imperativos do humanismo, tarda a verificar-se. A sociedade civil tem o dever de tentar abrir caminho a uma nova geração de responsáveis, que coloque um ponto final na decadência dos ocidentais.

Adriano Moreira

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Prostitutas com coletes reflectores

Na Catalunha, as prostitutas que oferecem os seus serviços nas bermas da estrada estão obrigadas a usar coletes reflectores sob pena duma multa de 40 euros, ainda que o presidente da autarquia tenha em curso uma campanha contra a prostituição. Pelo menos assim elas ficam mais visíveis.

Alunos drogados em Ronfe

Em Ronfe, Guimarães, cinco putos de 13 a 15 anos apareceram na escola EB 2,3 Abel Salazar, sob efeito de haxixe, facto que deixou a comunidade educativa "extremamente apreensiva".
"Há aqui indivíduos que andam a distribuir droga às crianças no sentido de as viciarem e eu já disse isso várias vezes às autoridades", disse José Castro Dias, presidente da Junta de Freguesia de Brito. "As forças policiais devem empenhar-se mais no combate à droga, que está a tornar-se um enorme flagelo nesta região", acrescentou.
Mas isso é alguma novidade nos dias de hoje, pergunto eu?

Portugal é o 32º país mais corrupto do mundo

É nisso que somos bons. No que é mau Portugal costuma figurar nos primeiros lugares, portanto não é de admirar que o país seja um dos países ocidentais em pior posição.
Portugal ocupa actualmente o 32º lugar, segundo o ranking anual sobre a percepção da corrupção da organização não-governamental Transparency International. No primeiro lugar do ranking encontram-se Dinamarca, Nova Zelândia e Singapura. Do extremo oposto encontram-se, em penútimo lugar Myanmar e Afeganistão, e em último a Somália. Em termos europeus, Portugal está em 19º, à frente da Itália, da Grécia, da Malta e dos ex-países soviéticos.
Cambada de corruptos...

"Heróis de Berna" dopados?


Um estudo universitário denominado "Dopagem na Alemanha" financiado pelo Comité Olímpico Alemão concluiu que os jogadores da selecção alemã que derrotaram na final do campeonato do mundo de futebol de 1954 a poderosa equipa da Hungria, onde pontificava Ferenc Puskas, foram dopados várias vezes com Pervitin, ou "speed", que é uma metanfetamina com fortes efeitos estimulantes, e que os jogadores pensavam tratar-se de injecções de vitamina C. A mesma droga, apelidada de "droga maravilha" na década anterior, foi usada para fins militares nos tempos de Hitler numa tentativa de transformar os militares em "super soldados".

Andrades firmes no 1º lugar


Os corruptos do Porto cilindraram o colosso União de Leiria no Estádio do Ladrão, no Porto, por 5-1. Depois de Villas Boas ter dito que os Andrades têm de ser campeões, ou ele é despedido, e de o treinador leiriense, de nome Caixinha, ter facilitado e muito a tarefa aos do norte ao prescindir de muitos habituais titulares e tendo a sua equipa cometido apenas a sua primeira falta aos 22' (!!), anormal seria os cromos do Hulk e o Falcão não conseguirem marcar dois golos cada.
O presidente do União de Leiria é mais um lacaio dos corruptos. Espero bem que os benfiquistas, caso ainda estejam a ponderar, desistam definitivamente de ir assistir o jogo ao estádio do União de Leiria quando o Benfica para lá for jogar. Os chulos que desapareçam de vez.
E, pronto, a vitória portista sobre os leirienses foi apenas mais uma prova cabal de que este campeonato já há muito que está encomendado. Quando é que a justiça será feita?

Morreu o polvo Paul

Morreu hoje o famoso polvo vidente do Mundial de 2010, Paul, que previu a vitória da Espanha. A equipa da Sea Life Centre Oberhausen disse em comunicado que estava "devastada" ao saber da morte de Paul.
"Parece que ele morreu pacificamente durante a noite, de causas naturais, e nós estamos consolados por saber que ele viveu uma boa vida", disse o gerente do centro Stefan Porwoll.
O cefalópode tinha a bonita idade de dois anos e meio.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Portugal tem o 3º menor crescimento da década no mundo

A escumalha da foto que a maioria dos votantes elegeu é responsável pelo facto de Portugal ter o terceiro menor crescimento económico na última década (6,47%). Atrás de Portugal só a Itália (2,43%) e o Haiti (-2,39%), nuna lista de 180 países publicado pelo El País baseado em dados do FMI.
Perante isto, o melhor é continuarem todos a falar mal do Salazar e da ditadura...

Multa por causa dos decotes e dos palavrões

Numa cidade costeira da província italiana de Nápoles, Castellammare di Stabia, vota-se esta segunda-feira um novo regulamento da Polícia Municipal que prevê multas até 5000 euros a quem usar vestidos demasiado decotados ou mini-saias excessivamente curtas. O novo regulamento dá pelo nome "decálogo de boas maneiras" e visa punir também quem fale palavrões em lugares públicos.
Como era de esperar, as pessoas da cidade não podiam ficar de braços cruzados. As mulheres do Partido Democrata, considerando as normas como sendo "ofensivas para a integridade da mulher" (serão essas normas mesmo "ofensivas para a integridade da mulher"?), lá trataram de se manifestar contra o projecto...

