quarta-feira, 16 de Abril de 2014

iPhones de ouro em casamento nigeriano

 
O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, ofereceu iPhones com uma cobertura de ouro de 24 quilates a todos os convidados do casamento da sua filha, Faith Sawke Elizabeth, com o príncipe Osim Godswill Edward, em Abuja, capital nigeriana.
E milhares de nigerianos passam fome... A culpa só pode ser mesmo da colonização europeia...

Acordou a pensar que estava em 2002

 
A brasileira Sabrina Velasco, de 32 anos, acordou depois de dormir e não se lembra dos últimos 11 anos da sua vida. Em Julho de 2013, Sabrina acordou a achar que ainda estava em Maio de 2002, sem recohecer a casa, o marido e os seus três filhos. O problema é que em 2002 Sabrina era casada com outro homem e não filhos nem vivia em casa onde agora vive. Antes de se deitar, quando ainda estava mesmo em 2013, Sabrina sentiu-se indisposta. "A Sabrina que tinha voltado era uma Sabrina completamente diferente da pessoa que eu conhecia", disse o seu marido, Rafael Velasco. "Na minha cabeça estava com 21 anos", disse Sabrina, que perguntava por Vinícius, o seu primeiro marido. "Ela ficou assustadíssima e queria sair de casa", recordou a sua mãe, Doris Campos. Os médicos afirmam que Sabrina estava com amnesia dissociativa. Nesta situação, a pessoa perde a capacidade de recordar momentos da sua vida pessoal, um problema associado a acontecimentos traumáticos ou stressantes que o doente teve de enfrentar. A pessoa pode levar horas, dias ou anos, a regressar ao estado normal. Segundo a psiquiatra Adriana Fizman, na origem da amnésia dissociativa está um "trauma emocional muito intenso, vivido principalmente na infância, adolescência. O stress, a má alimentação, a falta de sono podem desencadear uma doença cardíaca ou ataques de pânico. No caso de Sabrina, fez com que ela adoecesse desta forma". Sabrina confirmou que no passado sofreu um abuso sexual e que passou por algumas perdas violentas. Aos poucos, Sabrina foi recuperando a memória. "Eu dizia ao Rafa: 'Estou a lembrar-me de mim grávida e do nosso casamento.' E fiquei muito emocionada!". O casal teve por isso de começar de novo: "Ele teve de fazer de tudo para eu me apaixonar de novo porque eu não o aceitava de forma alguma". A memória da mulher regressou na totalidade cinco meses depois, a 30 de Dezembro do ano passado. "Comecei o ano de 2014 em 2014", confirmou.

Fabienny Martins, a rapariga do dildo

A jovem brasileira Fabienny Martins decidiu partilhar com a malta no Facebook uma foto do seu guarda-fatos porque lá no Brasil o Outono estava a chegar e era hora de renovar a roupa. Depois de fazer isso, Fabienny virou alvo de chacota, tudo porque na prateleira de cima, para além dos óculos de sol e frascos de perfume estava também um grande dildo (uma picha de borracha/silicone), um instrumento usado para a satisfação sexual. A foto tornou-se viral num instante e surgiram comentários de vários tipos. Fabienny confirmou que o dildo é mesmo dela e que "como qualquer outra, aderi a essa prática para satisfazer os meus prazeres carnais, sou pecadora e pronto!" Ainda assim, os comentários, humorísticos ou contundentes, não pararam, o que levaram a jovem a informar que iria apagar o seu perfil da rede social.
Não sei porque é que algo me dizia que ela só podia mesmo ser brasileira...

O putanheiro do Twitter

 
O britânico Ben James, um produtor de TV de 20 anos e residente em Londres, diz que já foi para a cama com cerca de 200 gajas que ele conheceu através do Twitter no espaço de um ano. A rede social é para ele uma ferramenta para conseguir "sexo fácil". Com mais de 76 mil seguidores no serviço de microblogs, Ben posta diariamente cerca de 20 vezes por dia, escrevendo o que ninguém teria coragem de escrever, "algo engraçado, mordaz, que é replicado centenas de vezes". "Cada vez que alguma coisa que escrevo é duplicada traz-me cerca de 100 novos seguidores, além de algumas celebridades, e isso resulta em diversas mensagens privadas", contou Ben numa entrevista. "As jovens enviam-me centenas de mensagens por dia. Algumas enviam fotos nuas, outras pedem o meu número de telefone e há quem fale directamente em sexo", garantiu. Ben contou também que se relaciona sempre com quatro ou cinco mulheres e quando se cansa delas, parte em busca de outras. "Normalmente, falo com mulheres com quem quero dormir, em vez de fazê-las achar que procuro um relacionamento", acrescentou o jovem que diz ter como mulher ideal a cantora americana Beyoncé.
Pelos vistos o que não falta no Twitter são vacas de duas patas que querem peso...

Guardiola criticado


Apesar de ter levado o Bayern de Munique a reconquistar o campeonato alemão, Pep Guardiola tem sido alvo de críticas depois de duas derrotas consecutivas (0-1 frente ao Augsburgo e 0-3 em casa frente ao Borússia de Dortumnd). O espanhol mostrou-se preocupado com a possibilidade de o Bayern vir a perder a Taça de Alemanha (joga hoje as meias-finais com o Kaiserslautern) e a Liga dos Campeões. "Se jogarmos como nos últimos três jogos não vamos chegar a nenhuma final", alertou. Guardiola garante que aceita perfeitamente as críticas e coloca até o seu lugar à disposição se o clube bávaro não estiver satisfeito com o seu trabalho. "Estou aqui para ajudar, mas se o clube não quiser apertamos a mão e está resolvido. Não tem nenhum problema", afirmou.
O Guardiola pôs o Bayern a jogar bom futebol, mesmo do melhor que há muitos anos já não se via. E o Barcelona que ele orientou foi também o melhor Barcelona de todos os tempos. Esta época o Bayern já garantiu o campeonato em tempo recorde e tem tudo em aberto para conquistar mais títulos. O que é que o Guardiola já perdeu até agora?

Chelsea oferece 225 mil euros semanais para Diego Costa

 
O avançado colchonero brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa, de 25 anos, está a ser alvo da cobiça do Chelsea que está disposto a garantir a sua contratação no próximo Verão com um salário semanal de 185 mil libras, ou seja, 225 mil euros. O goleador, que representou o Sporting de Braga em Portugal, tem ainda mais quatro anos de contrato com o Atlético de Madrid, mas não deve permanecer em Madrid. "É normal que o Chelsea esteja interessado nele. Tem um bom potencial económico. Eto'o já não é novo e Diego Costa pode fazer o seu trabalho. No entanto, agora é nosso jogador", disse o treinador Diego Simeone em declarações ao programa Al primer toque da rádio Onda Cero. "Terá o meu apoio qualquer que seja a sua decisão", frisou o técnico argentino. "É rebelde, o que me agrada, e está destinado a ser diferente. Oxalá não páre o seu crescimento", acrescentou ainda sobre o hispano-brasileiro.
Nos tempos do Eusébio não se ganhava tanto assim. 225 mil euros por semana? Que balúrdio!

terça-feira, 15 de Abril de 2014

Benfica perdeu a UEFA Youth League

 
Os júniores do Benfica perderam na final da 1.ª edição da UEFA Youth League (a Liga dos Campeões da categoria de sub-19) com o Barcelona por 0-3. Os comandados de João Tralhão tiveram várias ocasiões de golo durante a primeira parte, inclusive uma grande penalidade foi desperdiçada, por Romário Baldé, quando estava 1-0 no marcador, golo apontado por Tarín aos 9'. Aos 33', o avançado que possui nacionalidade espanhola e que se chama Munir El Haddady fez o segundo golo e bisou depois aos 89', estabelecendo o resultado final.

 
Apesar da derrota, o presidente do Benfica enviou uma mensagem de esperança e de força aos júniores do clube. "Vocês estão tristes mas quero que saibam que encheram de orgulho o Benfica e os benfiquistas. A Europa ficou a conhecer a nossa qualidade. Têm um futuro cheio de vitórias pela frente", afirmou Luís Filipe Vieira em declarações no site do Benfica. Também o capitão Luisão deu, no Twitter, os "Parabéns a essa garotada" pelo "excelente trabalho e com certeza que todos benfiquistas estão orgulhosos".

 
A fase final da UEFA Youth League realizou-se entre os dias 11 e 14 do corrente em Nyon, na Suíça, e para além do Benfica e do Barcelona contou também com a presença do Real Madrid (que o Benfica derrotou por 4-0) e do Shalke 04 (perdeu 0-1 com o Barça). Pelos vistos também na categoria dos mais jovens a maldição de Béla Guttman vai fazendo efeito...

E o árbitro para o clássico de quarta-feira é o...


... Pedro Proença!!
Porque será que isso não me surpreende minimamente??

As mulheres que têm sexo extraconjugal ou fora do casamento têm que ser enforcadas!

Um dos líderes do Partido Socialista Maharashtra da Índia, Abu Azmi, provocou polémica ao afirmar que todas as mulheres que façam sexo fora ou antes do casamento devem ser enforcadas, inclusive as que forem violadas! "Qualquer mulher, casada ou solteira, deve ser morta caso se deite com um homem, com ou sem consentimento", terá afirmado. O seu filho, candidato ao governo de Mumbai, condenou as suas palavras e pediu desculpa por isso: "Acredito que os violadores deveriam ser enforcados centenas de vezes. Tenho cinco irmãs e todos na minha família pensam o mesmo". Abu Azmi já veio a público dizer que foi mal interpretado.

