segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Memorabilia

E para começarmos esta semana em beleza, deixo-vos aqui um grande som: You Spin Me Around (1984), da banda inglesa electropop Dead or Alive.

video

Bom dia, Vietname!

A vietnamita Trần Thùy Linh é apaixonada por Portugal e pela língua de Camões, tanto assim é que criou um livro de português destinado a alunos vietnamitas que queiram aprender a nossa língua sozinhos. Trần Thùy Linh, ou simplesmente Lily, considera-se "vietnamita de coração e de raça" mas a sua passagem por Portugal, onde estudou português durante um ano na Universidade de Coimbra depois de ter previamente estudado a nossa língua na Universidade de Hanói, deixou-lhe uma "grande admiração pelo país e pelas suas gentes".
Em entrevista ao jornal Tribuna de Macau, Lily pretende com o livro facilitar o acesso à nossa maravilhosa língua por parte dos seus compatriotas emigrados em países lusófonos, "uma vez que o tempo disponível para frequentarem um curso de português, nesses países, é geralmente escasso devido aos afazeres laborais". No Vietname, informou ela, "mesmo nas grandes livrarias a literatura em língua portuguesa é praticamente inexistente", pelo que depois de regressar do curso de Língua e Cultura Portuguesas, que frequentou em Coimbra em 2013/14, Lily manteve a "paixão pelo idioma português e pelas vibrações positivas resultantes da estadia em Portugal e do relacionamento diário com os portugueses". "É toda esta experiência positiva que procuramos transmitir aos nossos concidadãos, através do método autodidacta. Tornando-os curiosos e motivando-os a descobrir e a aprender uma nova língua, de uma forma simples e fácil". Foi esta, aliás, um dos compromissos por ela assumido quando se candidatou a uma bola de estudo em Portugal através da Fundação Oriente. Prometeu que "tudo faria para estimular e aprofundar o relacionamento entre o Vietname e os países da comunidade de países de língua portuguesa". "Espero também que este livro, ainda que de forma modesta, possa contribuir para fortalecer o relacionamento entre Portugal e o Vietname", acrescentou.
O relacionamento de Portugal com o Vietname já dura há 500 anos. Não se "pode ignorar que a língua de Camões foi durante quatro séculos o meio de comunicação entre os países da Ásia, no comércio, nos tratados entre países, nas relações bilaterais e nos contactos com os missionários europeus". Além disso, o português foi usado em termos comerciais, fazendo com que muitas pessoas aprendessem a língua e muitas palavras e expressões fossem assimiladas pelas línguas locais. "No Vietname, Francisco de Pina, um jesuíta português, foi, no século XVII, o pioneiro da romanização da língua escrita vietnamita, então anamita. O português foi usado como base alfabética para a escrita da língua vietnamita, o actual Quoc Ngu", recordou Lily. Apesar disso, considera que "ainda há muito por fazer nomeadamente no que concerne ao desenvolvimento das relações culturais entre ambos os países". "Tenho-me apercebido de que há cada vez mais vontade e disposição para a aprendizagem da língua e da cultura portuguesas. Mesmo aqueles que já possuem conhecimentos de português procuram aperfeiçoar os mesmos", afirmou, acrescentando que o número de alunos matriculados no Departamento de Língua Portuguesa da Universidade de Hanói tem vindo a crescer anualmente. Para além disso, "algumas universidades portuguesas têm firmado acordos de intercâmbio com a Universidade de Hanói, concedendo aos estudantes vietnamitas a possibilidade de poderem frequentar uma universidade portuguesa, muitos deles, ao abrigo do programa Erasmus". Porém, "infelizmente, ainda não é dado o devido valor à língua portuguesa" e "as oportunidades de trabalho para os licenciados em língua portuguesa são muito escassas no Vietname, obrigando-os a procurar alternativas no mercado de trabalho".
Lily reconhece que a língua portuguesa não é fácil de aprender e que de início até pensou em desistir. "Todavia, a minha paixão pela língua e a minha força de vontade acabaram por vencer e permitir que concluísse a licenciatura", afirmou. "Devido à distância entre Portugal e o meu país, esse ano permitiu-me perceber e entender o verdadeiro significado da palavra ‘saudade’, sem dúvida, uma das mais belas palavras da língua portuguesa", concluiu.

O futebol e a Fé (II)

O Euro 2016 já lá vai, mas trago-vos hoje aqui um tema interessante suscitado pelo sítio conservador dreuz.info: o futebol voltou a ser cristão.

Stéphane Beaud
O grande número de conversões à seita islâmica permitiu a dada altura pressagiar uma vitória islâmica no futebol francês. Em 2011, o sociólogo Stéphane Beaud escreveu que "Num contexto em que aumenta em certos bairros o número de filhos de argelinos ou marroquinos, que se tornaram no grupo maioritário em termos de morfologia social, estes conseguem impor mais eficazmente as suas normas religiosas e sociais, especialmente nesse momento de hesitação na definição da identidade que é a adolescência. Em bairros com alta (e crescente) representação de norte-africanos, é manifesta a maior visibilidade do Islão (mesquitas, açougueiros halal, etc.), a prática dominante desta religião, o controlo social ampliado do cumprimento das proibições e a conversão de grupos minoritários (pessoas originárias das Antilhas, os chamados 'gauleses', etc.)".

Em 2013, Daniel Riolo disse, aquando do lançamento do seu livro Racaille Football Club, que "O Islão é a primeira religião na Primeira Liga (Francesa)", descrevendo que a seita islâmica vai invadindo as equipas de futebol, com os jogadores muçulmanos a exigirem comida halal, "oração" nos vestiários, banhos em calções, etc. Em 2010, esta realidade islâmica foi imposta a toda a selecção francesa, como o episódio Knysna demonstrou: imposição de comida halal a todos os jogadores da selecção francesa, ritos muçulmanos e leis religiosas islâmicas. O antigo guarda-redes Fabien Barthez chegou mesmo a declarar: "Quando entramos no vestiário da selecção da França, é como se entrássemos numa mesquita".

Aliado à afirmação identitária islâmica está o proselitismo, fazendo com que haja uma islamização na Ligue 1, denunciada em 2015 no documento intitulado Le sport amateur vecteur de communautarisme et de radicalité ("O desporto amador enquanto vector de engajamento e radicalização"). Nos últimos anos, todavia, tem-se assistido a uma nova tendência: a de jogadores franceses afirmarem-se ostensivamente cristãos. As equipas de França são historicamente compostas de católicos, pois a Igreja Católica é a religião maioritária de França. Não é por acaso que a França era conhecida como a Filha Predilecta da Igreja.