Crise leva ao abandono das consultas anti-tabaco

Há menos portugueses a procurar ajuda para deixar de fumar, alertam os especialistas. A culpa é da crise e os médicos defendem que os medicamentos deveriam ser comparticipados para evitar desistências.
Como é que é? Comparticipação para que os fumadores deixem a merda do vício? Não tivessem nunca começado a fumar, pá! Não têm dinheiro para as consultas, mas para comprarem a merda do tabaco (só para não falar das drogas) já têm? Mas está tudo parvo ou quê?

O diabo num 2º andar?

Em La Verrière, nos arredores de Paris, 11 pessoas atiraram-se da janela dum segundo andar cheias de medo após terem visto uma figura que julgavam ser o diabo!
Segundo as investigações, estavam 13 pessoas a ver televisão quando, por volta das três da manhã, um dos ocupantes do apartamento ouviu o filho a chorar. O pai do bebé, totalmente nu e ensonado, levantou-se para lhe preparar o biberão mas a mulher ao vê-lo terá gritado "é o diabo, é o diabo!" e gerou-se o pânico. A cunhada do homem feriu-o na mão com uma faca e expulsou-o do apartamento. Quando ele tentou entrar novamente em casa, 11 ocupantes da casa, com medo do diabo, atiraram-se da janela, resultando em sete feridos e na morte dum bebé de quatro meses.
A polícia concluiu que não foi realizada nenhuma sessão espírita nem foi encontrada nenhuma substância alucinogénica.

PSV Eindhoven deu 10-0!


O PSV Eindhoven cilindrou, por números inesperados, o Feyenoord de Roterdão: 10-0! Foi a pior derrota de sempre do clube da banheira de De Kuip, superando os 2-8 frente ao Ajax de Amesterdão em 1983.
O brasileiro Jonathan Reis fez um hat-trick. Affelay, Toivonen, Lens, Dzsudszak (estes dois últimos com dois golos cada) e Engelaar apontaram os restantes tentos.
O treinador do Feyenoord, Mario Been, recebeu, no entanto, um voto de confiança da direcção do clube.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Benfica vence no Algarve


O Benfica superou o teste algarvio ao vencer o Portimonense, no Estádio do Algarve, por 1-0, golo marcado por Javi García no início da segunda parte, aos 48', isolando-se no segundo lugar no campeonato. Para o campeonato é a quarta vitória consecutiva e o quarto jogo sem sofrer golos.
O Portimonense nunca tinha ganho ao Benfica e assim continua. O Benfica podia ter goleado, mas o guarda-redes Ventura não permitiu. Roberto uma vez mais esteve seguro na baliza, mas mesmo assim o Benfica não deixou de sofrer até ao fim da partida. Onde será que já vi esse filme?

Voltei

Voltei.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Volto domingo

Amanhã saio daqui e só volto domingo. Um bem-haja!

Brasileiras ilegais na boîte de Reinaldo Teles?

Reinaldo Teles, vice-presidente do FC Porto, foi apanhado no meio duma rusga da PSP e do SEF à casa de alterne Taverna do Infante, na madrugada de sábado. As autoridades encontraram nove brasileiras em situação ilegal escondidas numa arca congeladora, tendo sido detidas cinco. Reinaldo Teles assumiu ser responsável pela Taverna do Infante.
Não era suposto ser a ASAE a fazer a rusga para averiguar a qualidade e o estado de conservação da fruta?

A galáxia mais longínqua até hoje observada


É um novo recorde para os astrónomos. A galáxia UDFy-38135539 já existia quando o universo tinha pouco menos de 600 milhões de anos.

Um grupo internacional de astrónomos descobriu a galáxia mais longínqua (e, portanto, mais antiga) até hoje observada a partir da Terra. A UDFy-38135539, como foi designada pelos seus descobridores, é hoje apresentada ao mundo nas páginas da revista Nature.
A galáxia em causa, que os investigadores calculam que contenha mil milhões de estrelas, formou-se quando o universo tinha pouco menos de 600 milhões de anos. Ou seja, na sua primeira infância, já que a idade estimada do universo, desde o Big Bang, é de 13,7 mil milhões de anos. Nunca se tinha observado um objecto tão longínquo ou antigo como este.
A equipa, coordenada pelo astrofísico Mathew Lehnert, do Observatório de Paris, utilizou os Very Large Telescopes (VLT) do European Southern Observatory (ESO) instalados no deserto de Atacama, no Chile, para analisar a luz da galáxia que tinha sido detectada pelo Hubble e assim determinar a sua idade exacta. Os investigadores fizeram isso utilizando o espectrógrafo Sinfoni, do VLT, que tem uma precisão sem precedentes, segundo os investigadores.
Com o universo a expandir-se, as galáxias vão-se afastando umas das outras e as ondas de luz que elas emitem tornam-se mais longas. É este desvio para o vermelho, como lhe chamam os astrónomos, que serve de escala para medir a distância da viagem percorrida por essa luz: quanto maior é o desvio para o vermelho, mais longínquo está o objecto.
No caso da UDFy-38135539, os astrónomos observaram-na ao longo de 16 horas e constataram que o característico registo espectrográfico do hidrogénio, que é utilizado nestas medições, chegava com um desvio recorde de 8,6. O recorde anteriormente registado era de 8,2.
A conclusão era óbvia. "É o objecto mais longínquo do universo até hoje observado", afirma Mathew Lehnert, sublinhando que ele esta a ser observado "quando o Universo tinha menos de 600 milhões de anos".
Esta é uma das cinco galáxias muito antigas detectadas pelo Hubble que a equipa está estudar com o Sinfoni dos te-lescópios VLT, para determinar a sua idade com muita precisão. O estudo desta primeira foi um tiro certeiro no alvo, uma vez que estabelece um novo recorde.
Este recuo no tempo e no espaço pretende esclarecer como apareceram as primeiras galáxias no universo. As primeiras estrelas acenderam-se no espaço cerca de 400 milhões de anos depois do Big Bang.