"Gostava de ter seios mais pequenos"


A actriz e modelo americana Kate Upton, de 21 anos, dona dum brutal par de mamas, disse ao jornal inglês The Sun que gostava de ter um peito menor para poder usar biquínis e camisolas sem sutiã. "Gostava de ter seios mais pequenos todos os dias da minha vida para poder vestir tops sem sutiã ou apostar em biquínis mais pequenos", revelou.
Há as que querem ter mamas maiores e há as que querem ter mamas mais pequenas, enfim, o ser humano nunca está verdadeiramente satisfeito.

A mais jovem candidata às eleições para o PE

A espanhola Rosa Moreno Romero, de 18 anos, é a mais jovem candidata às eleições para o Parlamento Europeu. A jovem estudante e coordenadora da plataforma "Jovens com Soluciona", oriunda de uma família de empresários de Málaga, demonstra ser uma nacionalista espanhola. "Para começar, nunca se é demasiado jovem para servir a Espanha. Como sublinhou recentemente uma dirigente da Frente Nacional (francesa), a realidade é que hoje estamos no cume do nihilismo moderno no qual os homens e as mulheres jovens são em última instância apenas mais uma mercadoria. Nesta sociedade de livre comércio, a realidade afronta-nos todos os dias: o desemprego, a insegurança generalizada, a corrupção da imigração massiva. O conceito de 'progresso' deveria inspirar-se no desenvolvimento social dos avanços tecnológicos. Vemos por desgraça que nem sempre é assim. As pessoas estão a ser submetidas às elites políticas e financeiras para que se comportem como cobaias ao serviço das experiências da engenharia social que estão a ser aplicadas com o claro propósito de reduzir a nossa existência ao cumprimento de objectivos alheios ao progresso social, do enriquecimento dos nossos traços espirituais de identidade e de uma sociedade mais justa, culta e solidária com os de casa. Por conseguinte, por mais que os políticos sejam jovens, o que este país necessita são jovens dentro da política", afirmou Rosa, que é contra a União Europeia por impor às pessoas os seus pressupostos, como obrigar a Espanha a deixar entrar no país quem o povo não quer, a usar o euro e lançar os trabalhadores de uns países contra outros".
Segundo ela, "a União Europeia, como todos os impérios, derrubar-se-á a si própria", pois é um "império amorfo, acéfalo aparentemente", liderado pela Angela Merkel - "é a tirania de uma burocracia apátrida, incontrolada, que se auto-dotou do privilégio de não pagar impostos, pois é o que se pretende supranacional e que gerou, com subliminar legitimação, a alucinada marcha até à integração europeia, os supostos 'Estados Unidos da Europa', uma fantasia custosa, pois duplica organismos, com 'presidente europeu' ou 'ministra de Assuntos Exteriores'. Essa Europa parasitária de Bruxelas é a Anti-Europa, o rapto da Europa por uma burocracia castradora e corrupta, que complica com directivas e que utiliza em seu proveito os ditados absurdos do politicamente correcto para impor uma sociedade multicultural em conflito e que não entra nas urbanizações exclusivas de luxo com segurança privada. (...) É preciso voltar, ou melhor, ir à Europa das pátrias. (...) Uma Europa das pátrias que não pode deixar de fora a Rússia. E uma Europa das pátrias que seja uma zona de comércio livre, sem burocracia, e com controlo rígido das fronteiras de modo a que não haja imigração ilegal e quem vem para destruir a Europa é logo expulso".
Como nacionalista espanhola, Rosa diz que foi educada a ter amor ao seu país, "com todos os seus erros e êxitos históricos. A Espanha tem 1500 anos de convivência em comum e portanto seria bom começar por não reduzir a sua história à Transição de 1978. Sonho com uma Espanha ganhadora, forte, unida, orgulhosa de si mesma, da sua tradição, do seu passado, da sua cultura, do seu património histórico, mas sobretudo creio no carácter invencível dos espanhóis. Um país que pôs um fim às legiões romanas em Numancia, que impediu o islão de conquistar a Europa e que foi o primeiro a fazer frente ao comunismo está destinado a ter um papel na história diferente do que actualmente lhe foi dado. (...) A Espanha tem de recuperar a sua tradição unitária, com descentralização autêntica, saindo do pesadelo das autonomias. (...) Logo a Espanha tem de olhar preferencialmente para Portugal, em busca duma fraternal unidade perdida, e liderar uma hispano-América ou ibero-América que a deve ajudar a sair dessa brincadeira ridícula e desfasada do socialismo do século XXI".
Por fim, falou da fé cristã: "A diminuição de pessoas que assistem às cerimónias religiosas é o reflexo do vazio moral e da falta de referências que padece a sociedade espanhola e europeia em geral. (...) Se a Igreja quer voltar a ter os seus templos cheios, creio que deve fazer uma defesa das tradições, dos princípios, da história e da identidade da sociedade espanhola. Assim foi como funcionou durante séculos". Para Rosa, o Cristianismo é "moral, ordem, princípios, referências superiores, guia espiritual, força interior, e - porque não dizê-lo? - uma explicação sobre as questões metafísicas que a todos nos ocupam, e entra as quais se incluem a morte e a vida ultraterrena. O Cristianismo contribui com a ética para o dia a dia, baseada em valores como o compromisso, a sinceridade, a entrega e o respeito".
Aqui está o contacto pessoal de Rosa Moreno Romero para quem quiser.

segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Paulo Rangel e Nuno Melo criticam o PS

 
A coligação PSD/CDS-PP apresentou publicamente, em Anadia, a lista "Aliança Portugal" às eleições europeias a 25 de Maio criticando o Partido Socialista. Paulo Rangel, do PSD, desafiou o PS a reconhecer os erros políticos dos anteriores governos xuxialistas dizendo que eles, os súcias, têm de dizer "se querem mudar as políticas do passado ou se o sinal que nos dão com a sua lista, com dois ministros de António Guterres, com dois governantes de ponta de José Sócrates e um líder parlamentar de Sócrates e Guterres como cabeça de lista, significa que querem de novo regressar ao passado, à espiral da dívida, da bancarrota e do despesismo". "O país está a recuperar, em retoma, não quer regressar ao passado, e por isso temos de levar uma mensagem de esperança, mostrando que depois de três anos de muito esforço e de grande sacrifício, somos capazes de pôr Portugal na rota do crescimento, da criação de emprego, da competitividade e do combate à exclusão social", sublinhou ainda Rangel, que gostaria de saber também como é que António José Seguro defende a mutualização da dívida como única medida para resolver o problema da crise europeia e de Portugal quando o candidato socialista à presidência do Parlamento Europeu, Martin Schülz, a considera "inviável neste momento". Já Nuno Melo, primeiro candidato do CDS-PP na lista conjunta com o PSD, afirmou que "estas eleições não vão ser umas primárias das legislativas, mas vão ser seguramente a primeira oportunidade para os portugueses penalizarem os socialistas em eleições europeias pela bancarrota que trouxeram a Portugal", acusando os súcias de "desbaratarem o que Portugal não tinha, até sobrar o dinheiro necessário para as despesas que o país tem de suportar durante um dia" e lembrando que quando o governo de José Sócrates negociou o programa de austeridade, havia em caixa 300 milhões de euros. "Importa saber se António José Seguro estará na rua, do lado do alemão Martin Schülz a patrocinar a sua candidatura à presidência da Comissão Europeia, pondo em causa os interesses de Portugal", acrescentou.
Infelizmente o povo eleitor português, maioritariamente parvo e com memória curta, não terá problemas nenhuns em votar, uma vez mais, na alternativa, ou seja, precisamente no partido que mais merda fez no país depois da "bendita" revolução dos cravos...

Homem morre durante o sexo

Em Portugal, um homem morreu vítima de um ataque cardíaco durante o acto sexual com a sua mulher brasileira 29 anos mais nova que ele. Em Lousada, o homem, de 69 anos, sentiu-se mal e acabou por sucumbir tendo o seu corpo sido levado para o Instituto de Medicina Legal de Penafiel.
Nem sempre fazer sexo faz bem...

Desapareceu um lado sagrado?

 
Ainda nos EUA, agora no Havai, um lago "sagrado" de Waiau, perto do cume do vulcão Mauna Kea, a 3970 metros acima do nível do mar, desapareceu depois de ter secado dramaticamente. Segundo o jornal ABC, o Waiau era um lago "sagrado" onde os nativos pagãos costumavam lançar os cordões umbilicais dos seus recém-nascidos para lhes desejar uma vida longa. O lago era também considerado como uma porta de entrada para outros mundos e um lugar que ligava a Terra ao mundo espiritual.
Que engraçado, um lago "sagrado", mas tão "sagrado" que até acabou por desaparecer... Não há dúvida que a própria Natureza dá o seu aval ao paganismo, que até a bajula até à medula, lol. Agora já se perdeu um local que faz a ligação entre o mundo material e o mundo espiritual, mas não faz mal, pois creio eu que existem muitos outros sítios neste mundo que têm a mesma finalidade e que estão à espera de desaparecer também com o tempo. Seja como for, à atenção dos pagãos.