Yoann Gourcuff
Aparece agora o fenómeno oposto. "Hoje, os jogadores católicos franceses interessam-se mais por Deus, e não se escondem. Eles seguem o exemplo dos muçulmanos e dos jogadores da América do Sul", confirmou um dirigente de um clube que deseja permanecer anónimo. A ostentação da religião pelos muçulmanos, provavelmente, "desinibiu" os outros e a religião tornou-se num assunto frequente, mais do que a política. "Os jogadores de futebol passam muito tempo em viagem, e conversam sobre religião e sobre as suas respectivas culturas. Eles são curiosos e abertos. Há muitas troca de ideias entre eles", disse o mesmo dirigente. "Trata-se de uma forma de reacção de identidade: se os outros jogadores se dizem muçulmanos, então o que somos nós? Não podemos dizer: 'Nada'. Então dizemos que somos cristãos". Esta identificação é em parte o resultado dos excessos do islão comunitário com o Mundial de 2010, na África do Sul, a conhecer o seu auge: o grupo dos convertidos à seita islâmica tornou-se cada vez mais reivindicativo: Franck Ribéry, Nicholas Anelka, Éric Abidal. O então jogador da equipa nacional Yoann Gourcuff, actualmente no Rennes, foi desprezado por motivos étnico-religiosos e condenado ao ostracismo. Sendo já uma minoria, o branco deve ser assimilado e converter-se à invenção do falso profeta Maomé (como fez Ribéry), caso contrário permanecerá isolado. Ou então, pode identificar-se com outra comunidade de fé e reencontrar a sua cultura original. Este último desenvolvimento tem sido ajudado pelo testemunho de jogadores estrangeiros

Raymond Kopaszewski, mais conhecido por Kopa, é um antigo futebolista francês de ascendência polaca. Já com 84 anos de idade, ele que foi um dos melhores jogadores franceses de sempre, disse que "Nós no norte, éramos de segunda-feira a sexta-feira contra os franceses. Mas sabem o que nos reaproximou? É que todos os domingos encontrávamo-nos na igreja. Polacos, franceses e outros. Foi um factor unificador, uma medida de reconciliação geral".

A mãe de outro grande craque francês de todos os tempos, Michel Platini, de ascendência italiana, dava catequese em sua casa, atraindo sempre muitos miúdos.

O também antigo jogador e treinador francês Guy Roux, hoje com 77 anos, lembra que "Quando tínhamos aprendido bem o Catecismo, íamos ver um jogo de futebol". Já como treinador, "Lembro-me de que, no meu clube, o AJ Auxerre, eu tinha jogadores polacos vindos da mesma região que o Papa João Paulo II. Quando estávamos em estágio, não havia maneira de os levar a fazer o treino nas manhãs de domingo, porque iam todos à Missa!" O próprio AJ Auxerre é um clube de origem católica, pois foi fundado pelo abade Deschamps, agraciado com a Cruz de Malta, e ainda está sob a orientação espiritual de um sacerdote que é o Pe. Joel Rignault.

O antigo guarda-redes Lionel Charbonnier, de 49 anos e campeão mundial em 1998, disse que "No meu tempo, o centro de treino ficava ao pé da catedral e o Pe. Bonnefoyera era o seu director. Muitas vezes comíamos com ele. Fazíamos parte da paróquia de Saint-Joseph".

O franco-costamarfinense Djibril Cissé, de 34 anos, é um apóstata da seita muçulmana, pois converteu-se à Igreja Católica depois de ter ido para o Nimes quando tinha 14/15 anos. "O clube punha os jogadores a estudar em colégios católicos. Estudei o Catecismo, gostei e decidi escolher a religião católica, embora eu seja de uma família muçulmana".

Outro afro-francês, Bafétimbi Gomis, de origem senegalesa e de 30 anos, alimentou a sua fé com o ex-futebolista francês Bernard Lacombe, de 63 anos. "Muitas vezes eu ia rezar com ele à igreja. Foi ele que me levou pela primeira vez ao santuário de Nossa Senhora de Fouvière. Ele sempre teve essa fé bela e grande", disse Gomis.

O treinador Pascal Dupraz, do Toulouse, disse, no início do mês de Abril, que "Eu tenho fé. Sou católico, estou contente e tenho orgulho disso. Eu vou à igreja e respeito os locais de culto".

Fernando Santos
Também entre nós portugueses o seleccionador nacional Fernando Santos, o engenheiro do penta pelo FC Porto mas benfiquista assumido, nunca escondeu de ninguém que é um fervoroso católico. Foi, aliás, a sua fé uma das grandes responsáveis pela vitória portuguesa no Euro 2016, pois ele acreditou mais do que qualquer outro na equipa de todos nós. Após a vitória em Saint-Dennis, o técnico luso disse: "O meu desejo pessoal é ir para casa, dar um beijo do tamanho do mundo à minha mãe, mulher, filhos, ao meu neto, ao meu genro e minha nora e ao meu pai, que, junto de Deus, está seguramente a celebrar. A todos os amigos, um abraço muito apertado de obrigado pelo apoio, mas principalmente pela amizade. Por último, mas em primeiro, quero ir falar com o meu maior Amigo e Sua mãe, dedicar-Lhe esta conquista e agradecer por me ter convocado e agradecer por me ter concedido o dom da sabedoria, da perseverança e humildade para guiar esta equipa, com Ele a ter-me iluminado e guiado. Por tudo o que espero e desejo seja para glória de Seu nome".

Em 6 de Junho do ano passado, o jovem brasileiro e "evangélico" (i.e., protestante, ou seja, pseudo-cristão) Neymar ganhou a Liga dos Campeões pelo Barcelona e usou uma faixa na cabeça com a inscrição "100% JESUS" para celebrar a vitória. A inscrição foi depois censurada, sabe-se lá bem porquê, pela FIFA no vídeo para a cerimónia da Bola de Ouro. O mesmo aconteceu este ano com ele após a vitória do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

A França é cada vez mais um país desgraçadamente secular, logo o Cristianismo é agora, pode dizer-se, uma pequena tendência. Tal torna a profissão de fé dos jogadores de futebol uma coisa muito inesperada. 

Mathieu Debuchy, futebolista francês de 30 anos que actua no Bordéus, disse: "Eu sou católico e praticante, mesmo não indo à igreja regularmente. Mas oro todas as noites pelos meus. Acredito profundamente em Deus e no que Ele pode trazer para a minha família. Isto é o que eu peço nas minhas orações".

Yohan Cabaye
Outro jogador francês, Yohan Cabaye, de 30 anos e actualmente nos ingleses do Crystal Palace, disse que "A minha fé é uma parte muito grande da minha vida. Tenho a sorte de viver uma vida bela, desportiva, humana e da família também. Eu tenho tudo o que quero, mas sei que, durante a noite, tudo pode parar. Agradeço a Deus pela vida que Ele me deu e peço-Lhe para continuar fiel e ser poupado do Mal. Sempre fui mais ou menos crente, mas cresço cada vez mais com a minha fé. Hoje eu não posso viver sem ela. A minha avó era crente. Em casa, sempre vi cruzes, imagens de Maria, Bíblias, mas ela nunca nos obrigou a professar a sua fé". E acrescentou, ele que costuma ler a Bíblia durante as viagens da equipa nacional de França: "Eu oro sozinho de manhã, à tarde e à noite. E também leio livros para desenvolver a minha fé". 

Olivier Giroud, de 29 anos e jogador do Arsenal de Londres, afirma-se "muito crente. A minha mãe apresentou-me à religião e escolhi ser baptizado católico. Aos 21 anos, fiz uma tatuagem no braço direito com um Salmo tirado da Bíblia Latina, que significa: 'O Eterno é o meu pastor, nada me faltará'".

Florian Thauvin, de 23 anos e médio dos ingleses do Newcastle United, disse que começou a orar depois de ter sentido dores antes de um jogo quando tinha apenas 13 anos. "Orei e no dia seguinte já não sentia nada e pude jogar normalmente. Desde esse momento, oro. Tento ir mais vezes à igreja, pelo menos nas principais datas. A religião é assunto pessoal, não costumo falar com os meus colegas de equipa sobre o tema".

O perigoso avançado francês Antoine Griezmann, jogador do Atlético de Madrid com raízes alemães da Alsácia mas também portuguesas (o apelido Lopes que ele tem não engana – é de um avô seu que jogou no Paços de Ferreira antes de emigrar para a França), tem tatuagens cristãs. "Eu uso-as porque na minha família somos todos muito religiosos. Eu sou religioso".