Fonte: DN

Chefe de polícia aos 20 anos

A chavala da foto, Marisol Valles García, estudante mexicana de criminologia de 20 aninhos, é a nova chefe de polícia de Valle de Juárez, uma das cidades mais perigosas mexicanas que fica próxima da fronteira com os Estados Unidos e que é, desde há três anos, disputada pelos cartéis de droga do México.
Marisol chefia uma força de 13 agentes, nove das quais mulheres, com apenas um carro-patrulha, três espingardas automáticas e uma pistola. O trabalho dela é controlar as rotas dos cartéis de droga. Tem também a seu cargo a supervisão do policiamento da cidade de El Porvenir porque o responsável foi morto em Ciudad Juárez durante o fim-de-semana. Desde 2008 morreram 7000 pessoas dentro e nas imediações de Ciudad Juárez.
"Aqui toda a gente tem medo, todos sentimos medo, mas vamos trocar esse medo por segurança", disse Marisol, esperançada numa cruzada contra o medo. Mulher valente e ainda tão nova...

Pelé faz 70 anos

Edson Arantes de Nascimento, mundialmente conhecido por Pelé, faz sábado 70 anos de vida. Aquele que é tido como o rei do futebol por muitos - o maior, segundo a FIFA - acumulou títulos colectivos, títulos individuais e golos como mais ninguém.
Parabéns, Pelé!

Morreram os bebés siameses angolanos

Os bebés siameses angolanos Luís e Bernardo, que viajaram para Portugal na esperança de serem separados, faleceram hoje durante o voo de regresso a Luanda vítimas de paragem cardíaca.
Os bebés estiveram internados no Hospital D. Estefânia, em Lisboa, onde foi declarado a impossibilidade de separação por possuírem um coração e um fígado em comum depois de, em Luanda, os exames feitos terem apontado para a existência de corações e fígados independentes, havendo dúvidas quanto aos intestinos.
O funeral dos bebés, filhos de pais camponeses, será feito em Sumbe, a capital do Kwanza Sul. Paz às suas almas.

Disciplina islâmica

Os Emirados Árabes Unidos são considerados um dos países islâmicos mais liberais do Golfo Pérsico onde, ao contrário da Arábia Saudita, as mulheres podem conduzir sem ter um homem ao seu lado, mas o islão continua a ter uma forte presença no direito do país. Um homem pode bater nas mulheres e nas crianças "desde que não deixe marcas no corpo", deliberou o Supremo Tribunal Federal do país a propósito dum homem que agrediu a sua mulher e a sua filha de 23 anos. Segundo o código islâmico, "a disciplina" é permitida se não forem deixadas marcas no corpo.
Aos amigos dos muçulmanos: ainda querem falar de respeito e liberdade religiosa para com os muçulmanos? Não acabem com a imigração islâmica, não.

Benfica volta a perder


O Benfica voltou a perder na Liga dos Campeões e uma vez mais por 2-0.
Em Lyon, o Olympique local ganhou o jogo com golos apontados por Briand e o ex-portista Lisandro Lopez, um em cada parte. Gaitán foi bem e infantilmente expulso, prejudicando a equipa que só conseguiu mostrar algum futebol de jeito já perto do fim do jogo, tendo feito ao longo de jogo muitos passes errados e cometido demasiados erros que em alta competição são sempre fatais. O Lyon tem o pleno com três vitórias em três jogos, ainda que no campeonato francês não esteja grande coisa.
No outro jogo do grupo B o Shalke 04, que também não está a fazer um grande campeonato alemão, venceu o lanterna vermelha e outsider Hapoel Tel-Aviv por 3-1. O Lyon lidera o grupo com 9 pontos, Shalke 04 tem 6, o Benfica tem 3 e o Hapoel continua a zeros.
Como eu sempre disse, o melhor para o Benfica, que pelos vistos ontem se juntou à greve que está a decorrer em França (não fez remates e cometeu demasiados erros), é ser relegado para a Liga Europa. Sempre é uma competição mais acessível que a liga dos milhões...