Homem namora com gémeas

 
Em Nova Jérsia, EUA, as gémeas Victoria e Amanda Happerle, de 27 anos, partilham tudo desde que nasceram, inclusive, agora, o mesmo namorado, Ian Diaz. Este considera-se "o homem mais sortudo do mundo" apesar de admitir que "nem sempre é fácil". "Temos uma relação a três e não achamos esquisito de todo", explica Victoria, para quem "a vida sexual é saudável". Ian começou por ser namorado de Victoria e, durante quatro anos, tiveram uma relação normal. Em 2012, Amanda sofreu com o final de uma relação e Victoria engendrou um plano para que Ian se tornasse também namorado da sua irmã. Victoria admite que isto só é possível porque existe "uma relação sólida baseada em confiança e compreensão".
E agora os adeptos do politicamente correcto vão dizer que eles são maiores de idade e que podem fazer o que querem. Acho bem.

A infanticida do Utah

 
No Utah, Estado norte-americano para onde foram os divertidos, coitados e estúpidos dos mórmones, a polícia encontrou os corpos de sete bebés de Megan Huntsman, de 39 anos, acusada de ter matado os seus filhos depois de os dar à luz, ao longo de uma década. Os corpos dos bebés foram encontrados dentro de caixas na garagem da antiga casa da infanticida quando o seu ex-companheiro, que alertou a polícia, estava a limpar a divisão. Megan foi detida no domingo.
Realmente... se tivesse abortado sete vezes em vez aguentar sete gravidezes para matar os bebés um a um, a sensibilidade de muita gente com a mania do politicamente correcto não ficaria tão ferida assim. Abortar ou matar os bebés depois destes já terem nascido no fundo vai dar ao mesmo, mas os conceitos são tão relativos que até me fazem confusão. Infanticida ou abortista para mim é a mesma merda.

SMB goleia SCM

 
Na última jornada da primeira volta da Liga de Elite, o Sport Macau e Benfica ganhou ao Sporting Clube de Macau por 3-0, ultrapassou o adversário na classificação e está em igualdade pontual na liderança com o Monte Carlo (19 pontos). No Estádio de Macau, e depois de uma primeira parte sem golos, Francisco Cunha, do Sporting, foi expulso por insultar a arbitragem. Depois, Vinício Alves adiantou o Glorioso local no marcador e ainda houve três penálties para os encarnados do território, sendo que apenas William Gomes e Nicholas Torrão conseguiram marcar. "Estou muito contente desde o primeiro dia que regressei (ao comando do Benfica, substituindo Dani). Não só temos tido a preocupação de vencer, mas também uma preocupação em que a equipa evolua", disse o técnico benfiquista Bruno Álvares. Já o treinador do Sporting, João Maria Pegado, afirmou que era difícil jogar contra "um adversário difícil" com 10 jogadores e criticou a arbitragem por causa dos amarelos mostrados à sua equipa.
Nos outros jogos, o Monte Carlo bateu o Chau Pak Kei por 1-0 (golo de Leong Ka Hang), o Lai Chi venceu o Sub-23 por 2-0 (golos de Cheok Ka Fai e Pun Keng Lam), o Ka I empatou a uma bola com a Polícia (golos de Choi Tak Seng, do lado dos bófias, e Alison Brito para o Ka I) e o Kei Lun folgou.
 
 
Carrega, Benfica de Macau!!

A 2 pontos do título

 
Já estamos apenas a 2 pontos de conquistar o campeonato, isso porque o Sporting, desgraçado, fez questão de ganhar no passado fim-de-semana ao Gil Vicente. Ao contrário do que fez o treinador Andrade Luís Castro no jogo do CRAC contra o Sporting de Braga (finalmente uma vitória portista fora de portas... e o Estoril já garantiu a Liga Europa, novamente), Jorge Jesus promoveu poucas alterações na equipa apesar do importante confronto da segunda mão da meia-final da Taça de Portugal já na próxima quarta-feira, fazendo apenas entrar Jardel para o lugar de Luisão e o jovem André Almeida como médio mais recuado. No Estádio Municipal de Aveiro, ajudámos o adversário a "equilibrar as coisas" com a venda dos bilhetes (nada de outro mundo, diga-se de passagem) e, mesmo sem a tal nota artística (uma vez mais... mas é que já chateia, lol!), ganhámos justamente o jogo por 2-0, golos de Rodrigo e Gaitán, aos 45'+3' e aos 55' respectivamente. O modesto Arouca praticamente nada fez para contrariar o nosso natural favoritismo. O jovem Jan Oblak teve de ser substituído, aos 65', porque sofreu um traumatismo craniano depois de ter chocado contra um adversário (o esloveno já teve alta). "Vínhamos de um jogo complicado com o AZ Alkmaar e alguns jogadores como Siqueira e André Almeida acusaram fadiga muscular. O início do jogo não foi fácil, com o Arouca a posicionar-se muito bem. Mas, neste momento, o Benfica está com uma crença e uma confiança muito grande e não nos preocupamos com os momentos em que estamos menos bem. Tentámos controlar o jogo sabendo que o tempo ia jogar a nosso favor. Mais golo, menos golo, o resultado é justo. Foi bom voltar a não sofrer golos. Conseguimos o que queríamos, que era sair daqui com uma vitória", reconheceu Jorge Jesus.
Carrega, Benfica!!

domingo, 13 de Abril de 2014

O que é a Nova Ordem Mundial?

Infelizmente, desde a mais tenra idade que fomos programados e condicionados para não acreditar, nem hipoteticamente, em conspirações em larga escala. Nas disciplinas introdutórias, os estudantes de História aprendem que existem três formas de olhar para a filosofia da História:
Primeiro, a posição das contingências aleatórias onde os eventos históricos nada mais são que "uma maldita coisa a seguir à outra" (tal como um dos meus professores tão elegantemente afirmou), onde não há qualquer motivo ou significado casual.
A segunda, a posição do "grande homem", onde figuras religiosas ou figuras políticas-chave causam certos eventos importantes causando a que a História gire em torno destas figuras, tais como Napoleão ou Júlio César.
A terceira visão é a providencial ou conspiratória. Nesta forma de analisar as coisas, a História é conduzida por forças ocultas - quer elas sejam malignas ou benevolentes. Sem dúvida que os seres humanos desempenham o seu papel, mas o ser humano não é o "deus" autónomo do seu destino. Ele é o actor dum palco onde há uma narrativa grandiosa e um propósito final para cada evento, mesmo que os seres humanos não estejam cientes destas razões.
Havendo visto a verdade da conspiração mundial que nos últimos séculos se tem centrado no Ocidente, o estabelecimento anglo-global é outra coisa que as pessoas preferem não ouvir. Os seres humanos têm um viés pela normalidade e por aquilo que é chamado de dissonância cognitiva. A dissonância cognitiva é a tendência para continuar a acreditar em algo que está errado (apesar das gigantescas evidências em contrário) devido ao devastador impacto psicológico que o abandono das crenças prévias causaria.
Os americanos foram educados com a narrativa de serem uma nação de individualistas independentes; a mentalidade de fronteira ainda domina e é uma imagem ainda latente na nossa cultura. A mentalidade individualista recusa-se a olhar para si mesma como vítima de algum tipo de conspiração; nós somos uma nação demasiado grandiosa para ser dominada por uma elite maligna focada no despovoamento mundial. Afinal de contas, Obama é um presidente "liberal", certo? "Como é que pode haver uma conspiração em massa? Se houvesse, ela já teria sido apanhada!", diz o opositor. Isto são tudo conspirações helicóptero-preto e chapéu-de-folha-de-estanho (inglês: "tin-foil-hat").
Para aqueles com educação modesta e pouca capacidade de pensamento crítico e de senso comum, é demais evidente que nenhuma destas objecções é suficiente para demonstrar que a visão conspiratória é falsa. O facto de alguém ser um "orgulhoso americano" ou o facto de George Bush ter alegado ser cristão, não significa que a visão conspiratória seja falsa. Em lógica, a isto chama-se non sequitur; logicamente falando, a conclusão não é o resultado das premissas.


Definindo a Nova Ordem Mundial

Antes da mais, temos que ser bem claros em relação aos termos. O que é que significa "Nova Ordem Mundial"? Basicamente, a Nova Ordem Mundial (daqui para frente NOM) é um sindicato criminoso global composto por banqueiros, CEOs (directores-executivos de empresas), políticos, académicos, magnatas mediáticos, executivos militares e líderes religiosos, que por um lado operam sob o olhar público ao mesmo que trabalham de uma forma clandestina com o fim de determinar a política mundial. Em última análise, e visto que eles estão dispostos a levar a cabo matanças em larga escala, esta elite acredita que ela é superior ao resto da humanidade.
Existem vários níveis de iniciados e níveis de conhecimento, mas a ideologia central da NOM é a tecnocracia fabiana socialista eugenista. Muitos servos da NOM são compartimentados, pensado que o seu papel pessoal (e provavelmente papel importante) no mundo bancário ou no mundo mediático encontra-se ao mais alto nível. Por exemplo, muitos membros do Grupo Bilderberg ou do Concílio da Relações Externas ("Council on Foreign Relations" = CFR) provavelmente pensam que estão no mais elevado nível de controlo, mas poucos estão cientes da elite ocultista acima deles.
Isto não quer dizer que os Bilderbergerianos e os membros do CFR não são os "arquitectos" das estruturas globais de poder, mas sim que eles não se encontram no nível mais elevado. Estas elites acreditam que foram escolhidas para governar as massas, que elas (as elites) vêem como nada mais que gado. Sendo o gado ignorante, a manada é totalmente descartável: ela (a manada) pode ser usada como bucha para canhão em guerras onde trilhões são feitos pelos banqueiros privados ao emprestarem dinheiro aos governos com juros exorbitantes. Ou então a manada pode ser despopulada tal como a falsa "crise" do aquecimento global precisa.