Internacionalmente, o Cristianismo é a religião dominante no futebol. Os dois monstros da bola, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, são católicos (apesar de o serem apenas nominalmente), e os sul-americanos costumam ser muito religiosos. A tendência parece reforçar-se de uma geração para a seguinte e hoje podemos observar o regresso da religiosidade mesmo nas selecções de países seculares respeitáveis, tais como Inglaterra, Holanda ou Alemanha. Este interesse na fé (cristã) por parte dos atletas revela uma necessidade universal de sentido e de pontos de referência no mundo pouco sadio de futebol.


Nota: informações retiradas do blogue Amigo de Israel

Breves (23/09/16 - 26/09/16)


Parecia que o tricampeão nacional defrontou o Barcelona, mas não, era o Desportivo de Chaves mesmo, lá em Chaves, e mantém-se na liderança da Liga NOS ao fim de seis jornadas. No final do jogo registou-se uma esperada, clara e inequívoca vitória do Glorioso por 2-0, golos apontados por Mitroglou e Pizzi na segunda parte, e Rui Vitória, que igualou o treinador inglês Jimmy Hagan com 15 vitórias fora seguidas para a liga, disse que o que ele quer "é ganhar, seja onde for, o resto é acessório".


A selecção portuguesa de futsal apurou-se para as meias-finais do Mundial da Colômbia depois de derrotar o Azerbaijão por 3-2, na cidade de Cali, com golos lusos a serem marcados por Djô, João Matos e Ricardinho. Segue-se agora um embate com a Argentina na quarta-feira, um dia depois de Irão e Rússia medirem forças em Medellín.


O senhor Rufino Borrego, de 61 anos e do Alentejo, perdeu a mobilidade aos 13 anos e esteve 43 anos numa cadeira de rodas por causa de um diagnóstico incorrecto! Só aos 56 anos é que lhe fizeram um diagnóstico correcto: afinal não tinha, como suspeitavam, uma distrofia muscular progressiva, mas sim miostenia congénita por mutação do gene D0K7, uma doença rara e difícil de detectar nos anos 1970, curável com Ventilan, um medicamento para a asma. Bastou tomar Ventilan para Rufino pôr-se de pé em poucas horas e agora até já conduz. Ainda assim, ele não guarda rancor nenhum e diz que agora só quer aproveitar a vida. "Senti que renasci para a vida", afirmou.


O jovem russo Valery Spiridonov, de 31 anos, poderá tornar-se na primeira pessoa a realizar um transplante de... cabeça, no próximo ano! Tudo porque sofre de uma doença rara conhecida por Werdnig-Hoffman, uma atrofia muscular espinal que provoca degeneração muscular, problemas de mastigação, deglutição e respiração. O procedimento, extremamente arriscado e liderado pelo médico italiano Sergio Canavero, custa 12 milhões de euros, vai ser realizada na China por uma equipa médica de 150 elementos e irá demorar cerca de 36 horas. Se a operação correr bem, Valery poderá falar depois de recuperar a consciência e andar ao fim de um ano.


Mais um português ou luso-descendente morto na maravilha socialista que é a Venezuela: o jovem comerciante Michael Aurélio de Abreu, de 33 anos, foi assassinado na sexta-feira à noite à porta da sua fazenda no Estado de Lara por um grupo de assaltantes.


Em Zaandam, na Holanda, um gangue de imigrantes turcos provocou o caos agredindo transeuntes, intimidando as autoridades e filmando tudo para ser colocado nas redes sociais. 12 desses alógenos acabaram por ser detidos pelas autoridades. Resta agora saber quando é que a extrema-direita chega finalmente ao poder no país das tulipas.


Houve um tiroteio seguido de uma explosão na Suécia, mais precisamente na localidade islamizada de Malmö. Há pelo menos quatro feridos e as autoridades estão em alerta. Pode ser que venham agora dizer que o(s) responsável(eis) por isto seja(m) hispânico(s) como (não) é o atirador (muçulmano) responsável pela morte de cinco pessoas em Burlington, nos EUA...


Notícias como a anterior não é verdadeiramente de espantar num país onde a própria polícia admite que não consegue controlar 55 áreas ditas sensíveis ou simplesmente no-go zones, que é uma espécie de mito para algumas pessoas.


A caça furtiva em África matou mais de 100 mil elefantes nesta década, fazendo com que se registe o mais baixo nível de efectivos desde há 25 anos, informa um relatório da União Internacional para a Conservação da Natureza divulgado numa conferência internacional em Joanesburgo, na África do Sul. Os caçadores furtivos matam os elefantes por causa dos dentes deles que são depois vendidos a preços elevados principalmente nos mercados asiáticos.


O filho de um multimilionário chinês ofereceu oito iPhones 7 ao seu melhor amigo, o cão 'Coco'. Wang Sicong, assim se chama o gajo, é solteiro e é bastante cobiçado na China, mas para já prefere o cão...

Re.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Mais um fim-de-semana prolongado


Atenção, pessoal: o Blogue do FireHead não vai ser actualizado nos dias 23, 24 e 25 do corrente porque o FireHead não se encontrará em Macau. Como tal, ficai bem e até ao regresso do blogueiro!

«Sou o presidente da república de Portugal»

Martin Weill é o nome do jornalista francês do Canal+ enviado aos EUA para fazer a cobertura da 71.ª sessão da Assembleia Geral da ONU e que não sabe que o Marcelo Rebelo de Sousa é o presidente da república de Portugal.

video

Ora aí está um profissional do jornalismo que não fez o trabalho de casa. Deve ser da azia que lhe deu a derrota da França na final do Euro 2016...

«EU, fuck you!»

video

O presidente filipino atacou de novo: depois de ter chamado "filho da puta" ao falhado do Barack Hussein Obama, Rodrigo Duterte reagiu às críticas da União Europeia sobre a sua campanha contra as drogas, o que já provocou mais de 3500 mortes de alegados traficantes e drogados desde que ele subiu ao poder graças à bendita e maravilhosa democracia, dizendo o seguinte à maçónica organização: fuck you!
Num discurso em Davao, onde ele já chegou a ser presidente da câmara antes de ser eleito presidente, na passada segunda-feira, Duterte disse assim: "Agora a União Europeia tem o descaramento de condenar (a campanha contra as drogas). Repito, fuck you. Quando li as condenações da União Europeia disse fuck you. Estão a fazê-lo para expiar os vossos pecados. Agora são rigorosos porque se sentem culpados", explicou Duterte. "Quem matei? 1700 aqui? Chamam a isso genocídio? Quantos mataram vocês?", perguntou antes de se referir a países como a França e o Reino Unido que apoiaram os EUA em ataques contra países do Médio Oriente que causaram um número elevado de mortos. Já os EUA foram acusados de ser hipócritas, pois esquecem-se dos massacres cometidos contra filipinos no sul das Filipinas no início do século XX. Duterte também não poupou o líder hipócrita da não menos hipócrita (e maçónica) ONU, o sul-coreano Ban Ki-moon, classificando-o como um "inútil".
Duterte conseguiu, no pouco tempo que leva no poder, reduzir o fornecimento de estupefacientes em 90% e muitos dos traficantes e drogados que se entregaram às autoridades foram poupados da morte. E o povo filipino parece estar a gostar muito dele por causa disso e não só. O Duterte está a salvaguardar a soberania do seu país e a torná-lo mais seguro como fez com Davao e como fez o dragão asiático Singapura há décadas, o que permitiu à cidade-Estado atingir o nível de desenvolvimento e coesão social que hoje tem. E se os filipinos estão a gostar, pois que se lixem os outros, como todos aqueles que ficam stressados quando ouvem falar de ditaduras (o irónico é que geralmente é gente de esquerda como os comunas de certos regimes totalitários que ainda existem no mundo) ou atropelos aos Direitos Humanos. Mas quais Direitos Humanos, pá? Uma pessoa tem mais direito a não ser vítima da criminalidade do que um criminoso a defender-se perante a justiça ou a não ser executado!
Grande Duterte! É isso mesmo, aperta com os hipócritas que se julgam com moral para te apontarem o dedo!