Descoberta variação genética contra alcoolismo

Investigadores norte-americanos descobriram uma variação genética, do gene CYP2E1, que está ligada à reacção do álcool, abrindo caminho para tratamentos preventivos.
"Nós encontrámos um gene que protege contra o alcoolismo e, além disso, tem um efeito muito poderoso", disse Kirk Wilhelmsen, professor de Genética na Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, e principal autor do estudo, publicado na revista Alcoholism: Clinical and Experimental Research.
O gene CYP2E1 há muito que intriga os investigadores, uma vez que actua no cérebro ao invés do fígado e permite a produção de uma enzima capaz de metabolizar o álcool. Segundo o estudo realizado, grande parte do álcool consumido é metabolizado por outra enzima chamada desidrogenase activa no fígado.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Neto do rei saudita enfrenta perpétua

O príncipe saudita Saud Abdulaziz bin Nasser al Saud, neto do rei da Arábia Saudita e membro duma das mais poderosas dinastias do mundo, foi ontem condenado num tribunal do Reino Unido por ter assassinado o seu assistente e amante, Bandar Abdulzaziz, de 32 anos, num hotel de 5 estrelas no centro de Londres. Bandar foi encontrado morto numa suite do hotel em Fevereiro depois de ambos terem saído à noite para comemorarem o dia de S. Valentim. Em tribunal o príncipe negou ser paneleiro, afirmando ter uma namorada saudita, mas ele encontrou-se com pelo menos dois acompanhantes masculinos em Londres e tinha registos de dezenas de sites gays no seu computador.
Sendo ele neto do rei saudita, vale a pena acompanhar o caso para saber se ele sempre vai ser justamente condenado ou não.

Real Madrid vence o jogo grande da jornada europeia


O Real Madrid venceu o grande jogo do grupo H, e também da jornada europeia, ao bater o AC Milan por 2-0 no Santiago Bernabéu.
No estádio estiveram nada mais, nada menos, que dez intervenientes portugueses: a equipa de arbitragem chefiada por Pedro Proença (incluindo o quarto árbitro e os dois árbitros de baliza), José Mourinho, Cristiano Ronaldo, Ricardo Carvalho e Pepe. Cristiano Ronaldo fez o primeiro golo da partida de livre e um minuto depois, aos 14', o alemão de origem turca Mezut Özil fechou a contagem, naquele que foi o jogo entre os dois clubes mais campeões da Europa.
Cuidado com este Real Madrid, para mim um grande favorito à conquista da Liga dos Campeões.

Primeira vitória do Sporting de Braga na Champions


O Sporting de Braga logrou finalmente vencer o seu primeiro jogo na sua estreia na fase regular da Liga dos Campeões, reacendendo-se a esperança bracarense de continuar em prova ou, quanto muito, conquistar o direito de participar na Liga Europa, a bem do ranking nacional. Os brasileiros Lima e Matheus foram os marcadores dos golos e agora na próxima jornada os bracarenses visitarão o inferno de Belgrado: “O Sp. Braga pode contar em Belgrado com um ambiente infernal”, disse Moreira, internacional português nascido em Bissau e actualmente a representar os sérvios do Partizan.

Opiniões DN

A China joga xadrez global para comer peças e não só

Imagine um bispo a fazer xeque ao rei. Foi aquilo que aconteceu quando os australianos da BHP Billiton tentaram uma aquisição hostil da Potash, a empresa canadiana que é o gigante mundial dos fertilizantes. Bons conhecedores do xadrez - disputam com os indianos a invenção -, os chineses moveram de imediato uma peça importante, diga-se uma torre, e puseram a Sinochem a intrometer-se no negócio, avaliado em 39 mil milhões de dólares.
É que senhores de uma inegável visão estratégica, os governantes de Pequim olham cada vez mais para o mundo como um imenso tabuleiro, atentos à mínima jogada, antecipando todas as possíveis e imaginárias. A um país que tem 20% da população do planeta mas só 7% das terras aráveis nunca passará despercebido um negócio que mexa com fertilizantes. Pôr a Sinochem em movimento ainda por cima é fácil: não foi preciso convencer os accionistas, trata-se de uma empresa estatal.
A última grande fome na China aconteceu de 1958 a 1962 e causou entre 15 milhões e 40 milhões de mortes. Para um país cuja fundação remonta ao século II a.C., trata-se de um episódio da actualidade. E o regime chinês tem-no tão presente na memória quanto nessa época, sob a liderança de Mao Tsé-tung, já eram os comunistas que governavam. Ao que parece, Mao preferia jogar go, um jogo de estratégia tão antigo como o xadrez, mas isso não explica como um génio da guerrilha se tornou tão fraco a mexer os cordelinhos da governação. Bem mais competentes, os líderes chineses de hoje mexem com mestria todas as peças. Fizeram da economia a sua rainha e a cada sete/oito anos conseguem duplicar o nível de vida da população. Mas mesmo beneficiando de o jogo ser cada vez mais global não querem arriscar ficar dependentes do estrangeiro. Sobretudo para comer. Ainda há pouco, uma vaga de incêndios na Rússia, seguida de uma proibição oficial de exportação, privou os mercados internacionais de vários milhões de toneladas de cereais. Atento, o regime de Pequim não quer correr quaisquer riscos e usa todas as peças para construir uma espécie de nova muralha que proteja a sua prosperidade.
Hu Jintao, o Presidente chinês, recebeu no ano passado um tabuleiro de go das mãos de Barack Obama, numa visita do americano a Pequim, mas nem isso o desvia do essencial - manter os seus peões seguros, afinal representam 1300 milhões de pessoas. E se a fome de há 50 anos ainda não foi esquecida, o mesmo se passa com outros grandes acontecimentos da história chinesa. Um estudo da Academia de Ciências da China, publicado no Verão, estabelecia uma relação estreita entre o clima e as guerras nos últimos dois mil anos. Mas mais que o frio, aquilo que gerou sempre revoltas populares, insurreições armadas e quedas de dinastias foram as fomes derivadas dos péssimos anos agrícolas. Muitos imperadores pagaram caro não ter conseguido alimentar os seus súbditos. Hu, mesmo não sendo imperador nem rei, aprendeu há muito como se evita um xeque-mate. E se já existem no xadrez as aberturas inglesa e italiana, porque não inventar uma abertura canadiana?