O comunismo e o socialismo apoiados pelas
elites ocidentais são as ideias revolucionárias
e impostoras por detrás da NOM

O Propósito Final da Nova Ordem Mundial

O objectivo final da elite da NOM é uma ditadura socialista de ordem mundial única, construída à imagem do livro de George Orwell 1984, ordem essa que George Orwell conhecia profundamente. Também influente foi o livro "Brave New World" de Aldous Huxley. A Alemanha nazi e a Rússia bolchevique foram ambos modelos-chave estabelecidos pela e para a NOM. O objectivo final é o controlo total e a escravização total através do controlo da religião, da ideologia, da população, da economia e da tecnologia.
De forma a que isto possa ser atingido, todas as soberanias nacionais têm que ser dissolvidas e unidas numa série de uniões continentais, tal como aquela que foi já instalada com o nome de "União Europeia". O problema da imigração nos Estados Unidos, por exemplo, faz parte do plano dos globalistas de remover as fronteiras como forma de criar a União Pan-Americana que se irá, eventualmente, unir à União Europeia. As Uniões Africanas e Asiáticas certamente que se seguirão, provavelmente sendo mais tarde unidas na eventual Federação Mundial supervisionada pelas Nações Unidas. Evidências em favor disto podem ser vistas nas palestras de Rockfeller nas Nações Unidas, tal como exibidas na C-SPAN:
 
video

De modo a entender a forma como as assim chamadas elites atingiram o que já atingiram nos dias de hoje, é importante olhar para a história deste grupo amorfo. De maneira geral, a batalha entre o mal e o bem pode ser rastreada até ao início do tempo e até à queda do homem, mas por motivos de conveniência, vamo-nos focar na era moderna.
À medida que a Idade Média produzia a era da modernidade através da ciência de Francis Bacon, Galileu e Newton, uma mudança no paradigma na forma como se via o mundo aconteceu: ele, o mundo, já não era mais governado por Deus através da Sua Igreja e da hierarquia terrena da monarquia; em vez disso, o mundo começou a ser visto como uma casa de tesouro de forças prontas a serem aproveitadas pelo homem.
Direitos do Homem segundo
os revolucionários franceses
O homem podia eventualmente atingir o entendimento total do universo e ascender para a posição de Deus. A "ciência" tornou-se no novo mythos, a nova narrativa abrangente que poderia explicar a grande ascensão do homem até a divindade. Estes eram interesses estranhos para estes homens que tentavam, ao mesmo tempo, desmitologizar o mundo da "superstição religiosa". Esta era, obviamente, uma fachada e uma mentira visto que eles, tal como o livro clássico Frances Yates "The Rosicrucian Enlightenment" demonstra, eram praticantes de magia. A nova ciência deu origem ao Iluminismo - revolução sócio-cultural que buscou reconstruir a ordem social fundamentando-se no fluxo, no progresso e na "razão", em oposição à teologia e à metafísica.
Também simultâneo com este fenómeno ocorreu a Reforma Protestante, que buscou desafiar a autoridade estabelecida da Igreja única, autoridade essa que havia sido a força dominante na Europa Oriental e na Europa Ocidental por mais de mil anos. Os próprios reformadores buscaram remover o que eles entendiam como sendo a superstição da Igreja, e colocar a autoridade religiosa nas mãos de "todos os rapazes que trabalham no arado", tal como disse Lutero, que poderiam assim reconstruí-la como bem entendessem. Em última análise, a Reforma Iluminista teve como consequência o racionalismo puro, e da Alemanha vieram as infames escolas de Alta Crítica que iriam negar a autoridade dos Textos Bíblicos e, por fim, rejeitar todos os elementos sobrenaturais da Teologia - quaisquer que eles fossem. Um novo mundo estava a emergir do antigo mundo.
Estes eventos não foram acidentais. De facto, o Iluminismo e a Reforma não só causaram alterações na teologia e na forma de pensar, mas causaram também uma revolução civil. O mais notável destes eventos foi a Revolução Francesa, que buscou destruir o Cristianismo em França, decapitar o monarca, e estabelecer uma república iluminista, secular e comunista. A morte de milhares de pessoas não foi acidental. Os demagogos da Revolução Francesa, tais como Danton, Robespierre, o Duque de Orleans, Marat, e São Justo, eram todos membros de sociedades secretas e ordens iluministas. Muitos líderes comunistas tais como Vladimir Lenine eram também "iluministas".
A pergunta então materializa-se: porque é que os líderes comunistas e os líderes burgueses da Revolução Francesa seriam ambos membros dos mesmos grupos revolucinários secretos? Não são os seus objectivos radicalmente distintos? A resposta a isto será dada mais tarde. Através da sua infiltração na Maçonaria, estes homens sangrentos foram induzidos para dentro duma sociedade profunda e sombria conhecida como os Illuminati.
Os Illuminati haviam sido criados na Bavária em 1776 por um canonista ex-jesuíta chamado Adam Weishaupt. Weishaupt, que se encontrava imerso no racionalismo, tinha como plano organizar um grupo de elite que eventualmente iria instalar uma ordem socialista mundial e abolir a teologia. Weishaupt parece ter sido a figura ideológica-chave por trás das revoluções dos séculos XVIII e XIX que, em última análise, removeram todas as formas de monarquia e efectivamente acabaram com a influência social do Cristianismo.
É alegado que Weishaupt recebeu financiamento para o seu projecto da parte de seitas aristocráticas e banqueiras secretas que queriam destruir e reconstruir a sociedade. O establishement banqueiro ocidental apoderou-se de toda a Europa tendo em vista um objectivo simples mas assombroso: emprestar dinheiro para a guerra aos líderes estatais com juros elevados e, desde logo, colocar os governos sob o controlo dum banco privado. O mais bem sucedido entre estes foi Nathan Rothschild, que fez uma fortuna incrível emprestando dinheiro tanto a Napoleão como aos britânicos (isto é, aos dois lados da mesma guerra).
Quando Napoleão foi derrotado, Nathan enganou o parlamento britânico e levou-o a instalar um banco central sob o disfarce de "estabilidade económica". Este banco privado, no entanto, haveria de ser suportado por uma fortuna privada, e o sistema monetário eventualmente seria meramente uma moeda fiduciária. Isto significava que o dinheiro não era suportado por ouro mas sim por crédito fiduciário. Por sua vez, os banqueiros iriam cobrar juros aos governos sobre o dinheiro que eles haviam inventado do nada. Seria através desta metodologia que eles eventualmente haveriam de ser bem sucedidos em colocar toda a Europa numa união com uma moeda fiduciária proveniente dum banco privado localizado na Alemanha. Este é o status actual da União Europeia.
A mesma mentira banqueira foi levada a cabo nos Estados Unidos através dos Rockefeller e Morgan Trusts que em 1913 manipularam o Congresso dos EUA para aprovar o "Federal Reserve Act". O "Federal Reserve Act" colocou a economia americana nas mãos de banqueiros europeus e da dinastia banqueira britânica Rockefeller-Morgan.
Cecil Rhodes, o magnata dos diamantes africanos, foi também financiado pelos mesmos interesses; depois de obter uma fortuna, no princípio do século XX fundou uma sociedade secreta conhecida como "Round Table Group". Desta "Round Table" britânica e da Royal Society, a similar "American Council on Foreign Relations" foi formada ao mesmo tempo que a versão internacional, conhecida como a "Trilateral Commission", foi também formada. Por sua vez, estas entidades formaram a OSS/CIA e o grupo dentro eles é conhecido como os Bilderbergers, tal como dito em cima; esta organização organiza encontros anuais em lugares secretos um pouco por todo o mundo, onde as políticas nacionais e corporativas são definidas.
O objectivo declarado destes grupos é a instalação dum governo mundial e dum sistema monetário único no mundo inteiro. Isto é levado a cabo economicamente através de bancos centrais privados, que imprimem a moeda fiduciária e cobram juros aos vários governos mundiais. A propósito, é por isso que há já muitas décadas nós ouvimos falar que a nossa dívida nacional encontra-se na ordem dos triliões de dólares. A dívida são os juros que devemos em torno de dinheiro impresso do nada; os donos são banqueiros internacionais que enganaram os EUA e fizeram com que eles entregassem aos banqueiros o poder de controlar o abastecimento de dinheiro; é por isso que é uma conspiração.
Eu já falei com professores doutorados em Economia que admitem que a maioria dos países sobrevivem à base do sistema de dinheiro fiduciário controlado por bancos privados. Para estes professores institucionalizados isto não é problema visto que muitos deles apoiam a ideia do globalismo e dum governo mundial. Eles são voluntariamente ingénuos, pensando que o sistema que abusa deles também os salvará.
Agora que já vimos a história da cabala da NOM e o seu caminho monetarista para o controlo total dos Estados-nação, é importante ver os métodos que eles usam para obter e aumentar o seu controlo. Antes de fazermos isso, temos que colocar uma cara aos grupos que servem de fachada para a NOM. Muitos desses homens são membros de igrejas locais, incluindo padres respeitados, pastores, guias espirituais e diáconos. Muitos presidentes americanos, senadores, congressistas, homens de negócio e filantropos fizeram parte, e fazem parte, deste grupo. Estes homens bem intencionados estão a servir interesses mais elevados que buscam propósitos sombrios - propósitos esses que aqueles que estão abaixo deles não sabem.
A Maçonaria moderna deriva das alianças entre os pedreiros da Europa Ocidental Medieval que se uniram para construir as catedrais dos bispos e os palácios dos reis. À medida que a construção de catedrais diminuiu e à medida que o Iluminismo e a reforma varriam a Europa, os praticantes do ocultismo procuraram levar a cabo encontros secretos onde poderiam conspirar sem a ameaça da Igreja Católica e das coroas que ainda existiam. Eles encontraram o que buscavam na sociedade dos maçons: estes novos e filosóficos maçons foram chamados de "maçons especulativos". Por volta do século XVIII existiam mais de 5000 lojas maçónicas estabelecidas na Europa. Muitos senhores menores e chefes de Estado menores, bem como membros do clero - tanto protestantes como católicos - haviam, de facto, se unido à fraternidade. Tal como dito em cima, para o final do século XVIII, a Maçonaria encontrava-se já intimamente ligada aos Illuminati graças aos esforços racionalistas extremos de Weishaupt.