“Det Nya Landet” (O Novo País)

Uma organização de caridade genocida de nome IM criou o seguinte vídeo-propaganda que apela à colonização da Suécia por parte de outros povos, como por exemplo refugiados terceiro-mundistas, e à integração dos próprios suecos numa utopia multiculturalista que se traduz num novo país. Não é por acaso que a própria ONU já admitiu o óbvio: a Suécia vai tornar-se num país terceiro-mundista em breve.

video

Já agora, porque não aplicar também a utopia multiculturalista (Plano Kalergi?) em África e nas islamolândias para as tornar também enriquecedoramente diversas, só mesmo para variar um bocadinho? Ah, porque os povos africanos e muçulmanos têm direito à preservação das suas identidades e porque o genocídio está catalogado como crime de acordo com a ONU?

Mais um negro abatido lá nos EUA...


... e uma vez mais a escumalha saiu à rua gritando "racismo!" e outros tipos de insultos contra a bófia de Charlotte enquanto provocava distúrbios na cidade.
O que aconteceu foi o seguinte: segundo a polícia, o afro-americano Keith Lamont Scott estava com uma arma de fogo que "representava uma ameaça de morte iminente para os agentes". Segundo a família do Keith, o que ele transportava era... um livro. Já agora, o agente que abateu Keith chama-se Brentley Vinson e... também é um afro-americano. E não foi o primeiro polícia afro-americano a matar em serviço um afro-americano...
E agora, hein? Também é racismo?

Mala feita de gato morto em leilão


Um site de vendas online da Nova Zelândia está a gerar polémica por ter colocado à venda uma mala feita com um gato morto por 1400 dólares neozelandeses, qualquer coisa como 920 euros. Além do pêlo do animal, o acessório tem também a cabeça do felino completamente intacta.
Depois de vaca, cobra, crocodilo, leopardo... o gato!

Bebé nasce com... armadura?

Um bebé do sexo feminino nasceu lá na Índia coberto de placas brancas e grossas que fazem lembrar a pele grossa para protecção de alguns animais. A pele da pequena de 1,8 quilos era tão dura que até as pálpebras e os lábios dela se viraram do avesso!
Trata-se de um defeito genético raro que se chama Ictiose Arlequim - Ichthyosis Fetalis; Harlequin Fetus - e que afecta a formação da pele, criando camadas grossas que racham quando estão muito secas.
A criança acabou por falecer três dias depois de ter nascido, não suportando mais o seu estado crítico. Os médicos ainda tentaram fazer de tudo para salvá-la, mas ela acabou por morrer por envenenamento do sangue. Segundo os médicos, foi até um milagre ela ter sobrevivido ao parto. Os seus pais decidiram doar o corpo para a ciência na esperança de ajudar os que sofrem da mesma doença.
A Ictiose Arlequim pode ser detectada aos quatro meses de gestação, mas a família do bebé vem de uma situação de pobreza extrema, pelo que não pôde fazer os exames pré-natais. No entanto, é possível viver com esta doença que não tem cura (diz o Diário de Biologia que os pais consaguíneos têm maiores probabilidades de ter um bebé com Ictiose Arlequim). A solução passa por tomar banho várias vezes por dia de modo a amolecer e remover rapidamente as camadas grossas da pele, bem como usar constantemente creme hidratante.


A americana Stephanie Turner, de 24 anos, é a pessoa mais velha no seu país com esta condição, pois superou em muito a expectativa de vida dos que sofrem desta doença e que é de três anos de idade no máximo. E Stephanie leva uma vida perfeitamente normal, sendo casada e mãe de dois filhos saudáveis.

Paciente auto-operou-se


Em Inglaterra, o engenheiro Graham Smith estava desesperado com a lista de espera no Hospital Aintree de Liverpool depois de há 15 anos atrás ter-se submetido a uma operação aos intestinos. Como em 2011 as dores voltaram, o que o levaram a perceber que algo não tinha corrido bem durante a cirurgia, decidiu abrir o seu próprio abdómen com diversos instrumentos utilizados na medicina dentária e desfez os 12 nós de linha de nylon que compunham a linha de sutura. A auto-operação correu bem, mas o engenheiro não aconselha outras pessoas a fazerem o mesmo. 
"Não estava preparado para morrer numa lista de espera. Tentei fazer tudo pelas vias normais, mas estava com uma septicemia (infecção generalizada)", explicou Graham à estação televisiva BBC. "Sou um homem novo. Durante 15 anos tive de andar inclinado para a esquerda".
Confrontado com esta atitude, o hospital já marcou uma consulta para Graham para lhe serem prestados os cuidados pós-operatórios.

Bicicleta com vibrador


A sex shop Fluid Lab e a Mala de Garupa, empresa especializada em acessórios para bicicletas, criaram no Brasil bancos de bicicleta removíveis com um vibrador "para dar mais prazer" enquanto se pedala. De acordo com uma responsável da Fluid Lab, Brunna Rosa, muitas pessoas acham a proposta estranha mas já há mulheres a aderirem ao acessório, que custa cerca de 50 euros. "O objectivo principal é colocar o prazer num espaço de naturalidade e também promover a cultura das bicicletas. Isso foi alcançado plenamente e estamos muito felizes com a repercussão".

Mulher volta a andar no seu casamento e surpreende toda a gente


No dia do seu casamento, a norte-americana Jaquie Goucher, de 25 anos e paraplégica desde os 17, levantou-se da cadeira de rodas e caminhou até ao noivo, Andy, dez anos mais velho que ela. Diziam os médicos que Jaquie nunca mais voltaria a andar quando há oito anos atrás ela quebrou o pescoço ao mergulhar numa piscina.


"Quando recuperei o movimento inicial, sabia que tinha a mão de Deus, porque a minha pressão arterial era tão baixa que eu mal conseguia sair da cama. O cirurgião ficou em choque quando descobriu que eu conseguia movimentar o meu dedo do pé seis meses depois do acidente", afirmou Jaquie ao Christian Today, que fez reabilitação e fisioterapia intensiva nos quatro meses antes do casamento. Ainda assim os médicos não conseguem arranjar uma explicação racional para a sua recuperação.



Muitas felicidades aos pombinhos!