Leonídio Paulo Ferreira


As maravilhas naturais de Portugal

Uma coisa é a miséria, outra coisa é o miserabilismo. Durante uma semana, o "portal" governamental Base rivalizou em visitantes com as mais populares páginas eróticas. Obviamente, não foi por exibir os membros do Executivo em pelota. O que aparecia despido no Base eram os gastos das entidades públicas em eventos "oficiais", o tipo de informação que excita jornalistas, bloggers impertinentes, políticos da oposição e anónimos ressentidos.
O sucesso do Base, entretanto rasurado a bem do pudor, é igualmente o reflexo do nosso provincianismo ou de uma "visão simplória", para usar a expressão de um vulto do governo regional dos Açores, que consumiu (o governo, não o vulto) 196 mil euros em festa com bar aberto numa discoteca de Lisboa. O facto de se encontrar na penúria não implica que o Estado desça à indignidade. Uma farra com bebidas a expensas de cada um não seria uma farra, mas uma manifestação de sovinice e uma vergonha.
E o mesmo acontece com os restantes "excessos" que despertam os queixumes de certa plebe. A plebe considera excessivo que, por exemplo, a Autoridade Nacional de Comunicações invista 150 mil euros no seu 20.º aniversário, embora não explique como é possível cantar-se decentemente o Parabéns a Você sem convites requintados (12 mil euros), uma organização capaz (60 mil euros), um espaço decente (75 mil euros) e um vídeo encomendado às irreverentes Produções Fictícias (8 mil euros). A plebe também não explica como se realiza o importantíssimo espectáculo que consagrou as Maravilhas Naturais de Portugal por menos de 1,55 milhões de euros.
Talvez o principal alvo da referida visão simplória tenha sido a celebração dos 160 anos da Direcção-Geral das Contribuições e Impostos. Condenar uma instituição assim vetusta por, entre diversos e essenciais festejos (220 mil euros), se aliviar de meros 73 mil euros num repasto (fora deslocações e estadias dos comensais) é demagogia barata. Tão barata quanto o repasto, o qual, segundo li, juntou 900 pessoas. A aritmética básica prova que o jantar saiu pela ninharia de 81 euros e uns trocos por cabeça. E que, dividida pelos milhões de contribuintes que a DGCI delicadamente serve, a conta não pesou a ninguém.
É tempo de dizer basta. Aos resmungos e às invejas, claro. Se começarmos a vasculhar o sector público e a questionar a legitimidade de simples patuscadas, acabaremos a questionar os aumentos de salários a gestores exímios, as nomeações repentinas de excelentes assessores e compinchas para cargos de chefia, o endividamento das esforçadas autarquias, as honradas empresas municipais, as frotas automóveis e até os 63 mil euros de arranjos florais de que o primeiro-ministro, compreensivelmente, não abdica. Por outras palavras, acabaremos a questionar a essência do Estado.
É o velho problema da mudança de mentalidades. Não chega que os portugueses comuns aceitem um Orçamento de rigor unilateral e se sacrifiquem pelos seus representantes: é fundamental que, um belo dia, o façam com gosto ou, no jargão corrente, com sentido de responsabilidade. Quando esse dia vier, haverá motivo para comemorações e, suspeito, farta jantarada, com serviço de catering, lista restrita e despesa não. O Estado somos todos, ainda que apenas alguns se divirtam.