As Linhagens de Sangue

Mitólogo da NOM: Charles Darwin
Não estando muito a par do pensamento pré-moderno, a maior parte de nós realmente não entende a importância que as linhagens de sangue tinham no mundo antigo. O mundo antigo era, essencialmente, um sistema de castas, e muitas sociedades actuais, tais como as que existem na Índia, ainda operam desta forma. A menos que se seja da linhagem real, temos que aceitar uma certa posição na sociedade. É suposto a modernidade ser igualitária, mas as distinções de classe apenas foram reorganizadas de linhagens reais para linhagens de riqueza. A própria Bíblia preocupa-se com as linhagens de sangue visto que Jesus Cristo é a Semente Prometida, Descendente de Adão através de Noé, através de Abraão, através do Rei David e da Sua Mãe, de quem a Igreja alega Ele ter recebido a Sua Humanidade.
Para o mundo antigo, portanto, as linhagens eram tudo. Isto é importante visto que a filosofia ocultista dos assim chamados racionalistas do mundo moderno ainda aderem a este princípio antigo. Para os ocultistas da NOM, há "poder no sangue", tal como para os cristãos, expressão que para eles significa poder mágico. Logo, as famílias dinásticas que controlam o mundo, tais como os Rothschilds, os Rockefellers, os Morgans, os Warburgs, etc., tal como as antigas realezas, acreditam que têm que casar entre si de modo a manter a pureza da linhagem de sangue.
O livro ridículo de Dan Brown - "O Código DaVinci" - é um exemplo perfeito: embora o livro seja claramente falso, ele demonstra a obsessão do mundo do ocultismo pela pureza mágica herdada através das linhagens familiares. De facto, alguns destes ocultistas acreditam que eles mesmos são descendentes de deuses; um exemplo disto é a ideologia satânica do nazismo, onde Heinrich Himmler, através das SS, tentou produzir uma linhagem ariana pura, uma linhagem que tinha o poder dos deuses de Atlântida a percorrer dentro deles, tal como o livro "Unholy Alliance: A History of Nazi Involvement with the Occult" de Peter Levenda revela.
É através da maligna ideologia do eugenismo, o descendente do darwinismo, que a elite britânica encontra o fundamento para a promoção dos males do aborto, da eutanásia e da esterilização. A maior parte das pessoas não sabe, mas foi Margaret Sanger (com a ajuda da mãe de Catherine Hepburn) que fundou a Planned Parenthood com apoio financeiro dos Rockefeller para vender a ideia do aborto e da contracepção (sob o manto dos "direitos das mulheres"). Sanger convenceu a organização NAACP (National Association for the Advancement of Colored People = Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor) que as mulheres negras em particular deveriam ter o direito ao aborto, tudo baseado na filosofia socialista eugénica de Sanger.
Um dos grandes promotores do darwinismo foi o eugenista Sir Francis Galton, primo de Charles Darwin e também cientista. O que as universidades estaduais, todas controladas pela elite, não dizem é que a filosofia eugénica de Galton, uma consequencia natural do darwinismo, era profundamente anglo-racial. Enquanto isso, o estabelecimento universitário falsamente liberal quer que todos acreditem que o marxismo é glorioso, embora a sua própria pseudo-religião darwinista seja racista até ao âmago. É por esta filosofia ocultista do darwinismo mascarada de ciência que a elite da NOM está obcecada, e é por esta razão que abortar milhões de crianças se tornou um sacrifício enorme. Quem controla a América é um estabelecimento luciferiano.


O Movimento Nova Era Ecológico

É importante levar em conta que as sociedades secretas previram o suposto fim da religião. Existem muitos outros grupos que operam de uma forma independente, mas com os mesmos propósitos de destruir a religião histórica e ortodoxa e instalar uma ordem mundial luciferiana, global, tecnocrata, socialista e racionalista. Muitas pessoas encontram-se ignorantes do facto do movimento da Nova Era ter tido a sua origem em grupos ocultistas fraudulentos. Madame Blavatsky, charlatã e ocultista de primeira, cunhou o termo ao notar que, em termos astrológicos, o século XX haveria de testemunhar a transformação da Idade de Peixes, que os ocultistas associam à era do domínio do Cristianismo, para a Idade do Aquário - a era da NOM, a ordem cósmica onde os homens iriam estar em contacto com o que ela identificou como "A Grande Irmandade Branca das entidades interestelares".
Blavatsky, tal como todos os outros ocultistas, pensava que o homem se encontrava no caminho da evolução darwiniana rumo à divindade, e que estas "entidades" extra-dimensionais eram seres altamente avançados que buscavam formas de levar a raça humana para a idade seguinte da consciência cósmica. Os extraterrestres de Madame Blavatsky, no entanto, mais não eram que anjos caídos (demónios) que promulgavam a mesma mentira que Satanás promulgou no Jardim do Éden, isto é, que o homem poderia eventualmente passar a ser o seu próprio deus.
 
A feminista masculinizada carrega o martelo soviético para destruir
o patriarcado. A ascensão do feminismo faz parte do plano da elite
para destruir a família e a ordem social
O Movimento da Nova Era Ecológico, no entanto, não perdeu poder ou influência durante os últimos anos. A revolução hippie-sexual dos anos 60 (século XX) foi uma vitória enorme para este movimento, trazendo a filosofia oriental para o mundo ocidental através dos Swamis e dos Beatles. Os Estados Unidos são apoiantes primários das técnicas da Nova Era, e elas são promovidas em todas a áreas da vida dentro dos seus programas. Estes programas, tais como a UNESCO, buscam inicializar os jovens nas mais variadas formas de paganismo e superstição sob a máscara de "tolerância" e "diversidade".
O Movimento da Nova Era, financiado pela elite, é também responsável pela popularidade do feminismo e da bruxaria. O propósito destes grupos é a transformação alquímica da humanidade para "Adam Kadmon", uma figura andrógina que representa uma trascendência acima do sexo masculino e do sexo feminino, resultando num ser "divino" altamente evoluído através da tecnologia e do transumanismo. Mais uma vez vemos aqui a ideia do inexorável processo da evolução até à divindade.
Estes textos supersticiosos ensinam que através do acto sexual, o mágico pode obter poder com o qual ele pode canalizar o seu "eu superior", que, segundo acreditam os ocultistas, lhes dará maiores poderes, tais como deuses, quando eles ascenderem a ridícula escada evolutiva. Estes "egos superiores" ou "egos genuínos" são, na verdade, demónios que enganam o ocultista.


Gnosticismo e Crowley

Uma das mais poderosas sociedades secretas do século XX foi a O.T.O., ou Ordo Templi Orientis. Por um período de tempo, esta sociedade foi liderada pelo maior ocultista do século XX, Aleister Crowley. Considerado um génio, Crowley rapidamente ascendeu as fileiras do ocultismo e tornou-se um proponente do gnosticismo antigo. A melhor descrição para a ordem de Crowley é a de que ela é uma "Hermetic Graduate School". O próprio Crowley encontrava-se no nível 98 e 99 dos ritos "Memphis" e "Mizraim" - ritos que a maior parte dos membros na Nova Era nunca ouviu falar. O famoso livro de Crowley "Magick in Theory and Practice", alega que a chave para a vida e para se tornar um mágico é trazer a vontade própria para o mundo; executar mudanças no mundo. As mudanças, no entanto, podem ser boas ou más. Levar a cabo mudanças no mundo através duma imposição não é necessariamente uma coisa boa.
Segundo a minha análise, este gnosticismo é a chave para se entender a explosão recente de pedofilia nos tempos modernos, no Catolicismo pós-Vaticano II. O livro do jornalista William Kennedy "Lucifer’s Lodge" documenta evidências de que os luciferianos infiltraram-se nos mais elevados níveis do estabelecimento da Igreja Católica, e buscam formas de usar a Igreja Católica como veículo para a religião universal da Nova Era.
O amplamente conhecido erudito ex-jesuíta Malachi Martin, profundo conhecedor do Vaticano e amigo pessoal de João XXIII e Paulo VI, escreveu inúmeros livros em torno do estado da Igreja desde o Vaticano II. Tem que ser ressalvado antes de mais que existem evidências inegáveis e abundantes de que Martin era ele mesmo um luciferiano. No seu livro "The Keys of this Blood", que fala do papado de João Paulo II, Martin menciona uma Missa Negra Satânica que foi celebrada no Vaticano depois da coroação de Paulo VI como Papa (página 632). O motivo pelo qual isto é importante é o facto dele ter conhecido pessoalmente esses Papas.
Aleister Crowley
A razão por trás disto encontra-se o facto dos luciferianos operarem segundo um princípio que Crowley deu o nome de "revelação do método". Uma vez que a maior parte dos ocultistas são dualistas gnósticos, eles acreditam que o bem e o mal são dois lados da mesma moeda; ambos são, importantes e necessários. Logo, não há motivo para não se jogar dos dois lados, digamos assim. A pessoa pode ser conservadora e com bons valores morais durante o dia, e durante a noite participar em rituais negros de luciferianismo.
Neste importante livro com mais de 700 páginas, Martin debruça-se sobre o propósito dos ocultistas do Vaticano de controlar a ordem mundial emergente. Martin admite que não há dúvida nenhuma que a Igreja Católica apóstata, a "Anti-Igreja" como ela a chama, é o veículo primário através do qual as Nações Unidas e os anglo-globalistas tentam reunir todas as religiões numa só, onde a religião ortodoxa é substituída pelo paganismo e pelas tradições de controlo em massa. É por isso que a Igreja Católica moderna (modernista) tem que ser resistida a todo o custo; se ela não for resistida, ela iniciará o mundo no luciferianismo. Só a ortodoxia tradicional é a força motora com força suficiente para repelir a NOM.