As novas regras do Euromilhões e o M1lhão


A partir da próxima semana, mais precisamente a partir de terça-feira dia 27, o Euromilhões vai ficar mais caro. São 2,5 euros por cada aposta simples, haverá mais uma estrela na matriz e o prémio-base sobe de 15 para 17 milhões de euros. Além disso, jogar no Euromilhões implicará jogar também no novo sorteio criado pela Santa Casa de Misericórdia, o M1lhão, conhecido legalmente como Totosorteio e que se estreará no próximo dia 30 com um super jackpot de 130 milhões de euros do Euromilhões, o valor dos super jackpots mínimos garantidos.
O M1lhão é um sorteio de um milhão de euros que será atribuído garantidamente todas as sextas-feiras exclusivamente para apostas do Euromilhões registadas em Portugal. Para cada aposta simples no Euromilhões registada no país será gerado automaticamente um código alfanumérico único e aleatório composto por três letras e cinco números que é atribuído aquando do registo do boletim do Euromilhões. Para ganhar o M1lhão basta que o código seja igual ao código alfanumérico sorteado.

video

Além das alterações do Euromilhões, acordadas no passado dia 8 de Julho entre os oito países participantes no Grupo Euromilhões (Portugal, Espanha, Áustria, Bélgica, França, Irlanda, Luxemburgo, Suíça e Reino Unido), e da introdução do M1lhão em Portugal, haverá também duas vezes por ano um "evento promocional" chamado "Chuva de Milionários" que premiará 25 apostadores do Grupo Euromilhões com um milhão de euros cada.
Enfim, se já era praticamente impossível ganhar o Euromilhões, já anteriormente apelidado de Euroilusões, agora ainda mais impossível ficou. Mas jogar ou não, eis a questão...

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Morreu o maior exorcista de sempre


Morreu aquele que foi certamente o mais famoso exorcista de sempre, Pe. Gabriele Amorth, aos 91 anos de idade em Roma, na passada sexta-feira, vítima de problemas pulmonares.
Ordenado sacerdote em 1954, Pe. Gabriele Amorth foi ajudante durante vários anos do Pe. Candido Amantini, exorcista da Santa Sé, antes de sucedê-lo em 1990. Depois fundou a Associação Internacional de Exorcistas (AIE), que conta hoje com 250 exorcistas de 30 países e que Pe. Gabriele Amorth presidiu até se aposentar aos 75 anos em 2000 com um currículo que regista cerca de 160 mil exorcismos. Foi também autor de várias obras sobre o exorcismo, a última das quais publicada em língua espanhola em 2012 sob o título "O último exorcista. A minha batalha contra Satanás".
Um dos sacerdotes da AIE disse, durante às exéquias, à ACI Digital que o Pe. Gabriele Amorth "acompanhava com grande humildade, fé, generosidade e caridade as pessoas que eram atormentadas pelo maligno" e "os animava no duro caminho da libertação". "Era admirável a sua capacidade de criar um ambiente sereno durante os exorcismos, transmitindo calma a todos. (...) Deus quis que dom Gabriele levasse adiante esta associação com grande entusiasmo e vigor para ajudar os exorcistas a desenvolver a sua tarefa. Foi sincero com todos, entre os exorcistas sempre foi admirado pela sua grande espiritualidade encarnada na sua vida de oração e no seu grande amor à vida religiosa, ao seu instituto religioso, ao sacerdócio, ao Papa (...) Também à adoração eucarística e à Virgem Maria".
Depois de uma carreira de 30 anos a lutar contra demónios, o merecido descanso. Paz à alma do Pe. Gabriel Amorth.

Sharon Stone esteve no além!


A famosa actriz norte-americana Sharon Stone, de 58 anos, sofreu uma hemorragia cerebral e teve uma experiência de quase morte que durou alguns instantes. Isso foi já há 15 anos atrás. Dois anos depois, teve que aprender novamente a andar, a falar e a ler.
Em entrevista à revista Closer, Sharon disse: "Senti que tinha morrido. Havia um vórtice de luz sobre mim e de repente fiquei cercada por uma luz branca. Comecei a ver muitos amigos que já tinham morrido, gente que me era muito querida. Foi uma viagem real por lugares tanto da Terra como do além. Foi muito rápido, instantes depois já estava de volta ao meu corpo". Por causa disso, "Já não tenho medo da morte, a morte é uma dádiva. Quando chega a hora de morrer, que toca a todos, é gloriosamente bela. Nesse momento pude sentir um grande bem-estar e um sentimento de paz".
Sharon Stone, de ascendência irlandesa, já coleccionou dois divórcios e alguns romances falhados. Como é infértil, tem dois filhos adoptivos, algo que é verdadeiramente de louvar, e é uma convertida ao budismo tibetano, vajrayana ou lamaísmo, que é uma sub-subseita da própria subseita mahāyāna. Apesar disso, diz crer em Deus, o que é algo que choca frontalmente com o budismo que é não-teísta e anti-metafísico.

O fim da Brangelina?


A famosa actriz Angelina Jolie solicitou o divórcio ao seu marido, o também famoso actor Brad Pitt. 
De acordo com o sítio TMZ, os documentos já foram entregues no tribunal e argumenta a Angelina Jolie que há "diferenças irreconciliáveis" entre eles os dois ao fim de 12 anos juntos. Além disso há ainda conflitos entre eles sobre a educação dos seus seis filhos, o que levou Angelina Jolie a requerer a custódia de todos eles sem exigir qualquer pensão ao Brad Pitt, até porque isso nem sequer é necessário.
Brad Pitt e Angelina Jolie conheceram-se quando contracenaram no filme Mr. & Mrs. Smith, era o actor ainda casado com a actriz Jennifer Aniston. Eles estão juntos desde 2004 apesar de só terem dado o nó 10 anos depois. E pronto, que chatice do caraças.

Uma semana em Portugal

Uma das gémeas Mortágua, família cuja notoriedade define o país, mostrou quem realmente governa isto e anunciou um novo imposto sobre o património imobiliário («para apanhar quem escapa ao IRS»). 

O PCP, que em matéria de assaltos não gosta de ficar à porta e invade furioso a horta, quer alargar o imposto ao património mobiliário, ou seja colocar a mão literalmente na massa. 

A CGTP, que lutou pela «escola pública» (?), luta agora pelos trabalhadores despedidos dos colégios privados que se empenhou em fechar.
O secretário de Estado que viajou à conta da GALP não se demite do cargo mas demite-se de tutelar a GALP. 

O Presidente dos «afectos» ouviu um par de «homólogos» estrangeiros jurarem-lhe pela pujança da economia indígena e não percebeu o sarcasmo. 

O — passe a expressão — primeiro-ministro exibiu o imaginário que lhe habita a cabecinha e, em momento de típica erudição, sugeriu a Pedro Passos Coelho que vá caçar Pokémons. 

O — desculpem o termo — ministro das Finanças, que cá dentro compete em boa disposição com o dr. Costa, andou lá fora a jurar que trabalha imenso para evitar um segundo «resgate», que na verdade seria o quarto. 

Os portugueses que ainda não enlouqueceram já nem duvidam da necessidade do resgate, mas duvidam que o tenhamos quando precisarmos dele. O problema é que os portugueses que ainda não enlouqueceram são uma minoria de resistentes. E um problema maior é que, aos poucos, a resistência perde razão de ser: a cada semana, o ambiente em curso convida à resignação e ao abandono. De acordo com as sondagens, cinquenta e tal por cento dos cidadãos registam os sinais e acham que a coisa vai no bom caminho. 

No meio da desagregação geral, a opinião publicada aflige-se com a entrevista de um juiz (pretexto para exaltar o eng. Sócrates), as memórias de um antigo assessor (pretexto para criticar Cavaco) e os mexericos do arq. Saraiva (pretexto para demolir Passos Coelho). Portugal é uma casa em chamas onde os moradores só se preocupam com a fechadura que range. Não tarda, estamos a olear a porta reduzida a cinzas. E a culpar a «direita», a «Europa» e a Via Láctea pelos estragos. A Via Láctea não é nossa amiga.