Quarta-feira, 13 de Outubro
No topo do mundo

Em matéria de datas históricas, já tínhamos o 25 de Abril, o 10 de Junho, o 5 de Outubro e o 1 de Dezembro. De futuro, teremos também o 1 de Janeiro, momento em que, a partir de 2011, Portugal volta a ser membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas. O eng. Sócrates garantiu que a eleição "marca o nosso prestígio" e "aumenta a nossa auto-estima". Tivesse eu tempo e teceria dois ou três elogios à retórica do primeiro-ministro, de uma sofisticação só ao alcance dos eleitos (nos dois sentidos da palavra). Porém, não tenho tempo. Estou demasiado ocupado a festejar, com foguetes e champanhe, o fulgurante regresso do país à elite internacional.
Agora não restam dúvidas. Agora, resta aos bota-abaixistas (outra belíssima expressão celebrizada pelo eng. Sócrates) resignarem-se à evidência da nossa colectiva grandeza. Agora, sentimo-nos de pleno direito ao lado de nações com o peso do Gabão, da Nigéria, da Bósnia-Herzegovina, da África do Sul, do Líbano e, não fora terminar o seu mandato no final do corrente ano, do Uganda. Eu, pelo menos, sinto-me insuflado do prestígio de um gabonês e da auto-estima de um bósnio. E espero que cada português partilhe o doce sentimento.
Os bota-abaixistas não compreendem como é que a candidatura portuguesa venceu a canadiana. O Canadá não é maior? É, mas só em tamanho. Aparentemente, nós somos melhores, mais influentes, mais prósperos e mais relevantes. Foi por isso que ganhámos. E não, como sugerem os bota-abaixistas, porque o actual governo canadiano prefere a democracia israelita às ditaduras vizinhas. Já o equivalente português, prosseguem os bota-abaixistas, mandou o secretário dos Negócios Estrangeiros beijar prolongadamente a mão de cada representante da Organização da Conferência Islâmica e jurar simpatia pela solução árabe para a paz no Médio Oriente, leia-se o recuo de Israel para as fronteiras anteriores a 1967 ou, de preferência, o seu extermínio.
Acreditar nestes dislates significa acreditar em tudo: que a ONU é coutada de um curioso bando e que o governo português, além de estrafegar a economia cá dentro, anda lá fora a bajular tiranias e terroristas de modo a obter medalhas de lata. Ou seja, é preciso acreditar que a ONU é uma anedota e o governo português uma vergonha. O que é, evidentemente, um absurdo. Ou dois.

Quinta-feira, 14 de Outubro
A alegoria da caverna

A crítica à pornografia sentimental fica ao cuidado de outros. Com a casa em obras e os aparelhos eléctricos limitados a um micro-ondas, não vi um instante da maratona televisiva dedicada ao resgate dos mineiros chilenos. Pelo que li na imprensa, não custa imaginar que a histeria roçasse o indigesto, agravada em Portugal pelo dúbio consolo de se assistir a gente metida num buraco ainda mais fundo do que o nosso. Mas também não custa preterir considerações "éticas" em favor da vida humana. E, descontado o folclore, o que de realmente relevante aconteceu no Chile consistiu no salvamento de 33 vidas quase condenadas à partida. Com a excitação, houve quem falasse em "milagre".
E houve quem, com calma, explicasse o "milagre" através de uma realidade prosaica: o capitalismo. É o caso de Daniel Henninger, director adjunto do Wall Street Journal. A tese de Henninger é simples. Há 25 anos, nenhum daqueles mineiros, em nenhum lugar da Terra, teria sobrevivido. A diferença está em um quarto de século de progresso tecnológico e na perfuradora da Center Rock Inc., uma pequenina empresa privada da Pensilvânia que ofereceu os seus serviços às autoridades chilenas e que estas, pasmadas ante a geringonça mecânica, aceitaram. O resultado é o que agora se conhece.
Menos conhecido é o papel no processo da Center Rock, que obviamente não inventou a tal perfuradora com o intuito de realizar trabalho benemérito. O objectivo era, e continua a ser, o lucro. Repito: o lucro. É verdade que, diariamente, nos media, nas escolas, no parlamento, nos cafés e nos táxis, especialistas erguem o dedinho e ensinam que o lucro é a raiz de todos os males. É igualmente verdade que apenas os tontos engolem a prédica.
Sem o apetite pelo lucro, e sem uma economia aberta que alimente esse apetite e recompense a inovação e o risco, os mineiros estariam mortos. Dado que não estão, devem-no a uma máquina que não foi criada em Cuba, na China ou sequer no Chile: foi criada, assaz naturalmente, na América, a exacta América cujo actual presidente, lembra Henninger, costuma ridicularizar a "fé cega" no mercado livre. Por contraponto, presume-se, à cegueira dos crentes na fé oposta, a qual raramente salva alguém e aniquila muitos.

Um caso

O mistério Pedro Passos Coelho adensa-se. Ao contrário do que sempre insinuou e conforme toda a gente sempre soube, o PSD vai viabilizar o orçamento. Porquê? Porque embora o ache terrível, escuta as vozes responsáveis da pátria e supõe que as consequências de um veto condenariam o país. Engraçado. Em Maio, o dr. Passos Coelho subscreveu um PEC que achava atroz por supor que as consequências de um veto condenariam o país. O PEC, coxo e mentiroso, passou e tramou-nos. O orçamento, inútil e desleal, vai passar e continuar a tramar-nos, agora talvez de modo irreversível. Se o dr. Passos Coelho se move em prol do "interesse nacional", é notável que consiga prejudicá-lo a cada gesto. Se tudo se resume a uma estratégia pessoal, os resultados são ainda piores, visto que, à custa de inacreditáveis trapalhadas, hoje o homem surge aos olhos de parte do eleitorado como o principal culpado da inépcia e da fraude cometidas pelos seus rivais em teoria. Na prática, o dr. Passos Coelho é um caso, tão perdido quanto a paciência que dedicamos a tentar entendê-lo.