O papel dos Estados Unidos

Levar a cabo um combate de resistência, operando sob o manto da Constituição e dos valores americanos, é inútil na luta contra os Illuminati visto que, contrariamente ao que muitos americanos podem pensar, o país foi fundado por um aglomerado de deístas protestantes influenciados pelo Iluminismo e por ridículas filosofias revolucionárias. Qual é, então, o papel dos EUA nisto? O papel dos EUA parece ser, como disse um filósofo político, "o promulgador benigno do governo mundial".
Os EUA são os cavalos de corrida da elite: eles funcionam como o "Big Brother" das nações, inteligentemente buscando formas de estabelecer falsas "democracias" em países com ditaduras insignificantes como o Iraque que os próprios EUA financiaram e emprestaram dinheiro durante os anos 80 - treinando Saddam como um aliado.
A revolução tecnológica do génio dos melhores e dos mais inteligentes da América é a principal arma para objectivo final da NOM. O uso do grande motor de super computadores e da tecnologia sem-fios está, na verdade, a ser usada para estabelecer um controlo ao estilo da Skynet (do filme "O Exterminador Implacável") onde a população mundial será reduzida em 90% devido à falsa religião do clima verde e da adoração da Terra.

A ascensão da Skynet
Visto que as massas foram emburrecidas através desta cultura tóxica, da comida e da água envenenada, eles vão-se tornar ainda mais emburrecidos, mais dóceis e por fim, estéreis. Por essa altura, os robôs com inteligência artificial irão ser revelados para acabar com os últimos vestígios da humanidade biológica. Sem uma filosofia coerente e sem fé religiosa, a humanidade tornar-se-á susceptível à grande decepção da utopia e da salvação tecnológica. Esta grande promessa nunca será cumprida: na verdade, toda a Internet e toda revolução da rede inteligente foi feita precisamente para escravizar as massas após um longo período de "reconhecimento" através do rastreamento e da localização de tudo na rede desde a sua criação.
Sem uma metafísica religiosa, o homem é vítima da quantificação de todas as coisas, irracionalmente subjugado sob a onda de escravatura mecânica e "racional". O ídolo que é o produto das mãos humanas será exactamente o que o escravizará (em vez de o libertar). A solução para este dilema é explicado soberbamente pelo filósofo Dr. Philip Sherrard aqui.

Desumanização através da escravização tecnológica
 

Uma mão cheia de nada


Hoje coloco aqui mais uma posta do tio Leocardo, do famoso Bairro do Oriente, porque ele escreveu uma coisa que reflecte, infelizmente, a mais pura das verdades aqui de Macau no que diz respeito à situação imobiliária - exceptuando a parte em que ele fala mal do Estado Novo, altura em que os portugueses estavam, comparado com o período anterior ao regime salazarista, mais ricos e a economia de Portugal era das mais fortes do mundo, o que não é de maneira nenhuma sinal de pobreza e de atraso, ao contrário do que se verifica hoje em dia 40 anos depois da frustrada revolução dos cravos que destruiu o país. Ainda por cima o assunto surgiu, por aqui, no seguimento duma conversa que tive com um colega do serviço que me disse que já lhe estão a oferecer pelo menos seis milhões de patacas (cerca de 600 mil euros) pela sua casa, um T3 na Avenida de Sidónio Pais mesmo em frente à Polícia de Trânsito. Se não fosse a mulher dele, que é chinesa e que não quer viver em Portugal porque não domina o português e também porque os seus dois filhos decidiram voltar para Macau porque em Portugal não teriam futuro nenhum (como eu, aliás), o meu colega - que tem imensas saudades de Portugal - bem que poderia estar neste momento a viver à grande e à francesa (ou talvez não...) em Portugal (tem um apartamento comprado em Massamá) mercê do bom pé de meia que faria com a venda do seu imóvel aqui em Macau. Eu no lugar dele aproveitaria a situação e procuraria vender a casa ao melhor preço, até porque nunca se sabe se a bolha não há-de arrebentar em breve, mas já sabemos muito bem que as mulheres conseguem quase sempre dar a volta à cabeça de qualquer homem...
 
 
Uma mão cheia de nada
 
Uma moradia tipo vivenda (V5, 3 pisos com garagem e logradouro)
no Montijo, a dez minutos a pé do centro e a meia hora de Lisboa.
Ano de construção: 1994
Área bruta: 346 m2
Área útil: 285 m2
Preço: 288,000 euros (menos de 3 milhões de patacas)
Um apartamento com mais de 20 anos no Patane, em Macau.
Área: 50,46 m2 (área útil: 35,37 m2), 2 quartos,
uma casa-de-banho e uma sala
Preço: 3,5 milhões de HKD
 
Via hoje à hora de almoço no Telejornal da RTPi uma reportagem de uma série consagrada à comemoração dos 40 anos do 25 de Abril, e desta vez o canal público de televisão levou-nos à Ilha das Antas, um antigo bairro degradado da cidade do Porto, onde nos anos 70 e 80 chegavam a viver várias famílias debaixo do mesmo tecto, na ordem das 10, 12 ou mais pessoas por fracção. Passadas algumas décadas, a situação não é muito melhor, mas é menos dramática, e não existe mais aquele cinzentismo daquela época de indecisão num país atrasado e pobre, a que a imagem a preto e branco também dava uma ajuda. Um dos objectivos da Revolução dos Cravos, uma das suas ambições, era dotar todos os portugueses com habitação condigna, um ensejo que está longe de se realizar na sua plenitude. Se em Portugal, onde ainda é possível adquirir uma moradia habitável e não necessariamente periférica pela módica quantia de 50 mil euros, ou 500 mil patacas, o que dizer de Macau, onde um simples rectângulo desenhado no chão a que chamam "lugar de estacionamento" chega a atingir os dois milhões de dólares de Hong Kong, ou seja, 200 mil euros? Olhando para este presente, que futuro tem o direito à habitação, um dos mais básicos entre os consagrados à população da RAEM?

Tomemos então por exemplo dois casais: dois recém-casados portugueses, e dois seus antípodas macaenses, todos com idades compreendidas entre os 25 e os 30 anos. Ambos os casais auferem em conjunto um rendimento líquido de 30 mil patacas - considerado "médio", portanto. O casal português compra um apartamento relativamente recente, um T3 usado, até, nos arredores de Lisboa ou Margem Sul por 500 mil patacas, pede a totalidade dessa quantia a uma instituição de crédito, e amortiza em prestações de 10 mil patacas mensais num total de 55 meses, atendendo aos juros e a respectiva variação das taxas, ou seja, cerca de quatro anos e meio. Atendendo à crise e à natureza despesista do povo lusitano, podem optar por uma modalidade de crédito flexível, pagar em 10, 15 e 20 anos, e assim reduzir o peso da hipoteca no orçamento familiar mensal. O casal de Macau compra um T2 muito mais reduzido, de pior qualidade em todos os aspectos e com mais de 20 anos desde a construção por dez vezes mais este preço, o banco concede-lhe apenas um terço desse crédito. Caso "desencantem" os três milhões necessários para dar de entrada, ficam a pagar o restante durante mais de 10 anos, dispensando para o efeito 50% dos rendimentos auferidos mensalmente. Portanto durante dez anos, nada de luxos, pensar bem antes de ir jantar fora, viagens só ano sim, ano não e a destinos próximos de Macau, e pensar muito, mas mesmo muito bem antes de ponderar hipótese de vir a ter filhos, e consequentemente mais despesas.


Esta é a diferença entre Portugal, um país endividado, asfixiado por impostos, cortes e austeridade, desemprego galopante, e Macau, um território com um dos maiores PIBs per capita do mundo, reservas financeiras que deixam os cofres do erário público a abarrotar de cheios, e uma empregabilidade quase plena. A diferença é esta: no oásis que é Macau, os seus residentes estão reféns da especulação imobiliária. Passa-se uma meia vida a fazer sacrifícios para pagar não um investimento, mas uma comodidade exigida para que se viva, não com conforto ou qualidade, mas apenas para que se viva. Paga-se por uma espelunca escura e decadente atirada para um bairro onde pululam as espeluncas escuras e decadentes o dobro ou o triplo que se paga em Portugal por uma vivenda de dois andares com garagem e jardim. Os bancos não vão na conversa, e não há um deles que empreste metade do valor da aquisição - porque sabem que não valem isso, e prestam contas não às empresas de fomento imobiliário nem ao governo de Macau, mas sim aos mercados internacionais, que como se sabem não dormem no ponto, e não toleram "loucuras" desta natureza. Há dez anos, durante a crise da SARS, e alguns anos antes, durante o "crash" das bolsas asiáticas, as instituições bancárias não só concediam crédito até à totalidade do valor da compra do imóvel, como ainda ampliavam esse crédito "para a realização de obras".