Alberto Gonçalves in Diário de Notícias via Mais Lusitânia

Mais uma jovem violada em Lisboa

Uma jovem de 21 anos foi violada ao princípio da manhã do passado domingo depois de ter saído de um autocarro na zona das Avenidas Novas, na capital portuguesa.
O autor do crime é um homem aparentando 30 a 40 anos que saiu do autocarro ao mesmo tempo que a vítima depois de a ter "marcado" pelas 5:30 da manhã na zona do Cais de Sodré enquanto ela curtia a night, informa o CM. O criminoso, que o CM não adianta se é um cidadão nacional ou estrangeiro, arrastou a rapariga até às traseiras de um prédio e violou-a. A Polícia Judiciária está agora a tomar conta do caso.
Nada destas coisas que vão infelizmente continuando a acontecer em Portugal é suficiente para fazer com que as pessoas sintam saudades dos tempos doutra senhora, tempos esses marcados por um profundo "cinzentismo", rigor, ordem e paz...

Traficante inglesa abatida nas Filipinas

Maria Moynihan foi encontrada morta em Quezon City, Manila
A campanha anti-drogas decretada pelo presidente filipino Rodrigo Duterte provocou uma morte mediática: a traficante de droga britânica Maria Aurora Moynihan, que era filha de um barão, foi mortalmente alvejada em Manila. 
Maria, de 45 anos, também possuía nacionalidade filipina porque o seu pai fugiu para as Filipinas nos anos 60 do século passado devido a acusações de fraude que pendiam sobre ele. No maior país católico da Ásia, o barão dedicou-se a explorar bordéis e ao tráfico de droga, actividade continuada pela Maria, mas morreu em 1991 com um enfarte. Se tivesse sido apanhado pelo ditador Ferdinand Marcos, teria muito certamente morrido bem mais cedo.
Na verdade não foram agentes da polícia que abateram a Maria, mas sim muito possivelmente um grupo de vigilantes armados que ajudam o governo a perseguir traficantes.

Maria Moynihan (à direita) com a sua irmã, a actriz Maritoni Fernandez
Desde que Duterte assumiu o poder já morreram mais de 3500 traficantes de droga, a maior parte deles (talvez uns 2/3) devido aos gangues de vigilantes. Estes existem a pedido do próprio presidente filipino, que garantiu que os civis que matarem traficantes não terão problemas com a justiça.

Benfica e Monte Carlo na final da Bolinha

O Sport Macau e Benfica derrotou o Sporting Clube Macau no desempate das grandes penalidades após um empate a uma bola durante os 50 minutos de jogo e apurou-se para a final da Bolinha (futebol de sete).
No campo sintético do Colégio D. Bosco, Lee Keng Pan adiantou os lagartos do território no marcador aos 40' mas Edgar Teixeira, aos 48', empatou para os encarnados. Nos penáltis, Júnior Soares e Edgar Silva falharam para os leões.
Na outra meia-final do campeonato da 1.ª divisão da Bolinha, o Monte Carlo, com alguma surpresa ou não, eliminou o Ka I, o bicampeão da Bolinha em título, também na lotaria dos penáltis depois de um nulo registado no tempo regulamentar. O brasileiro Diego Patriota, um dos craques do Ka I, falhou a conversão do seu castigo máximo.
A final da Bolinha deste ano está agendada para o próximo dia 29 às 20:30. De certeza que as bancadas vão estar apinhadas de tugas.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Tricampeão na liderança


Precisávamos de ganhar ao Sporting de Braga para passarmos para a liderança isolada da Liga NOS com 13 pontos e foi precisamente isso que aconteceu no Estádio da Luz perante 52 mil pessoas ontem, um dia útil, o que é significativo da dimensão do clube. 
O regressado Mitroglou apontou dois golos e Pizzi, um dos quatro portugueses do 11 titular, marcou também um golo. Para os braguistas reduziu o sérvio Lazar Rosic em cima do apito final. A vitória não sofre nenhuma contestação, tal foi a nossa superioridade ao longo do jogo.

video

No fim do jogo, Rui Vitória saudou o regresso do avançado grego dizendo que ele tem uma grande percentagem de concretização. O técnico disse também que é uma "coincidência" sofrermos golos sem o sérvio Fejsa em campo e que a onda de lesões é para ser desvalorizada. "Com muita pena minha vou ter de deixar jogadores com muita qualidade de fora, isso é que magoa mais", desabafou.
Carrega, Benfica!!

É uma tristeza, é o que é


Ultimamente, não consigo escrever um texto bom no Blasfémias. Digo-o com toda a sinceridade. Os imbecis que nos governam, os toscos que os apoiam, o rol de idiotas chapados com formação académica que os aclamam e os média, que os tratam sem insultarem as respectivas mães – culpadas, certamente, por amamentarem estas criaturas até ao doutoramento -, geram uma tristeza tão contagiosa, açambarcadora e deprimente que suga qualquer hipótese de humor sobre toda a tragédia que é o Portugal do século XXI. 
Nestas alturas, só regressando ao país real, longe do Porto, longe de Lisboa – ou a 30 km, que já é suficiente para arejar -, posso encontrar o português honrado, aquele que não aparece a comentar esta corja toda com paninhos quentes relativistas, o filtro descrito por Taleb no artigo “The Intellectual Yet Idiot”. No país real também há ladrões, também há putas, também há violadores: só não são é aceites e justificados perante a comunidade como pertencendo ao rol da gente de honra. 
Para já, esses estão calados. Se continuarem a ser provocados, com ameaças ao espólio de décadas de árduo trabalho, a honra virá ao de cima. É que, se o pai da Mariana Mortágua podia disparar uns tiros a inocentes e ainda assim ser condecorado por Sampaio, estes acabarão condecorados pela comunidade real. E, para que conste, Mariana, essa motorizada é sul-coreana, sua burra, não é norte-coreana. É de uma empresa de capitalistas daqueles que empregam uma dezena de milhar de pessoas. É uma motorizada fabricada por um dos teus alvos a abater, abécula.

Vítor Cunha in Blasfémias
18 de Setembro de 2016

Japão: mais de 40% dos jovens adultos solteiros são virgens?


Diz aqui que um estudo do Instituto Nacional da População e Segurança Social do Japão concluiu que 42% dos japoneses solteiros e 44,2% das japonesas solteiras com idades entre os 18 e os 34 são virgens. Se tivermos em conta que a sociedade japonesa está bastante saturada com imagens sexuais, desde os desenhos animados (anime ou manga) até à pornografia (o Japão é a maior indústria pornográfica do mundo), tal não deixa de ser verdadeiramente espantoso.
O Japão é actualmente um dos países mais envelhecidos do planeta, tem a taxa de natalidade em queda livre e também há por lá cada vez mais solteirões (70% dos solteiros e 60% das solteiras nem sequer namoram). Apesar dos esforços do governo para fazer aumentar a natalidade, 30% dos jovens adultos inquiridos não estão à procura de uma relação e mesmo casar. O governo de Shinzo Abe quer aumentar a taxa de fecundidade de 1,4 filhos por cada mulher em idade fértil para 1,8 até 2025, mas pelo andar da carruagem terá de fazer muito melhor...
O verdadeiro problema não é haver muitos virgens, que no caso das gajas até é uma coisa muito boa (LOL), mas sim o facto de haver pouca procriação. E, conhecendo como conheço o Japão, para os japoneses sempre é preferível ver a sua população reduzir-se do que ter de recorrer à imigração desenfreada para contrariar o declínio populacional, isto apesar de as últimas duas Misses Japão serem mestiças, claro... Já agora, serão elas virgens também?