Alberto Gonçalves


Os mercados não são parvos

É patético Portugal viver obcecado por uma entidade abstracta e longínqua, os mercados internacionais. O busílis da política nacional é: se o Parlamento reprova o Orçamento, será que os credores se zangam? Os níveis asfixiantes da dívida põem-nos a adivinhar eflúvios da finança mundial, contemplando ânsias e caprichos dessa fluída personalidade planetária, que aliás supinamente desprezamos.
Ninguém domina os movimentos de milhões de credores. A teoria económica explica a razão lógica porque os mercados são imprevisíveis. Mas, por muitos defeitos que tenham, uma coisa é certa: não são estúpidos. As nossas medidas ambíguas, joguinhos de imagem, discursos comoventes e intrigas palacianas não os impressionam.
No passado dia 29 o senhor primeiro-ministro veio à televisão dizer compungido que o País precisava de forte austeridade. Desde então multiplica-se em justificações por todos os canais. Mas o Orçamento do Estado para 2010 foi aprovado apenas a 12 de Março. Bastaram seis meses para o Governo confirmar que perdeu o controlo da situação. A crise, álibi há dois anos, pouco tem a ver com isto. Não só tem sido menos grave do que se temia, como afecta todos os países e todos lidam com ela sem as nossas piruetas. Qualquer pessoa sensata sabia que o Orçamento de Março era supinamente desadequado. O que nenhuma pessoa séria podia era prever o grau de descontrolo destes meses.
A verdade é que José Sócrates, que há um ano afirmou "Está para nascer um primeiro-ministro que faça melhor no défice do que eu" (agência Lusa, 22.07.09), nunca compreendeu realmente a questão orçamental. Preocupa-se com ela, fala nela repetidamente, mas não entende a sua natureza. Por isso ela vem sempre assombrar-lhe a governação, apesar dos repetidos e apregoados sucessos do estadista.
A despesa pública não é uma montanha, que precise de terraplanagem a golpes de IVA. É um vulcão que explode tanto mais quanto mais impostos lhe atiram para cima. Não vale a pena cortar-lhe um pedaço, como este Orçamento de 2011 pretende, porque o mal não está no nível mas na tendência imparável. Este é o monstro que fez fugir Guterres e Barroso e que Sócrates jurou vencer em 2005. Para isso viu-se forçado a violar logo a solene promessa eleitoral de não aumentar impostos. Três anos depois cantou vitória, para o ver regressar no ano seguinte, maior que nunca. Já está na altura de perceber que as cócegas dos planos de austeridade só servem para o acirrar.
Porque todas as propostas apresentadas até hoje, quando não aumentam os impostos, engordando a besta, limitam-se a reduzir gastos sem mexer nas regras que os aceleram. Mesmo com forte descida pontual como esta, ao fim de algum tempo tudo volta ao mesmo. E mais uma vez, apesar das juras de só baixar a despesa, não se resistiu à obsessão de aumentar o IVA.
Não vale a pena continuar a perguntar, como se fez doentiamente estes dias, se as severas medidas anunciadas serão suficientes para resolver o problema. Elas simplesmente não se dirigem ao problema. São meros anestésicos e analgésicos de urgência, que tratam os sintomas enquanto o doente precisa de cirurgia e internamento prolongado. Apesar de estar lá há seis anos, o Governo vem sempre a correr às urgências.
O cancro a operar são os milhões em direitos, regalias, institutos, subsídios e salários, todos justificados, todos blindados na lei e que o País não pode pagar. Mesmo aparados aqui e ali, ressurgem sempre. Os acontecimentos destes meses mostram como os recipientes estão atentos na sua defesa. No próprio dia do anúncio das medidas os polícias estavam na rua por uma questão de promoções. Têm toda a razão. Não há é dinheiro.
O problema é político. Será que quem lidar mesmo com a situação se aguenta no poder? Não é por acaso que, dos países em dificuldades, Portugal foi o último a reagir. Os mercados percebem isto perfeitamente. O Orçamento de 2011 não é a prova que o Governo lida com a situação. São meras juras de drogado, que os credores, que não são parvos, conhecem à distância.

João César das Neves

Orgulho-me do meu País

Recebi o seguinte e-mail dum amigo meu e copiei-o para aqui:

A anedota em que se transformou o nosso País:

- Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode pôr um piercing.

- Um jovem de 18 anos recebe 200 € do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma 236 € depois de toda uma vida do trabalho.

- Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco.

- O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.

- Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.

- Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa é das causas sociais.

- O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e empregados. No Fórum Montijo o WC da Pizza Hut fica a 100mts e não tem local para lavar mãos.

- O governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).