Quando cheguei a Macau, em 1993, era possível adquirir uma fracção para habitação completamente nova com a área de 70 m2 ou mais por valores entre as 350 e as 500 mil patacas. Durante a tal crise da SARS, em 2003, o valor das fracções era cinco, dez ou mais vezes inferior ao actual. Em alguns casos apartamentos semi-condenados localizados em blocos daqueles que vemos nos bairros problemáticos das séries policiais americanas custavam 200 mil patacas, ou menos, e ninguém os comprava. Hoje custam na ordem dos 3 ou 4 milhões. São os mesmos apartamentos, só que mais velhos. Um T2 completamente novo chega ao mercado com um preço na ordem das sete ou dos oito milhões de patacas. São novos, sim, mas cuidado para não tropeçar numa das esquinas da sala, ou soltam-se os tacos, tal é a deficiente qualidade dos acabamentos. Uma fracção no controverso edifício Sin Fong, no centro de uma polémica que se arrasta há quase dois anos e obrigou os seus moradores a abandonar as casas e arrendar outras, custava mais de cinco milhões de patacas na altura em que foi anunciado que o prédio corria o risco de ruir. Um dos tais lugares de estacionamento atirado para uma cave qualquer onde mal se consegue respirar, custa o dobro ou o triplo de um T4 no centro do Barreiro. Uma fracção da tal habitação económica, que foi um parto difícil para os dois primeiros executivos e onde mal se pode cair morto - não há espaço suficiente para que um cadáver possa jazer esticado da cabeça aos pés - custa tanto ou mais que um T3 de 154
m2 no Montijo, perto do centro e a menos de meia hora de carro do centro financeiro de Lisboa.

O actual Chefe do Executivo deixou claro desde o início que esse mesmo Executivo, de quem é o responsável máximo, não ia interferir no mercado imobiliário, pois este "é livre". Ao dizer isto, Chui Sai On passou um cheque em branco à forma mais desumana e materialista de capitalismo selvagem, ignorando por completo a qualidade de vida da população, estrangulando-lhe o acesso à habitação. Isto porque tanto do lado direito como do lado esquerdo do Chefe do Executivo sentam-se agentes com fortes interesses no inflacionamento absurdo do preço do metro quadrado. Nos últimos tempos temos assistido a um verdadeiro "circo de feras", ao ponto de vermos associações que ostentam na sua designação epítetos como "beneficência" e "caridade" a comportarem-se como verdadeiros "tubarões" saídos de alguma Wall Street ou qualquer outro ponto onde o lucro fácil substitui qualquer sentimento humanista. Estas tais associações de alegada beneficência e putativa caridade estão fortemente representadas nos círculos do poder, e não pestanejam na hora de escorraçar um louceiro, um sapateiro ou uma costureira do seu ganha-pão, aumentando a renda do seu espaço comercial de cinco ou dez mil patacas para cem ou duzentas mil, de modo a poder ter margem de manobra para negociar um negócio milionário com alguma cadeia de lojas que se dedique à venda de joalheria, roupa de marca ou outros bens de luxo. Fosse o preço do arrendamento para a habitação acompanhar esta insanidade que se verifica nos espaços comerciais, e tínhamos uma situação ainda mais precária que a da Ilha das Antas na era da TV a preto e branco.

Finalmente esta autêntica febre do betão armado "armado" em ouro transbordou dos limites do território, e chegou à atenção da imprensa internacional. Se já devem ter pensado que somos loucos ao permitir que o preço das casas tenha disparado na ordem dos 1000% e mais, pensariam que estávamos completamente xéxés se viessem até cá ver pela bela caca que andamos a desembolsar toda essa diferença. Quem teve a sorte de investir quando os preços ainda não estavam pela hora da morte, enterro, decomposição, exumação e transferência para o ossário, tem um tecto por cima da cabeça, e deve estar a pensar "ufa, livrei-me de boa". Quem pensa que pode capitalizar o seu investimento, vendendo hoje por 4 ou 5 milhões o que lhe custou menos de metade disso há alguns anos, vai ficar a sorrir, certamente, mas ou tem outra casa para arrumar os tarecos, ou vai viver para debaixo da ponte - de fazer figura de parvo é que não se vai livrar, com toda a certeza. Quanto ao futuro, é negro. Se estes valores absurdos não estão ao alcançe da esmagadora maioria da população de Macau, quem vai comprar? E se forem forasteiros, como vamos manter a gente de Macau dentro de Macau? E sem gente de Macau, Macau será Macau? Aqueles que estão encarregados de olhar por nós são os mesmos que nos fazem caminhar pela prancha e saltar pela borda fora do barco? Digam o que disserem, levantem as cortinas de fumo que quiserem, vai ficar nas mãos de Chui Sai On tomar uma medida firme e radical para resolver este problema. O actual Chefe tem mais cinco anos para nos trazer a redenção. Só resta agora saber se na sua mão está mesmo essa solução, ou se essa mão está apenas cheia de nada. Pelo caminho que as coisas têm tomado, nada de auspicioso se perspectiva, mas não é esta uma terra de gente de fé? Puxem então pelos seus mistérios, que pelo menos pior que está não fica, e se ficar não vai ser por fazer força para que não fique. Façam-no, e se não for por vocês próprios, que seja pelos vossos filhos, e pelas gerações seguintes - para que tenham o direito a suceder as anteriores, lá está...

Sessão fotográfica íntima de casal antes de terminar o namoro

A fotógrafa de Nova Iorque Jordan Tiberio, que gosta de fotografar corpos nus por entender que são "um objecto sempre em mutação, ilimitado na sua beleza potencial", fez uma sessão fotográfica íntima de um casal e quando publicou as fotos, poucas semanas depois, o casal já se tinha separado. De início, Jordan temeu a reacção dos jovens, Sam e Maris, às imagens, mas acabou por ter uma surpresa. "A rapariga foi extremamente simpática. Ficou grata por ter captado um dos períodos mais importantes da vida dela e lhe ter dado memórias palpáveis. Para mim esse foi o aspecto mais gratificante do projecto", explicou a americana de 21 anos.
 






 
Estas fotos fazem parte do projecto "Duas Almas", publicado na revista alemã Upon Paper. Quem quiser acompanhar o trabalho de Jordan pode fazê-lo através do seu site ou Flickr.

sábado, 12 de Abril de 2014

Memorabilia

Esta (Promises) é uma das músicas que eu mais gosto da banda irlandesa The Cranberries. O som faz parte do quarto álbum da banda, Bury the Hatchet (1999).
 
video

É contra o casamento, mas é casada

A blogueira feminista americana Jessica Valenti, dona do blogue Feministing e autora/co-autora de livros sobre mulheres, tem 35 anos e, num texto seu intitulado "The Marriage Con" e publicado no ano passado no The Nation, explicou o porquê de ser contra a instituição do casamento. Alegou ela que os conservadores têm defendido o casamento como uma forma de canalizar a agressividade e a sexualidade masculina para formas socialmente produtivas, gerando benefícios emocionais para as mulheres. No lugar de refutar as alegações que fez, preferiu antes afirmar que "a realidade dos factos é que esta nostalgia desesperada pelo casamento tradicional e pelos papéis sexuais antiquados nunca será mais forte que a vontade que as mulheres têm de serem livres das normas restritivas" (teoria da autonomia segundo o feminismo). Para Jessica,  o bem primário da vida é a auto-determinação e o casamento tradicional é contrário a esse bem, pois inclui papéis sexuais que são de certa forma pré-determinados. E citou o exemplo dos seus pais que se casaram quando ambos ainda eram adolescentes: "Os meus pais têm um casamento maravilhoso, mas eles têm estado juntos desde que a minha mãe tinha 12 anos, casaram-se adolescentes e raramente estão longe um do outro. Eles trabalham juntos. Como resultado disto, eu sempre vi o casamento como instituição que envolve a perda parcial da autonomia". Ainda assim, não obstante ter citado o exemplo de um "casamento maravilhoso", ela insurge-se contra esta instituição por ser "antiquada". O irónico, e mesmo hipócrita, é que em 2009 Jessica conheceu o homem dos seus sonhos, Andrew Golis, e casou-se com ele (hoje até já tem uma filha). Justificando a sua decisão pessoal em harmonia com a sua posição feminista acerca do casamento, Jessica disse que "Chegamos a um ponto da nossa vida onde desistimos de viver segundo um ideal feminista perfeito visto que nos sentimos sufocadas. Não será esta uma excepção sem princípios? A realidade dos factos é que a maioria das pessoas nem sempre coloca a autonomia em primeiro lugar visto que, na vida, existem outros valores que podem ser levados em conta. Um desses valores é o desejo de casar e formar família e isso é necessariamente uma 'norma restritiva' visto que ela envolve um compromisso só com uma pessoa, excluindo todas as outras. Isto significa também que aceitamos responsabilidades paternais que, em certas ocasiões, podem ser bem dispendiosas. Mas fazemos tudo isto com os olhos postos num bem maior".

A feminista anti-casamento e o seu marido
Ora, a auto-determinação duma pessoa é mesmo um bem tão primário que Jessica, para justificar o seu casamento, teve que dizer que se cansou de tentar viver segundo um ideal. Pela boca morre o peixe, diz o ditado. Este é apenas mais um de muitos motivos pelos quais não se pode dar crédito nenhum às feministas.