Stôra negra sexy


Há mais uma stôra sexy que se tornou conhecida lá nos States, agora uma neguinha: Patrice Brown, docente de crianças entre os nove e os dez anos numa escola em Atlanta. Ela é tão sexy, mas tão sexy, que está a ser alvo de críticas devido à forma como se veste para dar aulinhas às crianças.
Felizmente há sempre gente que defende a liberdade de Patrice de vestir-se como ela bem entender, mas também há quem considere o seu visual "inapropriado para crianças desta idade", até porque "os rapazes mais novos já são uns perversos". "Só gostava que as pessoas me respeitassem e se focassem naquilo que realmente interessa, que é educar as crianças e as futuras gerações", explicou Patrice em entrevista ao Daily Dot.
Há rapazes muito novos que já são uns perversos, então não há? Ainda não há muito tempo atrás vi dois putos irmãos chineses que caminhavam à minha frente numa rua enquanto apalpavam a empregada indonésia deles, que os tinha ido buscar à escola, com a rapariga claramente desconfortável com a situação...

Gascoigne multado por comentário racista


O antigo futebolista britânico Paul Gascoigne foi condenado pelo juiz Graham Wilkinson a uma multa de 1168 euros por causa de um comentário racista a um segurança negro, Errol Rowe. "Gazza", de 49 anos, disse, num programa televisivo do ano passado, o seguinte a Errol: "Importa-se de sorrir se faz favor porque eu não consigo vê-lo?"
Graham não tem dúvidas: "Você (Paul Gascoigne) procurou fazer sorrir uma plateia de mais de mil pessoas por causa da cor da pele de Rowe".
Alguém por favor avise-me de casos semelhantes que envolvem racistas negros (isso existe para o politicamente correcto?). Pode ser em África mesmo. Robert Mugabe, talvez?

Explosões em Nova Iorque

video

Houve uma série de explosões em Nova Iorque inspirados no... terrorismo islâmico, por muito que as autoridades locais e os mé®dia não tenham tomates para admitir o óbvio. Ou então é porque omitem descarada e propositadamente a verdade para... não ferir susceptibilidades nem alimentar (ainda mais) o "ódio" e a "intolerância".
O autor das bombas artesanais, Ahmad Khan Rahami, um afegão de 28 anos que se naturalizou norte-americano, foi detido depois de ter ficado ferido numa troca de tiros com a polícia. Curiosamente, o alógeno já tinha chegado a processar as autoridades policiais de "islamofobia"... 
A sorte para os EUA e também para o mundo é que a Hillary Clinton, que juntamente com o Barack Hussein Obama criou o Estado Islâmico (que reivindicou a autoria do atentado terrorista cometido por um somali muçulmano há uns dias atrás no Minnesota, que os tipos lá do sítio Bare Naked Islam não hesitam em chamar de Minnesotastão devido à comunidade muçulmana lá radicada), tem um plano preparado para vencer o grupo terrorista (para limpar a merda que fez, né?). Já Donald Trump, visionário, não hesitou em prever novos ataques e criticou novamente a política de portas abertas...

Cardeal fala da conquista islâmica da Europa


Já aqui cheguei a colocar alguns exemplos de membros da Igreja que não afinam pelo mesmo diapasão do politicamente correcto nem papam grupos só mesmo naquela de escarrapachar aqui bem escarrapachadinho que os que acreditam e defendem, tendo possivelmente até sonhos molhados com isso, que o Cristianismo quer a destruição da superior civilização do Ocidente (o que seria uma suprema ironia, pois não existiria nenhuma superior civilização do Ocidente se não fosse por causa do Cristianismo, mas adiante...) andam a propagadar uma enormíssima peta.
Graças a um camarada da blogosfera, soube aqui desta notícia que fala de um cardeal do qual eu já tinha tomado conhecimento através do blogue do meu amigo católico Pedro Erik. Falamos do cardeal austríaco Christoph Schönborn, o arcebispo de Viena, que avisou que os europeus estão em perigo por terem perdido a sua herança cristã e que existe efectivamente uma conquista islâmica da Europa. Ou seja, um cardeal consciente que apenas e só alertou para o que está de facto a acontecer no mundo real. Não é também por acaso que os países europeus que mais se opõem a esta invasão islâmica e que já alegaram publicamente a defesa da cultura cristã (a nacionalista católica Polónia, a Hungria de Viktor Orbán, a Eslováquia de Robert Fico ou precisamente a Áustria do cardeal Schönborn) estão numa de formar uma frente de resistência.
"As palavras do cardeal são as mesmas que muitos bispos e santos cristãos disseram sobre o Islão ao longo da História. Os cristãos lutaram contra os avanços militares dos muçulmanos desde Maomé. Como será a próxima luta contra os muçulmanos, já que os muçulmanos moram nos mesmos países que os cristãos, são vizinhos, e por vezes estão em maior número em cidades de países cristãos?", interroga Pedro Erik, que analisou alguns eventos importantes que ocorreram em dias 11 de Setembro.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

A Guerra dos Nórdicos contra a Civilização

Por Todd Lewis 

Dentro do crescente movimento da Nova Direita, do Renascimento Sóbrio, ou da Direita Radical, existe um elemento que emana do ressurgimento pagão dos anos 70. Este texto não é um ataque aos fundamentos do Neo-Paganismo em si, mas sim a refutação de certos argumentos contra o Cristianismo que emanam desses antros. Stephen McNallan, practicante de Asatru, alega que as civilizações Nórdicas e Germânicas, culturas prósperas e dinâmicas que eram criativas e progressivas, foram destruídas pela Igreja Católica Romana, cujo espírito imperial era uma extensão dos Césares Romanos. 

Os ataques dos Vikings são vistos como uma resposta tardia à Igreja imperalista, sob as ordens do Papa, e ao Sagrado Império Romano, sob o comando de Carlos Magno. Ele [Stephen McNallan] cita as guerras Saxónicas e as conversões forçadas dos Germânicos como o momento-Munique - desculpem-me a metáfora - para os Nórdicos. Os raids Vikings, embora tenham sido um fracasso, foram feitos em nome duma justificável legítima defesa. Para além disso, a Igreja é vista como uma genocida destruidora de culturas e de religiões que procurou formas de exterminar os pagãos do Norte e do Este. 

Esta narrativa é claramente um absurdo. 

A primeira civilização do Ocidente foi o reino Cretense dos Minóicos (2700 AC - 1450 DC). Os Minóicos eram conhecidos pelos seus marinheiros, pelo palácio em Knossos, e por terem desenvolvido um sistema de água fria e de água quente. A civilização ocidental, com as periódicas invasões bárbaras, emergiu dessa raiz e eventualmente floresceu até se tornar na grande civilização de Grécia e Roma. Durante este período, a ciência, a filosofia, a retórica, a geometria, a poesia, a história e a lei foram desenvolvidas e refinadas até a um nível sem igual (exceptuando na China). 

Durante os 3500 anos que vão desde os Cretenses até Carlos Magno, o que foi que os Nórdicos e o Teutónicos produziram? Para todos os efeitos, nada. Runas, barcos longos, espadas longas, e bosques sagrados são substitutos fracos para Ésquilo, Heródoto, Platão, Numa, e Virgílio. Portanto, estes Nórdicos foram uma raça completamente improdutiva e irrelevante habitando as regiões hiperbóreas da Europa. Irrelevantes, excepto as suas periódicas incursões assassinas rumo ao sul. 