- Nas prisões é distribuído gratuitamente seringas por causa do HIV, mas é proibido consumir droga nas prisões!

- No exame final de 12º ano és apanhado a copiar chumbas o ano, o primeiro-ministro fez o exame de inglês técnico em casa e mandou por fax e é engenheiro.

- Um jovem de 14 mata um adulto, não tem idade para ir a tribunal. Um jovem de 15 leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga, é violência doméstica!

- Uma família a quem a casa ruiu e não tem dinheiro para comprar outra, o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme podem. 6 presos que mataram e violaram idosos vivem numa sela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e associação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.

- Militares que combateram em África a mando do governo da época na defesa de território nacional não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, mas o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no Kosovo, Afeganistão e Iraque.

- Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto do ano que vem, não pagas as finanças a tempo e horas passado um dia já estas a pagar juros.

- Fechas a janela da tua varanda e estas a fazer uma obra ilegal, constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.

- Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos o pões a trabalhar contigo num oficio respeitável, é exploração do trabalho infantil, se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais, a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe!

-Numa farmácia pagas 0.50€ por uma seringa que se usa para dar um medicamento a uma criança. Se fosse drogado, não pagava nada!

Obrigado Portugal. Estamos orgulhosos.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Rapariga violada por gangue de nove

Em Almada, três menores foram atacadas por um gangue de nove indivíduos (pretos?) junto à linha de comboio. Duas conseguiram fugir, mas seis dos agressores conseguiram violar a que não teve a mesma sorte que as outras duas. A vítima só não foi abusada por três dos violadores porque entretanto chegou a PSP que pôs cobro à situação.
Interrogo agora o que é que vai acontecer ao gangue. Aliás, eu até já posso avançar com uma previsão: os gajos vão ser apresentados em tribunal e vão logo ser libertados, prontos para uma nova violação. É a democracia de esquerda com a sua justiça da treta no seu melhor. Para quando uma política forte da direita neste país que precisa de ser salvo? Punição severa para toda essa cambada de animais já!

Hino dos funcionários públicos


Funcionários públicos do Departamento Técnico de Planeamento e Urbanismo da Câmara Municipal de Portimão juntaram-se para cantar o hino dos funcionários públicos "Somos Funcinários Públicos!".
Acho piada às pessoas que parecem gozar com o trabalho que têm, ainda por cima da função pública. Se calhar, no lugar de cantarem, mais lhes valia serem mais competentes e produtivos...

É mesmo ele?

Brian Warner, mais conhecido por Marilyn Manson, apresentou os Scream Awards... sem maquilhagem. Nem parece o gajo...

José Mestre operado

José Mestre, conhecido há vários anos no Rossio e nos Restauradores como o "homem sem rosto" (aqui na foto ao pé do Estádio da Luz), foi operado em Chicago, tendo-lhe sido removido o enorme tumor de 40 centímetros e 5,5 quilos (!!!) depois de quatro cirurgias.
Tudo começou no ano passado quando José Mestre, então com 53 anos, foi convidado pelo canal Discovery para filmar em Londres um documentário sobre o seu problema, o que suscitou o interesse do médico Ian Hutchinson, do Hospital St. Bartholomew, em operá-lo de graça. Inicialmente o ex-homem sem rosto não se mostrava receptivo à cirurgia, por ser um desgraçado de um testemunha de Jeová, tendo acabado por ceder após a insistência da sua irmã Edite Abreu. "Este foi provavelmente o maior tumor jamais retirado e, por isso, foi muito difícil fazê-lo sem deformar o rosto", explicou Ramsen Azizi, um dos cirurgiões que está a tratar do caso.
José Mestre regressará a Portugal daqui a umas semanas e o hospital continuará a apoiar médica e financeiramente a sua família.

Di María rende mais 5 milhões ao Benfica

O Benfica vai receber mais 5 milhões do Real Madrid pela transferência de Di María, uma vez que o argentino foi inscrito em todas as provas em que o clube da capital espanhola está a disputar. Portanto já são 30 milhões de euros que o Benfica arrecadou com o Di María, valor esse que pode ascender aos 36 milhões se o argentino fizer um determinado número de jogos (2 milhões), vencer a liga espanhola (2 milhões) e a Liga dos Campeões (2 milhões).

Nova base aérea da Easy Jet em Lisboa

A instalação duma nova base aérea da EasyJet em Lisboa, que deverá abrir no final de 2011, vai permitir à empresa de vôos low cost lançar mais uma dezena de rotas, anunciou a administradora da empresa Carolyn McCall. São 300 milhões de euros de investimento e a perspectiva de criação de 2000 novos postos de trabalho.
Uma óptima notícia para quem não dispensa viajar mas que não tem muito dinheiro.

129 milhões de euros ainda não reclamados

O maior prémio de sempre do Euromilhões, no valor de 129 milhões de euros, não foi até o momento reclamado.
Segundo o jornal britânico Daily Mirror, a aposta foi feita na cidade de Coventry e o vencedor do prémio tornar-se-á na 589ª pessoa mais rica de Inglaterra, com mais dinheiro que Robbie Williams, David Bowie ou Rod Stewart.