Ex-jogador ensina futebolistas a gerir o guito

O antigo futebolista francês Louis Saha, de 35 anos e filho parisiense de pais naturais de Guadalupe (um território francês nas Caraíbas), abriu uma empresa de consultadoria financeira direccionada aos jogadores para que estes evitem "alguns erros" que muitos futebolistas e ex-futebolistas cometem. Este antigo jogador, que representou a selecção francesa, o Metz, o Manchester United, o Tottenham, entre outros clubes, quer agora ensinar os jogadores a gerir o seu dinheiro durante e após as carreiras profissionais. "Depois de acabar a minha carreira senti que podia utilizar a minha vasta experiência para ajudar os jovens jogadores, para que estes possam gerir melhor as suas carreiras e evitar alguns erros que muitos futebolistas cometem", disse Saha na apresentação da sua empresa de consultadoria financeira, a Baptiseé AXIS 10 Sports. A empresa de Louis Saha também vai prestar serviços a clubes e agentes desportivos, de modo a que consigam lidar melhor com a "crescente complexidade dos negócios e os seus riscos" nos campos jurídicos e financeiros.
 
Louis Saha ofereceu uma jersey ao Papa Francisco no Vaticano, em Maio de 2013,
antes de dar por encerrada a sua carreira de futebolista, em Agosto do mesmo ano

"O Arouca é que é do nosso campeonato"

Por razões que só ao Arouca assistem, o jogo do próximo domingo com o Benfica foi transferido, aparentemente com as autorizações devidas, do Estádio Municipal de Arouca, com capacidade para 5 mil espectadores, para o Estádio Municipal de Aveiro, com capacidade para 30.970 espectadores.
Pode, assim, o Arouca vender mais 25.970 bilhetes o que constitui, certamente, uma alegria para o tesoureiro do clube. Se o Arouca vendesse cada bilhete a 5 euros, um preço de saldos, faria uma receita de perto de 130 mil euros, o que já dava muito jeito com certeza.
Como o Arouca decidiu, e bem, não fazer saldos, a receita pode ultrapassar o meio milhão de euros, verba sonante num momento em que os clubes lutam por verbas como quem luta pela vida.
Quero com isto dizer que é mais do que compreensível a felicidade dos arouquenses em vésperas de receberem o Benfica em Aveiro.
Quanto ao Benfica, é verdade que vai jogar fora num estádio em que, muito provavelmente, vai contar com um apoio massivo dos seus adeptos.
Convém só não se esquecerem, adeptos e jogadores, que foi no Estádio da Luz, com um apoio massivo de benfiquistas, que o Arouca arrancou na primeira volta um empate a 2 bolas.
Lembram-se? Carrega, Benfica! Mas carrega mesmo!
 
André Almeida, impecável. Era só isto.
 
É de estranhar o silêncio do Sindicato dos Jogadores sobre uma ocorrência ainda recente e que, por inerência de funções, lhe diria diretcamente respeito em defesa do bom nome de um seu associado.
A cessação do contrato do jogador Márcio Rozário por iniciativa do patrão, o Marítimo, que alegou a inusitada justa causa de “quebra de confiança” no desempenho do empregado, não mereceu nem uma conferência de imprensa, nem um comunicadozinho, nem uma linha ao Sindicato dos Jogadores.
Que singular estatuto é este do jogador que não inspira confiança a quem lhe paga o ordenado e que se vê, de um momento para o outro, sem contrato e sem trabalho e sem o apoio formal e obrigatoriamente estridente do seu Sindicato?
Márcio Rozário foi notícia por um dia – melhor, por uma manhã – e o seu tormentoso caso desapareceu como que por artes mágicas das páginas dos jornais.
O país está em crise, todos sabemos. Vivemos um período de grande contenção de despesas e, em boa verdade, ao preço a que está a tinta, só o que se poupou nos rios de tinta que este caso normalmente faria correr, justifica em pleno o silêncio geral sobre o estranho caso de Márcio Rozário.
 
Na última jornada da Liga de Honra, o FC Porto-B deslocou-se a Faro e os seus jogadores recusaram-se a entrar em campo de mãos dadas com a criançada local, inocente cerimónia da praxe nos jogos das competições organizadas pela Liga.
A imprensa relatou o episódio. Com paninhos quentes foi até adiantada uma justificação considerada minimamente plausível para a insólita atitude. O Farense vendeu os direitos de transmissão dos seus jogos em casa à Benfica TV e, posto isto, até as criancinhas da terra terão passado a ter peçonha.
No que diz respeito ao resultado do jogo de futebol propriamente dito, pois ganhou o Farense por 1-0. Quanto ao jogo filosoficamente falando, pois perdeu o FC Porto-B por 10-0.
 
O treinador do AZ Alkmaar, Dick Avocaat, tem sido inexcedível em encómios ao Benfica desde que o sorteio dos quartos-de-final da Liga Europa colocou os holandeses no caminho da equipa de Jorge Jesus.
Na véspera do jogo da primeira-mão, Advocaat avisou logo que a sua equipa não tinha qualquer tipo de hipótese na eliminatória. A verdade é que o Benfica acabou por vencer na Holanda, ainda que pela diferença mínima, resultado agradável mas que, de modo algum, garante a qualificação para as meias-finais da prova.
Ontem, na véspera do jogo da segunda-mão, Dick Advocaat voltou a dispensar altos elogios ao seu adversário. Diz o treinador do AZ Alkmaar que lhe bastou ver “meia hora” do jogo do Benfica com o Rio Ave para ficar perfeitamente esclarecido sobre o destino que aguarda a sua equipa esta noite no Estádio da Luz.
Por curiosidade, resta apenas saber que “meia hora” viu Advocaat desse jogo da última segunda-feira.
Se viu trinta minutos da primeira parte é natural que o treinador do AZ tenha ficado impressionado com a saúde e com o fulgor da equipa do Benfica. Se viu trinta minutos da segunda parte, terá ficado certamente impressionado com a capacidade de baixar a intensidade do jogo exibida pela equipa do Benfica sem nunca perder o controlo das operações.
Está, portanto, ganha a eliminatória com o AZ Almaar? Longe disso. As palavras de Dick Advocaat são muito bonitas, encantadoras mesmo, mas encarar o jogo de hoje à noite como um pró-forma antes do sorteio das meias-finais poderá ser fatal para as aspirações do Benfica na Liga Europa.
Se é que as tem. Presume-se que sim.
É natural ambicionar mais e melhor numa competição internacional ainda que, por razões de ordem vária, não seja essa a maior prioridade.
Nesta fase quase final da temporada, o Benfica vê-se ainda envolvido em quatro competições mas, como todos sabemos, o Arouca é que é do nosso campeonato.
 
Lima, sempre impecável. Era só isto.
 
Campeonato à parte, vamos lá então à discussão das coisas menores.
No presente estado das ditas coisas menores, o FC Porto leva vantagem substantiva e formal sobre o Benfica na discussão das outras duas competições nacionais em que ambos os rivais estão ainda envolvidos: a Taça de Portugal e a Taça da Liga.
Dificilmente o Benfica ganhará este ano qualquer uma destas competições ainda que não sejam intransponíveis os obstáculos que tem pela frente até porque, tratando-se de futebol, tudo pode acontecer. Mas sabemos, por experiência acumulada, que tudo o que pode acontecer em futebol acontece sempre mais a uns do que a outros.
Peguemos na Taça de Portugal, por exemplo. Está em vantagem por 1-0 o FC Porto depois do jogo da primeira-mão das meias-finais que ocorreu no Dragão. Antigamente, 1-0 em casa era um resultado que não dava garantias para o jogo da segunda-mão fora de casa. Era no tempo em que se marcavam muitos golos.
Agora já não é assim. Ao preço a que estão os golos e os goleadores, 1-0 em casa tornou-se num resultado excelente para defender fora de portas. É verdade que se o Benfica repetir para a Taça o resultado que fez com o FC Porto na Luz para o campeonato, segue direitinho para o Jamor. Mas basta o FC Porto marcar um golo para complicar imenso a vida ao Benfica que não marcou no Dragão.
Conclusão: o FC Porto é muitíssimo favorito nesta meia-final da Taça de Portugal.
Peguemos agora na Taça da Liga, ainda sem data marcada para a realização da meia-final a uma “mão”, no Dragão, na sequência da demora da decisão do processo que o Sporting moveu à bondade do atraso do início do jogo FC Porto-Marítimo o que conduziu a uma situação duplamente inédita: a já referida ausência de data para o jogo que decidirá quem se vai encontrar com o Rio Ave na final da competição e, mais raro ainda, o facto de o Sporting ter sido eliminado por três vezes nesta edição da Taça da Liga: uma no campo e duas na secretaria. É obra!
Com data ou sem data, o FC Porto é também o favorito para chegar à final porque jogará em casa a decisão, num único jogo, e é certo e sabido que o Benfica raramente ganha no Dragão mesmo quando tem melhor equipa e joga melhor futebol, tal como vem sucedendo nos últimos longos anos.
E, portanto, sem devaneios poéticos, é esta a situação: Taça de Portugal e Taça da Liga, no estado em que estão, pendem fortemente para o FC Porto.
Temos pena.
Prioridades são prioridades. E sobre isto ninguém me convence do contrário até porque o Arouca é que é do nosso campeonato.
 
 
Leonor Pinhão in A Bola