Os neo-pagãos querem que nós acreditemos que, num paroxismo de imperialismo, foi a Roma Antiga e a Igreja Medieval quem deu início à guerra de extermínio contra os pagãos religiosamente tolerantes. Esta alegação é absurda. Antes de mais, foram os Teotónicos que deram início ao derramamento de sangue. 

Depois de esmagarem a próspera Cultura Hallstatt (a civilização celta mais antiga que se conhece), estes pagãos inextinguíveis avançaram sobre os Alpes para dentro da província Romana na Gália Cisalpina. As tribos que invadiram as terras Romanas eram os Cimbros e os Teutões; nas batalhas de Noreia e de Arausio eles esmagaram dois exércitos Romanos. Esta onda de Nórdicos foi finalmente parada por Caio Mário nas batalhas de Águas Sêxtias e de Vercellae. Todas as guerras Romanas futuras têm que ser vistas à luz de se prevenir mais invasões por parte dos Cimbros e dos Teutões. 

As inúmeras guerras entre os Romanos e os Germânicos - desde Júlio César até ao Imperador Honório - foram em parte inconclusivas, mas o medo que Roma tinha dos Nórdicos provou-se válido em 406 quando a fronteira do Reno foi esvaziada de exércitos seus por parte de Flávio Estilicão (como forma de lutar contra Alarico) e os pagãos invadiram a Gália. A grande civilização clássica que havia durado cerca de 1000 anos desapareceu do Ocidente. A desolação, a conquista, a escravatura, e a deslocação geográfica passaram a ser a norma. Os pagãos brutos destruíram a grande civilização clássica de Roma. Seguiu-se o colapso demográfico; as cidades encolheram, a população desapareceu. Na Inglaterra, o pior estava por vir. 

Os pagãos sedentos de sangue (os Anglos, os Jutos e os Saxões) deram início a uma guerra de extermínio não-provocada contra os habitantes Romano-Celtas. Os Saxões foram contidos pela motivadora figura de Artur, mas ele não conseguia parar as hordes pagãs. A próspera civilização Romano-Britânica desapareceu, apenas para sobreviver como eco no País de Gales e na Irlanda. 

Os horrores reportados por homens tais como Gildas, Bede, e pela crónica Anglo-Saxónica, nada mais são que uma amosta do que a invasão pagã deve ter sido para os habitantes da Inglaterra. A luz Clássica e Cristã foi substituída pela superstição pagã e pelas trevas. [ed: Curiosamente, os historicamente ignorantes culpam o Cristianismo pela "Idade das Trevas", quando foi a destruição da sua influência, e do sistema organizacional Greco-Romano, que a causou]. 

Os dias sombrios do Ocidente eram a noite que precedia o amanhecer. À medida que os Saxões iam cometendo actos de genocídio na Inglaterra, outro Romano-Britânico, Patrício, estava a converter os Irlandeses e a trazê-los para a luz do conhecimento clássico e Cristão. Na Irlanda, Patrício colocou um ponto final nos sacrifícios humanos e na escravatura. A Irlanda foi transformada de zona primitiva e retrógrada, à margem do mundo, para centro da escolástica ocidental, especialmente do Latim. 

Não tenho tempo para descrever as conversões dos Pictos por parte de Columba, ou da Nortúmbria por parte de Aidan, ou dos Alemani por parte de São Galo, ou da Lombardia (Itália) por parte de Columbano, ou do colar de mosteiros plantados por estes mendicantes ambulantes, desde a Irlanda, passando pela Inglaterra, Gália, até à Itália, onde a luz do conhecimento foi preservada durante este período sombrio. 

O longo processo de reconverter estes selvagens do paganismo, ou Arianismo, foi iniciado tanto pelos Irlandeses como pelo Papado. O aspecto mais saliente do Cristianismo Celta foi que buscou fazer irmãos aqueles que, segundo o direito de retribuição, deveriam ter sido mortos por terem assassinado os seus ancestrais em Inglaterra. Esta expressão de amor Cristão, e não de vingança pagã, gerou os grandes centros de aprendizagem de York e Jarrow, o que produziu, respectivamente, Alcuino e São Bede. 

Com os Merovíngios e com Carlos Magno, os primeiros passos experimentais rumo à restauração da razão e da fé ocorreram em Achen, capital imperial. Carlos Magno reuniu para si todos os grandes homens da era, que eram em larga maioria Irlandeses e Cristãos Anglo-Saxónicos, e supervisionou a preservação dos textos antigos. Hoje em dia olhamos para a Minúscula Carolíngia, um produto dessa era, como um dado adquirido. A Minúscula Carolíngia foi a primeira tentativa de se introduzir letras minúsculas, parágrafos, e pontuação na gramática. Antes disso, os textos eram todos escritos em letras maiúsculas, sem espaços - nada mais que um bloco de letras num rolo ou numa página. 

Este Renascimento cujo coração intelectual se encontrava na Irlanda, foi brutalmente esmagado no século IX. 

Não contentes em ter destruído o Império Romano do Ocidente, os Nórdicos tentaram destruir o seu sucessor, o Sacro Império Romano. É aqui que a alegação de McNallan de "guerra defensiva" é um absurdo. Se os ataques Vikings eram uma retribuição das guerras Saxónicas, que é em si uma pressuposição inválida de solidariedade pagã - conceito totalmente alheio à vida tribal - porque é que Lindisfarne (fundada por Santo Aidan) foi assaltada em 793, e numerosos mosteiros Irlandeses e Cristãos-Saxónicos foram roubados e queimados? Que ofensa haviam estes cometido contra os Nórdicos? Nenhuma! McNallan nada mais faz que justificar o genocício de forma enganadora. 

Os habitantes de Hébridas e os Pictos da Escócia Oriental não sobreviveram aos raids dos Vikings. A grande civilização Irlandesa foi extirpada para nunca mais voltar a existir. Os Anglo-Saxões sob as ordens de Alfredo e dos seus sucessores, bem como os Reis da Frankia Ocidental, mal resistiram às hordas selvagens no norte. Os séculos X e XI viram a absorção gradual da Inglaterra para dentro do Império Nórdico, até ao reinado do Rei Canuto, mas por essa altura ele e a Dinamarca já haviam convertido ao Cristianismo. 

A Cristianização da Noruega, da Dinamarca e da Suécia, foram medidas defensivas que tinham como propósito causar a que os bárbaros se prostrassem. Visto que nenhum exército Europeu seria capaz de conquistar os Nórdicos, foi preciso o Evangelho da paz para o fazer. 

A partir de 1050 para a frente, depois da Cristianização dos Nórdicos e dos Magiares, a Europa Ocidental passou a ter a segurança que precisava para enveredar pela reconstrução da civilização ocidental e da era científica moderna - não graças às invasões Nórdicas. 

Resumidamente, podemos olhar para esta luta milenar, desde os Cimbros e os Teutões até ao Rei Canuto, como uma luta entre o barbarismo e a ignorância dum lado, e o conhecimento clássico e o Cristianismo do outro lado, com este último a triunfar não através da conquista e da pilhagem e da violação, mas de forma esclarecida, e em amor através da conversão. 

*******

Obviamente que muitos neo-pagãos estão absolutamente correctos na sua luta em prol da preservação da civilização ocidental. Onde eles falham é na sua tentativa de atribuir ao Cristianismo um papel de "inimigo" dessa civilização. Por alguma razão aqueles que querem destruir a civilização ocidental querem destruir o Cristianismo acima de qualquer coisa;